06/10/13

Creepypasta dos Fãs: Tarde de mais

Eu só lembro que estávamos de férias na praia, eu e meus tios. De vez em quando meu tio saia para pescar e voltava no almoço, eu geralmente fico no apartamento trancado no meu quarto desperdiçando o meu tempo com jogos virtuais, redes sócias, e fazendo pesquisas malucas sobre coisas estranhas e bizarras. Já a minha tia ficava assistindo televisão o dia inteiro, ela gostava de assistir o noticiário, mas sempre eram as mesmas coisas: tragédias, mortes, crimes. Era tanta desgraça, que parecia que a televisão ia começar a pingar sangue. Eu ficava procurando um jeito de me divertir, passar o tempo até as férias acabarem, nunca gostei das férias, por que sempre era a mesma coisa cansativa e enjoativa de sempre, parecia um “ciclo vicioso’’ que nunca iria acabar. Mesmo o apartamento dos meus tios sendo em frente à praia, eu nunca saia de casa, achava as pessoas estranhas, e elas também pensavam o mesmo de mim. Eu descobri que viver sozinho seria mais fácil, sem amigos sem decepções, talvez este seja um bom argumento, mas algumas vezes eu sentia falta de ter alguém para conversar, alguém para mostrar as coisas, alguém ali nem que seja apenas para me criticar, ou para conversar comigo sobre qualquer coisa que seja.


Neste dia meu tio havia chegado mais tarde em casa, a primeira coisa que ele sempre fazia quando chegava á casa, era me tirar do computador, ele dizia que eu estava viciado de mais naquilo, e realmente eu estava, mas nunca admitia. Durante o jantar minha tia falava sobre o noticiário, ela contou que estava acontecendo muitos desaparecimentos pela cidade, e que ninguém sabia o que causava aquilo, eu nem ligava muito pra isso, por que eu não saia de casa quase, de vez em quando eu abria a janela e ficava ali admirando as coisas, a vista era bonita. Meus tios moravam em um apartamento no oitavo andar, esse era o máximo de contato que eu tinha com o mundo, e eu nem ligava, eu podia sair, mas sempre ficava em casa. Após o jantar eu voltava para a minha rotina maluca, até as 23: 00, depois meu tio me obrigava a ir dormir, eu esperava eles dormirem para poder voltar para o computador, de madrugada eu sempre escutava uns ruídos estranhos no quarto dos meus tios, eu só escutava e pensava “Não deve ser nada” mas nesta noite os barulhos estavam muito frequentes e ficando cada vez mais altos, era um som estranho, eu diria que parece como um rato roendo algo, eu cheguei até a porta do quarto dos meus tios, e o barulho ficava mais forte. Eu tentei abrir a porta, mas a porta estava trancada. Eu voltei para o quarto um pouco preocupado.


Eu fui até o quarto dos meus tios, mais uma vez, mas dessa vez eu arrombei a porta e os dois estavam devorando uma perna, havia sangue por toda a parte, e os restos mortais do que parecia ser uma garota, jogado no chão. Quando eu vi essa imagem, eu saí correndo, arrombei a porta do apartamento e corri pelas escadas, quando eu estava descendo as escadas eu tropecei em um degrau no 4° andar eu desmaiei, pois havia batido a cabeça com força no corrimão da escada. Eu acordei assustado e apavorado, parecia ter sido um sonho, meus tios se levantaram e vieram até mim, e perguntaram se eu havia dormido bem, eu disse que sim. Minha tia disse ‘’leve esse saco no lixo’’, eu disse para esperar por que eu queria ir ao banheiro. Eu peguei o saco de lixo que minha tia deixou ao lado da porta, e fui carregando ele até o corredor, antes de jogar o saco no vácuo de lixo, eu abri o saco, dentro do saco tinha os restos do que parecia ser um corpo todo mordido e deformado, aquilo tinha um odor horrível, eu meio sem entender, por que os meus tios ainda não haviam feito isso comigo, se eles realmente eram canibais? Eu joguei o saco no vácuo, e voltei para o apartamento, sem ninguém me ver, pois meus tios estavam na cozinha. Eu fui até o quarto dos meus tios, abri o guarda- roupas e encontrei um corpo de um senhor que parecia muito com o meu tio, quando eu tirei o saco que escondia a cabeça dele, era o meu tio. E pelo jeito a garota que eu parecia ter visto na noite passada era a minha tia, eu tentei sair do apartamento de vagar sem fazer barulho, porém minha ''tia'' me viu tentando sair e disse ‘’Onde você vai querido? Volte o almoço ainda não está pronto’’ . Talvez seja tarde demais para comer a sobremesa...


Escrito/Enviado por: Bruno Edurado


16 comentários:

  1. "de madrugada eu sempre escutava uns ruídos estranhos no quarto dos meus tios"
    Meu querido, eles estavam transando, deixa os véio ser feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, eu escrevi a msm coisa antes de ver seu comentario. Bate aki, manolo o/

      Excluir
  2. Respostas
    1. Eram criaturas que tomaram a forma dos tios dele.

      Excluir
  3. Malditos Doppelgangers >:( kkkkkkk

    ResponderExcluir
  4. Tem traduzido pra português esse texto?

    ResponderExcluir
  5. A história é interessante, mas foi mal escrita...

    ResponderExcluir
  6. Eu nao entedia "tal vez seja tarde demais para a sobremesa" nao entendi isso

    ResponderExcluir
  7. Achei q os tios estavam fazendo séqço e por isso os barulhos e ruidos...

    ResponderExcluir
  8. Kkk se fosse eu, eu daria um migué nos tios... Ea aí cambada? Qual vai ser o vizinho de hoje? Tô doida por um cotovelozinho!

    ResponderExcluir