15/11/15

_TEMOS_UM@_MENS@GEM_ESPECI@L_PARA_VOCE_

Vou me casar em cinco semanas. Tudo está acontecendo muito rápido, mas acho que vai dar certo. O espaço já está locado, o buffet agendado e o DJ contratado. Tenho um e-mail exclusivo para o casamento, assim mantenho tudo mais organizado. Recebo milhares de e-mails de promoção e confirmações de vendedores. Ultimamente, tenho recebido muito Spam. Não me leve a mal, mas vale a pena. Acabei de receber um livro de convidados totalmente de graça apenas por fazer uma pesquisa online sobre me. Consegui também um ótimo acordo quando comprei um relógio de pulso todo customizado de aniversário para meu noivo.

Entretanto, hoje de manhã, recebi algo diferente...

“_TEMOS_UM@_MENS@GEM_ESPECI@L_PARA_VOCE_”. Esse era o título do e-mail. O remetente? Eu. Não é algo tão estranho assim; as vezes realmente mando e-mails para mim mesma. Na maior parte das vezes imagens e ideias para o casamento. Tipo arranjos de centro de mesa e flores. Que músicas colocar na cerimônia e que músicas colocar na recepção do casamento. Mas não me lembro de ter mandando algo para mim mesma por esses dias. Quando abri, estava todo em branco exceto pela letra “H”. Não estava sublinhado. Não parecia um link. Mesmo assim eu cliquei nele. Imediatamente a tela ficou toda preta.

“NÃO! O que foi que eu fiz?!”

Pânico começou a tomar conta de mim. Esse era meu único computador e não podia comprar um novo com todas as despesas do casamento. Notei que a luz do botão de ligar do monitor continuava brilhando azul. Coloquei meu rosto mais perto da tela e percebi que o computador não tinha morrido. Suspirei de alívio. A imagem unha a qualidade de uma câmera não-tão-boa. Batuquei em algumas teclas do teclado, mas nada aconteceu. O cursor não estava em lugar nenhum da tela quando movi o mouse. Eu estava prestes a clicar o botão de desligar quando aconteceu um movimento sútil na tela. Fiquei olhando fixamente. Conseguia ver o contorno de... algo. De repente, a tela se encheu de luz. A câmera estava gravando e o flash tinha sido ligado.

“Mas que porr...”

Havia uma garota sentada de pernas cruzadas no meio do quarto, no chão. Parecia jovem. 17 ou 18, talvez. Estava suja. Descabelada. Quase nua, vestia apenas um top de academia e uma calcinha. Os trajes pareciam que algum dia tinham sido brancos. Agora estavam manchados em tons de marrom e vermelho. Sua pele não era muito diferente, com adições de alguns roxos e hematomas cobrindo seus braços e pernas. Seu cabelo estava emaranhado e parcialmente por cima do rosto. Era muito magra. Eu podia ver suas costelas, mesmo com a cobertura de sujeita que cobria seu torso. Ela não pareceu reagir a luz que se acendera. Sua cabeça pendia para o lado e seus olhos tinham aquela expressão de alguém que acabou de acordar de um sono regado a remédios dopantes.

Observei o resto do quarto. Não conseguia ver muita coisa, pois a luz estava apontada diretamente para a menina, mas de resto parecia bem vazio. Não haviam janelas que eu pudesse ver, e as paredes eram sujas, com a tinta descascada. O chão era de madeira simples. “Isso só pode ser uma piada”, pensei. Talvez uma creepypasta transformada em um filme? Tentei lembrar se já tinha lido algo parecido com aquilo.

Ouvi passos vindo de algum lugar que a câmera não filmava, mas perto. A imagem começou a se mover. Pude ouvir uma respiração ritmada, pesada. A garota nem se mexeu quando a câmera se aproximou. Seu olhar continuava vago, olhando fixamente para um lugar qualquer no chão. A pessoa que segurava a câmera estava bem na frente da garota, na altura dos olhos. A respiração estava mais ofegante, demonstrando a excitação.

Uma mão apareceu na imagem, e segurou com força o queixo dela. Empurrou a cabeça dela para cima, assim ela não tinha opção a não ser olhar diretamente para a câmera. Suas pupilas estavam dilatas, mas ainda não focadas. Ela era linda. Seu rosto não estava tão sujo quanto o resto do corpo.

Mas eu não estava mais prestando atenção nela. Meus olhos estavam grudados no relógio de pulso da mão que segurava o queixo da garota. Parecia que todo o ar do mundo tinha se extinguido e eu não conseguia respirar.


O relógio era dourado. Havia a letra “H” gravado atrás dos ponteiros. Exatamente igual ao relógio customizado que eu havia dado ao meu noivo em seu aniversário, a uma semana atrás. 


15 comentários:

  1. "Um@", "especi@l"... credo, eu não abriria o e-mail! Imagina se fosse uma feminista? Bem no e-mail do casamento!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graças ao feminismo vc está aqui.

      Excluir
    2. Não graças ao feminismo que usa @ em vez de desinências de gênero, dear Anônimo. Talvez às feministas que pediam direitos REAIS, no século passado/retrasado/sla. Aliás, na verdade eu tô aqui é graças a minha mãe e meu pai, que me deram a luz e pagam minha internet.

      Excluir
    3. Feminismo prega a igualdade de gêneros, quem prega a superioridade feminina é o femismo, que infelizmente muitos confundem com feminismo.

      Excluir
    4. Graças a feminismo? O que prega a extinção dos homens? O que torce para que mulheres que não seguem seus ideais sejam estupradas? As FEMINISTAS CONTEMPORÂNEAS defendem essas ideias SIM, não sejam alienados ao ponto de defender um movimento que há muito tempo perdeu seu real significado. Sou mulher e não devo NADA as atuais feministas. As verdadeiras feministas, aquelas que no passado lutaram por nossos direitos provavelmente olhariam com nojo e repulsa para as atuais integrantes desse movimento.

      Excluir
    5. E o feminazismo? Prega o quê ? Prega homens na parede com facas em cada um dos 5 membros?

      Excluir