06/10/14

630-296-7536

Tenho certeza que todos vocês estão acostumados àqueles tipos de história com pedidos desesperados de ajuda. Ajude-me, ajude-me, blá-blá-blá. Eu não incomodarei você com outra história dessas, e mesmo se quisesse a sua ajuda, você não poderia me ajudar, pois a sua ajuda é inútil.

Por quê?

Porque você não é um membro.

Só gostaria de não ser um membro também.

Tudo isso começou de uma maneira muito inocente: com uma ligação.

Eu tinha acordado há algumas horas, estava desempacotando e limpando enquanto esperava pela ligação do encanador. Acabara de me instalar em uma cabana e os empreiteiros foderam com tudo. Por causa disso, agora tenho a maravilhosa tarefa de ligar para pessoas competentes que possam arrumar aquilo que os empreiteiros fizeram errado.
O telefone toca às 12:06 da tarde.

Nada mal, pensei. Normalmente os encanadores não se preocupam em ligar ou aparecer até às cinco da tarde.

Quando atendi o telefone, não tive nem chance de dizer “alô” antes que a mulher na linha me dissesse
:
- Por favor, espere pelo próximo atendente.

Eu dei um pulo e me sentei no armário da cozinha. Este era um dos poucos lugares na cabana que não estava cheio de caixas. Uma música de elevador veio até o meu ouvido. Já estava cochilando quando a música parou e um acorde de piano, que pareceu serem três notas que não ficavam bem juntas, tocou duas vezes.

Uma voz falou na linha.

- Bem-vindo às Indústrias Boothworld. Meu nome é Samantha e eu serei a sua atendente hoje. Nome?

Eu não sabia o que dizer, então disse à atendente o meu nome.

- Senhor, nós sabemos quem o senhor é. Eu sou a sua atendente. Por favor, dê-me um nome para acessar.

- Não entendi. – falei.

- Pode ser qualquer pessoa, senhor. Só precisamos de um nome.

- Hum, ok. – falei e então inventei um nome – Harold Withers.

- Senhor, como sua atendente devo deixar claro que nomes fictícios ou nomes de pessoas que o senhor não conhece não podem ser usados.

- Usados para quê? – perguntei. Como ela sabia que eu tinha inventado aquele nome? 

Tudo aquilo parecia um trote, mas quase ninguém sabia o meu número.

- Remodelando.

- Remodelando? É o encanador? – perguntei

- Bem-vindo às Indústrias Boothworld. Meu nome é Samantha e eu serei a sua atendente hoje. Nome?

Eu levei aquilo como um sim e dei a eles o nome de uma antiga ex-namorada.

 - Jessica Goodwin

Eu podia ouvi-la digitando do outro lado da linha. Pareceu que ela estava batendo naquela coisa com os punhos.

Alguns instantes após isso, ela voltou.

- Jessica Goodwin. – disse ela – A remodelação está agendada para o dia 21 de agosto de 2015. O senhor gostaria de reagendar?

Eu estava quieto do outro lado da linha. Eu não podia acreditar nisso, com certeza alguém estava pregando uma peça em mim.

- Quem é? É você, Jessica? Você está pregando uma peça em mim? – perguntei.

A mulher não me respondeu por um longo tempo. Pensei que quem quer que fosse que estivesse do outro lado da linha, estava segurando o riso.

- Alô? – perguntei.

- Sim ou não, senhor? – perguntou a mulher.

- Sim? – falei, não entendendo o que a mulher estava perguntando.

- Tenho uma vaga na agenda para terça-feira. O que o senhor acha?

Nesse momento pensei que estava ficando louco e que realmente era a empresa de encanamento.

- Que tal hoje? – perguntei – Você tem algum horário disponível para hoje?

- Normalmente nós não podemos reagendar em um prazo tão curto, mas hoje nós tivemos um cancelamento. Às três da tarde está bom para o senhor?

- Três da tarde está ótimo. – falei.

- Então está marcado para as três da tarde. O senhor gostaria de uma ligação de cortesia?
- Claro.

- Maravilha. Nós das Indústrias Boothworld agradecemos e damos as boas vindas ao clube. Tenha um ótimo dia.

Aquele estranho acorde tocou mais uma vez por duas vezes e então a ligação caiu. Virei os olhos e voltei a desempacotar.

Meu telefone tocou às três da tarde em ponto.

- Alô? – falei.

- Senhor, aqui é a Samantha das Indústrias Boothworld novamente.  A sua ligação de cortesia começa agora.

- O que você... – eu comecei a falar, mas fui cortado por aqueles acordes baixos retumbando em meu ouvido, e então ouvi a voz de Jessica.

- Porque você está fazendo isso? – Jessica perguntou. Eu podia ouvir as lágrimas em sua voz.

- Jessica? – perguntei.

- Senhor – disse a atendente -, ela não pode ouvi-lo. Esta é a ligação de cortesia. O serviço já foi concluído.

- Por favor – implorou Jessica -, por favor, não faça isso. Farei o que você quiser. Eu...

A voz de Jessica virou um chiado e tudo o que pude ouvir do outro lado da linha foi o farfalhar de roupas e mais chiado.

Quando isso finalmente parou, alguém pegou o telefone do outro lado.

- O serviço agendado foi realizado. – disse uma voz masculina – Nós das Indústrias Boothworld agradecemos e damos as boas vindas ao clube. Tenha um ótimo dia.

- Senhor? – a voz da atendente voltou à linha – Isso foi de seu agrado?

Eu me sentei por um longo tempo e um suor frio escorria em meu peito. Jessica era a minha ex porque eu a peguei transando com o meu melhor amigo em uma festa no ensino médio.

Eu sorri e sussurrei:

- Isso foi perfeito.

- Maravilha. – disse a atendente – Nós das Indústrias Boothworld estamos aqui para servi-lo. O senhor gostaria de agendar outro serviço?

Conforme eu olhei a água escorrendo da porta do lava-louças, dei um sorriso ainda maior.
- Sim – falei -, eu gostaria.

- Nome?

- Dan. Eu não sei o sobrenome dele. Ele é um empreiteiro.

- Dan Arencibia. Dia 13 de julho de 2032. O senhor gostaria de reagendar?

- Sim. – falei.

- Quarta-feira está bom para o senhor?

- Você não que tinha uma vaga para terça-feira? – perguntei.

- Sim, mas infelizmente essa vaga já foi preenchida por outro membro. Quarta-feira está bom para o senhor?

- Não. – falei – Eu tenho uma entrevista de emprego nesse dia. Que tal quinta-feira?

- Infelizmente eu não tenho como marcar para quinta-feira. O senhor irá remodelar na quarta-feira à noite.

- O que? – perguntei.

Ela repetiu a exata mesma coisa de novo.

- Podemos reagendar a minha remodelação? – perguntei.

- Claro que podemos, senhor. – disse a mulher, e pareceu que ela estava sorrindo do outro lado da linha. – Sempre tem um jeito.

Eu esperei ela me dizer como, mas ela não falou.

- COMO? – perguntei.

- As Indústrias Boothworld estão sempre procurando por novos membros. Claro, nós somos um grupo que só aceita membros através de convite. Infelizmente, nosso número de membros caiu nos últimos anos. Recessões econômicas. Guerras. Política. O que gostaríamos que você fizesse de modo para evitar a sua remodelação agendada, é que nos ajudasse a conseguir um grande número de novos membros.

A luz no fim do túnel, pensei.

- De quantos membros vocês precisam? – perguntei.

- Mil.

Paralisei.

- Mil?

- Sim, senhor. Caso contrário, nós teremos que manter o nosso serviço agendado. Devemos informa-lo que o membro que agendou esse serviço pediu uma ligação de cortesia.

Naquele momento tudo parou para mim. Durante toda a minha vida eu não fiz nada, não fiz diferença alguma.

Minha boca secou. Sempre pensei que fosse apenas uma coisa que as pessoas escreviam em livro para serem dramáticos.

Mas não é.

- Eu conseguirei os seus mil membros. – sussurrei.

- Nós das Indústrias Boothworld agradecemos e damos as boas vindas ao clube. Tenha um ótimo dia.

A ligação terminou.

Eu segurei o telefone e olhei para ele por um longo tempo. Estou  agendado para remodelar na quarta-feira, e caso não consiga mil membros para se juntarem às Indústrias Boothworld, em algum lugar, alguém terá uma ligação de cortesia para ouvir os meus últimos suspiros.

Engraçado,  sempre quis fazer parte de um clube de elite. Skull and Bones. Nova ordem mundial. Não sei como eu entrei nisso, mas agora eu sou um membro e tenho até quarta-feira para aproveitar isso.

Como eu disse no começo: mesmo se eu quisesse a sua ajuda, você não poderia me ajudar, pois você não é um membro.

Só se torna membro através de convite.

Estou convidando você para entrar.
Você pode me ajudar.


Ligue para 630-296-7536



20 comentários:

  1. Só eu que pensei em ligar mesmo? :D huehuehuehue

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Liguei, a mocinha da TIM disse que o número não existia :| Affs, queria remodelar umas pessoas.

      Excluir
    2. Eu também pensei em ligar!A duas pessoas que eu adoraria remodelar

      Excluir
  2. Esta creepypasta já foi postada aqui.

    ResponderExcluir
  3. Por onde anda a visitante "Vadia Desgraçada"? Eu não vejo mais os comentários dela.

    ResponderExcluir
  4. Liguei e uma mulher atendeu congelado, mas aí ela falou país do frango frito qual seu pedido? O.o ashuashuashu

    ResponderExcluir
  5. Eu liguei e uma mulher atendeu dizendo - o numero chamado nao existe , verifique o numero e tente novamente.

    ResponderExcluir
  6. Aqui no Brasil não funciona, mas conheço uma galera dos US que ligaram e disseram que o número existe, funciona, vc é atendido pelas indústrias Boothworld e te dizem que você será remodelado em breve. Não sei se o número foi desativado ou só funciona lá fora, mas sempre deu certo por lá.

    ResponderExcluir
  7. Eu linguei pa lah e falei PA matarem a jailça jasiel da silvah eles falaram q era pra aguardar e que eu era o primeiro membro br e que eles disi q eles ama o brasel e q a marina eh uma reptiliana

    ResponderExcluir
  8. Sabia que ia ter nego retarda ligando

    ResponderExcluir
  9. Cara eu queria "remodelar" tanta gente, pena que não é de verdade.

    ResponderExcluir
  10. Ah, queria remodelar uma galera
    Poxa vida :"(

    ResponderExcluir
  11. Pessoas,quem quiser entrar num grupo de creepypastas entre em contato comigo
    Numero: 92 8161-9697

    ResponderExcluir
  12. Liguei, ninguém atendeu.
    Estou na esperança de viajar pra US e conseguir ligar. Há braços.

    ResponderExcluir