04/07/16

Ansiedade & Depressão

Caso não tenha reparado, existe um estigma contra homens que tem acesso a serviços de saúde mental. Sempre me falaram para engolir o choro e parar de ser melancólico. Nem quanto eu tinha oito anos meus pais tinham piedade sobre minha tristeza. Ambos são chineses. Como todos pais tradicionais chineses, não acreditam em terapia. Só queriam que eu me tornasse mais forte.  

Mas tudo que eu sentia era fraqueza. 

Não tenho certeza quando comecei a tornar meus sentimentos em amigos imaginários, mas também não lembro de um tempo em que não existiam. Seus nomes são Ansiedade e Depressão. Acho que eu os culpo por todos meus problemas. Quando recebo suas visitas, sei que as coisas vão ir de mal a pior. Posso estar em um lugar lotado e eles me darão um ataque de pânico que tomará conta de todo meu corpo. A noite dormem em cima de mim, comprimindo meu peito e dificultando minha respiração. Me seguem para todo e qualquer lugar, sem qualquer remorso. Na verdade, me assombram. 

Ansiedade é um homem alto, magro e sem braços. Ele sempre está completamente nu, com pequenos dedos brotando de sua pele.  Ficam se mexendo como vermezinhos. Suas bochechas caem como sacos de areia em seu rosto, como orelhas de Bassets. Espalha bolhas de baba e bolas de catarro por todos os lados. Quando não está babando, ele sussurra coisas para mim. Sempre sussurrando. "Seus pais te odeiam." "Você nunca vai ser ninguém na vida." "Você morrerá em breve." Surpreendentemente, sua voz parece com o inglês bruto de meu pai. As coisas que saem de sua boca são horríveis, mas é quando me toca que fica insuportável. Os pequenos dedos de sua pele tocam a minha parecendo milhares de pés de centopéias. Eu me encolho e me arranho. Minha mãe acabou descobrindo longos cortes em meus braços. Tentei explicar que era culpa do Ansiedade, mas ela só me acusou de estar querendo chamar atenção. 

A Depressão é muito diferente.Parece uma mulher normal na metade de seu corpo, mas a outra metade está completamente derretida. Há uma ferida aberta em seu crânio que constantemente sangra e derrama poças de pus esverdeado. Ao invés de lágrimas, ela chora dentes de leite nas dobras de sua própria pele. Ela gosta de usar seu braço bom para empurrar meus ombros para baixo. O seu peso me faz ficar meio curvado para frente. Não fala em palavras, ao invés disso, geme vagarosamente como o pio de uma coruja. Ouço-a o tempo todo. Esse som penoso faz meu coração doer. Não consigo dormir por causa do barulho, mas também não consigo sair da cama por que ela sempre está me pressionando para baixo. 

Sei que, logicamente, eles não são reais de um jeito tradicional. São fragmentos da minha imaginação. Mas o impacto que me causam é inegável. Eles trabalham juntos para tornam minha vida a mais difícil possível. Eu não tinha ninguém, a não ser os dois. 

Pelo menos era assim até hoje de manhã. 

Acordei e Depressão estava dormindo sobre meu peito. Sua ferida nojenta da cabeça estava esparramando pus na minha boca. Tentei falar, pedir ajuda, mas minha bílis me manteve em silêncio. Ansiedade se levantou do chão. Passou seus terríveis dedos nos meus braços. Eu mal conseguia respirar. Ansiedade deu um sorriso e tossiu, jogando baba no meu rosto. 

Ouvi as batidas na porta. Depressão e Ansiedade enrijeceram, me soltando por alguns segundos. A voz de minha irmã, Kim, soou pelo corredor. "Levante-se. Mamãe disse que tenho que te levar de carro para a escola."

Tentei falar, mas o amargo da Depressão ainda estava trancada na minha garganta. Kim suspirou dramaticamente e abriu a porta violentamente. "Eu disse para levantar!"

Eu gritei quando a vi. Ela deu um passo para trás pelo susto que levou. "Qual a porra do seu problema?!"

Minha irmã estava parada na porta, seu rosto uma mistura de confusão e repulsa. Mas em seu ombro... tinha uma criatura. Era um tipo de esqueleto de pássaro com suas garras cravadas em seu pescoço. A cabeça era uma tigela pútrida de vômito. Dois olhos flutuavam no líquido rançoso, girando em círculos. Kim me encarava, sem perceber a coisa agarrada a ela.

"Kim, o que é isso?!"

"O que é o que?" Apontei para o ombro dela. Ela olhou pareceu não ver nada. "Você é um merda de um psicopata, sabia? Agora levante-se para eu te levar logo para a escola."

A coisa em seu ombro vez um barulho gutural e começou a falar. A som era uma mistura da voz da minha mãe com uma lamúria aguda. "Ele está apontando para a sua gordura. Você é feia, enorme. É uma porca nojenta. Jamais será magra o suficiente." O rosto de Kim ficou mais sombrio.

"Por que essa coisa está falando assim com você?" Remuguei para ela.

Ela olhou para mim como se eu fosse uma barata. "Oficialmente, você ficou louco." Ela se virou e saiu. Ouvi ela entrando no banheiro. 

Fiquei mais alguns minutos deitado na cama. O que eu tinha acabado de ver? Tremendo, me levantei. Talvez Kim estivesse certa - Talvez eu estivesse enlouquecendo de verdade. Isso não me surpreenderia muito. Ansiedade animou-se e sussurrou, "Você sempre foi louco." 

Depressão arrastou seu corpo derretido atrás de mim enquanto eu me vestia. Tentei fingir que eu não tinha acabado de ver aquele demônio grudado em minha irmã. Era cedo, talvez eu estivesse sonhando acordado. Desci as escadas com Ansiedade me empurrando com seus dedinhos. "Se você se atrasar, sua família te odiará mais ainda." 

Meus mais estavam na cozinha. Em suas costas haviam cópias deles mesmo, a única diferença é que estavam enrolados em camisas de força feitas de arame-farpado. As cópias estavam gritando, lutando contra suas amarras. Mas meus pais pareciam não notar. Meu pai estava lendo o jornal. Minha mãe terminando de fazer o café. A cópia dela se jogou contra a geladeira, tentando falar. Areia caiu aos montes de sua boca. 

"Bom dia!" falou alegremente para mim.

Eu estava de boca aberta. Como eles não viam, não ouviam aquelas cópias monstruosas? Kim passou por mim na cozinha. O monstro ainda estava conectado a ela, seu crânio de vômito um pouco maior que antes. Ela pegou as chaves do carro de cima do balcão. "Vamos, psicótico."

Tentei ficar o mais longe possível deles no carro. A coisa do ombro dela não parecia se importar comigo, só continuava a falar com ela. "Porca gorda. Ninguém nunca vai te ama. Sua vaca gorda podre." Kim dirigia em silêncio.

Logo percebi que não era apenas minha família. Todo mundo por quem eu passava tinham neles um ser nojento grudado ou a tiracolo. Demônios cobriam os pedestres. Nenhum era igual, mas todos bastante perturbadores. Um homem tinha um lobo gigante com os dentes cravados em suas costas. Uma mulher estava envolta por uma nuvem negra que tinha diversas mãos tentando agarrá-la. Eu tentei fechar os olhos, mas Ansiedade usava seus dedinhos para manter minhas pálpebras bem abertas.

Chegamos à escola em menos de 10 minutos. Vi meus colegas de classe, colegas que eu conhecia faziam anos, sendo perseguidos por criaturas tenebrosas. Eu não queria sair do carro. Kim estreitou os olhos para mim. "Sério, você está se sentindo bem?"

Olhei para ela. Queria desesperadamente contar o que estava acontecendo. Depressão me deu um soco na boca do estômago. Ansiedade sussurrou "Não sobrecarregue-a. Você não vale o esforço."

"Tô legal,"falei baixinho. Saí do carro e entrei no prédio. 

Não conseguia me concentrar em nada. Tudo que eu via eram esses seres horríveis tormentando meus colegas. Alicia, uma garota que sempre tive uma quedinha, tinha uma língua longa e nojenta pendurada em sua nuca. Lambia o seu cabelo e Alicia ficava mexendo ali. Arrancava um fio individualmente e a língua parava por alguns minutos antes de voltar a lamber. Benny, meu melhor amigo, estava cara a cara com uma versão de seu pai. Exceto que essa versão era pequena, mais ou menos do tamanho de uma maçã, sentado em sua orelha. Gritava em seu ouvido "Seja o garotinho do papai! Não conte para sua mãe. É o nosso segredinho. Um garotinho muito bonzinho." Carrie, a garota mais inteligente da nossa turma, tinha duas cabeça crescendo em seu pescoço. Uma estava adoecida e morrendo, tossindo secreção que parecia do tipo que Depressão tem em seu crânio. A outra estava pegando fogo, rindo histericamente e mordendo-a nas bochechas.

Até meu professor, Sr. Morrin, tinha um demônio. O dele era um boneco de palito com flores negras e mortas crescendo em sua pele de madeira. Uma de suas mãos estava fechada em punho, a outra firmemente agarrada nas genitais do Sr. Morrin. O boneco de palito rangia os dentes e espumava pelas boca. Dizia, "Alicia é uma menina tão inocente. Provavelmente ainda é virgem. Tão pura. Nós poderíamos deflorá-la. Nós poderíamos quebrá-la ao meio." Sr. Morrin continuava a lecionar como se não percebesse. 

Assim que o primeiro período acabou, eu sabia que tinha que sair de lá. Eu saí e fugi pelo campo atrás da escola. Ansiedade e Depressão me seguiam. Eu estava acostumado com eles, eram meus monstros. Mas ver aqueles seres malignos atormentando os outros em minha volta... era demais para mim. 

Fiz uma pausa em uma área arborizada atrás do campo. Era um alívio não ter que ver ninguém. Não ver pessoas significava não ver monstros. Consegui respirar fundo três vezes antes de ouvir barulho de galhos se quebrando atrás de mim. Me virei e vi Gerald Anderson. Gerald estava algumas séries a minha frente. Era conhecido como o maior valentão da escola. Mas nunca tinha me incomodado antes. Eu era quieto demais para que prestassem atenção em mim.

Tranquei minha respiração, me preparando para ver a terrível criatura que viria junto dele. Mas Gerald estava sozinho. Não havia um monstro sequer com ele. Inclinou a cabeça em minha direção, tirando o cigarro dos lábios. "Você é aquele garoto asiático da nona série, né?"

"Hm, sim." Ansiedade rodopiava em minha volta, sussurrando repetidamente. Depressão se recostava em minhas costas. Gerald deu um passo a frente. "Parece que está tendo um dia difícil." 

Eu não fazia ideia do motivo para ele estar falando comigo. Sua voz era monótona, mas me fazia ficar estranhamente calmo. Era a primeira vez em muito tempo que alguém percebia minha dor.

"É." Minha voz falhou. Ansiedade sussurrou, "Você fala como uma bichinha."

"Sabe, as vezes a vida é difícil," Gerald devaneou. "Faz você pensar porquê ainda segue em frente."

Pisquei. "Sim. Eu acho."

Ele continuou, "Tipo, qual o ponto de estar vivo se tudo que recebemos em troca é miséria? Bem, que vocês recebem. Eu não tenho muitas emoções. Meu terapeuta chama de transtorno de personalidade antissocial. Acredita nisso? Eu sou uma pessoa bastante sociável! Estou aqui, conversando com você, certo?"  

Eu não entendia aquela conversa. Mas Ansiedade mexeu meus lábios para mim. "Certo."

Gerald estava perto agora, quase me tocando. "Você devia se matar."

Depressão estava chorando alegremente em meu peito. "Que?"

"De qualquer forma, não há motivos para se estar vivo. Suicídio é a melhor opção. Venho falando isso para as pessoas fazem anos. Fiz Sam se matar em Abril do ano passado, e aposto que ele está muito melhor agora." Gerald passou a mãos nos próprios cabelos. "Você também devia se matar, cara. Você será mais feliz assim também."

Depressão me envolveu com seu corpo derretido. Ela me acariciava com seu corpo coberto de pus. "Você realmente acha que é isso que eu devia fazer?"

"Sim, acho." Ele se esticou e beliscou meu braço. Eu me esquivei. "Você não sentirá mais dor." Deu um passo para trás e riu. "Mas tanto faz, eu não ligo." Me deu as costas e foi andando embora. Fiquei observando-o até ele desaparecer entre os prédios da escola.

Fiz meu caminho a pé para casa. É onde estou agora. Estou sentado no chão do banheiro, digitando isto aqui o mais rápido o possível. Preciso fazer rápido, antes que minha família volte. Acho que eu não conseguiria fazer se eles estivessem aqui.

Depressão ligou a água. A banheira já está cheia. Ansiedade está segurando a lâmina. Ele sussurra, "Faça. Faça. Faça." Depressão está levando meu braço em direção do fio navalha. 

Me perdoem, mas não consigo mais viver com esses monstros. Não consigo viver sabendo que todas as outras pessoas também os tem. Todos menos Gerald. Talvez ele não precise de um monstro.

Tchau. Espero que você consiga manejar os seus melhor do que eu.

-

Fonte: EzMisery 

LEMBRE-SE: As histórias aqui postadas são obras de pura ficção. A equipe Creepypasta Brasil não faz apologia ao suicídio nem a auto-mutilação. Caso você tenha algum sintoma de Ansiedade, Depressão ou outro transtorno psicológico, procure ajuda profissional ou de sua família. Fiquem bem. Fique seguro(a).

Se gostou desse conto,  comente, só assim saberemos se vocês estão gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião! Obrigada!

KEEP CREEPYING!



37 comentários:

  1. O pior tipo de pessoa é aquela que alimenta os demonios alheios.

    ResponderExcluir
  2. MEU DEUS A EZMISERY É DEFINITIVAMENTE INCRÍVEL. Minha autora favorita de creepys, cara, ela mexe com a minha cabeça. Obrigada por traduzir Divina, essa creepy me deu uma nova visão sobre essas doenças horríveis. Mais uma creepy foda.

    ResponderExcluir
  3. Por favor,procurem alguma autora de Creepys melhor que a EZMISERY. Não achou ? Claro que não ! Não existe kkkk ...Já li outras Creepys dela aqui no site.Eu nem sabia que ela era mulher,até eu ver no facebook,eu acho...A série 1% foi dela se não me engano não é ? Enfim,só vim dizer que gostei ! E achei legal a creepy abordar o assunto dos nossos demônios interiores...bem legal,mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deu pra perceber pela quantidade de creepy que eu traduzo dela que eu sou louca pela EzMisery né? Ela é sensacional mesmo.

      Excluir
    2. Tava vendo no Tumblr dela que muitos dos seus contos são rejeitados/banidos do r/nosleep por quebrarem regras de confiabilidade (?), por não terem um plot twist (?????). Uma autora tão boa, achei injustíssimo!

      Excluir
    3. Tava vendo no Tumblr dela que muitos dos seus contos são rejeitados/banidos do r/nosleep por quebrarem regras de confiabilidade (?), por não terem um plot twist (?????). Uma autora tão boa, achei injustíssimo!

      Excluir
  4. Oq eu acabei de ler? É lindo e triste ao mesmo tempo kkkkk
    Amei ç_ç

    ResponderExcluir
  5. show de bola essa creepy ( e nojenta) kkk

    ResponderExcluir
  6. Além de muito boa essa creepy eh uma das únicas que é totalmente real. Convivo con depressão todo dia e ansiedade algumaa vezes e é essa sensação, ainda mais em relação a familia. Sobre o valentão ele n precisa de um monstro por que ele ja é um, não tem empatia, sendo assim não lig para o próximo igual uns e outros por aí que adoram ver as pessoas mal, sejam com palavras,ou com violência .

    ResponderExcluir
  7. Por algum motivo isso me lembrou de ao no exorcism.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você acabou de confessar que tem desejos pedófilos?

      Excluir
    2. Comentários desse tipo não serão aceitos no blog. Que nojo de você.

      Excluir
    3. Que atitude repugnante dizer que tem nojo do outro. Ter desejos pedófilos é tão distúrbio mental como depressão. A diferença é que, se não forem tratados, a pessoa fará mal a pessoas inocentes, e não a si mesmo.

      Excluir
    4. Você REALMENTE está comparando depressão com pedofilia? Simplesmente repugnante, nada lhe descreve melhor. Sabe que o que está dizendo é tão patético que sequer teve coragem de mostrar a cara e cagou pelos dedos de forma anônima. Uma pena não poder ser banido do site, seria menos uma besta pra falar asneira.

      Excluir
  9. Gustavo nasciment95 de julho de 2016 04:22

    Gostei muito da creepy, não some cara kkk, fiquei o mês todo roendo a unha entrando no site todo dia, belo trabalho, espero que continue por muito tempo

    ResponderExcluir
  10. Muito boa creepy, gostei.

    ResponderExcluir
  11. Que creepy fantastica ! Minha mae ja tee/tem depressao, ansiedade e sindrome do panico. Ficou internada varias vezes. É algo terrivel, não é algo bonito (como muiras pessoas romantizam) e definitivamente NAO é frescura, é uma doença. Só quem ja teve ou ja conviveu com alguem que ja teve sabe cimo é ruim. É Terrível :( ainda mais quando se é criança.

    ResponderExcluir
  12. Oi gente , primeiro FORA TEMER
    segundo eu amei a fic
    terceiro : vocês realmente deveriam colocar um aviso de gatilho de depressão no início do post

    ResponderExcluir
  13. Oi, meu nome é stark (anonimo) e vou compartilhar com vocês algumas coisas talvez possam me explicar ou pode ajudar a alguma creepy sla, que eu fui uma criança pertubada todos meu amigos sabem, aconteceram muitas coisas "sobrenaturais" ou algo do tipo pela minha vida toda, vou lhes contar...
    1- eu moro em uma casa de 3 andares meu quarto fica no 2 andar enquanto o restante dos quartos fica no 3 no tempo não tinha porta no meu quarto então o corredor ficava a mostra, lenbro que quase TODOS OS DIAS eu acordava as 2:59 (sempre tive a mania de olhar a hora antes de dormir e quando acordo) eu acordava com algo me cutucando ou coisa do tipo, e então começava a ouvir choro de criança, gritos e palavrão e insultos cada vez mais altos, enquanto eu via "sombras" correndo de um corredor para o outro. Tinha um recipiente em baixo da pia de louça eu entrava la e ficava chorando e gritando tanto que varios e varios minutos depois minha mãe surgia na escuridão e me acalmava
    2- atualmente eu não sonho mais ou apenas não lenbro, talvez seja por causa da insonia que tive com o passar dos anos, quando não ocorria a historia de cima nas minhas noites eu sempre tinha pesadelos brutais sempre envolvendo morte de alguem que eu gostava muito ou amava, lenbro de um que minha "mãe" assasinava brutalmente a minha irmã recêm nascida.. nunca vou esquecer esse sonho por mais que os anos passe, mas o "horripilante" disso é o sonhos que eu tinha com um "homem" grande e corpulento que eu nunca vi o rosto pois usava capuz, certo noite eu sonhei que esse "homem" estava tentando me enforcar e no dia seguinte eu acordei com marcas roxas no pescoço e no braço (na epoca eu não saia de casa) então minha mãe meio que começou a acreditar em mim, ano passado eu acordei com uma marca de mão no onbro estava bem roxo foi meio bizarro mas até então nem liguei
    3- vou contar coisa variadas sobre minha vida, lenbro uma vez que estava tentando dormir (eu durmo virado para a parede) e o lado vazio da cama começou a afundar como se alguem estivesse deitando ao meu lado o assustador é que seja la o que estava no meu lado era mais pesado e grande do que eu porque aquela parte vazia da cama "afundou" mais que a parte que eu estava, nessa noite eu me recusei a virar para o lado e acabei dormindo.... certa vez eu fui levar a minha ex namorada na porta da casa dela e enquanto conversavamos eu vi um homem pelo canto dos olhos mas logo ignorei pois ela tinha muito medo, mas segundos depois eu vi uma mãe preta como um vulto (apenas a mão) tocando o onbro dela eu gelei e no mesmo instante ela abaixo dizendo que alguem tinha tocado o onbro dela e começou a chorar porque não tinha nada la (disse que era muito medrosa) eu nunca contei a ela o que vi mas tbm nunca esqueci.... uns 4 meses atrás fui dormir na casa de um amigo e acordei no meio da noite não consegui ver a hr porque o celular tava descarregado olhei para o meu amigo e vi um cachorro preto deitado nas pernas dele, no momento nem liguei porque ele tem cachorro ai fui deitar minutos depois levantei num pulo lenbrando que o cachorro dele é laranja e estava no outro quarto mas quando olhei ele nâo estava mais la, tem outro da casa desse mesmo amigo tinha uma "banda" e normalmente tinha muitos instrumentos pela casa e as vezes ele saia para ir ao mercado ou comprar cigarros e eu ficava la sozinho lenbro que varias vezes eu botava o violão no na capa e deixava no chão mas sempre qur voltava ao quarto ele estava no meio da cama sem a capa, varios vezes aconteceu isso (sempre que eu estava sozinho ou com alguem la) parece mais uma falha na matrix
    Bom.. pessoal isso é um pouquinho do que aconteceu comigo, sim ja fui em psicologos e outras e coisas e sim sou super saudavel, nenhuma doença, nenhuma alergia um monte de nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caralho o.o eu ja sonhei com um cachorro preto, com olhos de fogo ameaçando me atacar e com uma sombra preta que mais parecia uma rapaz adolescente me perseguindo pela casa, e eu soube que na infancia essa "mesma" sombra brincava comigo. Eu ja não sei dizer se sou saudavel, não fui num psicologo ainda.

      Excluir
  14. Definiu muito bem essas merdas que são a depressão e a ansiedade, não tem nada mais pesado do que carregar os dois no dia a dia. O que mais me cortou o coração foram as partes onde o professor desejava a aluna e o menino guardava "o segredinho" que tinha com o próprio pai.
    Uma das melhores que já vi no blog.

    ResponderExcluir
  15. POR MAIS CREEPYS ASSIM NESSE BLOG. MT BOM. KEEP THE GOOD WORK.

    ResponderExcluir
  16. Eu achei meio q um erro ai tipo na coerencia da historia ele fala que o ansiedade é um homem alto sem braços e uns dedos saindo da pele, ok. Ai mais pra frente ele fala que ele deu um soco na boca do estômago dele,como?, com o braço que ele não tem.

    ResponderExcluir
  17. Melhor
    Creepypasta!

    Uma das melhoresbque eu já li!

    ResponderExcluir
  18. Melhor
    Creepypasta!

    Uma das melhoresbque eu já li!

    ResponderExcluir
  19. Uma das melhores creepypastas que já li em toda minha vida.

    ResponderExcluir
  20. Talvez Gerald não tenha um monstro, mas seja um.

    ResponderExcluir
  21. Gerald era um caçador de monstro.

    ResponderExcluir
  22. Que brilhante! Descreve muito bem como seriam os nossos sentimentos ruins aparentemente. Muito bom! Eu achei bastante real a parte do Gerald. Realmente,existem pessoas que são os próprios monstros e só querem ver o mal dos outros :/ e muitas das vezes conseguem. True history.

    ResponderExcluir
  23. Divina, só corrige aquela partezinha que ele desce e encontra os pais dele na cozinha, tá escrito "meus mais estavam na cozinha"

    ResponderExcluir
  24. Muito bem escrita esse creepy. Realmente quem tem transtorno de personalidade anti social consegue ser um monstro por si só, essa patologia antes era chamada de psicopatia...os nossos queridos psicopatas.
    Meu pai tem esse transtorno e é a pessoa mais egocêntrica e fria que eu conheço. E eles realmente são assim: egoístas, frios. Eles não tem empatia, ou quaisquer sentimentos. Eu tentei suicídio duas vezes. Na primeira me chamou de fraca, na segunda me chamou de idiota, em seguida me chamou pra conversar e disse: "-tomar hipnóticos pra se matar não vai adiantar, você é muito gorda e vai precisar de tomar uma dose muito grande pra sequer entrar en coma. Seria mais eficiente tomar o veneno 'fulano de tal', vende ele ali na avenida, da próxima vez tome ele e acabe com isso de uma vez".

    ResponderExcluir
  25. Gostei muito da creepypasta, principalmente por saber que essa doença é exatamente assim!
    Falo isso porque também convivo com minha Depressão e Ansiedade, e realmente parecem monstros que me perseguem, só espero não ter um final igual ao do rapaz...

    ResponderExcluir