06/06/15

Tem alguma coisa muito estranha acontecendo com minha esposa - Parte II

Se você não leu a primeira parte da minha história, você deveria ver a Parte I. Para aqueles de vocês que já estão cientes do que está acontecendo, deixe-me continuar. Quando a minha mulher (Natalie) finalmente voltou, ela entrou chorando e não parava. Ela continuou dizendo: "Você... Você não merece isso... nós não merecemos isso... não era pra você ter sido sobreposto... Eu te amo, eu me preocupo com você... sua família, você não devia ter sobreposto"

Nesse ponto, eu estava realmente confuso. Eu a confortei, a abracei até que ela parou de chorar. Então, quando ela finalmente se acalmou eu perguntei: "Amor, você está falando coisas sem sentido.... Quem é "ela"... que você está se referindo como entidade...?" Ela me disse que não tem um nome para “isso” e ela realmente nunca a viu. Somente outros ao seu redor às vezes podiam vê-la. Mas ela sempre foi descrita como alguém que se parece com ela, o mesmo sorriso radiante e os mesmos olhos verdes bonitos. "Mas quando você gritou no telefone mais cedo, você sabia o que eu estava vendo, não sabia... como?" Ela olhou para mim e começou a chorar novamente. "Eu só escondi de você porque eu não queria te assustar..." ela disse. "Está tudo bem, me conte tudo..." Eu respondi, puxando-a para perto. Então ela me contou a história da última pessoa que “sobrepôs”, ou seja, viu ela e a entidade ao mesmo tempo.

Quando Natalie estava no colégio, sua família (seus pais e dois irmãos) estavam acostumados a ver "isto" (chamo de “isto”, na falta de uma palavra melhor) pela casa. Ela sempre foi descrita como uma menina sorridente, que normalmente estaria apenas bebendo água. Esta ocorrência só parecia acontecer em sua casa, nunca na escola ou fora. Seus pais, sabendo da situação, nunca permitiram que ela trouxesse amigos por medo de que eles surtassem com o que veriam. Mas um dia, por conta de sua insistência, e argumentando que ver isso nunca causou qualquer dano, seus pais deixaram-na trazer um amigo. Natalie e seu amigo Chris estavam fazendo o trabalho de casa quando Natalie decidiu ir até a cozinha pegar alguns salgadinhos. Quando ela estava voltando, ouviu Chris dizendo "Muito engraçado... mas você está me assustando com esse sorriso...." Natalie parou no caminho, mas já era tarde demais, a porta de seu quarto estava aberta, e ela estava na linha direta de visão de Chris no corredor. Ele se virou para olhar para ela, com o rosto completamente pálido, enquanto Natalie ouvia vidro quebrando. Ela estava completamente em choque, Chris estava olhando para elas simultaneamente. Olhando com os olhos arregalados no canto da sala, ouviu-o dizer: "Mas que..." Natalie correu para seu quarto, mas a porta de repente bateu. Ela começou a bater na porta. "CHRIS NÃO OLHE PARA ELA, APENAS NÃO OLHE!" Ela gritou do outro lado da porta. Então silêncio. A porta se abriu cinco minutos depois e ela o encontrou inconsciente. Depois de levá-lo ao hospital, eles descobriram que Chris tinha ficado cego. Os médicos não conseguiam explicar. E quando pediram para Chris descrever a última coisa que ele viu, ele lutou para soltar as palavras "Aquele... aquele sorriso... aqueles... aqueles olhos... olhos muito negros... e sua cabeça, oh deus sua cabeça estava inclinada a 90 graus. Eu nunca pensei que um rosto tão bonito poderia ser tão... torcido".

Ela acredita que o único motivo de eu ainda conseguir enxergar é porque a sobreposição aconteceu pelo telefone, então eu não fui capaz de sentir o efeito completo, o que quer que isso signifique. Eu fiquei surpreso que outra ‘sobreposição’ não tenha ocorrido ao longo de sua vida. Foi quando Natalie me disse que “eles” disseram que ela era inofensiva, e não tentaria ativamente ‘sobrepor’. Então eu perguntei sobre o “eles” que ela acabou de mencionar. “Bem, quando eu era uma menina, meus bisavós sabiam algo sobre isso. Eles ficaram muito surpresos, mas aparentemente isso já tinha acontecido uma vez na família.” Então ficou claro, nós precisávamos ver a sua bisavó, a única que restava que poderia nos dar algumas respostas.

Natalie ligou para sua mãe e foi dito que não tinha contato com a sua bisavó nos últimos dois anos. Desde que seu marido morreu, ela ficou deprimida e pediu para não ser contatada e rompeu todos os laços. Ela morava sozinha fora do país, isolada do resto do mundo. Eram três horas de viagem, por isso decidimos tentar descansar um pouco antes de nossa viagem no dia seguinte. Mal conseguimos algumas horas de sono. Minha esposa me acordou esta manhã, dizendo "café da manhã pronto" enquanto descia as escadas. Notei que nós dois devemos ter perdido nossos despertadores visto que já eram 11 horas. A primeira coisa que verifiquei quando acordei foi a cama, para me certificar de que eu não estava vendo ‘aquilo’. Quando eu finalmente desci, eu quase caí para trás quando vi minha esposa bebendo um copo de suco de laranja, de frente para a entrada da cozinha. "Não faça isso!!!" Eu bati. Ela veio correndo em minha direção "Desculpe..." ela murmurou. Fui até lá e lhe dei um abraço "Está tudo bem, estamos ambos no limite, vamos superar". Depois de um café da manhã que nenhum de nós tinha o apetite, nós pegamos a estrada para encontrar algumas respostas. Enquanto nós estávamos dirigindo, minha esposa segurou minha mão, e me senti seguro mais uma vez. Era uma estranha sensação de segurança, porque mesmo depois dos acontecimentos loucos, estava brilhante e ensolarado lá fora, e eu estava dirigindo pacificamente com minha esposa. Ela sorriu para mim, eu sorri de volta, olhando para seus belos olhos verdes, enquanto lutava internamente para tirar a imagem da 'entidade' torcida da minha mente. Ficamos em silêncio por quase toda nossa viagem até que finalmente chegamos à casa. A casa ficava localizada no final de uma pequena estrada, uma estrada estreita de terra. Havia uma velha van estacionada, mas parecia que não tinha sido dirigida por semanas. A casa também parecia estar abandonada. Minha esposa estendeu a mão e eu a segurei "Vamos esperar o melhor e ver o que encontramos" Eu disse. Mas antes que eu pudesse abrir a porta, meu celular tocou. No momento em que o primeiro som de toque quebrou o ar tranquilo, minha esposa apertou minha mão um pouco mais apertado. Ela estava no limite, eu diria. Eu olhei para ela e ela estava sorrindo ligeiramente. Peguei meu telefone e olhei para o identificador de chamadas, lia-se "Natalie". O aperto de mão que eu estava segurando começou ficar mais e mais apertado. De repente tive a sensação de que eu não estava com minha esposa. Peguei o telefone enquanto eu percebia que a pessoa na minha visão periférica estava mudando sua expressão. A respiração também ficou mais pesada enquanto ouvia o pescoço começando a virar. Com o pouco de coragem que tinha restado, eu me virei, não me atrevendo a ver o rosto torcido. "NÃO SOU EU!!!" Natalie gritou ao telefone. No instante em que sua voz atingiu meu ouvido, eu ouvi o som de vidro quebrando e uma queimação na minha mão, que durou uma fração de segundo. Eu recuei na dor, respondendo "Eu sei... eu acho que ela foi embora agora". Eu olhei para ver e com certeza ela não estava mais lá. Eu respirei "Não desligue.... viemos até aqui, precisamos continuar".

No caminho para me encontrar, ela explicou como quando ela acordou, ela estava aparentemente coberta debaixo da cama, como se alguém tivesse a empurrado para fora e a deslizado sob a cama. Quando ela acordou e percebeu que eu não estava lá, ela sabia que algo estava acontecendo e ligou imediatamente. Nesse ponto, eu estava pirando, muito. Tantas perguntas passavam em minha mente. Aquilo falou??? Aquilo agiu como minha esposa? Como ela estava segurando a minha mão? Como no mundo isso foi parar fora da casa? Mais importante ainda, como é que eu a diferencio de minha esposa? Foi quando me lembrei da dor aguda e olhei para minha mão. Havia um claro “sortudo” queimado em minha mão. Enquanto eu esperava por minha esposa para continuar, eu comecei a pensar, a entidade disse "café da manhã pronto" e "desculpe". E por que no mundo ela estava tomando suco de laranja? Está evoluindo? Está aprendendo a me enganar?

Eu fiquei me perguntando por um longo tempo o que tudo isso significava até que minha esposa finalmente chegou às 5 horas da tarde. Estava ficando escuro, e eu queria encontrar um hotel e voltar amanhã. Mas a minha esposa insistiu que, pelo menos, fossemos ver se alguém ainda vivia na casa abandonada. Antes que ela saísse do carro, porém, ela pegou o isqueiro do carro e queimou sua mão. Eu fiquei muito chateado quando ela fez isso, mas ela disse que poderia me ajudar a distingui-las. Neste ponto, qualquer ideia de racionalizar esse medo parecia ótimo. Fomos e batemos na porta porque a campainha parecia quebrada. "Você ouviu isso?" Minha esposa olhou para mim apavorada. "Ouvi o que?" Eu perguntei. "Um grito, parece que alguém está com dor...." Meu instinto foi o de voltar para fora, eu realmente desejei que eu tivesse voltado. Mas antes que eu pudesse fazer qualquer coisa minha esposa estava abrindo a porta e levando-me para dentro. Eu segurei sua mão, mantendo um pé na porta. Eu estava muito familiarizado com os clássicos "porta bate atrás de você em uma casa assustadora” para andar completamente. Dentro, tudo estava empoeirado e cheio de teias. Tudo também estava irritantemente escuro. Quando os meus olhos se adaptaram à escuridão, notei que a casa estava completamente destruída, com símbolos estranhos riscados nas paredes e no mobiliário quebrado em um tom de vermelho. Só então a minha esposa começou a sentir a luz dirigida e começou a cair. "Eu me sinto... muito tonta..." ela murmurou. Eu imediatamente a peguei quando ela desmaiou. Então, para meu horror, quando eu olhei para cima, a vi no corredor. Eu mal podia ver sua silhueta, mas seu dedo estava apontado para mim, com a cabeça inclinada naquele ângulo antinatural. Eu não tinha necessidade de ficar lá até que eu vi o resto de sua figura assustadora, eu imediatamente me virei enquanto arrastava minha esposa comigo. A porta atrás de nós se fechou! Mas, felizmente, o meu pé estava na porta. Eu gemia de dor com o impacto e me lancei em direção à porta mal aberta e caí fora com minha esposa. Eu olhei para trás desejando que ela tivesse ido embora, mas ela ainda estava caminhando em nossa direção, muito lentamente, e deliberadamente. Os próximos momentos são uma espécie de nebulosa porque eu estava cheio de adrenalina. De alguma maneira eu consegui jogar minha esposa no carro e entrar. Quando olhei no meu espelho retrovisor, eu a vi, sua boca estava agora bem aberta e ela gritava. Enquanto eu pisava no acelerador, eu ouvi o que soou como as janelas da casa se despedaçando.

Eu dirigi meia hora até um pequeno hotel para alugar um quarto para a noite. Neste ponto, minha esposa estava dormindo, e eu não tinha dormido nada. Não me atrevo a olhar para longe dela. E o que a mensagem na minha mão significa? É brincando comigo, me dizendo que eu tinha sorte por minha esposa ter me ligado para me salvar? Devo ir para a casa de novo com outra pessoa? Eu digitei esta atualização para vocês, e daqui a pouco ela vai estar acordada e nós vamos decidir qual é o nosso próximo passo. Todas as sugestões são bem-vindas.
_________________________________________________________________________________

CONTINUA...


17 comentários:

  1. Aeeeee... Bom dia, caramba já estava ansioso para a segunda parte, esses sábados que não vem logo... :/
    Parabéns Flavia, ta ficando ótima ;) :3

    ResponderExcluir
  2. Cada, que foda. Tipo, tudo que eu leio, escuto, eu imagino no mesmo instante. E o quando eu estava imaginando a cena, eu fiquei com medo. (PQP 90º?) XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim a cabeça dela tava em 90 graus? Nao entendí nao conseguí visualizar essa imagen ������

      Excluir
  3. Que bom que estão gostando!
    Acho tenso esse negócio dela ficar inclinando a cabeça... Dá um medinho, rs

    ResponderExcluir
  4. Pai do ceu...esse negocio ta bom demais , que delicia cara

    ResponderExcluir
  5. Estava com saudade de ler creepypastas e quando entro leio a sua, Flávia. Parabéns, hein! Estou ansiosa para a próxima ;)

    ResponderExcluir
  6. Quando sai a 3ª parte? mt bom isso!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Quando sai a 3ª parte? mt bom isso!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Nooossa, meus parabéns Flávia, esta muito bom *-*-*
    Não vejo a hora de sair a terceira parte *-*-*-*
    Sai nesse sabado dia 13/06?

    ResponderExcluir
  9. A outra so deve estar querendo fazer um ménage a trois posha

    ResponderExcluir
  10. Isso, Ismael!
    Eu publico as minhas traduções todo sábado.

    ResponderExcluir
  11. Esperar por sabado... Sempre foi chato kkk
    mas falando serio, otima creepy !

    ResponderExcluir
  12. Ela tava tomando um suquinho de laranja pra relaxar, que delícia cara. Era essa a creepy que você queria?

    ResponderExcluir
  13. Ela tava tomando um suquinho de laranja pra relaxar, que delícia cara. Era essa a creepy que você queria?

    ResponderExcluir