16/09/16

O Homem Alto de Briarbell, Missouri

ESTAMOS COM NOVO URL: ACESSE O SITE AGORA PELO: http://www.creepypastabrasil.com.br/

Nós todos gostávamos do Sr. Winscot. Ele não se importava que usássemos a colina da sua propriedade para escorregar de trenó e, de toda a vizinhança, era o que sempre dava os melhores doces no Halloween. Então quando ouvimos que ele havia sido levando pelo Homem Alto, todos ficamos bastante chateados. 

Provavelmente você nunca ouviu falar do Homem Alto, então deixe-me explicar. É uma lenda da minha cidade que já circula por décadas. Aqueles que dizem que já o viram falam que tem mais de dois metros e meio de altura, é ágil, pálido e com um sorriso super educado no rosto. Meu pai me falou que o Homem Alto é um colecionador; gosta de coisas. Meu pai também falou que sua coisa preferida são pessoas tristes, prédios vazios e sonhos. Tenho que admitir que ele roubou meus sonhos mais do que só algumas vezes. 

Quando o Sr. Winscot não apareceu na igreja no domingo, ninguém achou que era estranho. Então quando já era segunda e ele não apareceu lá no trabalho com meu pai, as pessoas começaram a fofocar. Meus pais acharam estranho, mas não algo de se preocupar. Porém logo os rumores que o Homem Alto tinha o pegado começaram a circular. Um colega da minha sala até disse que tinha visto o Homem Alto na casa do Sr. Winscot pela janela. Contei aos meus pais o que Jake falara, mas só riram. 

Tyler e eu passávamos todos os dias pela propriedade do Sr. Winscot para chegar na casa do nosso amigo Rory. Nunca parávamos lá na frente para tentar ver o Homem Alto pelas janelas, como Jake tinha feito. Nós nem se quer diminuíamos a velocidade. 

Mas um dia ficamos brincando até tarde na casa do Rory. Sendo que não queríamos pedalar no escuro para casa, ligamos para nossos pais e pedimos pra dormir lá. Tyler receber permissão. Eu não. 

Tentei muito não olhar enquanto passava pelo Cul-de-sac do Sr. Winscot. Quase consegui, mas minha curiosidade forçou uma olhadinha por cima do ombro. As luzes estavam todas ligadas e meus olhos foram direcionados para um rosto em uma das janelas. Vi o Homem Alto olhando para mim. Engasguei por causa da minha respiração em pânico e errei o pé no pedal enquanto tentava sair dali o mais rápido possível. Cambaleei por apenas um segundo - meus olhos nunca pararam de olhar o rosto na janela - antes de pedalar o mais rápido que pude para casa. 

Na manhã seguinte na escola, contei para Rory e Tyler sobre o Homem Alto. Não acreditaram em mim, claro, também não tinham acreditado em Jake. Sabia que teria que mostrar para eles para não acharem que eu era um mentiroso. Esperamos escurecer e então fomos pedalando até o Cul-de-sac do Sr. Winscot. O Homem Alto estava lá - como falei que estaria - observando-nos pela janela que ficava acima da porta da frente. Estava quase sorrindo, mas sua expressão trazia um certo desprezo. Tyler caiu de sua bicicleta. 

"Merda! Corram!" Nós corremos. 

Assim que saímos do Cul-de-sac começamos a falar embaralhadamente um por cima da fala do outro por causa do medo. 

"Não acredito que vimos o Homem Alto!"

"Você viu a expressão dele?!"

"Temos que chamar a polícia!"

Fomos lá de novo na manhã seguinte com mais amigos, mas o Homem Alto tinha sumido. Fomos de novo no dia seguinte, mas de novo não havia ninguém na janela. Começamos a achar que o Homem Alto só aparecia a noite. Algumas noites depois, enquanto estávamos sentados no porão de Rory, esperando pelo entregador de pizza, decidimos dar uma escapadinha e ver se nossa teoria estava certa. 

Em silêncio, andamos com nossas bicicletas ao lado pela garagem e pela rua. Pedalamos até a casa do Sr. Winscot, divididos entre desejar que o Homem Alto estivesse lá e ao mesmo tempo que não estivesse. 

Avistamos-o assim que entramos com as bikes no cul-de-sac. Ele ainda estava no mesmo lugar, mas desta vez o Homem Alto estava com o cenho franzido. 

"Ele está bravo," Rory disse. "Ele quer que a gente de o fora." 

"Não entendo porque ele só aparece a noite." Tyler falou enquanto tirava uma foto. 

"Não faça isso!" quase gritei. "Pare de tirar fotos, vai deixar ele ainda mais irritado."

"Talvez ele nos observe durante o dia também." Rory se encolheu. "Talvez nós só conseguimos vê-lo a noite porque é quando as luzes da varanda iluminam a janela." 

Foi um pensamento de arrepiar. Decidimos investigar a teoria de Rory no sábado seguinte, encorajados pela ideia de que o Homem Alto podia somente nos observar, e nunca sair da casa. 

Assim que o sol saiu, pegamos nossas bicicletas e fomos em direção da casa do Sr. Wilscot. Tínhamos que nos aproximar, quase até o começo da garagem, mas Tyler jurou que viu o Homem Alto na janela. 

Apertei os olhos e até fiz um binóculos com as mãos por alguns minutinhos até que Tyler falou "Vamos embora,", subiu em sua bicicleta e foi. Conseguimos alcançá-lo alguns quarteirões depois 

"O que que foi isso?!" perguntei.

"Era o... era o Homem Alto, mas dessa vez ele estava diferente."

"Diferente como?" Rory perguntou.

"Não sei, parecia muito bravo ou só... estranho de algum jeito."

Só vários dias depois conseguimos convencer Tyler a voltar com a gente até a casa do Homem Alto, e mesmo assim ele insistiu de levar ser irmão adolescente, Matt, conosco. Matt não estava nem um pouco impressionado com nossas histórias. Não acreditava na gente, mas veio pelo apelo de Tyler. 

Assim que chegamos perto o suficiente para ver o Homem Alto na janela da porta, Matt desceu de sua bicicleta. Ele observou e espremeu os olhos, depois observou mais um pouco. Ele foi se aproximando, se aproximando muito mais do que tínhamos coragem de ir durante a noite. Seguimos ele nervosamente. 

Matt foi até a entrada da garagem e depois pelo caminho de pedras na frente da varanda. Não nos aventuramos em segui-lo até lá. Então Matt subiu as escadas da varanda, ficando de pé bem na frente da porta.

"Puta... Merda." Disse. E mais alguns palavrões. E de repente ele estava saindo correndo da varanda, vindo em nossa direção na rua onde esperávamos. 

"O que foi?" Tyler perguntou.

"Não existe nenhum Homem Alto." Disse, perdendo a respiração. "Ligue para a polícia. Agora."

E ele estava certo, não tinha nenhum Homem Alto afinal de contas. Ficamos tempo suficiente para ver a polícia derrubar a porta e tirar o cadáver do Sr. Winscot da corda amarrada a estrutura do teto, que havia usado para se enforcar. O corpo foi apodrecendo e "derretendo" com o passar dos dias, os mesmo dias que ficávamos observando-o de longe. O Sr. Winscot não tinha escrito uma carta suicida nem dado tchau a ninguém, deixando para trás só a triste impressão de um homem de meia idade, divorciado que estava triste e sofrendo de uma depressão constante. 

Passaram-se semanas até que a cidade perdesse interesse no trágico suicídio e meses para as crianças pararem de pedir para descrevermos o cadáver e todos os detalhes sórdidos. Eventualmente até Tyler e Rory pararam de falar sobre aquilo. Todo mundo superou. Todo mundo menos eu. 

Veja bem, tem um detalhe que sempre me incomodou, uma coisa que não contei nem para Rory ou Tyler. É sobre a primeira vez que vi o Homem Alto, a vez que eu estava sozinho. É que naquela noite eu vi o Sr. Winscot: ele estava sozinho, sentado em sua mesa de jantar, comendo. Mas vi outra coisa, também. No quarto do andar de cima tinha um homem incrivelmente alto, muito pálido, olhando para mim. E ele estava sorrindo educadamente. 


-

Volto semana que vem com mais contos, Creepers! Bom final de semana!

Esse conto foi traduzido exclusivamente para o site Creepypasta Brasil. Se você vê-lo em outro site do gênero e sem créditos ou fonte, nos avise! Obrigada! Se gostou, comente, só assim saberemos se vocês estão gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião! 


KEEP CREEPYING!

TRADUÇÃO POR: FRANCIS DIVINA


21 comentários:

  1. Crlh esssa foi mt foda!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. eu tô arrepiado até agora, o último trecho fez a história umas 200x mais macabra

    ResponderExcluir
  3. Que creepy foi essa... Muito foda!!!

    ResponderExcluir
  4. Essa creepy me lembra a infância... Quando eu era criança tinha uma casa que dava janela para os fundos da minha, eu e minha prima costumávamos apedrejar a janela... Ninguém morava lá. A casa estava vazia... Quando estava com quase todos os quadrados da janela com vidros quebrados ... Um dia, do nada ...vimos um cara na janela ... Juro por Deus o susto fez doer meu corpo inteiro... Ninguém morava lá a muito tempo não sabia como podia ter alguém la dentro. Ele era de verdade e nos denunciou pro dono do imóvel. Essa história me lembra infância porque e uma fase que fantasiamos muito. A gente vê coisa onde não tem e quando tem a gente não entende

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pirralha, era sim... No interior é muito comum as crianças apedrejarem as coisas ... Não era por maldade era só uma brincadeira pra ver quem tem a melhor mira... Ver alguém na janela e imaginar um fantasma também é muito comum... Fase da bobeira tempos que não voltam mais

      Excluir
  5. Q creepy deliciosa.
    Ah e me fez lembrar do slender man <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que delícia cara! (Jailson Mendes)

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Cara, essa creepy parecia bem simples, aquele tipo slender men e taus, der repente faz a cabeça bater feito um sino, dá um medo vívido e corta a respiração. Melhor creepy, dificil aperecer uma melhor.

    ResponderExcluir
  9. Fiz um vídeo com essa creepy...
    https://youtu.be/01_0M8-kV_g
    Se gostar, comenta, talvez eu continue postando.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir