19/10/2015

Central de Atendimento

Pensamentos sobre a comida tailandesa do restaurante perto do prédio ficam desordenando minha concentração, enquanto a hora do almoço se aproxima. Ninguém faz reservas de hotel em Dezembro. Até agora, praticamente todos os quartos já foram agendados e as melhores taxas são só uma memória de Verão.

Ainda assim, há sempre uma oportunidade para uma reserva de última hora, então eu esperei, pronto, para qualquer coisa parecida com uma chamada.

Dois toques sinalizam uma chamada recebida. Olho para o relógio. "É claro, pouco antes de eu sair," eu penso.

Colocando a minha melhor voz de atendimento, respondo a chamada.

"Obrigado por ligar para a central de reservas esta tarde. Como posso ajudá-lo?"

"Estou na recepção das Torres e eles dizem que a reserva tem um problema" a mulher explicou, com uma pitada de desespero. Esquecendo da proximidade do almoço, eu salto para a ação.

"Sinto muito pelo problema. Por favor me diga o seu nome e o local que você reservou a estadia. "

"Eu sou Sandra Henshaw e eu vou ficar na Bainbridge Torres e Resort", ela respondeu.

Incerto da localização, eu faço uma busca rápida no computador.

"Você tem certeza que o local que você esta hospedada é um dos nossos hotéis? Eu não consigo encontrá-lo no sistema."

"Eu liguei pro número fornecido pela recepção", seu tom se afia.

"Onde está localizado o hotel?" Eu consulto.

"Montserrat, é no Caribe."

Eu procuro novamente, por qualquer hotel na região, em uma tentativa de justificar o meu salário. A notícia não está ficando melhor. Neste momento, só posso esperar que ela seja misericordiosa.

"Nós não temos hotéis da região, senhora Henshaw. Como obviamente houve algum mal-entendido permita-me direcioná-la para o atendimento ao cliente, onde vamos tentar encontrar uma solução para sua estadia esta noite. "

"Você não pode estar falando sério. Fiz essa reserva ja faz..."

Agarrei os meus fones de ouvido quando um poderoso estrondo ricocheteou em meus tímpanos. O que quer que tenha causado aquele barulho interrompeu a linha deixando apenas um tom baixo de discagem constante. Eu rapidamente checo minha audição, colocando de volta meu equipamento em tempo para atender a próxima chamada.

"Obrigado por ligar para a central de reservas esta tarde, Como posso ajudá-lo?"

Minha voz parece distante enquanto eu me esforço para me concentrar na resposta do cliente.

"Isto é claramente inaceitável", começou a voz do homem cheio de intenção e autoridade, antes de continuar em detalhe. "Tenho ficado nas acomodações da sua empresa por quase duas décadas. Esta é a única vez que eu chego só para me informarem que a reserva não foi concluída corretamente. Eu voei uma grande distância e passei por várias ilhas. Você poderia por favor apenas me colocar no meu quarto ?! "

"Senhor, você está tentando fazer o check in na Bainbridge Torres e Resort?", perguntei, temendo o início de um épico trabalho burocrático.

"Sim estou. Eu vi o comercial para a abertura durante o finale de Friends no ano passado e decidi fazer essa reserva em um capricho. Minha família estava ansiosa para um refúgio de verão ", continuou ele - claramente frustrado por ter que se explicar.

"Uhm senhor, que época do ano que você disse que era?", Eu perguntei enquanto meu cérebro começou a procurar defeitos no que ele me disse.

"Hoje é 18 de julho e, em vez de relaxar à beira da piscina com os meus filhos estamos atualmente em pé no saguão de um hotel em um país estrangeiro sem lugar para ficar. Você precisa corrigir isso ", disse ele elevando lentamente a voz.

"Bem, de acordo com o meu computador eu.."

"Eu não ligo para o que o computador diz. Seja criativo e pense em alguma solu-..." o fim abrupto de sua voz foi seguido por outro rugido ensurdecedor de rolamento através do meu headset. Meus dedos vibravam enquanto eu os usava para proteger meus ouvidos, reagindo rápido o suficiente neste momento para evitar o mesmo zumbido que tocou nos meus tímpanos na última vez.

Nessa segunda ligação, eu detectei gritos angustiados de uma multidão em pânico. Era abafado, mas eu pude ouvir dezenas de vozes clamando por ajuda.

Alguém na distância estava proporcionando tranquilidade e depois o silêncio engolfou a linha.

Me esforçando o máximo para processar tudo, eu atendi a próxima chamada em instinto. Foi apenas no meio da reclamação do cliente que eu recupero o foco ao som da frase "Bainbridge Torres e Resort."

"Senho….?"

"Geraldine".

"Senhorita Geraldine, existe algum tipo de acidente ocorrendo no lobby? Qualquer coisa que soe como explosões infernais. "Eu pergunto, sabendo muito bem como o pedido de informação soa para uma pessoa racional.

"Não, e isso é algum tipo de piada?"

"Acredite em mim, senhorita Geraldine. Eu gostaria de poder dizer que eu estou brincando. Tudo o que sei é que eu tenho recebido telefonemas de vários hóspedes do hotel onde está hospedada. Nenhuma reserva está correta e a linha fica sendo desconectada devido a algo que soa quase como uma explosão no fundo. Mas, se está tudo bem, então deve ser uma falha no equip-- "

Desta vez eu ouço os gritos alguns segundos antes que o estrondo engolfe o alto-falante. Choque, terror, e preces de salvação preenchem a linha que eu escuto, impotente.

Minha dormência só é interrompida por outra voz no final da linha quando a chamada começa de novo.

"Alô? Alô? Tem alguém nesta linha? Eu estou preso no meu resort devido a um erro de reserva. Existe alguma coisa que - "

Eu interrompo o senhor idoso do outro lado da linha. "Saia das Torres Bainbridge agora. Você precisa procurar abrigo imediatamente! Algum tipo de desastre está prestes a ocorrer! "

"Onde posso ir? Eu não tenho nenhum quarto em qualquer lugar. É por isso que eu estou te chamando. Que grande abertura que vocês tem aqui,hein? Nada além de dezenas de pessoas incapazes de fazer o check-in, correndo pelo lobby atrás de qualquer telefone que possam encontrar ", disse ele.

"Não, você não entende. Eu preciso que você fuja do hotel imediatamente para sua própria segurança. Alguma coisa vai acontecer com todos. Diga a todos para sairem, agora! "eu implorei.

"Agora veja aqui, eu tenho 82 anos. Quão longe você acha que eu posso corre-..."

Mais uma vez, a linha corta em uma confusão aterrorizante. Mais uma vez, eu não posso ajudar ninguém. Mais uma vez, eu escuto as súplicas daqueles ao redor do senhor. Novamente, eu pego o telefone.

"Você está nas torres Bainbridge?"

"Não de acordo com o balcão de reservas", responde um homem mais jovem e confuso.

"Saia daí, agora. Diga à todos para fugirem e salvarem suas vidas antes do que quer que esteja acontecendo, atinja o hotel! "em desespero minha voz está exigindo a atenção do rapaz. Só depois é que eu percebo que isso vai contra a etiqueta que tenho que seguir.

"Eu não me importo com quem você pensa que é, mas eu reservei uma suíte do pacote de lua de mel e não vou tolerar esta ocasião a ser marcada por sua grosseria. Eu preciso que você - "

Eu desligo o telefone e defino o computador para parar de receber chamadas.

Eu fecho meus olhos e me pergunto quanto tempo o senhor ficou boquiaberto diante da minha insubordinação antes de ser tragado por seu destino de fogo.

Talvez sua noiva só chegasse mais tarde e ela ainda estivesse bem. Talvez, eu só esteja estressado e precise de uma pausa.

Eu saio para o almoço um pouco cedo do que o normal e imediatamente me arrependo de minhas ações quando vejo minha chefe passando.

"Eu estava querendo falar com você hoje."

Minhas veias congelam, esperando que ninguém tenha acompanhado o meu último lote de chamadas.

"Você é o novo aqui, não é?" , ela disse. "Eu esqueci de avisá-lo sobre um dos nossos casos... anuais", disse ela em tom de desculpa. "O dia 13 de dezembro é sempre cheio de chamadas das Torres Bainbridge. Eventualmente, você aprenderá a apenas colocá-los em espera e dizer-lhes que alguém está no caminho para ajudá-los.”

"Espere", tentando equilibrar alívio, medo e aborrecimento, eu perguntei: "Então, tudo isso foi apenas um trote? Quer dizer que todos estão rindo à minha custa? "

"Você não entendeu bem", disse ela. "O dia 13 de dezembro é sempre quando recebemos as chamadas de 18 de julho de 1995. Foi quando o nosso hotel em Monserrat foi perdido devido a uma explosão de um vulcão que se acreditava estar dormente. Não há nada que possamos fazer para ajudá-los, a não ser fingir que estamos direcionando-os para o serviço ao cliente. "

Sem saber se eu realmente acreditava na sua explicação, sentei-me atordoado.

"Oh, e você não tem amigos ou família em qualquer lugar chamado Nevada,não é?

E você não está planeja estar nessa área em torno de Outubro de 2023 ou 2024,né ?. Essas conexões não são tão boas, então os detalhes são um pouco confusos ", disse ela com naturalidade.

"Porque? O que acontecerá nessas datas?", Perguntei, permitindo que a minha curiosidade mordesse a isca.

"Trabalhe no dia 23 de fevereiro para descobrir, ou não. Eu recomendo fortemente que não.“ Ela disse, sem olhar para trás enquanto voltava para seu escritório.

Enquanto eu vou para o restaurante de comida tailandesa, eu faço uma nota mental para usar qualquer tempo de férias que eu tiver, no dia 23 de fevereiro.


17/10/2015

Confiança

Abro meus olhos e olho para o teto. Estou preso em uma cadeira, não posso me mover. Alguma espécie de cinto está prensando minha cabeça no lugar para o encosto me forçando a olhar apenas para o teto. Eu movo meus olhos para baixo, posso ver o rosto de outro homem aqui.

A cabeça dele também esta amarrada. Seus olhos não param de se mover para esquerda e à direita, ele está lutando para tentar se libertar. Eu também tento me libertar, sabendo que seria inútil, mas continuo tentando de qualquer maneira. A cadeira esta parafusada no chão. O homem está muito perto de mim, se pudéssemos avançar, nós provavelmente poderíamos nos tocar. Eu estou com medo. Eu não tenho nenhuma idéia de como isso pode acabar.

- Hey - eu disse - você sabe o que está acontecendo aqui?

- Não! Fui dormir e acordei amarrado nessa porra de cadeira com algum babaca na minha frente, que aparentemente, na mesma merda situação

Pergunta estúpida, eu suponho - Você pode mover outra coisa além de seus olhos e boca?

– Que merda, só consigo mover meus dedos dos pés e das mãos.

- Ok, ok, Parece que estamos presos aqui até que quem fez isso decida decida explicar o que esta acontecendo. Qual é o seu nome?

-Mike.

- Eu me chamo Chuck – Eu estou curioso sobre esse homem. Por que eu e ele estamos presos aqui? Talvez ele mesmo que me prendeu nessa cadeira - Você pode pensar em qualquer motivo para você está aqui? Você machucou alguém? Roubou de alguém? Alguma coisa?

- Porra cara, eu nunca fiz nada - ele grita – Duas multas por excesso de velocidade e nada mais. Você acha que alguém iria pelo menos dizer por que eles sequestraram você?

-Eu não consigo pensar em nenhum motivo também - eu digo com sinceridade.

Eu olho para ele, para ver se reconheço ele de algum lugar. Mas nunca vi ele em minha vida. – Mike, você me reconhece de algum lugar?

- Eu acho que não.

- Somos dois desconhecidos estranhos e inocentes. Eu acho que é apenas coincidência. Mas para quê?

Eu olho em volta o tanto quanto eu posso. O teto é alto e eu não consigo ver nenhuma parede. Existe um foco de luz de alta sobre a cabeça nos iluminando. Todos os meus dedos podem sentir são as bordas do braço. Eu não posso ouvir nada além da minha própria respiração e as tentativas de movimentos de meu novo companheiro. Porquê motivos estamos aqui? É alguma espécie de tortura?

Algum psicótico nos trouxe aqui? Seja qual for a resposta, eu prevejo que isso não vai acabar bem. Espero que eu esteja errado.

Eu olho de novo para ele. Ele também está olhando para mim, em pânico, a boca aberta e ofegante.

Eu movo meus braços o máximo que eu posso.

- Parece que tiras ou algo está mantendo meu braço esquerdo e bandas de metal estão em torno de meu braço direito.

-Mas que porra? O que eles estão querendo...

Um barulho alto começou a sair das caixas de som que estava no local. E uma voz retumbante começou a falar.

-----------------------------------------------------------------------

- Boa noite senhores. Eu quero jogar um jogo. Até agora, naquilo que você chamam de vida, confiar nas pessoas foi sempre um grande problema pra vocês. Mike e Chuck Vocês agora fazem parte do meu joguinho. Entre vocês dois há uma mesa. E nessa mesa há uma arma carregada. Daqui alguns minutos o dispositivo que prende o braço direito de vocês ira liberta-los. O primeiro a pegar a arma e matar o outro vai ganhar como prêmio a própria liberdade. O outro será eliminado e você nunca vai ser incomodado novamente. Se nenhum de vocês disparar a arma dentro de cinco minutos após seus braços forem livres, uma corrente elétrica letal será enviado através de suas cadeiras e ira matar os dois, muito dolorosamente na verdade. Que o jogo comece.

--------------------------------------------------------------------

Silêncio. Eu realmente não sei mais como isso pode acabar.

- Que porra é essa, Chuck?

- Eu acho que nós vamos ter que esperar. Talvez eles querem que a gente comece a conhecer o homem que temos que matar.

- Eu não quero matar ninguém! Mas eu com certeza não quero morrer!

- Bem, você prefere me matar ou morrer? Essa é a pergunta importante! A sua vida vale mais a pena que a minha? Você poderá viver sua vida, sabendo que você matou alguém pra continuar vivendo

- Não.... Eu prefiro morrer do que matar alguém, mas eu prefiro viver e sem precisar matar ninguém.

- Eu penso da mesma forma Mike, mas a menos que você acha que possamos desatar o nó em cinco minutos com apenas uma mão ...

Ele ficou em silêncio por um momento, depois começou a sussurrar.

– Não sei? E se conseguisse?

- Certo. Mas como podemos saber se teremos mesmo cinco minutos? Como eu posso confiar em você? Se quando eu estiver quase me soltando, como eu saberei que você não vai com a arma?

- Como eu disse! Eu prefiro morrer do que matar alguém. A melhor escolha que podemos fazer é tentar trabalharmos juntos para sairmos vivos juntos.

- Eu acho que é a única maneira de não nos tornarmos assassinos. - Eu sorrio, mesmo que ele não possa me ver - eu confio em você, você pode confiar em mim também.

Então, esse é o nosso plano, vamos tentar nos libertar e espero que possamos fazê-lo em tempo. Eu não vou tentar pegar a arma e acho que Mike também não ira tentar. Eu começo a bolar uma tática para me soltar. Com um braço livre com certeza será possível soltar o outro braço. E com as duas mãos livres fica mais fácil para soltar o cinto que prende minha cabeça.

- Parece que há três tiras em cada membro, uma na cabeça, um em meus ombros e uma volta da minha cintura.

-São doze tiras no total, cinco minutos é mais que o suficiente.

Vamos esperar.

- Então, você tem uma família Chuck?

- Não, não realmente meus pais estão por perto e eu vejo de vez em quando. Eu tenho apebas alguns amigos, mais nada. E você?

- Eu tenho uma namorada e um filho, e o resto da família. Eu realmente quero voltar a eles. Eu consegui um novo emprego e estou me preparando para comprar minha própria casa. As coisas estavam indo muito bem. Que merda cara! Por que isso tem que acontecer logo agora?

- Por que isso esta acontecendo com a gente? Por que as pessoas gostam tanto de morte?

A vida de alguém como eu contra alguém como ele não parece justo. Eu ainda quero viver apesar de tudo. Eu não quero matá-lo, mas eu não vou me oferecer como um sacrifício para que ele possa viver.

A única coisa que uma pessoa razoável faria é o nosso plano. Nós conversamos por um tempo. Ele me disse sobre onde ele cresceu, o que ele faz para ganhar a vida, como ele conheceu sua namorada, sobre o quão maravilhoso é seu filho. Eu falo sobre algumas coisas, a escola, os amigos, os meus planos na vida. Depois ficamos em silêncio por quase uma hora. Ainda assim, nada aconteceu.

-Ei! Vamos lá! Nós vamos ficar aqui o dia todo?

Nenhuma resposta, apenas o silêncio.

Mike está tremendo, nós dois estamos assustado com o que possa acontecer

- Eu quero ver meu filho novamente. Eu quero sair daqui.

-Mike, apenas relaxe. Pense em como você vai sair daqui, pensar em como livrar o outro braço, a cabeça, o peito, as pernas.

- Tudo bem, tudo bem. Estou bem - Ele não parece bem.

Vamos esperar mais um pouco. Toda vez que eu olho para baixo, Mike parece pior. Eu tento falar com ele, para distrai-lo, mas ele não vai falar de volta. Eu espero um pouco, imaginando nós dois ja livres desse jogo maldito. Ao olhar para ele, parece que eu estive aqui por anos, aqui sentado, olhando para esta mesa. Eventualmente, ele começa a resmungar, mas posso ouvi-lo.

- Não sei se esse plano pode dar certo.Quem nos prendeu aqui poderia estar do lado de fora pronto para nos matar assim que sairmos. Eu nem sei onde estamos. Poderíamos estar no meio do deserto ou na Antártica. Aqui esta tão escuro que poderia haver mais alguém na sala apenas observando e poderia ter escutado o tempo todo e sabem o que pretendemos fazer. Eu nem sei o que está me segurando. Alguém tem que morrer e isso com certeza não serei eu.

-Mike, Mike, Mike foco. Concentre-se em sair. Ninguém tem que morrer. Eu sei disso. Você tem que saber disso também. Doze correias, é só isso. Sairemos vivo ok?

*Clique.*

Contenção é liberada. Eu levanto o meu braço direito para o cinto que está na minha cabeça e começo a tentar me soltar.

Vejo Mike chegar do outro lado da mesa, eu sei que não posso alcança-lo

- Desculpa Chuck, eu tenho uma família. Eu tenho mais para viver do que você!

- Não faça isso! Ainda há tempo! Não volte para sua casa como um assassino!

- Foda-se.

O cinto na minha cabeça é solta, eu olho para baixo rapidamente. Sua mão esta estendia para mim apontando a arma. Então ele atira. Não há balas.

- Cinco anos - eu digo enquanto me levanto, ele fica surpreso ao ver que eu nunca estive amarrado. Eu estendo a mão para o interruptor da matança - Cinco anos com as pessoas mais diferentes possíveis! Mas todos chegam até a arma!



12/10/2015

A Garota

Essa é a história de uma garota. Porém, ela não é como as outras. Ela é, à primeira vista, a garota mais bonita e atraente que você vai conhecer. Ela tem todas as qualidades que um homem pode querer, ela tem um corpo magnífico e uma personalidade encantadora; senso de humor, um bom coração e é extremamente inteligente.

Existe apenas uma maneira de fazer essa garota ser sua, e você deve seguir os passos de forma precisa. Pode parecer simples, mas é muito mais assustador do que qualquer homem anoréxico e alto que você pode encontrar algum dia em uma floresta escura.

Não... Essa garota é diferente. Existem oito passos que você deve seguir precisamente para fazer com que ela seja sua. Tão precisamente que eu aconselho você a ter essas instruções por perto sempre.

Primeiro: Tenha certeza de que é ela. Você não vai querer ficar usando técnicas místicas que achou na internet com uma garota qualquer que era apenas “bonita”. Ela geralmente passeia calmamente nas ruas, parando em frente a floriculturas, ou lojas de bijuterias, mas apenas zombando; no fundo ela sabe que nenhuma possessão material alcançará o valor dela. Essa garota vai aparecer nas formas que citei anteriormente... Ela muda a cada homem (ou mulher) que conhece... Se adequando aos desejos e interesses de cada pessoa que a vê. Até a idade dela vai ser compatível com a sua; a própria Afrodite perderia.
Ela estará vestindo – independente da estação – uma blusa azul e um jeans preto. A roupa não tem marca, e ela também estará usando brincos de diamante e um bracelete com diversas cores estampadas nele.

Segundo: Aproxime-se dela de forma confiante, isso é crucial, e eu não quero dizer isso no sentido de “você vai morrer se não fizer essa porra direito”, mas é possível que ela te dispense.  Todas as mulheres gostam de homens confiantes (não o suficiente para se tornarem idiotas, apenas confiantes), então, ela vai simplesmente te encarar e esperar por suas primeiras palavras. Você deve dizer exatamente isso: “Eu estou atrás da parceira perfeita, você aceita minha proposta?

Se ela aceitar, ela vai apenas responder: “A proposta foi aceita. O iniciamento deve ser feito em [Local que ela escolher], 8 da noite.”

Se ela não quiser, ela vai apenas te rejeitar... E se ela te rejeitar, você nunca mais será capaz de vê-la passeando pelas ruas. Ela vai deixar sua vida completamente, porque apesar de você achar que a escolheu, ela que escolheu você. Então, você passará o resto da sua vida observando outras garotas que nunca chegariam aos pés dela, vivendo uma vida de arrependimento, depressão e autodestruição.

Terceiro (Primeiro encontro): Você deve chegar ao restaurante as 20h00min ou nunca mais irá vê-la novamente. Não se preocupe com reservas ou algo do tipo, tudo estará pronto. Quando você a encontrar, seja calmo, confiante e amigável (não dói tentar se arrumar um pouco...). Não se preocupe com os fatores místicos nesse momento, tudo correrá como se ela fosse uma garota “normal” apesar dos passos seguintes. Seja casual, engraçado e mostre alegria e charme. Se divirta e NÃO A DEIXE TRISTE!

Para mergulhar nesse assunto, apenas pergunte: “Quais elementos desse universo trazem tristeza até sua alma?

Ela vai dizer tudo que a deixa triste, com raiva, ou depressiva. Durante os próximos encontros você precisará saber essas coisas, sinta-se livre para anotá-los enquanto ela fala... É crucial que você não a deixe triste. Se você fizer/fez isso EM ALGUM MOMENTO pule para o final.

Quarto: Você deixará o segundo encontro marcado assim que o primeiro chegar ao final, se isso não aconteceu, você escolheu a garota errada. Faça a mesma coisa que fez no primeiro, se divirta! Você deve ter notado agora que ela parece nunca rir, ela pode até esboçar um sorriso, que na verdade não lembra muito um sorriso também, mas nada sobre isso deve ser dito agora. No final do encontro, ela decide tomar uma atitude, então ela dirá: “Chegou a hora. Se comprometa.” E então sairá de perto como se nada tivesse acontecido. Não a siga. Você deve voltar para onde quer que seja o lugar que você vive o mais rápido possível.

Quando você entrar no local achará um livro e um pequeno frasco com um líquido dentro. Abra o livro. Estará cheio de imagens da garota, e cada foto parece mais e mais triste. Se você olhar de perto pode ver bijuterias coloridas ao lado dela, parecidas com a que ela usava no braço quando você a viu pela primeira vez. No final do livro haverá uma imagem da garota utilizando a mesma roupa que ela usava quando te conheceu, ela não parece nem feliz, nem triste. Apenas neutra.

Abra o frasco e nessa imagem derrame uma gota do liquido no local onde o coração da garota está localizado, e então, derrame uma gota onde o seu coração está. Agora, você deve observar a forma da lua refletindo na sua janela e com um de seus dedos, usar o liquido para criar uma forma real no vidro.

Então, diga: “Eu me comprometo à perfeição, e comprometo a perfeição a mim. Deixe que o vínculo comece...”

Por um momento vai parecer que você foi atingido, fazendo com que caia para trás, e é como se a sua pele estivesse absorvendo cada parte do liquido que descansava ali. Se você olhar para a imagem novamente, perceberá que agora você está do lado dela, fazendo uma pose clichê de casal. Ela ainda vai parecer neutra, mas assim que você completar o passo nº 5, isso mudará.

Quinto: Você vai receber uma ligação em seu celular na mesma semana (se você não tinha um, ficará surpreso ao perceber que tem agora). Ela está te ligando, o contato será salvo com o nome que você quiser e achar mais atrativo, o número dela será apenas “1”. É isso. Ela vai perguntar se você quer que ela vá até sua casa para assistir um filme. Você obviamente responde “sim”.

Quando ela chega você abrirá a porta e encontrará um sorriso; sorriso esse que poderia parar o mundo, derrubar montanhas, fazer o sol desaparecer, queimar a antártica inteira, acabar com civilizações e fazer a paz mundial acontecer ao mesmo tempo. Será o sorriso mais bonito que você verá em toda a sua vida, sua alma se encherá de felicidade, fazendo com que – por um momento – você se sinta intoxicado. Você nem pode evitar o fato de que estava sorrindo de volta e você vai – colocando em termos mais simplórios – amá-la. Eventualmente essas sensações serão interrompidas por duas palavras: “Posso entrar?

Então, você se toca de que ela está lá para assistir um filme, preparando algo para comer antes de começar.

Assim que o filme acaba, ela vai levantar e ir até a porta. Antes que ela saia, pergunte: “O vínculo foi aceito?” Ela vai virar e te encarar, colocando os braços ao redor do seu pescoço e te dando o maior e mais caloroso beijo que você já presenciou ou vai presenciar. Quando ela decidir parar, ela vai partir.

(Pode surtar um pouco agora).

Sexto: Continue com os encontros, esse é o único objetivo agora. Lembre-se: NÃO A DEIXE TRISTE! Isso inclui insinuações sexuais. Até que você complete o passo nº 8, você deve sempre tomar cuidado com o que diz ou faz. Ela vai começar a parecer diferente a cada vez que você a vê; nunca repetindo roupas, nem penteados de cabelo. Ela também nunca vai ficar sem assunto, apenas vá com a maré até que o 30º dia seja completado.

Sétimo: 30º dia. Ao se aproximar do local designado para o próximo encontro, você perceberá algo. A garota que você gostava, agora está infeliz e feia, quase como um cadáver. Os olhos estão arregalados e escuros, quase saltando do rosto. A pele parece derreter em cada parte do seu corpo; ela está cinza e seu cabelo, branco – pelo menos nas partes onde ainda têm cabelo – sua forma está ossuda e ameaçadora, e você deve completar esse encontro como se nada houvesse mudado. Ame-a como se ela estivesse com a mesma aparência, se você deixá-la irritada, pule para a parte final.

Essa é a parte chamada “Verdadeiro Amor”, supere a aparência horrenda e aprecie a beleza novamente até o final do encontro, aí você ficará bem. Quando vocês saírem do local, você deve beijá-la por até três segundos. A pele dela então mudará, revelando a mesma garota que você viu no primeiro encontro, linda e te observando intensamente. Sinta-se livre para beijá-la o quanto você quiser enquanto a lua cheia brilha no céu. (A lua vai estar cheia)

Oitavo: O dia final do teste chegou! Você vai saber disso porque assim que acordar seu coração estará brilhando – literalmente brilhando – através do seu peito. Ela vai te ligar e dizer: “Chegou a hora da avaliação, você está pronto?

Nesse momento, se sua resposta for “Sim” as coisas irão prosseguir. Se sua resposta for “Não” você nunca vai ouvir sobre ela ou vê-la novamente.

Ela vai aparecer na sua casa depois de mais ou menos uma hora, ela vai entrar, e vai andar calmamente até o quarto (Antes que você pergunte, sim, isso é exatamente o que você está pensando).

Apenas a siga, ela vai tirar a roupa e você também, e então, faça o que você tem que fazer.

Assim que vocês “acabarem” o brilho no coração de cada um fará com que vocês durmam, e quando você acordar estará completamente apaixonado pela garota, e ela por você. O efeito pode diminuir um pouco depois do primeiro mês, mas mesmo assim, vocês dois vão ficar para sempre na fase de “Lua de Mel”. Você agora pode dizer o que quiser e fazer o que quiser; você é dela e ela é sua, aproveite sua vida.

SE VOCÊ A DEIXOU TRISTE ANTES DO OITAVO PASSO:

Vá para casa o mais rápido que puder, se você ainda não colocou o liquido na sua pele, a única coisa que você deve fazer é queimar o livro que estará em sua mesa. Se você já usou o liquido, as coisas ficam meio difíceis... Você deve esfaquear a si mesmo no peito, literalmente atingindo seu coração fará com que o vínculo seja quebrado, você também deve queimar o livro de imagens! Mantenha a arma que você utilizar no local do ferimento para evitar que sangre até a morte e ligue para os paramédicos.
Se você não queimar o livro (ou falhar ao tentar atingir seu coração) dentro de uma hora a garota chegará a sua casa. O cabelo dela vai estar completamente negro e gigantesco, assim como suas unhas. Ela não vai usar roupas e vai começar a chorar do lado de fora da sua residência; assim que as lágrimas dela atingirem o chão, elas se tornarão pequenas “lagoas” invadindo sua casa de forma não muito discreta, logo logo as lágrimas indefesas se transformarão em um rio, fazendo com que seus pés parem de tocar o chão e invadindo não somente sua casa mas também seus pulmões. Enquanto a água te consome, seu corpo vai apenas se dissolver, e no momento que você partir por completo, toda a água vai retornar e desaparecer assim que alcançar os pés da garota.


Na próxima vez que alguém tentar encontrar essa garota, ela vai ter outra foto na coleção, e assim, na próxima vez que ele – ou ela – observar o livro de imagens antes de criar o vínculo, haverá mais uma imagem da garota triste com uma bijuteria colorida ao lado dela.