03/10/13

Papel Chinês

Esta história aconteceu em Flushing, Queens - NY. Para aqueles que estão familiarizado com o local, é a casa entre o grande cemitério e a Faculdade Queens.

A mais ou menos dois anos atrás, eu morava em uma casa bem legal. Tinha três quartos, uma cozinha e um sótão por apenas U$1300 por mês. Para todos aqueles lendo que alugam ou já alugaram uma casa, sabe que é um negócio bem interessante. Um grande cemitério ficava seis ou sete quadras dali, mas não tem muito a ver com minha história.

Depois de transferir todas minhas coisas para a casa nova, comecei a explorar - todos os quartos, todos os cantos e recantos e tudo mais. Notei que o quarto que escolhi para mim (deixei o quarto maior para minha mãe - sim, eu moro com minha mãe, foda-se) tinha um pequeno pedaço de papel acima da porta. Tinha sido colada na parede entre o topo da porta e o teto. Tudo que estava no papel era algumas letras em Chinês. Bem, eu tenho descendência chinesa, mas não consigo ler chinês nem que a vaca tussa. Então, não fazia ideia do que dizia, mas já tinha visto aquele tipo de papel antes.

Basicamente, existe tradições antigas sobre monstros (normalmente vampiros) que tem um pedaço de papel preso em sua cabeça, chapéu ou qualquer coisa do tipo. Ponha no google "Chinese Vampires" e dê uma olhada nas imagens. Mais ou menos assim que o papel acima da porta se parecia. Perguntei para a senhoria (uma senhora de idade) sobre aquilo. Ela disse que o último cara que tinha alugado a casa era muito supersticioso, por isso deixei pra lá. Entretanto, não tirei o papel de lá, por quê... Sério, quem é que quer mexer com coisas desse tipo?

Meu quarto tinha um closet bem fundo. Era apertado, mas precisava dar uns 4-5 passos para chegar ao final. Depois de olhar meu quarto, fui para o sótão. A senhoria me dissera anteriormente (ou meio que me advertiu) para não deixar ninguém dormir no sótão. Se isso tem ou não a ver com minha história, você que vai decidir. Ela disse que fica extremamente quente no verão. Eu tinha um quarto, minha mãe tinha outro, então não fazia muita diferença.

Fui até o andar de cima, para o sótão de duas peças. A porta entre os dois tinha sido removida. A primeira peça não tinha nada, mas na segunda, um sofá bem no meio. Não havia nada em volta - sem mesas, lâmpadas, luminárias ou qualquer outra coisa. Apenas um sofá branco e sujo no meio da peça. Decidi não mexer nele ou sentar, por quê... Sério, você se jogaria em um sofá que o último inquilino deixou para trás? Nojento.

Tudo tinha sido resolvido e já começava a me sentir em casa. Alguns meses se passaram e coisas estranhas começaram a acontecer. Eu ficava acordado até muito tarde, maioria das vezes no meu notebook enquanto sentado na cama, e em algumas noites aleatórias a porta do meu closet se abria sozinha. Não daquele jeito bizarro como nos filmes, devagar fazendo "creeeaaakk". Digo como se alguém tivesse aberto-a com força. A primeira vez que aconteceu, quase me caguei de medo. Minha cama fica de frente para o closet, então olhei para lá, assustado pra caralho, e vi... nada. A porta do closet estava apenas encostada na parede com nada a não ser escuridão no closet. Não haviam olhos demoníacos, nenhum vulto, só escuridão. Me levantei, fechei a porta e voltei para meu notebook.  

Isso começou a acontecer com mais frequência, e como tinha um ventilador de janela instalado no quarto, achei que era apenas um corrente de ar muito forte. O fato de não conseguir fechar a porta até o fim, sustentava minha teoria - o mecanismo de tranca teria prevenido que se abrisse daquele jeito. Enquanto escrevo isso, percebo que deveria ter apenas colocado algo pesado em frente a porta. Tanto faz. Falei sobre para minha mãe e me desculpei pelo barulho no meio da noite, mas ela disse que nunca ouvira nada.  Achei muito estranho, pois a porta batia com força na parede, com um estrondo enorme.

Mais ou menos seis meses depois de termos nos mudado para lá, resolvemos nos mudar para outro lugar. Descobrimos um apartamento mais barato, porém menor e decidimos que era melhor para nós. Um amigo meu trabalha para uma companhia de mudança, então contratamos alguns trabalhadores para nos ajudar. Enquanto estávamos empacotando tudo, liguei um rádio no quarto para ficar ouvindo música enquanto estava ocupado colocando coisas nas caixas. Fui para o banheiro, e quando saí do meu quarto, fechei a porta. Não foi por acidente; tenho mania de fechar portas atrás de mim. Fiz xixi e voltei para o quarto.

Abri a porta e fiquei ali por um momento, fechei a porta e abri de novo. Foi então que notei que não poda ouvir nada vindo do meu quarto quando a porta estava fechada. O rádio estava bem alto, mas mesmo assim não conseguia ouvir nadinha quando a porta estava fechada. Achei isso ainda mais estranho do que a parada do closet, por quê não fazia sentido nenhum. Daí percebi que por causa disso minha mãe nunca tinha ouvido a porta bater. Ainda pensando nisso, continuei a empacotar.

Fui até o closet para pegar minhas roupas. Abri a porta totalmente e a segurei contra a parede - não queria precisar abrir todas as vezes que quisesse pegar algo lá dentro. Mas a porta não ficava totalmente aberta sozinha. Ela se abria toda, e depois ia rangendo até ficar em um ângulo de 70 gruas. Foi quando comecei a ficar assustado. Todas aquelas noites a porta se abria, ficando em um ângulo de 180 graus. O único jeito para ficar daquele jeito, era se alguém ficasse segurando. Quase pirando, retirei todas as minhas coisas velozmente e joguei tudo na minha cama. Não queria mais ficar naquele closet longo e apertado.

Fui no andar de cima dar uma olhada nos trabalhadores. Eles tinham acabado de limpar o sótão e me perguntaram sobre o sofá branco. Falei que não era meu e que era pra deixar ali. Eles encolheram os ombros, colocaram de volta no meio da peça e desceram. Enquanto eu virava para segui-los, algo no chão chamou minha atenção: uma marca muito escura, parecendo queimada, vindo debaixo do sofá. Andei até lá e empurrei o móvel para fora do caminho. Lá, nos meus pés, estava um pentagrama queimado no carpete.

Era como se tivesse sido feito a ferro quente, como aqueles instrumentos que usam em fazendas para marcar vacas, exceto que era enorme e na forma de um pentagrama. Rapidamente chamei os trabalhadores de volta e ficamos olhando aquilo por muito tempo. Alguns "que porra é essa?" foram falados, e depois algumas risadas. Eu não estava rindo. Especialmente depois que eles ressaltaram que estava marcado bem acima do meu quarto.

Eu iria descer, terminar de empacotar as coisas e dar o fora daquela casa. Quando estava carregando a última caixa, dei uma última olhada no quarto, no closet e no papel acima da porta. O canto esquerdo superior do papel estava descolando, e senti uma vontade súbita de arrancá-lo, mas apenas sacudi a cabeça e levei minhas coisas para fora.  

Faz quatro anos que saí daquela casa, mas ainda penso nela com frequência. Um ano atrás fui para a casa da minha tia para o aniversário de meu primo. Já tinha estado lá antes, mas naquele dia notei algo que não tinha notado antes. Estava tirando meus sapatos, já dentro da casa, e olhei casualmente para cima. No topo da porta, preso entre o teto e a batente da porta, estava um pedaço muito parecido de papel.

Mas havia uma certa diferença; os ideogramas eram bem fracos, como se o papel estivesse colado ao contrário, ao invés de virado para mim. Perguntei para minha tia sobre, e ela disse que era um tipo de amuleto para manter os maus espíritos longe. Me assombra agora: e se eu tivesse  sucumbido à vontade de arrancar o papel da parede? Será que o papel ainda está lá? Estava descolando a última vez que vi, será que alguém arrumou? Ou pior, arrancou?

Ela disse que aqueles ideogramas significavam algo como "Passagem Impossível". Perguntei a ela porque ela usava o papel ao contrário, e as palavras que me disse me deixaram apavorado pro resto da vida: "Deve ficar daquele jeito. As palavras devem ficar viradas na direção que os maus espíritos virão".

Fiquei lá, congelado. Um sentimento de pavor tomou conta de mim. Aquele homem, aquele maldito que tinha morado na casa antes de mim, não estava tentando prevenir que maus espíritos entrassem no quarto. Ele estava tentando impedir algo de sair de lá.








25 comentários:

  1. Caramba... isso quer dizer que, o menino dormia no quarto dos capirotos! Que doido!

    ResponderExcluir
  2. Quem é o autor? Essa Creepy é perfeita. Como um bom filme de terror... Quem é o autor, Divina?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João, originalmente achei essa creepy em jpg, então não tinha o nome de nenhum autor. Depois pesquisei ela no google, e achei ela no creepypasta wikia, mas também não fala quem é o autor original do texto. Se quiser ver no wikia, tá aqui:
      http://creepypasta.wikia.com/wiki/Chinese_Letters

      Excluir
    2. Obrigado, Divina. Realmente é uma pena não conhecermos o autor. Vou ler a original.

      Excluir
  3. Geeeeeeeente curti
    Olha, faz tempo que não leio uma creepy ou um conto que eu ache assustador mesmo :D
    Pena q não temos o autor pq o cara/a guria é F*DA.

    ResponderExcluir
  4. PUTA QUE PARIU, QUE CREEPY FODÁSTICAAAA!!!! *-------—--*

    ResponderExcluir
  5. Se vcs pesquisaram "Chinese Vampires" no Google Imagens, provavelmente viram a imagem da Saga Gaypúsculo "like a Chinese Vampire", e é disso que eu me arrependo, nada de 2 girls 1 cup, aquela porra me danificou seriamente.

    ResponderExcluir
  6. Mano. Mano... IMPRESSIONANTE! *o*
    Que arrepio! O mais interessante são os detalhes sutis que a creepy nos deixa, as dúvidazinhas implantadas no fundo da mente... Tipo: A velha sabia de algo? Quem era o antigo morador? O que estava escrito no papel? O que a "entidade" queria?
    Isso que me encanta nas creepy's! *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1 Sim, a velha era troll!
      2 Era o capeta!
      3 "Meu pastel é mais balato né"
      4 fazer uma suruba com as outras, por isso ela queria sair!

      Excluir
  7. fodona essa creepy!!
    fiquei imaginando cada cena, muito boa!!
    ^_^

    ResponderExcluir
  8. Minha porta também abre assim a vezes O_O Nem queria dormir mesmo.
    #SaiCapirotoVelho!

    ResponderExcluir
  9. É 9/10... O final foi bem foda, mas meio que faltou alguma explicação pra ele manter o demonio lá...

    ResponderExcluir
  10. "Aquele homem, aquele maldito que tinha morada na casa antes de mim, não estava tentando prevenir que maus espíritos entrassem no quarto. Ele estava tentando impedir algo de sair de lá."
    Muito foda *-*

    ResponderExcluir
  11. "Aquele homem, aquele maldito que tinha morada na casa antes de mim, não estava tentando prevenir que maus espíritos entrassem no quarto. Ele estava tentando impedir algo de sair de lá."
    Muito foda *-*

    ResponderExcluir
  12. Fiquei surpreso, o garoto dormia no quarto com um espírito maligno.

    ResponderExcluir
  13. PQP Isso sim é uma creepy, me arrepiei todo!

    ResponderExcluir
  14. eu li ouvindo as trilhas sonoras do site e no meio da creepy acabou a "The eight pages" me caguei todo

    ResponderExcluir
  15. Quando cheguei no '' estava impedindo algo de sair de lá '' arrepiei mt foda essa creepy!

    ResponderExcluir