19/01/14

1000Vultures - Amigos (Parte final)

Oi Creepers! Chegamos ao fim de mais uma série aqui no Creepypasta Brasil. Obrigada pela paciência de todos, me diverti muito traduzindo esta para vocês. Vou procurar uma série nova, se tiverem alguma sugestão, deixem nos comentários. 

Boa leitura!
-

Parte 1 - Passos

No primeiro dia do jardim de infância, minha mãe queria me levar de carro para a escola; Ambos estávamos nervosos e ela desejava estar comigo no momento em que eu entrasse na sala de aula. Demorei um pouco mais do o que o costume para me arrumar de manhã, por conta do braço engessado. O gesso ficava alguns centímetros acima do meu cotovelo, o que significava que, ao tomar banho, tinha que cobrir o braço inteiro com um tipo especial de sacola de látex. A sacola era feita com intuito de apertar em torno da abertura, assim vedando e evitando que a água entrasse e destruísse o gesso. Depois de um tempo comecei a colocar aquilo sozinho, pois isso não era tão difícil. Mas, naquela manhã por conta da ansiedade ou do nervosismo, não apertei o suficiente e, no meio do meu banho, pude sentir a água se acumulado entre meus dedos por dentro da sacola. Pulei para fora do chuveiro e tirei a proteção de látex, mas podia sentir que o gesso que antes era rígido estava macio por ter absorvido água.

Não há nenhuma maneira de limpar a área entre a pele e o gesso e, por causa disso, a pele morta que normalmente caí, fica acumulada ali dentro. Quando o gesso fica com umidade tipo o suor, produz um odor e, aparentemente, este cheiro é proporcional à quantidade de umidade, porque logo que comecei a tentar secar, fiquei impressionado com o fedor de podre que saía de lá. Enquanto esfregava continuamente com a toalha, o gesso começou a se desintegrar. Comecei a ficar cada vez mais angustiado - estava me esforçando o máximo que uma criança podia em relação ao seu primeiro dia de aula. Na noite anterior, tinha sentado com minha mãe para escolher minhas roupas; Tinha demorado uma eternidade para escolher qual mochila comprar; e estava extremamente animado para mostrar para todos coleguinhas minha lancheira das Tartarugas Ninjas. Por causa da minha mãe, tinha caído no habito de chamar de "amigos" essas crianças que nem se quer tinha conhecido ainda, mas com as condições de meu gesso piorando, fiquei profundamente depressivo com a ideia que certamente não conseguiria chamar verdadeiramente ninguém de amigo no final daquele dia.

Derrotado, mostrei para minha mãe.

Demorou cerca de 30 minutos pata tirar a maior parta da umidade enquanto tentávamos preservar o resto do gesso. Para resolver o problema com o fedor, minha mãe cortou tiras de sabonete e enfiou dentro do gesso,  esfregando por fora com o que tinha sobrado do sabonete na tentativa de encasular o cheiro rançoso que vinha de dentro e mascará-lo com um mais agradável.
Quando chegamos no colégio, meus colegas já estavam engajados em sua segunda atividade do dia, então fui aleatoriamente colocado em um dos grupos. Não explicaram para mim o que tinha de ser feito naquela atividade e em cinco minutos tinha quebrado várias regras, fazendo com que todos os membros do meu grupo fossem reclamar com a professora e perguntar o porquê que eu tinha de estar no grupo deles. Tinha levado uma caneta permanente para a escola na esperança de conseguir outras assinaturas ao lado da de minha mãe no  gesso mas, de repente, me senti bobo por se que ter colocado a caneta no meu bolso mais cedo.

Os alunos do jardim de infância tinham um horário onde almoçavam sem as outras crianças de outras séries nesta escola primária, mas só podíamos sentar em mesas especificas, então pelo menos não tinha que me sentar sozinho. Estava constrangido, mexendo no gesso, quando um garoto sentou perto de mim.

"Gostei da sua lancheira," ele disse.

Percebi que ele estava zoando da minha cara e isso me deixou  com muita raiva; na minha cabeça, a lancheira era a única coisa boa daquele dia. Fiquei olhando para o meu braço, e senti meus olhos queimarem das lágrimas que tentava segurar. Olhei para cima para pedir que me deixasse em paz, mas antes que pudesse formar as palavras em minha boca, vi algo que me fez parar.

Ele tinha a mesma lancheira.

Eu ri. "Gostei da sua lancheira também!".

"Acho o Michelangelo o mais legal," ele disse enquanto fazia movimentos como se estivesse lutando com um Tchaco imaginário.

Eu estava prestes a rebater dizendo que o Raphael era o meu preferido quando ele bateu sem querer na caixa de leite aberta na mesa e derrubou tudo em seu próprio colo.

Tentei com todas minhas forças segurar o riso, sendo que não o conhecia direito, mas a minha cara devia estar muito engraçada enquanto prendia a risada, porque ele começou a rir primeiro. De repente, não me sentia mais tão mal por causa do gesso. Então tentei a sorte.

"Ei, quer assinar meu gesso?"

Enquanto pegava a caneta, me perguntou como tinha quebrado o braço. Falei que tinha caído da árvore mais alta do meu bairro; ele pareceu ficar impressionado. Fiquei vendo-o escrever seu nome demoradamente, e quando  terminou perguntei o que estava escrito.

"Josh", ele disse.

Josh e eu almoçávamos juntos todos os dias e, quando dava, participávamos dos mesmos grupos em trabalhos escolares. Ajudei-o com sua caligrafia e ele levou a culpa por mim quando eu escrevi  "Peido!" na parede com caneta permanente. Fiz amizade com outras crianças, mas sabia que Josh era meu único amigo verdadeiro.

Trazer uma amizade feita no pré para sua "vida real" quando se tem cinco anos de idade é mais difícil do que a maioria se lembra. No dia em que soltamos nossos balões nos divertimos tanto juntos que perguntei para Josh se ele queria ir na minha casa no dia seguinte para brincar. Ele disse que traria alguns de seus brinquedos; Eu disse que podíamos explorar o bosque e até nadar no lago. Quando cheguei em casa perguntei para minha mãe e ela disse que seria ótimo. Meu entusiasmo não tinha limites, até que percebi que não teria como entrar em contato com Josh. Passei todo o final de semana achando que nossa amizade seria desfeita na segunda-feira. 

Quando o vi depois do final de semana, fiquei aliviado que ele também não tinha meu telefone e acho que isso tinha sido no mínimo engraçado. Mais tarde naquela semana, nós dois lembramos de escrever nossos números de telefone em casa e trocá-los na escola. Minha mãe conversou com o pai de Josh,  e foi decidido que minha ela nos buscaria na escola naquela sexta. Nossos pais alternavam quem buscaria e em que casa passaríamos o final de semana, e o fato de morarmos tão perto um do outro fez com que as coisas fossem tão fáceis para eles que pareciam trabalhar constantemente.

Quando minha mãe e eu nos mudamos para o outro lado da cidade no final da minha primeira série, eu jurava que nossa amizade tinha chegado ao fim; enquanto íamos embora de carro, saindo da casa que tinha vivido toda minha infância, senti uma tristeza que sabia não ser só por causa da casa; eu estava dizendo adeus ao meu amigo para sempre. Mas, Josh e eu - para minha surpresa e felicidade - continuamos próximos.

Apesar do fato de passarmos a maior parte do tempo separados e só nos encontrarmos nos finais de semanas, continuamos muito parecidos enquanto crescendo. Nossas personalidades se fundiram, nosso senso de humor eram idênticos e as vezes começávamos a gostar das mesmas coisas ao mesmo tempo, sem ter falado para o outro. Nós até tínhamos a voz parecida; as vezes Josh chamava minha mãe tentando me imitar e enganava-a quase todas as vezes. Minha mãe brincava que a única coisa que a fazia saber quem era quem, era o cabelo - ele tinha os cabelos loiro-sujo e lisos como os de sua irmã, enquanto eu tinha cachos castanho escuro como os de minha mãe.

Qualquer um pensaria que o que quer que separasse dois jovens amigos, seria algo fora do controle deles; entretanto, acho que a fonte de nossa separação gradual foi minha insistência em fugir para procurar Caixas em minha antiga casa. Na semana seguinte de todo o acontecimento, chamei Josh para dormir na minha casa para continuar com a tradição de alternações de casas, mas ele disse que não estava muito afim. Começamos a nos ver muito menos; de uma vez por semana passou para uma vez no mês, e depois uma vez em cada três meses.

Para meu aniversário de 12 anos, minha mãe decidiu fazer uma festa para mim. Ela não tinha ideia de quem convidar, então não foi surpresa; não tinha feito muitos amigos uma vez que tínhamos nos mudado a pouco tempo. Fiz uma lista com alguns garotos do colégio e Josh, para ver se ele gostaria de vir. A princípio disse que não poderia ir, mas um dia antes da festa me ligou e disse que iria. Fiquei muito empolgado porque fazia meses que não nos víamos.

A festa foi bem legal. Minha maior preocupação era que Josh e os outros garotos não se gostassem, mas eles pareciam se dar bem o suficiente. Josh estava surpreendentemente quieto. Ele não me trouxe presente e pediu desculpas por isso, mas falei que não tinha problema - estava feliz só por ter vindo. Tentei conversar com ele várias vezes, mas nossas conversas sempre pareciam entrar em becos sem saída. Perguntei o que havia de errado; comentei que não entendia porque as coisas andavam tornado-se estranhas entre nós dois - nunca tinha sido assim antes. Costumávamos passar os finais de semana junto e sempre conversar no telefone. Perguntei o que tinha acontecido com a gente. Ele olhou para cima e disse:

"Você foi embora."

Logo depois que ele falou isso minha mãe gritou do outro cômodo que era hora de abrir os presentes. Forcei um sorriso e andei até a sala de jantar enquanto todos cantavam "Parabéns para você". Havia alguns presentes embrulhados e vários cartões, sendo que a maioria da minha família morava em outro estado. No geral, os presentes eram bobos e esquecíveis, mas me lembro que Brian me deu um brinquedo da Mighty Max em formato de cobra que mantive em meu quarto por muitos anos. Minha mãe insistiu que eu abrisse cada cartão e agradecesse cada pessoa que tinha me dado um, porque, anos antes, em uma manhã de natal, abri os presente e cartões com tanto vigor e ferocidade que destruí qualquer possibilidade de descobrir quem tinha me dado o que ou quanto de dinheiro. Separamos os presentes que tinham chego por correio e os que meus amigos tinham trazido para festa, pois não seria nada legal  os convidados terem de ficar me vendo abrir cartões de pessoas que eles nem se que conheciam. Maioria dos cartões de meus amigos tinha alguns dólares dentro, e os de minha família continham notas maiores.

Um dos envelopes não tinha meu nome, mas estava na pilha então abri. O cartão tinha umas flores na parte da frente e parecia ser um cartão que já tinha sido enviado para alguém pois estava um tanto sujo e agora o dono estava reutilizando-o para o meu aniversário. Na verdade, achei até legal que estava sendo reenviado porque sempre achei boba a ideia de dar cartões. Não virei o cartão para que o dinheiro não caísse quando fosse aberto, mas a única coisa dentro era uma mensagem impressa.

"Eu te amo."

Seja lá quem tivera me enviado esse cartão não tinha escrito nada dentro, mas tinha circulado a mensagem várias vezes com um lápis.

Dei uma risada e disse, "Nossa, obrigada por esse lindo cartão, mãe!"

Ela me olhou confusa e então olhou para o cartão. Disse que não tinha sido a remetente e achou divertido ver meus amigos olhando um para o outro tentando descobrir quem tinha feito aquela brincadeira. Nenhuma das crianças se acusou, então ela disse:

"Não se preocupe, filho. Pelo menos agora você sabe que duas pessoas te amam."

Depois de falar isso ela me deu um beijo na testa extremante demorado que fez com que as pessoas antes confusas ficassem histéricas. Todos riam, então podia ser qualquer um deles, mas Mike parecia ser o que mais ria. Para participar da piada ao invés de ser ela, falei para ele que só porque tinha me dado o cartão não devia achar que eu receberia seu beijo mais tarde também. Todos rimos, e quando olhei para Josh,finalmente ele estava sorrindo.

"Bem, acho que esse presente foi o vencedor, mas você tem mais alguns para abrir."

Minha mãe me alcançou outro presente. Eu ainda sentia minha barriga doer de tanto rir enquanto rasgava o papel colorido. Quando vi o presente não senti mais necessidade de rir. Meu sorriso saiu do rosto quando vi o que tinha recebido.

Era um par de walkie-talkies.

"Bem, mostre para todos!"

Levantei a caixa em direção aos meus amigos e todos pareciam aprovar o presente, mas quando olhei Josh, vi que ele tinha ficado pálido, como se estivesse enjoado. Olhamos nos olhos um do outro por alguns segundo e então ele saiu para a cozinha. Vi ele digitar um número no telefone enquanto minha mãe sussurrou no meu ouvido que sabia que Josh e eu não nos falávamos tanto desde que os walkie-talkies tinham quebrado, então achou que eu gostaria de novos. Fiquei muito feliz com a tentativa de ajuda para nos aproximar da minha mãe, mas esse sentimento foi substituído facilmente pelas Memórias que tinha lutado para enterrar voltando a tona.

Enquanto todos comiam bolo, perguntei à Josh para quem ele tinha ligado. Disse que chamara seu pai para buscá-lo, pois não estava se sentindo muito bem. Entendi que ele queria ir embora, mas falei que queria poder ficar mais tempo com ele. Dei um dos walkies para ele, mas ele não aceitou.

Chateado, eu disse, "Bem, obrigado por vir, eu acho. Espero te ver antes do meu próximo aniversário".

"Me desculpa... Vou tentar ligar para você com mais frequência. Vou mesmo."

A conversa empacou enquanto esperávamos por seu pai. Olhei para seu rosto. Parecia genuinamente chateado por não ter sido mais esforçado. Seu humor pareceu melhorar por alguma ideia que o veio a mente. Ele disse que sabia o que me daria de presente - talvez demorasse um pouco, mas achou que eu realmente ia gostar. Disse que realmente isso não importava, mas ele insistiu. Parecia com o espírito mais leve e pediu desculpas por ter sido um chato na festa. Disse que estava cansado, - que não estava dormindo muito bem. Perguntei o porquê enquanto ele abria a porta em resposta a buzina do carro de seu pai. Ele acenou e me deu tchau enquanto respondia minha pergunta.

"Acho que sou sonâmbulo".

Essa foi a última vez que vi meu amigo e, alguns meses depois, ele tinha sumido.

Ao longo das últimas semanas a relações entre minha mãe e eu ficaram um tanto mais tensa devido às minhas tentativas de descobrir mais detalhes sobre minha infância. É recorrente o fato de que não se pode saber o quão frágil alguma coisa é, até que essa coisa se quebre, e depois da última conversa com minha mãe, imagino que vamos passar o resto de nossas existência tentando consertar o que tinha levado a vida inteira para construir. Ela tinha colocado tanta energia em me manter seguro, tanto fisicamente quanto psicologicamente, mas acho que as paredes que eram para me manter seguro também protegiam sua estabilidade mental. Enquanto a verdade ia sendo revelada em nosso último encontro, pode ouvir um tremor em sua voz que julguei ser o som de seu mundo desmoronando. Não acho que minha mãe e eu iremos conversar muito mais, e mesmo que há algumas coisas que não entendo, acho que sei o suficiente.

Depois do desaparecimento, os pais de Josh fizeram tudo que podiam para encontrá-lo. Desde o primeiro dia, a policia sugeriu que contatassem para todos os pais dos amigos de Josh para ver se ele estavam com eles. Fizeram isso, claro, mas ninguém tinha o visto ou tinha ideia de onde poderia estar. A polícia tinha sido incapaz de encontrar novidades sobre o paradeiro de Josh, a não ser o fato de que receberam vários telefonemas anônimos de uma mulher que comparava aquilo com um caso de perseguição que acontecera 6 anos antes.

Se as forças da mãe de Josh haviam se afrouxado quando seu filho desapareceu, sumiram totalmente quando a filha morreu. Ela já havia visto muitas pessoas morrendo no hospital, mas era óbvio que isso não a fez ficar indiferente a morte de sua própria filha. Ela visitava Veronica duas vezes no dia enquanto estava se recuperando em um hospital diferente em que trabalhava; uma vez antes do trabalho e outra depois. No dia em que Veronica morreu, sua mãe se atrasou em sair do trabalho, e quando chegou para visitá-la, Veronica já tinha falecido. Isso foi demais para ela e nas semanas seguintes se tornou totalmente instável; costumava vaguear pela vizinhança onde morava gritando para que Josh e Veronica voltassem para casa, e as vezes seu marido encontrava-a vagueando por minha antiga vizinhança no meio da noite - de camisola e procurando por seus filhos.


Devido a deterioração mental de sua esposa, o pai de Josh não conseguia mais viajar a trabalho e começou a aceitar empreitadas que pagavam menos, de modo que pudesse ficar perto de casa. Quando a vizinhança começou a se expandir mais e mais, após mais ou menos três meses da morte de Veronica, o pai de Josh se candidatou a todos os trabalhos e foi contratado todas as vezes. Ele era qualificado para liderar as obras e supervisionar, mas chegou a aceitar uma oportunidade como pedreiro, construindo as estruturas e limpando as imediações das obras, assim como outras coisas que fossem necessárias. Aceitava até os trabalhos mais estranhos que apareciam, tipo; cortar grama, consertar cercas - qualquer coisa que o mantivesse longe de viajar. Começaram a remover as árvores próximas do lago para transformar a terra em propriedade habitável. Ao pai de Josh foi designada a responsabilidade de nivelar a área recentemente desmatada, e este trabalho lhe garantiu várias semanas para se ocupar.

No terceiro dia , ele chegou a um ponto no solo que não conseguia nivelar. Toda vez que ele passava por cima com as máquinas, o lugar continuava mais baixo do que o restante da terra ao redor. Frustrado ele desceu do caminhão para supervisionar a área. Estava tentado a simplesmente encher o buraco com mais terra e seguir adiante, mas sabia que seria apenas uma solução temporária. Ele havia trabalhado tempo demais com construção e sabia que os sistemas de raízes das árvores maiores que haviam sido recentemente arrancadas poderiam eventualmente se decompor, fragilizando o solo, que eventualmente fragilizaria as estruturas das futuras construções. Ele pesou as opções e decidiu cavar um pouco com a pá para descobrir se o problema não era algo simples e raso o suficiente para ser resolvido sem precisar trazer uma máquina de outra obra até ali. E conforme minha mãe me descrevia onde isso era, eu sabia que havia estado lá antes do solo ser danificado e pouco antes dele ser preenchido.

Senti um aperto em meu peito.

Ele cavou um pequeno buraco de mais ou menos um metro até a sua pá colidir com algo duro. Continuou batendo afim de medir a espessura da raiz e a densidade do sistema todo quando de repente a pá atravessou a resistência.

Confuso, cavou o buraco mais amplamente. Após quase meia hora de escavação ele se deparou com uma caixa coberta por um pano marrom, de dois metros por um. Nossas mentes trabalham para evitar divergências, procuramos manter crenças fortes a fim de não sermos pegos por evidências conflitantes que possam afetar nossa percepção de realidade.

Até o próximo momento, invariavelmente do que tudo estava indicando,  - sem se importar que o que estava sustentando sua sanidade era uma pequena parcela sua que ainda acreditava em algo - esse homem acreditava, que sabia, que seu filho ainda estava vivo.

Minha mãe recebeu uma ligação as seis da tarde. Ela sabia quem era, mas não conseguia entender o que ele estava falando. O pouco que ela entendeu foi o que a fez sair imediatamente.

"AQUI... AGORA... FILHO... POR FAVOR, DEUS!"

Quando chegou, encontrou o pai de Josh sentado de costas para o buraco. Estava segurando a pá tão apertado que parecia que ia rompe-la. Estava olhando para a frente com os olhos tão parados e sem vida quanto os de um cadáver. Não respondia nenhuma das palavras dela, e só reagiu quando ela gentilmente tentou tirar a pá de suas mãos.

Ele levou seus olhos até os dela e apenas disse: "Não entendo". E repetia essas palavras como se tivesse esquecido todas as outras. E minha mãe ainda podia ouvi-lo sussurrar conforme se afastava dele e se aproximava do buraco.

Ela me contou que preferia ter arrancado os olhos a ter olhado para a cratera. Disse a ela que sabia o que ela havia visto e que ela não precisava continuar. Olhei para seu rosto e estava em tão intenso desespero que fez meu estômago virar. Percebi que ela sabia disso a quase dez anos e esperava nunca precisar me contar. No fim ela acabou encarando uma imensa dificuldade para colocar em palavras do que havia visto, e, sentado aqui, agora, encontro a mesma dificuldade.

Josh estava morto. Seu rosto afundado para dentro e torcido de tal forma que fazia acreditar que todo o medo, agonia e falta de esperança do mundo havia sido transferido para ele. O desencorajador cheiro de podre subia da cratera, e minha mãe teve de cobrir o nariz e a boca para não vomitar. Sua pele estava rachada, quase crocodiliana, e um fluxo de sangue que havia seguido as linhas de seu rosto havia formado uma mancha na madeira atrás de sua cabeça. Seus olhos estavam meio abertos olhando para cima. Ela contou ter olhado para ele e não acreditar que havia morrido a muito tempo, com efeito, o tempo ainda não havia degradado seu rosto para apagar a dor e a miséria. Contou que era como se ele olhasse direto para ela, sua boca aberta gritando um pedido de socorro muito tardio. O restante do corpo, do pescoço para baixo, não conseguia ser visto.

Um outro alguém estava cobrindo.

Ele era grande e estava de barriga para baixo, em cima de Josh, e conforme minha mãe se esforçava para sua mente aceitar o que estava vendo, ela entendeu o que a posição em que ele se encontrava significava.

Ele estava abraçando Josh.

Suas pernas estavam gélidas pela morte, mas enroladas nas de Josh como alguma árvore terrível. Um de seus braços estava envolto debaixo do pescoço de Josh para envolver seu corpo de modo a ficar o mais próximo o possível.

Conforme a luz atravessava as poucas árvores restantes no campo, algo refletiu na camisa de Josh. Minha mãe parou em um dos joelhos e puxou o colar para si, sempre tampando o nariz e a boca. Quando conseguiu ver o que estava preso no colar suas pernas perderam forças e ela quase caiu na tumba.

Era uma foto...

Uma foto minha quando criança.

Ela tropeçou para trás gaguejando e tremendo, terminando por colidir com o pai de Josh que ainda olhava para o lado oposto do buraco. Ela entendeu porque ele havia chamado-a. Mas ela não conseguia falar a todos o que ela guardava de si mesmo por todos esses anos. A família de Josh nunca soube da noite em que eu acordei no meio da floresta. Ela sabia que deveria ter contado a eles, mas contar agora não ajudaria em nada. Sentada ali, com as costas nas costas do pai de Josh, ele falou.

"Não posso falar para minha esposa... Não posso falar para ela que nosso garotinho..." Sua fala entrecortada e separada pelo choro que caia em suas mãos sujas de terra. "Ela não suportaria...".

Após um momento ele se levantou e andou até a cova. Com um último soluço ele entrou para perto do caixão. O pai de Josh era um homem grande, mas não tão grande quando o homem no caixão. Ele segurou o colarinho da camisa do homem e tentou arrancar de um único movimento o homem da cova, mas a camisa rasgou e ele caiu de volta em cima de Josh.

"SEU FILHO DA PUTA!"

Segurou o homem pelos ombros e o puxou de cima de Josh até endireita-lo de jeito estranho, mas retamente, de costas para uma das paredes do buraco. Olhou para o homem e deu um passo para trás em repúdio.

"Meu Deus... Meu Deus, não, não, não, não, por favor! Deus! NÃO, POR FAVOR."
Em um esforço enorme ele ergueu o homem do chão e ambos ouviram o som do vidro contra a madeira conforme a garrafa caia. Ele pegou-a e passou para minha mãe.

Era éter.

"Ah Josh..." Ele soluçou. "Meu menino... meu garotinho... Porque tem tanto sangue? Porque havia tanto sangue? O QUE ELE FEZ COM VOCÊ?".


Conforme minha mãe olhava para o homem que agora estava virado para cima, ela percebeu que estava olhando para a pessoa que havia nos apavorado nossas vidas por mais de uma década. Ela havia imaginado tantas vezes, tantas vezes, sempre como algo mal e terrível, e o choro do pai de Josh parecia confirmar seus maiores medos. Olhando para aquilo ela se surpreendeu por não ser nada do que ela pensava que fosse, por ser apenas um homem.

Vendo sua gélida expressão, podia-se até dizer que ele parecia sereno. Os cantos de seus lábios estavam virados para cima apenas pouco o suficiente para se distinguir um sorriso. Não o sorriso esperado de um maníaco de um filme de terror, não o sorriso de um demônio, ou de um animal. Era um simples sorriso de satisfação e contentamento. Um sorriso de alegria.

Era um sorriso de amor.

Olhando para o corpo ela viu um buraco no pescoço do homem onde a pele havia sido arrancada. Em primeiro lugar ela ficou tranquila em perceber que não era o sangue do Josh. Talvez ele houvesse sofrido menos. Mas seu conforto durou pouco quando ela percebeu o quanto errada estava. Ela levou a mão até a boca e suspirou, quase como se ela estivesse com medo de lembrar a todo mundo o que havia acontecido.

"Eles estavam vivos."

Josh deve ter mordido o pescoço do homem para poder se libertar, e mesmo que o homem tenha morrido Josh não conseguia se livrar dele. Comecei a chorar quando pensei em quanto tempo ele pode ter ficado lá embaixo.

Ela procurou pelos bolsos do homem por algum tipo de identificação, mas só encontrou um pedaço de papel, no qual só havia um desenho de um homem de mãos dadas com um pequeno menino. Do lado do menino estavam umas letras iniciais.

Eram minhas iniciais.

Gosto de acreditar que ela estava lembrando daquela parte da história de maneira errada, mas eu nunca vou saber.

Conforme o pai de Josh carregava o corpo do filho para fora da cova minha mãe guardava o pedaço de papel dentro do bolso. Ele continuava falando que o cabelo de seu filho havia sido tingido. Ela chegou a ver mesmo - viu que agora era marrom escuro, e que as roupas que ele estava vestindo eram pequenas demais para ele. Quando o pai de Josh pôs o corpo do filho no chão do lado de fora da cova começou a procurar em seus bolsos até ouvir um barulho. Com cuidado retirou um pedaço de papel dobrado. Ele olhou mas pareceu muito confuso. Sem entender nada, ele passou para minha mãe. Ela também não reconheceu. Perguntei o que era.

Ela me disse que era um mapa. Senti meu coração se despedaçar. Ele estava terminando o mapa - deve ter sido sua ideia de presente para meu aniversário. Estava me esforçando muito para não acreditar no fato dele ter sido levado enquanto estava expandido o mapa - como se isso importasse de alguma forma agora.

Ela ouviu o pai de Josh grunhir e se virou para vê-lo ir até o caminhão pegar um galão de gasolina e por do lado do buraco. Jogou o corpo do homem lá dentro e falou para minha mãe.

"Você deveria ir".
"Me desculpe."
"Não é sua culpa, eu fiz isso."
"Você não pode pensar dessa maneira, não havia nada que você podia ter fei..."

Ele a interrompeu quieto, quase sem emoção. "Eu fiz isso. Um mês atrás um cara se aproximou de mim quando eu estava limpando o campo a uma rua daqui. Ele me perguntou se eu queria fazer um dinheiro extra, e devido a minha esposa não trabalhar mais, aceitei. Ele disse que umas crianças tinham cavado um monte de buracos na sua propriedade e que ia me pagar 100 dólares para tapá-los. Ele disse que queria tirar umas fotos para a companhia de seguros antes, mas que se eu passasse lá pelas 5 da tarde no dia seguinte estaria tudo bem. Achei que esse cara fosse um otário desde o começo uma vez que eventualmente iríamos nivelar o terreno e alguém teria de tapar os buracos, mas aceitei porque precisava do dinheiro. Nem achei que ele tivesse mesmo os 100 dólares, mas ele pôs a nota na minha mão e eu fiz o serviço no dia seguinte. Estava tão exausto que não prestei atenção no que fazia, não prestei atenção no que aconteceu depois, até hoje quando tirei o mesmo cara de cima do meu filho."

Ele apontou para a cova e suas emoções começaram a rachar sua casca em soluços.

"Ele me pagou 100 dólares para eu enterrar ele com o meu filho..."

Era como se falar aquilo em voz alta o forçaria a aceitar o que aconteceu. Caiu de joelhos no chão e começou a chorar. Minha mãe não podia pensar em nada para falar durante o silêncio que parecia ter durado uma vida toda. Ela finalmente perguntou o que ele ia fazer sobre Josh.

"Seu lugar final de descanso não vai ser aqui com esse monstro."

Quando ela entrou no carro pode ver pelo retrovisor a fumaça preta se erguendo aos céus e esperou contra todas as esperanças que os pais de Josh ficassem bem.

Sai da casa de minha mãe sem dizer mais nada. Disse a ela que a amava e que falaria logo com ela, mas não sei o que logo significa para nós. Entrei em meu carro e fui embora.

Entendo agora que os eventos da minha infância acabaram anos atrás. Como um adulto, agora vejo as conexões que foram perdidas quando eu era criança, quando costumava ver o mundo em imagens aleatórias ao invés de uma sequência. Pensei sobre Josh. Amava ele, e ainda o amo. Sinto mais saudades dele agora que sei que nunca o verei de novo, e me encontro desejando que houvéssemos nos abraçado na última vez que nos vimos. Pensei sobre os pais de Josh - o quanto eles haviam perdido e o quão rápido vieram essas perdas. Eles não sabem da minha conexão com nada disso, mas eu nunca poderia olhar nos olhos deles agora. Pensei sobre Veronica. Só vim a conhecê-la mais tarde em minha vida, mas naquelas curtas e pequenas semanas tenho certeza que consegui amar ela. Penso em minha mãe. Ele tentou tanto me proteger e foi muito mais forte do que eu poderia ser. Tentei não pensar sobre o homem e no que ele fez com Josh por mais de dois anos.

No mais, só pensei sobre Josh. As vezes eu penso que teria sido melhor para ele se eu nunca tivesse sentado com ele no Jardim de Infância; que ele nunca houvesse me dado a oportunidade de ter um amigo de verdade, As vezes gosto de sonhar que ele está num lugar melhor, mas é apenas um sonho, E Eu sei disso. Esse mundo é cruel e as pessoas o tornam um lugar mais cruel ainda. Não haverá justiça para meu amigo, não haverá um confronto final, não haverá vingança; Se passou quase uma década para todos, menos para mim.

Sinto saudades, Josh. Peço desculpas por você ter me escolhido, mas sempre vou lembrar com carinho de nossas memórias.

Nós éramos exploradores.

Nós éramos aventureiros.


Nós éramos amigos.


159 comentários:

  1. Tenho que falar que o final

    É UMA MERDA, Fiquei esperando tanto tempo pra isso fala serio pensei que ia ser epico mais foi uma merda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acho que foi uma merda, ao contrário. Geralmente as pessoas esperam algo muito elaborado, fantasmas, demônios, e tal, mas nessa o autor simplesmente escreveu algo que podia ser 100% real. Algo que realmente pode ter ou não acontecido em sua vida por simplesmente ser algo assustadoramente real. Mas claro, essa é só minha opinião.

      Eu gostei do final pelo fato de não ter tido muita invenção mirabolante e mesmo assim ser aterrorizante.

      Excluir
    2. Mesmo nao gostando do final tenho que adimiti que foi um otimo trabalho seu brigado por traduzir a creepy pra nois

      Excluir
    3. verdade vinicius muito bom a série e quase chorei no final mas digo mais mais 3 coisas
      _tudo esta claro

      Excluir
    4. Eu não esperava exatamente um confronto final esperava que. Sei la o maniaco estivesse vivo e tivesse pegado o Josh é o narrador ai o Josh salvava o narrador sei la. Ele se aprofundasse no perseguidor. Ele encontrou O narrador ele sabia que Josh era Josh porque ele não pegou o narrador? ele não conseguiu? ele ao menos tentou? o narrador conseguiu se proteger? se sim como?porque merda o stalker entrou no buraco com o Josh? Bem ele obviamente sabia que era Josh é ele provavelmente fantasiou que josh era o narrador antes de morrer, ele não conseguia ferrir o narrador diretamente ou é impressão? Quall a porra do nome do stalker quem ele era pelo menos isso. Idade aparencia.

      Excluir
    5. Eu ia só comentar, mas vou responder vc pq de quebra a divina pd ler, um final meio incompreensivel na minha opiniao, josh estava com os cabelos tingidos da cor do narrador, e com umas roupas apertadas, que por sinal, estavam com o mapa no bolso, acho que josh n estava tentando terminar o mapa, e q o mapa só estava la para indicar a nós leitores de que josh tb estava com as roupas do narrador, ai sla, meu raciocinio veio ate aqui do PORQUE ele estava se passando pelo narrador... As vezes pra por um fim em tudo, acabar com tudo, por isso disse que o presente podia demorar,... nao demorou dias nem meses, mas 3 anos

      Excluir
    6. Michelly oq vc escreveu fez todo sentido,Josh sabia o q estava acontecendo e decidiu acabar com tudo,se passando pelo Narrador,pegando as roupas dele na antiga ksa do narrador e saindo com o mapa,indo ate a floresta,encontrando o homem e matando-o (Josh acabou morrendo no confronto). Josh foi o melhor amigo do narrador. Desde o inicio. :')

      Excluir
    7. lembrem do capitulo dos mapas
      "ei onde esta meu casaco?"
      provavelmente o josh n ganhou roupas novas mas alem de suas roupas estava usando o casaco do narrador, o stalker é 1 cara q amava o narrador e que, como josh era mt parecido com ele, e como todas as tentativas de o raptar tinham falhado, ele tentou com josh, mas por 2 anos ele o transformou em alguem parecido com o narrador, com seus cabelos castanhos, seu casaco minusculo, e no fim, quando ele descobriu q n conseguiria de jeito nenhum, q ja n havia alguma maneira de ter o narrador, ele usou o josh, ele morre feliz por estar com quem ele ama, com quem ele perseguiu e amedrontou por 1 decada, pode ser estranho mas se compararmos todos os detalhes veremos q isso tem sentido, por exemplo, nas chances q ele teve oportunidade, sempre havia alguem junto a ele, e complicava pois ele poderia ser reconhecido, mas ele n tinha onde morar quando raptou o narrador, e o narrador com mt sofrimento conseguiu voltar para sua casa num deslize do stalker, e ele perdeu a chance de o raptar enquanto durmia, pois sabiam q o filho n queria fugir, e quando ele vai ver o filme, ele esta com o josh em sua casa ou no carro, e n poderia deixar q os 2 se encontrassem, pois juntos seria mais facil fugirem, e no cinema ele teve de matar veronica para ela n testemunhar contra ele, ele tirava fotos para saber quem o via, e do narrador pois ele amava o narrador, ele teve de matar todos q ele tirou foto pois se n seria mais dificil se esconder, a mãe do narrador ja tinha 1 noção de q havia 1 stalker, mas ele n poderia deixar q ela morresse, se n o narrador iria morar com 1 parente ou ia pra adoção, ele tentou matar josh mas ver as semelhanças com o narrador pelo qual ele amava ele n conseguiu, e o transformou no narrador para morrer feliz

      desculpe se expliquei mal e demorei mt

      Excluir
    8. sem falar q fica obvio q josh iria morrer, é o unico nome q aparece até o 5 - telas, e pra 1 historia real, pra vc n ficar sendo perseguido, ainda mais ele q n sabia q estava morto o cara, numa historia real n se ve mts nomes por medo de ser encontrado, pelo menos é o q eu acho, ele mencionou poucos nomes dentre eles 2 estão mortos e n seria problematico, sem falar q o cara q sentou com ele na hora do filme era o stalker

      Excluir
  2. É, é que as pessoas esperam sempre perseguições épicas de carro e explosões com demônios voadores ou sei lá.

    ResponderExcluir
  3. Nem li e já vim comentar rs. Como eu amo essa série de creepys <3 obrigado, Divina! Eu já tinha lido uma parte dela antes (em inglês) só que deu preguiça de traduzir o resto rç. Enfim, muito obrigado mesmo!

    ResponderExcluir
  4. Nao eu espero uma historia onde nao fica pontos solto espero uma historia onde tudo faz sentido, é desda segunda parte eu sabia que nao ia te nada sobrenatural so um maluco atraz do meniomais acaba desse jeito esperava me surprende com o final uma coisa que nao tinha pensado mais esse final foi so uma babosera inutiul o cara tampa um buraco é nao ve oque tinha no buraco que porra é essa quem era o maluco pq ele seguia o menino pow a policia nem investiga o caso do menino serio mesmo isso é realista desde quando cara podia ser melhor nada de uma açao fodastica com carro explodido so seila o cara fala com o menino pq tava seguindo ele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, se a história for mesmo real - e eu acredito que seja - o protagonista não teria como saber as motivações de seu perseguidor.

      Excluir
    2. A mãe dele liga pra policia no final de "balões", o que leva a crer que eles investigaram e não chegaram a lugar nenhum, ainda mais porque eles não ligaram esse caso com o do "Passos".

      Excluir
    3. Tem uma mulher que liga é fica ligando os casos mas todo mundo ignora. É bem que o Vinicius falou seria muito melhor se o perseguidor tivesse uma conversa com o narrador, eu queria saber o que ele fez com o Josh. Esse final ficou confuso da pra quase eu disse "quase" pensar que o perseguidor se confundiu. Se alguem tiver escrito um final melhor envia o link.

      Excluir
  5. chorei.... a coisa mais linda impressionante e traumática ao mesmo tempo que eu ja li..... meus parabéns eu simplesmente amei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, você tirou as palavras da minha boca, que perfeição é essa creepy!

      Excluir
    2. melhor creepy que já li. perfeita é apelido, mds, ainda tô abalada.

      Excluir
  6. É... esperava mais... foi decepcionante, a julgar pela tensão e emoção dos outros capítulos... podia ter uma explicação melhor de quem era o homem e tal... mas aparentemente é real... e isso é tudo 7/10

    ResponderExcluir
  7. Depois de psicose e a casa sem fim, é a melhor creepy de todos os tempos.
    Creepy's naturalmente precisam de um final ''impressionante''.
    Pra mim, o fato dele perder o melhor amigo, único amigo, primeiro amigo, é sem tamanho.. espetacular!! Gostei muito da Creepy e parabéns pela tradução, Divina.

    ResponderExcluir
  8. É um final chorável,no bom sentido.
    Eu achava o Josh legal,mas mesmo assim já tinha uma sensação de que ele ia morrer.Inclusive,achei que ele não passava do "Caixas''
    Bem,o final só dá mais realidade a história.Não tem espírito,não tem monstro,não tem "Jeff",não tem "Slender",só um assassino maníaco.
    É um final triste,pra um começo diferente.
    Eu gostei muito,parabéns pela tradução,Divina!
    Mas,uma pergunta:
    O nome da creepypasta originalmente é "Penpal",não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, pelo que eu sei "Penpal" é o nome como o autor chamou a série após terminá-la. Além disso, Penpal é o nome do livro que ele mesmo escreveu depois e que relatava de uma forma mais aprofundada a história.

      Excluir
    2. É Penpal sim, mas quando comecei a traduzir não sabia que esse era o nome. E achei que trocar na metade do caminho fosse confundir os leitores, então deixei assim.

      Excluir
    3. Obrigado!
      Acho que a única coisa que diminui a realidade da história é o site dele (aquele 1000vultures.com).
      Lá,ele vende camisetas,várias coisas com a estampa "Penpal"
      Acho que se fosse algo tão traumático assim,ele não faria aquilo.
      Mas,enfim,a creepy é ótima,e parabéns novamente,Divina!
      Suas traduções são maravilhosas <3

      Excluir
  9. Eu não gostei do final. Deveria explicar mais sobre o tal maníaco. E quem atropelou a irmã do Josh? Foi o mesmo maníaco? E por que ele a atropelou? Muitas perguntas sem respostas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luisinho por isso eu nao gostei ficou muito ponto solto

      Excluir
    2. Acho que para dar um toque de realismo à história, o autor fez com que o personagem-narrador não ficasse sabendo de tudo, pois seria assim se fosse realidade.
      Sobre o atropelamento, acho que foi o mesmo cara. Que acabou pegando o Josh pelos os dois serem tão parecidos. Tingiu os cabelos de Josh para ficar parecido com o personagem principal e o vestiu com as roupas do garoto. Ele era louco pelo personagem principal e fez com que o Josh se "transformasse" nele.
      A morte dos dois aconteceu algumas semanas depois da Veronica morrer, e isso Josh já tinha 15 anos. Isso explica porque as roupas estavam pequenas (eram as que tinham ficado na casa antiga) e porque nunca houve mais contato do homem com o principal.

      É o que eu deduzi.

      Excluir
    3. Ah, e atropelou a Veronica porque ficou com ciúmes dela com o narrador.

      Excluir
    4. Mais pow a policia da ai pra isso investigar o criminosos pow se vc "realismo" a policia ia descubri tudo oque tinha acontecido que era o manico eu so acho que tava faltando a policia nessa creepy pra ficar maid real

      Excluir
    5. Lembra q na creepy mapas,dps q eles saem da agua o autor n consegue achar a camiseta, "vilao" deve ter pegado e vestido rla no josh

      Excluir
    6. Mas a mãe dele liga para a policia no final de passos, no final de balões e acho que a ligação que ela faz no começo de Caixas (assim que ela sai apavorada debaixo da casa velha) é para a policia também. A policia sempre esteve envolvida na história, mas nunca chegaram alugar nenhum.

      Excluir
  10. O final foi ótimo, na minha opinião, mas é claro que muitos vão discordar pelo fato de ter sido muito convencional (Pra mim, esse é um dos pontos positivos de uma creepy: realismo). A tradução falha em alguns momentos - como era de se esperar para um texto tão longo - mas ela consegue descrever muito bem a história. Bom trabalho, Divina.

    ResponderExcluir
  11. Concordo com a Divina. Foi um final totalmente possível, e isso me perturba extremamente porque poderia ter acontecido com qualquer um de nós. Muitos vão dizer que foi decepcionante, etc e tal. Mas como o autor poderia saber quem atropelou a Veronica? Como ele poderia saber quem é e por que aquele maníaco fez tudo aquilo? Tenho certeza de que, se tivesse acontecido com um de nós, essas incógnitas ainda estariam aí e nunca seriam desvendadas. A vida é assim, cheia de incógnitas que, por mais que tentemos, nunca serão desvendadas. Admito que chorei com essa creepy, a primeira "história" que me fez sentir tudo isso, esse turbilhão de sentimentos, fiquei totalmente imersa no que o autor relatou.
    Gostaria de poder dar um beijo no 1000vultures, e, é claro, na Divina. ;-;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E melhor ainda, esse vai ser o tipo de coisa que vou ver no futuro e poderei dizer: "Ei, eu li isso, eu vivi essa experiência perturbadora e sensacional"

      Excluir
    2. Pow agnes mais a policia nao tinha que investigar o caso do mlk

      Excluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Respostas
    1. O homem se tornou fanático e obsessivo pelo garoto,como o Josh era parecido com o outro amigo dele,o homem o sequestrou e o fez ele como o outro menino,tanto que tingiu seu cabelo e o criou por anos,as pessoas podem ficar fanáticas por diversas coisas,mas quando elas se tornam fanáticas por outras pessoas isso se torna um problema,gostei muito do final da série,e sim,como disseram,é totalmente possível e real,tudo só começou pelo garoto ter se envolvido com o homem errado no dia errado na horra errada (balões),durante a série eu me indaguei bastante se isso não era real ou imaginado,adorei o homem sendo enterrado com o Josh,pelo próprio pai,como disseram aqui,trágico.
      Parabéns pela tradução Divina e espero mais séries por aqui nesse mesmo nível.

      Excluir
    2. caraaaalho cara, vlw msm, eu tinha achado esse final uma merda, mas qndo li seu comentario, esclareceu tudo, vlw msm

      Excluir
    3. Moço. Pelo que eu entendi. O 'presente' que Josh tinha falado, era tentar matar o stalker, mas, certemente falhou. Ele fugiu, tingiu os cabelos, pegou as roupas de quando o narrador era pequeno. Tudo isso para confundir o stalker e mata-lo. Imagina, o cara perseguia o narrador a anos, porque ele teria desistido dele?

      Excluir
  14. Final incrível!! Dava um filme. Parabéns Divina!! Ótima tradução!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há boatos de que irá virar filme... Não sei se é verdade.

      Excluir
    2. Pelo que eu li no Reddit, um diretor de cinema premiado entrou em contato com o 1000vultures. To louca pra comprar o livro e mais ainda pra poder assistir o filme :3

      Excluir
  15. a cara . a cara não o josh não vivo dps de 2 anos ter sumido foi morto tadinho . a cara que creepy linda. mas terrível nunca. esperava que. ele tava vivo e dps morreu. depois da veronica .... Ahh cara. :/

    ResponderExcluir
  16. me deu raiva do 1000voltures porque qual e o problma desse cara por que ele atrai tantas coisas horríveis para as pessoas ao seu redor

    ResponderExcluir
  17. Final ótimo pra mais uma série ótima! Parabéns a equipe do Cpbr e parabéns Divina pela ótima e rápida tradução!

    ResponderExcluir
  18. Amei, o ar de realidade foi a melhor parte, parem de chorar que muito não foi respondido, a vida eh assim mesmo. E Divina , valeu a pena demorar mais uns dias pra poder traduzir melhor, a anterior vc teve pressa e n ficou tão boa como sempre, mas essa ficou otima, 1 ou 2 palavrinhas erradas no máximo,.parabéns pelo ótimo trabalho! XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tao boa como sempre fica eu quis dizer kkkkkk

      Excluir
  19. Só eu que estou depressivo depois desse final ?

    ResponderExcluir
  20. Caraca esse final foi muito show até fiquei triste aqui, eu já tinha a impressão de que Josh ia morrer mai não dessa forma, sabe uma coisa para deixar mais triste esse final, e escutar a musica Promise do Silent Hill.

    Eu traduzi no Google a palavra "Penpal" e apareceu "correspondência" dai eu coloquei "Pen Pal" e apareceu "amigo por correspondência"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa cara, só agora que você descobriu que "Pen pal" é amigo por correspondência? Too late for it, buddy.

      Excluir
  21. Adorei essa creppy. não conheço muitas, mas essa valeu muito a pena. Muito bem escrita (e traduzida). Confesso que eu esperava mais do final, mas achei absurdamente incrível a creppy.

    ResponderExcluir
  22. Olá, seria uma boa dar continuidade a série dos Portadores, tipo o Portador do Fim, Portador da Luz, etc, varios blogs ja postaram alguns, mas nao chegaram a terminar, seria legal se postasse o resto dele :)

    ResponderExcluir
  23. Isso foi incrivelmente Depressivo, Bonito, Triste, Assustador, Psicológico, e lagal

    ResponderExcluir
  24. A única coisa que não gostei foi o maníaco ser um cara aleatório, pensei que ia ser alguém que o narrador conhecia, cheguei até pensar que seria o pai dele, pois na creepy toda menciona ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca esperei que fosse o pai dele, sempre achei que fosse um pedófilo louco mesmo.

      Excluir
  25. Otima creepy essa foi a mais foda de todas apesar do fim ser vago afinal o cara perseguia o protagonista depois de baloes mas quem era o cara e pq fazer tudo isso apesar de tudos pontos soltos eu adorei 9/10

    ResponderExcluir
  26. Sabia que Josh estava morto, tanto que comentei isso na creepy anterior (Telas) e também sabia que tudo isso não ia ter muitas explicações, pois o protagonista sabia tanto quanto a mãe.
    Bom, apesar de esperar isso tudo, ainda fiquei surpresa com esse final, bom, parabéns pela Tradução Divina! =)

    ResponderExcluir
  27. Foda essa creepyserie, o final n explicou bem mas o resto foi foda

    ResponderExcluir
  28. Onde se compra o livro? Adorei a creepy e queria ler o livro q dizem ter mais detalhes e tal.

    ResponderExcluir
  29. Olá,estou na conta de meu filho para falar que ele após ler esta historia está alegando ouvir vozes e acha que tem alguém o observando constantemente,sua sanidade mental esta ameaçada graças a este blog! Acho que terei que interna-lo em uma clinica psiquiátrica.Espero que os moderadores donos deste blog estejam PRONTOS para o processo pois eu já liguei para um ADVOGADO e irei pedir uma indenização por danos morais e danos a sanidade do meu pequeno filho.
    Espero que vocês donos do blog estejam contentes por arruinar a infância de um pobre menino!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério q eu li isso! Q eu saiba,creepypastas são histórias INVENTADAS

      Excluir
    2. Galera,ignorem o cara inútil que escreveu essa merda,ele só quer chamar atenção porque não tem mais o que fazer.

      Excluir
    3. Esse cara conseguiu se rebaixar ao nível dos chineses que fizeram um ataque DDOS ao site de humor "Ah Negão!". Já aplendeu o Teolema de Pitágolas?

      Excluir
    4. Ta filhão, me responde uma coisa.... Aonde no site ta escrito que todos somos obrigados a ler ? Ler quem quer e quem gosta, se você deu cocô pro seu filho e ele virou maluco, problema é seu! Agora se quer aparecer, faça melhor, porque ta fraco demais!

      Excluir
    5. Se a culpa e tão do blog, passa a monitorar o que seu filho faz. Além disso, a chance de vc perder,pois ele estava vendo por própria conta e risco, e vivemos numa sociedade com liberdade de expressão.

      Excluir
    6. SE VOCE PROCESSAR O CPBR... noix faix uma vaquinha online pra pagar um advpgado pro CPBR.
      Teu filho tem quantos anos? Sabe ler? Meu irmão tem 10 e eu conto as historias do blog pra ele... ele nunca escutou vozes, nem eu. Agora da licença, Jeff quer falar comigo, vamos no Cha das 5 do Slender... humpf, vozes...

      Excluir
    7. Vocês falam assim porque não é o filho de vocês,eu tenho NOJO de doentes feito vocês que perdem tempo com um LIXO de historia que não acrescenta nada na vida de vocês.TOMEM VERGONHA! e façam algo que PRESTE SEUS DOENTES,A proposito Agnes silva apesar de não te dever satisfações da minha vida pra você eu sei o que Teorema de Pitágoras.E se você acha que se rebaixar é defender quem você ama,então,realmente eu me rebaixei e MUITO pra ficar perdendo tempo com DOENTES feito vocês!
      SE TEM ALGUÉM PREJUDICADO AQUI ESSE ALGUÉM É MEU FILHO!!!!

      Excluir
    8. Simples, pare de levar ele na macumba....... E acho que você só quer chamar a atenção, e doente deve ser você!

      Excluir
    9. Olha se quiser aparecer tanto assim, tem o Creeper da semana, já mandou seu email?
      Chama o papa se quiser, ninguém obriga ninguém a ler um blog na internet, a menos que tenha uma arma na tua cabeça. Acho que foi isso que traumatizou seu filhão

      Excluir
    10. Cara o seu filho que veio ate o blog ler historias de terror,então a culpa e do seu filho e não dos moderadores (Divina,Gabriel etc...)

      Excluir
    11. Vdd. se ele tivesse lavando a lavando a louça, não estaria maluco agora

      Excluir
    12. Eu não li isso... Gente, ninguém é obrigado a ler o blog, e como assim "Esse blog não acrescenta nada na nossa vida"? Isso é uma coisinha chamada "conhecimento literário" Pelo amor de Deus, vcs como mães deveriam ser um pouco mais cooerentes, se uma de vcs 2 fosse minha mãe ai sim eu ficava louca! Desculpe, mas eu tenho pena dos seus filhos, posso até não ter filhos, mas fui EU que criei todos meus irmãos mais novos, eu que fiz o papel de mãe pra eles, fui eu que dei educação, e sim eu sei como é ser mãe e num é por isso que vou estar dizendo que a moça ali tem razão, por que não tem!

      Tenham um ótimo dia.

      Excluir
    13. EU tenho uma voz na minha cabeça que é meu oposto e minha pior inimiga. Nem por isso minha mamãe ou papai veio aqui dizer que é culpa do blog. Eu sou paranoica e isolada, me irrito por qualquer coisa, mas nem por isso minha avózinha veio aqui dizer que vai meter processo em ninguém. Então não venha me dizer que é culpa do blog. Quem lê, não importa o gênero, adquire conhecimento. Esse blog me ajudou muito para com minha formação literária e de minha personalidade. Só posso dizer que é culpa do CPBr SIM, mas é culpa de eu ter me tornado uma pessoa mais culta e melhor. Durma com isso.

      Excluir
    14. E a história se repete mais uma vez, quanto mimimi ein

      Excluir
    15. E outra! tu não quer que o teu filho fique "traumatizado" mas deixa ele acessar blogs que traduzem e postam creppypastas!!!

      Excluir
    16. Direto tem esses caras com carência que postam essas coisas pra chamar a atenção. Cheers to forever alonisse.

      Excluir
    17. Kkkk diretão mesmo, acho que ano retrasado rolou isso também

      Excluir
    18. Parental Control.... Coloque no Google e durma com essa.

      Fiz três semestres de direito e posso afirmar sem sombra de dúvida: Mão do Burn, você irá somente gastar dinheiro e tempo dos advogados que pegarem este caso. Se fosse eu, nem me daria ao trabalho de pegar sua causa.

      Quer um conselho de amigo? Arrume uma trouxa de roupas para lavar e dê mais atenção a seu filho. Culpar um blog na internet pela sua incompetência como mãe é o cúmulo da covardia.

      Excluir
    19. é TRETA que o povo gosta de ver uhullllllllllllllllllllllll

      Excluir
    20. Vocês acham mesmo que esse cara tá falando a verdade?

      Excluir
  30. Fomos descobertos!
    Fudeu,ela vai chamar os Tiras

    ResponderExcluir
  31. O maniaco morreu de proposito? Tipo ele premeditou que o Josh ia morde o pescoço dele ai ja tinha se enrolado no pano é tudo mais o pai de Josh disse que enterrou imediatamente não tem como pois o Josh ficou vivo por mais um tempo deve ter morrido por inanição se foi ele mesmo que matou o cara mordendo o pescoço(pode ser que o perseguidor tenha cortado o propio pescoço propositalmente é o Josh ja tinha morrido antes a um certo tempo), então ele não gritou nem nada ou o pai do Josh é surdo? Tem pontas soltas li que o autor vai fazer uma versão extendida talvez fique melhor é tire essas pontas. A proposito alguem esclarressse esse final acho que não entendi é isso mesmo que descrevi?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Éter,meu amigo não são pontas soltas,é você quem não entende.

      Excluir
  32. Diiiiviiiinaaaaa...... Mais uma vez você conseguiu rsrs Que creepy fooooooooodaaaa *---* Uma creepy em que dava pra sentir dentro, como se estivesse passando o que o narrador conta. Uma creepy que pareceu bem real. Que pode ocorrer com qualquer um, já que, há cada louco nesse Mundo rsrs Enfim, curti demais, e já estou no aguardo para a próxima creepy. Li semana passada A Colina e Hora de Dormir, e noooooooooossa, que fodas *-* Mas 100vultures foi a melhor que já li até agora! Parabéns mais uma vez! E corra pra traduzir a próxima *-*

    bjjjssss ;***

    Manaus te ama <3

    ResponderExcluir
  33. não entendi nada... o cara enterrou o filho dele e não viu? O.o
    já que não tem fantasmas nem nd disso podia pelo menos parecer real ne...

    ResponderExcluir
  34. As pessoas ainda não entenderam que esses pontos soltos são pra ficar mais real?
    Acho que a intenção foi justamente essa, criar tipo um anticlimax. Porque é assim que é na vida real, não dá pra conseguir tudo.
    Digamos que alguém assassine uma pessoa que você gosta, e você fica com "sede de vingança". É improvável que você ache o cara e consiga vingança mesmo.

    ResponderExcluir
  35. Simplesmente perfeito esse final. Adorei essa Creepy, mesmo tendo visto spoiler em outro blog sem querer achei ótima.
    Parabéns pela tradução, está ótima também.

    ResponderExcluir
  36. Creepy dramática e linda...lágrimas masculinas quase foram derramadas aki!!
    muito obrigado equipe CPBR por me motivar a gostar de leitura (sério, nunca tive saco pra ler livros muito menos posts muito longos e quiça contos/histórias muito longas, depois dessa até me interessei +) e meus parabéns Divina, por ter trazido essa obra de arte pra vossos olhos carniceiros e sedentos por macumbas e patifarias sobrenaturais!!
    <33

    ResponderExcluir
  37. Ótima Creepy e uma ótima tradução! Só não entendi uma coisa: porque o maníaco obcecado pelo menino matou o Josh ao invés dele. Creio que ele não tenha se confundido, afinal, ele tingiu os cabelos de Josh, logo, suponho que ele soubesse que não era o menino. Enfim, realmente muito boa a Creepy.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo q eu entendi, o cara nao conseguiu pegar o narrador ja q a mae dele era super protetora e quando viu o josh sozinho tentando terminar o mapa pegou ele e tEntou transforma-lo no narrador. Mas como josh estava crescendo e podia bolar uma forma de escapar o perseguidor decidiu mata-lo só q nao conseguia matar o menino q amava, entao se enterrou junto pra morrer tbm

      Excluir
  38. Antes de tudo... ESSA CREEPY FICOU FOOODA DIVINAAAA
    Quero criar minha teoria também...

    1º Quem é o Stalker?
    R: Não pode ter parentesco com o personagem principal (Ou seja, não é pai, tio, avó...). Por que se tivesse algum parentesco, a mãe poderia passar os dados para a polícia e tals... (Ficaria pelo menos mais fácil). Na minha opinião o Stalker seria alguém próximo da mãe... Um Ex-Namorado, Um amante (O verdadeiro pai do mlk principal)...

    2: Cadê o pai do mlk?
    R: Morto pelo Stalker... Por isso que a mãe sente medo dele e de tudo aquilo...

    3: Por que acordou na floresta aquele dia?
    R: O Stalker queria fugir com o garoto, mas provavelmente desistiu, o que fez ele deixar as piscina para trás (Ou ele pensava que o mlk era pequeno, ou ele guardava aquilo desde quando o mlk era pequeno...)

    4º MEODEOS e o Caixas???????
    R: Acho que o Stalker estava pensando em roubar o mlk de novo... E pegou Caixas para o mlk se sentir "confortável" em seu novo "lar"

    5º Fatos sobre a menina...
    Teoricamente, a menina foi atropelada pelo Stalker e morreu uma semanda depois com celular roubado. Mas, como ele roubou o celular?? Provavelmente, ele era alguém de não importância do hospital (Um enfermeiro... Faxineiro...) e que teoricamente roubaria o celular sem dificuldades. E ele também matou a garota (Que estava começando a se recuperar, pois conseguia conversar com o mlk normalmente... Não fez sentido ela morrer tão repentinamente...). E certamente aquelas fotos que foram enviadas, eram sobre Caixas ou sobre o "novo lar"...

    6º Enterrei meu filho -Pai de Josh
    R: Não consegui pensar em nada...

    7º O que me incomoda é que, se não fosse parente, por que a mãe omitiria isso do garoto?
    R: Não pensei em nada

    8º Acabou tudo??
    R: Nunca acaba!

    9º O que a velha tinha haver com a história?
    R: Acho que foi apenas um fato isolado... O que me intriga foi os guardinhas bioquimicos e o mlk ter dito "Nunca vi ela sair em uma maca"

    10º Fato sobre o mapa
    R: Certamente, o Stalker tinha fez uma cópia desse mapa, e depois de feito, ele devolveu... (Aquele mapa
    __
    Agora a parte mais intrigante...
    ___
    11º O que aconteceu com Josh???
    R: Josh teria descoberto de alguma forma o verdadeiro Assassino, mas não deve ter contado nada por medo. No dia da festa, Josh teria feto um plano (Por isso do sorriso repentino) para matar o Stalker e assim voltar a falar com seu amigo (Que essa separação fazia Josh sofrer muito). Então ele se "transformou" no mlk (Tingindo o cabelo de castanho e colocando roupas que ele tinha escondido) afim de se aproximar do Stalker e assim terminar com todo aquele sofrimento. Em algum momento do plano, aluma coisa deu errado e fez com que o corpo do assassino (provavelmente morto por veneno) caísse em cima de Josh, e pelo fato dele não ter força o suficiente para levantar o corpo, os dois morreram assim mesmo... (Outra possibilidade é do Stlker ter descoberto todo aquele plano e tentado matar Josh, mas por esperteza de Josh ou pro azar do Stalker, Josh arrancou um teco do pescoço dele o que fez ele o Stalker morrer, mas o impacto da batida do Stalker contra o corpo de Josh fez ele ficar deformado...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você viajou um pouquinho...

      Excluir
    2. "um pouquinho" cof cof well. A Veronica foi, possivelmente, atropelada pelo Stalker em questão, mas ele roubou o celular dela no local e não no hospital. E o Josh foi morto pelo Stalker porque ele queria matar o desejo que sentia pelo personagem principal, e como não o podia ter, ele usou as roupas que roubou da casa dele quando ele se mudou no Josh, logo ele era maior e as roupas ficaram pequenas. E o plano do Josh era de terminar o mapa que eles tinham começado tempos antes e não conseguiram terminar por causa do incidente na floresta.

      Excluir
    3. Gostei da tua teoria ficou bem mais legal.

      No texto TELAS ele fala que o ele deixou o celular dentro da bolsa da menina ja no hospital. Não sei se to lembrando errado.

      Excluir
    4. sim, eu me lembro disso tbm

      Excluir
    5. No aniversário do narrador, Josh disse que tinha como presente uma surpresa... Imediatamente eu deduzi que Josh terminaria o mapa e entregaria ao narrador como presente, e assim Stalker conseguiu capturá-lo e caracteriza-lo como o narrador, desistindo de perseguir o narrador e contentando-se com Josh. OU... Stalker capturou Josh enquanto ele dormia, deixando um bilhete assim como ele fez com o narrador em "Passos". E Agnes, não tinha como Stalker ter pego o telefone de Veronica na cena do crime, pois o narrador deixou-o no hospital. Independentemente, essa foi a melhor história que já li ever e.e

      Excluir
    6. Tem ainda outra hipótese e, pensando bem, na minha opinião a mais provável. Josh caracterizou-se como o narrador e foi à procura de Stalker. Analisando com atenção, Josh estava vestido com um casaco, e o narrador havia perdido uma camisa na noite do mapa. E o "presente" de aniversário de Josh seria o fim da perseguição obsessiva de Stalker para com o narrador.

      Excluir
  39. Creepy legal mas, com um final inconclusivo.
    Eu acho que o cara que fazia essas coisas com o menino resolveu matar o melhor amigo dele como seu ultimo ato (ultimo ato pra mim nao soou legal), e entao sequestrou o josh e mandou o pai dele fazer aquele serviço de tapar os buracos no terreno, entao ele pegou uma daquelas fotos dos baloes e colocou com o josh mas ele nao conseguiu enterrar ele sem que o pai dele percebesse, entao quando o pai do josh tava tapando os outros buracos do terreno ele entrou junto com josh em um buraco e o josh ficou lutando com o cara pra tentar sair ai ele arrancou um pedaço do cara com a boca, nessa parte o cara deve ter morrido de perda de sangue enquanto tentava matar o josh naquele lugar,e o cara ficou muito pesado pro josh conseguir se levantar, entao o pai dele enterrou os dois no buraco e nem percebeu, ai o josh deve ter morrido asfixiado, ai rola auela parte depois de muito tempo do pai do josh ligando pra a mae do menino
    ai eles chegam la e acontece o que aconteceu la na historia.
    '-'
    u.u

    ResponderExcluir
  40. Eu lembro que há alguns séculos aqui no blog citaram sobre estarem traduzindo uma "creepy gigante". Tipo há uns anos mesmo. Acho que era happy appy.
    Ainda pensam em postar isso ou é escroto porque é uma creepy muito "2011" ao estilo "O suicídio de lula molusco"?
    Nunca li pra falar a verdade...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Levanildo, realmente começamos a traduzir o Happy Appy, mas era TÃO tosca que decidimos parar de traduzir e não postar. Não vale a pena.

      Excluir
    2. Imaginei
      Deve ser aquelas coisas de "olhos hiper-realistas vermelhos", estática, telas ficando pretas, sons distorcidos e tal, né?

      Excluir
    3. Não se esqueça de "Eu era um executivo da..." e "uma foto de uma criança morta".

      Excluir
  41. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  42. Uma das melhores historias que já vi, texto excelente e muito bem feito, tradução impecável, estão falando mal do final, mas eu o achei incrível, e me fez pensar muito sobre varias coisas. Sei que muito provavelmente é uma historia apenas, mas se isso não for uma historia, mas uma narração de fatos reais que aconteceram com esse pobre homem, eu sinto um nível de pena que não consigo expressar através de palavras, apenas sinto. Sinto enormemente respeito e admiração por ele ter conseguido sobre viver a isso tudo. Essa historia conseguiu mexer bem com diversos sentimentos meus , e costumo gosta muito de historias assim. Recomendo fortemente a quem ainda não a leu que leia.

    ResponderExcluir
  43. É assustador pq o cara não era um demônio/vampiro/monstro... Sò um psicopata louco pelo narrador... Que doentio... '-'
    Medinho ao fim... Obrigado por traduzi, Divina! o/

    ResponderExcluir
  44. Adorei a serie. e o final esta espetacular.

    ResponderExcluir
  45. Só não entendi o motivo pelo qual ele pegou o Josh e não o autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Amei o final, mas essa pergunta ficou na minha cabeça. Se o tal psicopata era obcecado pelo autor, por que não sequestrá-lo de uma vez?

      Excluir
    2. Em varias partes da série ele fala que os dois eram mt parecidos, mas principalmente na voz, o cara acabou se confundindo.

      Excluir
    3. Em varias partes da série ele fala que os dois eram mt parecidos, mas principalmente na voz, o cara acabou se confundindo.

      Excluir
    4. Em varias partes da série ele fala que os dois eram mt parecidos, mas principalmente na voz, o cara acabou se confundindo.

      Excluir
    5. Pelo que entendi ele sabia que não era o personagem principal. Depois do Josh desaparecer ele ainda seguia o cara, matou a Verônica, assistiu o filme ao lado dele...
      Acho que ele quis traumatizar mesmo.

      Excluir
    6. Bem.. Ele não pegou o Josh, O Josh se 'transformou' no narrador, e quis ir matar o stalker lá. Mais com certeza algo deu errado e ele morreu. Ele estava com o cabelo tingido por que ele mesmo tingira, estava com roupas pequenas porque ele mesmo tinha ido pegar lá na casa do narrador de quando ele era pequeno. E o stalker tão obcecado pelo narrador como era, nem cogitou ser alguém diferente.
      Imagina, o cara persegue o narrador desde quando ele era pequeno, porque agora ele iria pegar o muleque errado? Por conformismo de não conseguir o qual ele queria? Acho que não..

      Excluir
    7. É improvavel q josh tenha se disfarçado, poia ficou dois ano com o pscicopata. Eu acho q ele sequestrou josh para atingir o narrador, mas depois de dois anos, quando o narrador se aproximou de veronica, o ciumes foi tanto q ele a matou e transformou josh no narrador, pois nao conseguiria mais o principal suspeito ou q ele se conformou com alguem parecido

      Excluir
  46. Só n entendi uma coisa: A Verônica em ''Telas'' diz que o Josh deixou um recado no travesseiro mas isso acabou ficando de fora

    ResponderExcluir
  47. Geralmente, eu entro só pelo celular. Mas, essa creepy eu TIVE que comentar. É muito boa. É a melhor série que eu já li!
    Parabéns ao autor e a Divina pela ótima tradução!
    E que venham mais séries como essa! *-*

    ResponderExcluir
  48. O final ta aí. Mas será que é verdade?

    ResponderExcluir
  49. Cara, essa creepy foi, sinceramente... Uma das melhores que já li, sério. O que tem de tão especial nela? Véi, eu não sei, mas ela te prende de tal forma que... Uau. Simplesmente incrivel. Sou muito chorona, mas, dessa vez, foi o meu coração que apertou com esse final. Sério, como vocês podem ter odiado. Acho que... Sei lá, foi ótimo, pois mexeu comigo sabe, de verdade.
    Fico pensando sobre o final dessa creepy e gosto de pensar que, talvez, o Josh possa ter feito um sacrifício final. Tenho duas interpretações, mas gosto de apostar na segunda. A primeira é que o cara realmente sequestrou o Josh, e o fez se passar pelo narrador. A segunda é que o Josh se fez passar pelo narrador. Apesar de ser um pouco impossível, visto a passagem de tempo do sumiço até a morte de Veronica, talvez... Fico pensando no presente de aniversário de Josh. Será que o presente seria o fim da perseguição ao narrador? Será que, durante a passagem de tempo, ele descobriu "tudo" e fez um esforço final?
    Imaginar Josh como um herói é um pouco... Não sei, é como se quisesse me agarrar em algo no final, algo não tão triste, não tão sem sentido.
    Mas, na realidade, quem pode saber? Talvez nem o autor saiba, realmente.
    Mas, acho que são as dúvidas, é isso tudo que deixou a história tão especial.
    Estou comentando pelo celular, então acho que não falei tudo o que pensava, ou deixei meio esquisito. Mas acho que o principal tá okay.
    Divina, você é divina QUQ)d
    Obrigada por ter traduzido essa creepy maravilhosa QUQ)d
    Até QOQ/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu aposto mais na primeira hipótese. Não acho que Josh se sacrificou.

      Excluir
    2. Tá, pensando melhor, você tá certo(a).

      Excluir
  50. Primeiramente... Eu sou novo aqui no site e Divina, gostei muito dessa série! Espero mais séries como essa aqui no site e obrigado pela incrível tradução que você fez para essa série!

    ResponderExcluir
  51. Só queria saber que bilhete o Josh deixou antes de ir enbora(se não me engano a irmã disse que ele deixou um bilhete) sei que não é relevante mas mesmo assim.
    App: arrepiei com as ultimas 3 linhas!

    ResponderExcluir
  52. Respostas
    1. Eu pesquisei e é uma substancia que se inalada pode fazer uma pessoa ficar temporariamente inconciente.

      Excluir
  53. eu não entendi uma coisa, terminou ? pq se terminou não pareceu e se realmente terminou eu estou profundamente chatiado com isso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk agora que percebi que não li esse ainda... vou ler

      Excluir
  54. bom, terminei agora, oq eu tenho para dizer é: vlw divina pelo trmpo de traduzir, não deve ter sido facil. e a historia não poderia ter terminado melhor, era um fim inesperado, e foi isso que esperava desdo inicio, e deixou uma impressão de filme thriller, e um suspense ficou no ar para pensarmos. isso oq eu acho

    ResponderExcluir
  55. Gente, como assim vocês não entenderam o porque dele ter pego o Josh já que era tão obcecado pelo autor ? Ele era tão, mas tão fissurado que queria ser o autor, tanto que tá claro que o assassino amava o josh, assim como o autor diz no final, eu amo o josh. O assassino não quis que veronica vivesse porque ia ser unica e inteiramente do autor, sentiu ciumes do autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não faz sentido. Se fosse isso ele não teria pintado o cabelo do Josh e não teria o vestido com as roupas do autor

      Excluir
  56. Ok, chorei muito com essa história, simplesmente a melhor, real ou não. E, por modéstia parte, eu não costumo não entender as creepys. Mas como diabos o cara não percebeu que estava enterrando seu filho com um maníaco-pedófilo-psicopata-assassino?!?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. concordo contigo kra. essa historia e A+ so que nn deu pra entender direito esse negocio.
      e olha que eu costumo entender todas as creepys q eu leio

      Excluir
  57. É bem simples. O cara se jogou la com o josh e uma garrafa de éter, tentando sair o josh mordeu o cara e o matou, mas o éter fez josh desmaiar, como tava tampado com um pano e o pai do Josh tava exausto, pensou que estava enterrando um pano ou nem sequer viu e só enterrou

    ResponderExcluir
  58. uma coisa que nn entendi foi se aquela velha lá do inicio tinha alguma coisa a ver com a historia?

    ResponderExcluir
  59. tou exAltada agr
    meu
    muito tenso
    amei essa serie, melhor do blog, sem mais

    ResponderExcluir
  60. Alguém mais reparou que o Josh "fugiu" de casa da mesma maneira que o narrador "fugiu" em "Passos"? Ou seja, foi uma fuga forjada? E que o Josh achava que sofria de sonambulismo como o narrador antes do episódio em que acorda no bosque?

    ResponderExcluir
  61. essa serie é ótima ;-; não tem como não se emocionar

    ResponderExcluir
  62. essa serie é ótima ;-; não tem como não se emocionar

    ResponderExcluir
  63. Divina, você poderia traduzir mais alguma coisa do Dathan Auerbach, ou será que ele só tem 1000Vultures?

    ResponderExcluir
  64. Vou sentir saudades ;----------------------------------;

    ResponderExcluir
  65. Cara, essa creepy foi muito fodástica. De início, eu pensei ser um saco por ser dividida em varias partes (como se isso fosse algum problema pra quem é quase obcecada por The Holders e.e), mas a cada parte, eu senti o impulso de ler mais e mais, e acabei çicaraleo em umas 2 horas -.- O final foi muito foda, apesar de reclamarem de ter sido bugado (o carinha lá avisou que não teria bagulhada esquisita como Slenders te dando brigadeiros e Jeffs comendo arroz com feijão), EU AMEI ESSA PORRA!!!!
    E para os que dizem que deveria ter sido esclarecido quem é o Stalker, o narrador não é onisciente nem onipresente, ou seja, ele não sabe de tudo o que acontece nem está em todos os lugares, então só fala tudo do ponto de vista dele u.u Admito que fiquei pensando em quem seria o demonho que estava por trás de toda essa merda, mas o mistério deixa aquele gosto bom/ruim de "Quero ler mais saporra, escreve aí!" - e essa creepy é do tipo que, se for ter continuação, o autor tem que ser muito fodão para continuar no nível dessa e mais triplamente fodão pra ultrapassar esse nível.
    Cara, ainda to bugada porque essa creepy é foda *--*
    E já que pediram sugestões de Séries pra cá ( :3 ) TRADUZ THE HOLDERS, PELOAMORDOPÃODEQUEIJO!!!!!! MAS TEM QUE SER TODAS AS CREEPYS DA SÉRIE QUE VOCÊ ACHAR (sei que tem algumas faltando pois eu tenho a lista)
    PORFAVOR, JESUIS, DIGO DIVINA *--------------------------* <3 <3 <3 <3 <3

    ResponderExcluir
  66. O que realmente aconteceu foi: psicopata pegou Josh por dois anos, tingiu cabelo dele, vestiu-o como o principal da história. Josh queria apenas terminar aquele projeto do mapa para dar de presente ao principal da história. Agora vou dizer o porque a hipótese de Josh ter se caracterizado sozinho como o amigo dele e ido atrás do Psicopata é inválida: por mais que os dois fossem parecidos, o psicopata sabia quem era quem, afinal, a Irmã de Josh é atropelada, e aí se descobre que ele já estava desaparecido desde os 13 anos, e o Psicopata senta do lado do principal no cinema, é ele quem manda a mensagem se passando por irmã de Josh. Agora, o que fez ele desistir do principal? O principal já havia recebido uma carta com dois bonecos palitos desenhados, um grande e um menor. Ou seja, o plano do Psicopata sempre foi pegar o Josh, e somente atingir o principal, porque ele era louco. O pai de Josh enterrou eles sem saber, pois o Psicopata deu Éter ao Josh (substância que faz desmaiar), mas antes do efeito surgiu, Josh morde o pescoço do psicopata, e não consegue se soltar, afinal, estão amarrados à um pano, então o efeito atinge Josh, ele desmaia, não podendo fazer nada, por isso o Pai não vê e não ouve nada.

    ResponderExcluir
  67. "Nós éramos exploradores."

    "Nós éramos aventureiros."


    "Nós éramos amigos."


    Carai arrepiou

    ResponderExcluir
  68. Um coração para um amigo.

    ResponderExcluir
  69. Texto muito mal redigido. Por muitas vezes empregos errados de preposições, conjunções e até tempos verbais incorretos. Torna até difícil entender a intenção do autor por diversas vezes, melhora isso ai galera.

    ResponderExcluir
  70. Sempre tem anônimo babaca para criticar os textos do blog mas o próprio cara escreve errado rs.
    Passaram-se os anos e ainda não superei o final de PenPal =/

    ResponderExcluir