30/06/16

Minha irmã foi assassinada mas não quer calar a boca.

Quando éramos crianças, minha irmã Cassie e eu não sabíamos que éramos diferentes. Como poderíamos? Passávamos o tempo todo dentro de casa. Nossos pais nunca nos deixavam brincar na rua. Diziam que era para nossa proteção. Lembro claramente de meu pai recitando todos os horrores do mundo que aconteciam do outro lado da nossa porta. "Animais viciosos, homens perigosos, doenças mortais." Todo dia ele trazia uma nova razão para não nos aventurarmos fora das paredes de nossa casa. Entendi a verdade muito mais tarde; eles tinham vergonha da gente. 

Cassie e eu éramos muito próximas, tanto metaforicamente quanto literalmente. Passávamos todo o tempo juntas. Eu li que irmãos gêmeos geralmente são assim, mas éramos além. Acordávamos no mesmo horário e fechávamos nossos olhos para dormir no mesmo momento. Com frequência tínhamos o mesmo sonho. Líamos livros juntas (ela lia as páginas da esquerda, eu da direita). Nossos pais diziam que éramos juntas além do normal. Isso não fazia nenhum sentido para nós naquela época. 

Quando brincávamos, juntávamos dois brinquedos juntos pela cabeça, usando fita adesiva transparente por cima dos rostos. Mas ainda usávamos o brinquedo juntas - Cassie movimentando as pernas da esquerda e eu as da direita. Logo, todos nossos brinquedos estavam conectados em pares. O porquinho de pelúcia estava grudado ao jacaré. A boneca chinesa junta com o dinossauro de plástico. Cassie e eu até fomos longe demais quando grudando nossos travesseiros juntos. "Para que eles não se sintam solitário," falei para nossa mãe que ficou chocada. 

Fora a nossa ligação, Cassie e eu eu éramos muito diferentes. Eu não tinha problemas em aceitar e seguir as regras de nossos pais, mesmo essas sendo abundantes. Cassie, por outro lado, odiava as regras. Mesmo as pequenas, como ter que escovar os dentes antes de ir para a cama a deixavam muito brava. Eu gostava dos vestidos que mamãe fazia para mim, mas Cassie os rasgava com os dentes. Cassie era não-verbal, também. Não que fosse sua culpa. Ela só não conseguia movimentar a boca do jeito que todos podemos. Isso não significa que não nos comunicávamos. Na verdade, eu e ela conversávamos constantemente. Sempre pela mente.

Eca, eu odeio banana, ela falava enquanto nossa mãe nos servia café da manhã.

Cala a boca, Cassie. Eu me virava para mamãe, sorria e dizia "Obrigada pelo café da manhã!"

Cassie rosnava por entre sua respiração. Você é uma puxa-saco. Somos prisioneiras aqui e você os trata como Deuses. 

São nossos pais! Mamãe podia notar que estávamos discutindo em nossa cabeça. Mas nunca comentava sobre. Acho que não tinha vontade de saber o que rolava entre nós duas.  

Quando éramos novas, notei que eu e Cassie não nos parecíamos com as crianças nos livros ilustrados. As crianças eram sozinhas. Mas eu e Cassie estávamos sempre juntas. Perguntei sobre para papai e ele falou que tínhamos nascido com uma patologia. "Vocês estão doentes," disse severamente. "Mas os médicos não podem separar vocês. Iria matá-la."

Ele adoraria me ver morta, Cassie sussurrou na nossa mente. 

Claro que não! Ele te ama!

Mas ele não amava. Eu sabia disso em segredo. Nossos pais não faziam questão de esconder o fato que me favoreciam. Viam Cassie como um peso morto. E enquanto íamos envelhecendo, tenho que admitir que comecei a entender a opinião deles. Ela era difícil de lidar. Estava sempre chateada com alguma coisa. Além do mais, ela era o motivo de eu não puder sair de casa ou ter amigos.

Quando fizemos 12 anos, nossos pais começaram a nos deixar a usar o computador. Supostamente, só podíamos estudar nele, mas quando ficávamos sozinhas, sempre tentávamos usar o google para nos achar. "Gêmeas que compartilham cérebro." O primeiro artigo era sobre gêmeos que haviam devorado um ao outro dentro do útero. Claramente isso não era relevante. O segundo era sobre gêmeos Siameses. Pulamos esse porque nós éramos americanas, óbvio. Então chegamos ao terceiro, o qual acompanhava uma foto – duas mulheres adultas que compartilhavam a mesma cabeça. Uma era grande e outra pequena. Parecia um pouco comigo e com Cassie. O artigo mencionava-as como "gêmeas xifópagas". Dizia que, apesar delas quererem se separar, os médicos achavam arriscado demais.

Somos nós, falei para ela.

Por que alguém ia querer se separar? Me respondeu.

Talvez para se parecerem com pessoas normais. 

Eu prefiro muito mais ficar com você do que parecer normal. 

Eu fiz uma pausa antes de falar, eu também, Cassie. 

Mas isso foi antes do assassinato de Cassie.

Ela morreu sufocada. Tínhamos quatorze anos. Eu soube o momento exato em que ela parou de respirar. Senti um arrepio correndo por todo meu corpo como se algo estivesse se rastejando por de baixo dos meus nervos. Comecei a gritar. Eu não queria, mas a reação foi involuntária. Talvez fosse Cassie gritando por mim. Minha mãe apareceu no quarto no mesmo instante, como se já estivesse lá dentro. Meu pai logo atrás. 

Eles nos levaram... me levaram para o hospital as pressas. Foi a primeira vez que senti a brisa da noite em meu rosto. Todo e qualquer medo de sair para a rua evaporou. Era a liberdade. Vi homens e mulheres de diferentes raças. Eles se juntaram em minha volta, me olhando como animais selvagens. Não me importei. Era uma benção. Eu até tinha esquecido do corpo morto de minha irmã pendurado em mim. 

Ninguém tentou ressuscitar Cassie. Mesmo que eu já soubesse que ela estava morta, não houve tentativas para salvar sua vida. A única coisa que o médico fez foi me preparar para a cirurgia. Papai e mamãe acariciavam meu cabelo. Falaram que me amavam, que logo isso tudo acabaria, que os médicos iram remover o tumor.

O tumor era minha irmã.

Acordei algum tempo depois com a sensação mais estranha de peso aliviado. Meus olhos mal estavam abertos, mas pude ver meus pais adormecidos em um sofá próximo. Eu estava conectada a diversas máquinas. Olhei para o lado e percebi que estava sozinha. A sensação conhecida do corpo de Cassie ao meu lado não existia mais. Logicamente, eu sabia o que tinha acontecido. Cassie morreu, então eles a removeram de mim. Mas o choque de não a ter do meu lado fez com que meu coração disparasse. A coisa que eu mais queria, que desejara em silêncio, era aterrorizante.

Me recostei de volta e mexi a cabeça de um lado para o outro. Era tão estranho poder me mover livremente. Não havia um corpo extra para me atrapalhar. Devaneei sobre onde estaria o cadáver dela. Será que ela estava sozinha? Será que eu estava sozinha? Estiquei minha mão e hesitantemente toquei o curativo em cima da carne que antes me conectava com Cassie. Lo seu lugar havia uma enorme cicatriz e vários pontos. Tudo que sobrou da minha irmã fora o vazio.

Não parecia real. Eu só estava consciente faziam poucos minutos e o pânico já tomava conta de mim. Aquilo tinha sido um erro. O que aconteceu com Cassie? Onde ela estava? Eu precisava dela. Desesperadamente, sussurrei: "Cassie? Você está aí?"

Um minuto se passou. Silêncio.

Então uma  onde de gritos tomaram conta do meu cérebro. Era a voz de Cassie, incendiando minha mente com gritos horripilantes. Meus olhos ficaram arregalados. A voz de Cassie começou a falar entre os gritos, Eles me mataram! Eles me mataram! Eles me mataram!

"Cala a boca!" Eu gritei. Meus pais se acordaram. Só então percebi que tinha falado em voz alta. Eles vieram em minha direção, tentando acalmar meus medos. Mas enquanto isso, Cassie me atormentava. Eles me assassinaram! 

Tentei não responder a voz. Mas não importava. Cassie não ligava se eu respondia ou não. Por dias a fio ela ficou apenas lamentando sua morte. Enquanto os médicos me ensinavam a levantar e andar sem Cassie, ela continuava a falar sem parar. Eu fingia que tudo estava bem, mas a voz estava acabando com minha sanidade mental. Eu não conseguia dormir. Toda vez que eu fechava os olhos ela começava novamente, Foram eles. Nossos pais malditos. Eles colocaram um travesseiro na minha cara e me mataram. 

Não contei para ninguém sobre a voz. Quem entenderia? Logo recebi alta para ir para casa. Meus pais tinham dado um jeito para eu começar a ir à escola normal. Compraram uma peruca para eu cobrir a cicatriz desfigurada. Todas as portas agora estavam destrancadas para mim. Não havia mais necessidade de me esconder. Eu devia me sentir nos céus, mas ao invés disso a voz da minha irmã continuava a me assombrar. Morta. Estou morta. Eles me mataram. 

Meses se passaram com a mesma existência agonizante. Eu perdi peso. Dormia muito pouco. Nada me trazia felicidade. Cassie estava lentamente me deixando louca. Não sabia se era minha imaginação ou se Cassie realmente estava de certa forma viva no meu cérebro, mas um dia decidi que já era o suficiente. Eu não podia mais aguentar aquilo. 

Eles me mataram. Nossos pais me assassinaram, Cassie gemia nos meus tímpanos. 

Eu respirei fundo e disse, "Cassie, você tem que parar." Coloque minha mão sobre a boca. Eu não tinha falado na minha mente. Só em voz alta. Tentei de novo, "Pare, Cassie." Desesperadamente, enfiei a mão na boca para tentar não falar em voz alta. Mas nada aconteceu. Minha habilidade de falar com minha irmã pela mente tinha morrido junto com ela.

Eu me rastejei até um canto do meu quarto, colocando os braços sobre a cabeça. Comecei a chorar. Ondas de terror e tristeza corriam pelo meu corpo. Cassie continuava a gritar e gritar. Nossos pais são mostros terríveis. Eles me assassinaram para terem uma filha normal. Eles me sufocaram com um travesseiro. Eles- 

"ELES NÃO TE MATARAM! EU MATEI!" Berrei. A voz de Cassie parou de repente. Minhas lágrimas escorriam pelas bochechas. Com um sussurro, continuei, "Eu não podia viver mais daquele jeito. Eu queria ser normal." Eu ainda podia sentir o peso do travesseiro que coloquei no rosto de Cassie. Eu lembrava de seus gemidos, apelos por ajuda. Eu ainda podia sentir as mãos dela procurando por mim. 

Então algo mudou. Me senti tonta e olhei para o meu próprio corpo. Parecia que eu estava flutuando para longe de mim mesma. Meu ser começou a diminuir. Senti meus braços e pernas sendo repuxados, depois meu torso e finalmente eu estava de volta no meu cérebro. Eu era uma bolinha escondida em algum lugar profundo da minha mente. Meu braço se levantou lentamente. Meu braço? O braço dela?

Minha voz soou em voz alta, mas não era eu que falava. "Finalmente você admitiu."

Aterrorizada, tentei falar, O que está acontecendo? Mas era apenas na minha mente. Nossa mente?

"Só porque você matou meu corpo não quer dizer que não compartilhamos mais o mesmo cérebro." Minha voz saiu rouca. "Eu estava esperando você fazer isso. Sabia que faria. Você é igualzinha nossos pais. Monstros nojentos e sujos. Mas eu sempre fui mais forte e mais esperta que você. Você matou meu corpo, mas quem tem controle sobre o cérebro sou eu."

Cassie fez meu corpo se levantar, fazendo meus membros tremerem. Desesperadamente tentei tomar o controle, mas estava certa – ela era mais forte que eu. "É estranho poder falar," ela falou em voz alta. "Estou gostando muito mais do que achei que gostaria."

O que você vai fazer?

"Eu vou me tornar você. A mais bonita, a desejada por nossos pais. E então eu vou matá-los. Talvez eu costure as cabeças deles bem juntinhas. Lembra quando odiavam quando fazíamos isso com nossos brinquedos? E a melhor parte é que eu ainda vou ter você, presa no fundo do meu cérebro." Ela riu. "Eu sempre falei que nunca iriamos nos separar." 

Isso foi há sete anos atrás. Nossos pais já estão mortos a muito tempo. Ela nunca cumpriu a promessa de costurar a cabeça deles. Ao invés disso, usou nossos travesseiros colados para sufocar os dois de uma vez só. Eu tive que assistir, sem poder fazer nada. Eram minhas mãos cobrindo suas bocas, assim como fiz com Cassie.

Você deve estar se perguntando o motivo dela ter deixado eu escrever isso. Esse texto é minha confissão. Uma das formas que arranjou para me atormentar. Cassie permite que eu tenha alguns minutos controlando o corpo, me dando um gostinho da liberdade antes de tirar de mim novamente. 

Eu devia ter desconfiado que nunca conseguiria me livrar dela. Ela é uma parte de mim. E agora estou presa. Para sempre.

Eu queria nunca ter assassinado minha irmã. Mas ela parece feliz que o fiz.


-

Se gostou desse conto,  comente, só assim saberemos se vocês estão gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião! Obrigada!

KEEP CREEPYING!


48 comentários:

  1. Nossa! Uma das melhores creepys que já li! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito, ótima história.

    ResponderExcluir
  3. Lembrou muito a quarta temporada de american horror story,muito bom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo spoiler. Agora vai se foder.

      Excluir
    2. Apesar de não achar a violência acima recitada exemplar, acho extremamente válido ressaltar que este é um blog de terror, com leitores interessados em mídias de horror, apesar de muitos não terem todo o tempo do mundo para assistir as tão aclamadas séries em dia. Deveria aconselhar que, no minimo, coloque um alerta de spoiler no começo de seu texto, para que não haja mais confusão. Grato desde já,


      Dr. V. Ayce Folder.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. "Nem é tanto spoiler assim (...) no primeiro episódio..."
      Cara Vendedora de Burrice, E QUEM NÃO ASSISTIU A PORRA DO PRIMEIRO EPISÓDIO? Sério mesmo que você ignorou a existência de quem tem mais o que fazer e não teve tempo de assistir sequer o primeiro? Acorda.

      Excluir
    5. Creio que houvera um equivoco no real significado do termo popular "spoiler", e aqui vai o resultado de minhas enfadonhas pesquisas:
      "Spoiler é quando algum site ou alguém revela fatos a respeito do conteúdo de determinado livro, filme, série ou jogo. O termo vem do inglês, mais precisamente está relacionado ao verbo “To Spoil”, que significa estragar. Numa tradução livre, spoiler faz referência ao famoso termo “estraga-prazeres”."
      Em suma, spoiler é qualquer fato revelado, e mesmo havendo violência verbal em demasia para o meu refinado gosto, concordo que o "estraga prazeres" não tenha tido a atitude certa. Seu comentário se iguala ao resultado de uma digestão. Tão consistente quanto. Desejo-lhes um bom dia, uma boa tarde e uma boa noite. Carecidamente,

      Dr. V. Ayce Folder.

      Excluir
    6. Mas que palhaçada. Não teve nenhum "spoiler", porque, no primeiro episódio da temporada (que não tem ligação nenhuma com as outras temporadas) já aparecem as gêmeas. E como o carinha ali em cima disse, se a pessoa tem tanta coisa pra fazer assim e não assistiu o primeiro episódio, a droga do problema é dela. Logo, para quem assistiu pelo menos dois episódios da temporada, não tem merda de spoiler nenhum. Reclamar do meu comentário porque eu disse que tem gêmeas siamesas na série é quase a mesma coisa que reclamar porque alguém disse que um certo ator participa do elenco de uma série. Me poupe, se poupe, nos poupe.

      Excluir
    7. Um spoiler seria se eu dissesse: A história é a mesma apresentada na quarta temporada de American horror story.

      Excluir
    8. xinga a mina so porque ela falou a verdade kk
      sinceramente cara NINGUEM LIGA se vc assistiu ou nao a porra da série. Chega de mimimi, o cara so disse que LEMBRAVA a quarta temporada de ahs. LEMBRAVA. Pra vc isso é spoiler seu anta?
      Para de xingar as pessoas na internet e procura algo para fazer. Termine de assistir a serie e para de falar bosta.
      Obrigado.

      Excluir
    9. Para de xingar as pessoas na internet sem razão nenhuma*
      Opa, agora sim.

      Excluir
    10. Não era spoiler se tivesse assistido ao menos o primeiro episódio. Logo, SE EU NÃO ASSISTI, É. Deixa de ser burro, se contradiz no próprio comentário.
      E pau no seu cu, agora é proibido ler comentário porque tem babaca que dá spoiler e o problema é meu. Sério, faz cagada e ainda quer se achar certinho. Cresce um pouquinho.
      É meu direito achar ruim ter spoiler SIM. E você foi babaca de dar spoiler SIM. O mimimi é seu, porque não pode nem reclamar da sua cagada que já vem cheio de falsa moral.
      "Um spoiler seria se (...)" dica: você é a pior pessoa pra dizer o que é spoiler ou não. Quem caralhos disse que eu queria saber se tinha gêmeas siamesas ou se algum ator estaria lá? Perdeu a graça e a merda da culpa é sua. Assume e sai dos doze anos, tá tarde.
      E por favor, digita direito. Sua burrice é dolorosa.

      Excluir
    11. Olha, dar spoiler não é legal, mas não concordo com esse anônimo dizendo que não assistiu o primeiro episódio, e por isso xinga na internet como um tolo. Diz para o outro 'sair dos doze anos' mas, francamente, você é quem está parecendo criança aqui. Não acho que saber se tem ou não gêmeas siamesas na série vá afetar o resto da temporada. Errou quando foi grosseiro dizendo para o anônimo que 'deu o spoiler' para ele, ah, sinceramente não acho que eu deva repetir. Perdeu a única migalha de razão que você tinha. Levou spoiler? Ok, vida que segue, você não vai morrer por causa disso. Cansei de levar spoilers em comentários de páginas/sites sobre a série que eu assistia, e eram bem piores que saber que têm gêmeas siamesas na série.
      Hey, mas não é melhor parar por aqui?
      Acabou.
      Acondelho aos adms do site excluirem esses comentários e acabar com essa discussão desnecessária. :3
      Boa sorte para quem está começando American Horror Story, é uma ótima série.
      E boa noite. ^^

      Jade.

      Excluir
    12. Aconselho*
      Ah, gente, meu corretor não é dos melhores. Espero que não venham me chamar de burra por conta disso.

      Jade.

      Excluir
    13. Assisti quase todas as temps de ahs, exceto a primeira e a quarta (e pretendo assistir), e esse "spoiler" não me afetou de forma alguma. E olha que eu sou dessas que perde a vontade de assistir algo depois de tomar spoiler.
      Pelo contrário, só me animou mais, já que a creepy é muito boa e se lembra a 4a temp, esta deve ser ainda melhor.
      Pare com o mimimi.

      Excluir
    14. As próprias páginas com conteúdo de séries falam sobre elas depois de muito tempo da estréia, faz mais de um ano que saiu a quarta temporada e CLARAMENTE dá pra ver em todas as midias mesmo antes do primeiro episódio que haviam gêmeas siamesas, a pessoa a cima comentou que parecia AHS por causa das gêmeas obviamente.É normal fazer um comentário desses depois de anos que a temporada terminou, quem não teve tempo de assistir e tá nervosinho após saber que existem gêmeas siamesas na série infelizmente foda se.

      Excluir
    15. Primeiramente, desejo-lhes um bom, estupefato e fabuloso dia.
      Creio que as discussões não acabaram em minha síntese sobre a definição de spoiler. Curioso, tendo em vista que, de fato, saber que um ator X faria personagem Y certa vez já estragara minha surpresa em um dos seriados que acompanho. Queria eu ter tido a surpresa em ver sua divina atuação; sua majestosa primeira aparição, sem que meus prazeres tivessem sido estragados. Meus caros, é de entristecer que os comentários acima regurgitados não contassem que muitos tem a vontade de assistir sem saber de nenhum fato, esperando apenas a oportunidade de assistir à tal obra. Quando os citados sites entregam spoilers à seus leitores, existe um aviso, para que os desinteressados possam evitar a maldição que é recebe-los. Assim como não é novidade para ninguém saber que existem pessoas que, de fato, esperam o fim de uma série para assisti-la. É a explicação para que, ainda hoje, pessoas tomem tempo de sua vida para se entreter com Lost. Creio que as ofensas não tenham sido proclamadas por conta do fato divulgado, mas sim pela falta de aviso por parte de seu autor. Peço francamente que todos façam as pazes e se unam contra esta violência toda provocada por comentários tão baixos quanto o orifício mais sujo de seus corpos. Por favor, limpem-os. Façam de seus corpos seus próprios templos e respeitem ao templo dos outros.
      Com carinho e desprezo aos meus leitores,

      Dr. V. Ayce Folder.

      Excluir
    16. "E por favor, digita direito. Sua burrice é dolorosa." Qual a necessidade disso?
      "É proibido ler comentário..." Quem disse isso?
      Seja sincero. Qual é a necessidade de sair sendo grosso com todo mundo, mesmo na internet? Se é inaceitável tratar as pessoas que nem lixo pessoalmente, qual é a força que você tem na internet para tratar as pessoas assim?
      No meu ver, quem deve crescer é o tipo de pessoa que faz tempestade no copo d'água e ainda é grosseiro com a pessoa no meio da tempestade.
      No meu comentário, não tive intenção de dar spoiler. Se eu considerasse o meu comentário um spoiler, eu teria avisado que estava dando spoiler. Não vejo graça NENHUMA em contar o enredo de uma série para """"""estragar"""""" uma vida. Para quem considerou um spoiler, um grande spoiler ou sei lá, minhas sinceras desculpas. :)
      (Como uma pessoa disse ali em cima, dá para ver em todas as mídias. Não esperava que alguém fosse considerar a informação um spoiler, né. )

      Excluir
    17. Galera, no poster tem uma gemea siamesa, no trailer da serie, na chamada da temporada, até quem não assistiu poderia fazer uma referência a série, também não acho que foi spoiler, já que nenhum conteúdo além do trailer e posteres foram revelados.

      Excluir
    18. não foi spoiler de forma alguma. essa temporada inclusive nem é a mais atual da série, se você não teve tempo de assistir pelo menos o primeiro episódio até agora, também não tem direito nenhum de vir aqui xingando e sendo ignorante dizendo que recebeu spoiler. alguém que curte mesmo a série ao ponto de se rasgar por um "spoiler" já teria visto pelo menos o começo da temporada e você não se encaixa nesse grupo, portanto, fica caladinho aí e ao invés de reclamar na internet abre o netflix e vai ver a temporada.

      Excluir
  4. A melhor creepy que já li. Parabéns. Tragam mais dessas.

    ResponderExcluir
  5. Wow, muito boa! Esse autor é muito bom, na verdade. Esse e o cara do "Unsettling Stories", já li alguns contos dele aqui. Porque não traduzem "Runners"? É uma série espetacular desse blog que citei. Quem quiser ler direto no Tumblr, vale MUITO à pena.

    Keep creepying!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a autora é sensacional! Sou muito fã dela, ela que escreveu Os 1%, que pra mim é a melhor série que jpa traduzi. Vou procurar essa Runners, obrigada pela dica.

      Excluir
    2. Não sabia que ezMisery era uma menina! Haha

      Link para "Runners": http://unsettlingstories.com/beforeduringafter

      Excluir
    3. Por muito tempo também não sabia, mas daí entrei no facebook dela e vi uma foto dela! É uma moça muito talentosa para o terror.

      Excluir
    4. CaRaCoOoO, é enorme a série!

      Excluir
    5. IMENSA! mas nem dá vontade de parar de ler!

      Excluir
  6. Legal. Mas se elas tinham dois cérebros a creepy não faz sentindo, já que o corpo dela foi retirado, logo o cérebro foi junto, Não faz nenhum sentido elas compartilharem o mesmo cérebro já que cada uma tinha o seu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se vc sabe mas as mentes de gemeos siameses são compartilhadas são 2 cérebros mas uma tem o controle com o outro

      Excluir
  7. Isso me faz pensar que mesmo que uma pessoa (com problema mental ou nao) fala de jeito estranho e meio q sem sentido, a mente dela nao trabalha do mesmo jeito que a boca.

    ResponderExcluir
  8. Essa provavelmente foi a segunda melhor Creepy que li aqui no site !!! Mds sensacionál !!!
    Mais eu concordo com oq uma pessoa ali em cima disse,cada uma tinha o seu cérebro,até a imagem no final da Creepy revela isso.Então realmente ñ tinha como a Cassie controlar a irmã,de certo modo...
    Mais a Creepy é fantástica !

    ResponderExcluir
  9. Essa é, como alguns já disseram, uma das melhores creepys que eu já li. Me fez sentir diversas emoções no decorrer da história. Simplesmente extraordinária.

    ResponderExcluir
  10. Achei um bom conto mas para creepy achei fraca.

    ResponderExcluir
  11. Gente, ou vocês lêem a creepypasta ou vocês vêem a imagem no final. Pois se se vocês não têm discernimento pra fazer os dois, vão passar vergonha nos comentários. Em nenhum momento na creepypasta é citado que elas têm duas cabeças, e sim que as cabeças são coladas como uma só, diz que dividem o mesmo cérebro. A imagem do final é "meramente ilustrativa".
    Não falem que não há sentido se vocês não prestaram atenção na própria leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OBRIGADA! Acho que vou ter que começar a colocar "imagens meramente ilustrativas" para ilustrar meus post hehehe

      Excluir
  12. umas das melhores creepys q ja li aqui

    ResponderExcluir
  13. Caraleo, já vi inúmeros erros de português no blog, mas "para mim cobrir" foi um dos piores! Desde quando "mim" conjuga verbo? Creepypasta Brasil, sempre reinventando a língua portuguesa...

    ResponderExcluir
  14. Sem falar no "a sete anos atrás". Não é "a", mas "há". E utiliza-se o "há" ou o "atrás" em uma só frase, ambos é redundância.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anônimos. Como já expliquei aqui algumas vezes, não temos uma pessoa especifica para fazer a correção das nossas traduções. Eu leio e releio o que eu traduzo umas 3 ou 4 vezes SEMPRE, mas acabo por deixar um errinho aqui e outro ali. Tenho que lembrar que nossa equipe não é composta por tradutores profissionais e que também não ganhamos nada para fazer isso. Estamos aqui por puro prazer de entreter nossos leitores. Espero que entendam.

      Excluir
    2. Concordo totalmente. É claro que a Creepypasta Brasil procura trazer o melhor pra nós, e todos sabem que não são obrigados a fazer isso. Acho que alguns errinhos não acabam com a qualidade da creepy e muito menos com o trabalho maravilhoso de vocês.
      A propósito, me sinto muito grata pelo que vocês fazem por nós, meros leitores (alguns anônimos) do Creepypasta Brasil. Vocês são muito bons <3

      Excluir
  15. Uma boa creepy, não é faz meu estilo pessoal de creepy mas é bem boa

    ResponderExcluir
  16. Melhor Creepy,não leio uma assim faz tempo!

    ResponderExcluir
  17. Melhor Creepy,não leio uma assim faz tempo!

    ResponderExcluir