01/11/16

Com 19 anos eu fiquei 48h em um tanque de privação sensorial

ESTAMOS COM URL NOVO! ACESSE O SITE AGORA PELO LINK HTTP://CREEPYPASTABRASIL.COM.BR
-

Fiquei encarcerado na escuridão total com ninguém para me acompanhar além de meus pensamentos por dois dias inteiros. Do dia 22 até o dia 24 de agosto, fiquei preso no inferno, e nunca esquecerei o que aconteceu naquele tanque.
Mais ou menos um ano antes desses eventos, eu conheci um cara que vou chamar aqui de “X”. X era meu melhor amigo. Durante toda minha adolescência, achei muito difícil fazer amigos. Então quando o conheci no primeiro semestre da faculdade, fiquei emocionado de ter alguém para curtir junto. Nós compartilhávamos do mesmo senso de humor levemente ofensivo (as vezes até de mais), gostávamos dos mesmos jogos, e no geral tínhamos os mesmos interesses. X era como eu. Nunca tinha se dado bem em fazer grandes amizades, então acredito que ambos estávamos felizes em ter finalmente companhia.

Enquanto nossa amizade ia se desenvolvendo, fui convidado para ir em sua casa. Para meu espanto, aparentemente ele era herdeiro de uma fortuna farta. Eu já sabia que era bem de grana desde que o vira dirigir um Nissan GT-R, mas nunca havia percebido o seu nível de riqueza. O apartamento dele tinha pelo menos 8 mil metros quadrados. Era um andar inteiro do prédio. Seus quartos eram recheados com as tecnologias mais avançadas e marcas roupas mais sensacionais que você possa imaginar. Foi nessa época que achei que havia levado o maior prêmio em quesito melhor amigo.

Enquanto nossas aulas na faculdade iam passando, comecei a perceber que havia algo levemente estranho em X. Teve uma época, perto do final do segundo semestre, em que estava agindo de forma engraçada. Fui dormir em sua casa e ele me perguntou se eu acreditava em demônios. Falei que não tinha muita certeza se acreditava ou não, mas percebi que X não ligava muito para o que eu pensava. Então me contou que as vezes os via enquanto dormia. Disse que isso o aterrorizava. Basicamente tentei fazê-lo descrer naquilo e voltar para a realidade. Disse que provavelmente tinha sido só um pesadelo, e sabendo o quanto andávamos estudando nos últimos meses, não era de me surpreender que estivesse vendo coisas bizarras. 
Durante as últimas semanas da faculdade quase não nos falamos, por causa das provas intensas e tal. Entretanto, me convidou para ir em sua casa no meio de agosto, e foi aí que notei sua nova aquisição. Havia um enorme tanque preto no meio de sua sala de estar. Ao redor, poças de água se acumulavam. Eu não sabia o que diabos pensar. Zoando, perguntei se ele havia começado a fazer bronzeamento artificial. X então me explicou que era um tanque de privação sensorial. Para aqueles que não sabem o que é isso, basicamente é um tanque enorme cheio de água salgada, que absorve todo o som e luz, onde você fica boiando de costas olhando para a escuridão total. Faz com que você perca todos os sentidos.
Ele nunca mais falou sobre aquilo. Simplesmente deixou para lá e tentou mudar de assunto. Logo começamos a fazer o que normalmente fazíamos, que era jogar Mortal Kombat e beber cervejas. Entretanto, naquela noite bebi mais do que o normal. Na verdade, não me lembro de quase nada. Só lembro o que aconteceu quando acordei. 

Naquela noite, tive um sonho onde estava preso dentro de um iceberg. Não conseguia respirar. Acordei em pânico. Eu estava flutuando na água. Meu corpo deve ter se virado enquanto dormia e estava me afogando sem querer. Estava preso em um breu total. Rapidamente percebendo que eu devia ter feito algo realmente estúpido na noite anterior, chamei por X para me tirar dali. Não houve respostas. Depois do que pareceu ser meia hora de gritos e batidas na tampa do tanque, percebi que provavelmente ele ainda estava desmaiado no sofá. Meu corpo estava em um estado total de pânico. Podia ouvir as batidas do meu coração ecoando pelo tanque. Tentei acalmar meu nervosismo e relaxar.
Depois do que pareceu ser uma hora, meus dedos começaram a enrugar como uvas passas, e minha pele começou a ficar dolorida. Foi mais ou menos por aí que ouvi passos rangendo no chão de madeira.
“ Ei, X! Me tire aqui de dentro. Acho que festejamos demais ontem à noite. ” Brincando, falei bem alto.
“Me desculpe, mas esse é o único jeito que posso te provar que não sou louco. Vou te mostrar os demônios. ” Ele disse.
Foi aí que percebi que estava fodido até o osso.
Comecei a bater contra a tampa, esperando que quebrasse de algum jeito. Flutuar na água salgada me deixava muito cansado, então acabei desperdiçando muita energia.
“Você os verá em breve. ” Falou, e parecia que estava do outro lado da sala.
Eventualmente gastei toda minha energia e só fiquei olhando o abismo de escuridão. Comecei a ver formas na minha visão periférica. Achei que estava ouvindo vozes vindo debaixo d’água. Eu estava tremendo por causa da ansiedade, mas sabia que se cedesse aos meus medos, ficaria louco. Cheguei a certo ponto onde não sabia se estava acordado ou sonhando. Talvez eu ainda estivesse bêbado? Tentei bater em meu próprio rosto para me acordar, mas logo percebi que aquela era minha realidade sombria.


A quietude e a acalma eram ameaçadoras. Eu podia ouvir burburinhos debaixo d’água, as batidas me meu coração, e algo que parecia ser sussurros. Foi por aí que comecei a ver o rosto. Começou como Moscas Volantes, não dava para focar naquilo, mas estava ali. Pelo o que conseguia ver, a pele era metade laranja, metade branca. Tinha olhos enormes, completamente brancos e um enorme sorriso. Não saia da minha visão. Tentei piscar repetidamente mas continuava ali, estando de olhos abertos ou fechados. Nesse momento eu já havia perdido completamente a noção do tempo. Dia e noite eram algo do passado. Eu realmente tentei manter a noção do tempo, mas devo ter me perdido por volta da terceira hora. 
O rosto começou a fazer sons. Quase como o sibilar de uma cobra. E continuava e continuava. Cada sibilar ficava mais alto. Começando a ficar cada vez mais agressivo. Gritando comigo, olhando diretamente na minha alma. Senti como se algo estivesse por baixo de mim. Me observando por debaixo d’água. Era apenas um pesadelo. Eu orava para Deus que fosse apenas um pesadelo. Eu estava com tanta fome.

 Então ouvi um barulho. Bastante distinto. Vinha de for a do tanque. Ouvi um rangido de porta e passos no chão de madeira. Depois um grito. Um grito de mulher. Não consegui entender as palavras, mas já sabia que era algo muito, muito ruim. Comecei a bater com força na tampa do tanque, na esperança que ela me ouvisse. Seu choro parou e eu a ouvi andando em minha direção. Uma onda de alívio percorreu meu corpo. Até então, eu achava que morreria ali. Algo pesado foi retirado de cima do tanque e foi aí que a luz brilhou.

Tudo estava tão claro e difícil de entender. Ela me retirou da água. Eu não conseguia ver nada, mas pude ver que ela estava coberta de vermelho. Ela pousou o meu corpo gelado e tremulo no chão, e disse que uma ambulância chegaria em breve. Me lembro de só ficar lá deitado, minha visão lentamente se ajustando a claridade. Pude ver mais vermelho. E um breve borrão de laranja e branco. Havia outro alguém no chão ao meu lado.

Era X. Ele havia cortado a própria garganta, e sangue havia jorrado por todo o chão da sala de estar. A faca ainda estava em sua mão. Quando minha visão finalmente ficou normal, consegui ver o que estava nas paredes.

Era o rosto. VOCÊ VIU? VOCÊ VIU? O DEMÔNIO? VOCÊ ESTÁ VENDO AGORA? VOCÊ VIU? Estava escrito por todas as paredes.

Depois de uma semana hospitalizado, descobri que a mulher que me resgatou era de fato a tia de X. Ela me contou que os pais dele haviam morrido e todo o dinheiro ficara com ele. Falou também que era eternamente grata por eu tentar ser amigo de X. Aparentemente, ele era bastante perturbado por causa da morte dos pais e se recusava a tomar suas medicações que o ajudariam com seu luto traumático.

Eu ainda vejo o rosto. O tempo inteiro. Quando eu pisco os olhos. Quando durmo. Só quero se suma.

Louco ou não, X estava certo. Eu vi o demônio, e seu rosto ela laranja e branco. 
-


Esse conto foi traduzido exclusivamente para o site Creepypasta Brasil. Se você o ver em outro site do gênero e sem créditos ou fonte, nos avise! Obrigada! Se gostou, comente, só assim saberemos se vocês estão gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião! 

KEEP CREEPYING!

TRADUÇÃO POR: FRANCIS DIVINA



28 comentários:

  1. mto bom se eu pudesse dar mil eu dava três

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. O "X" ficou no tanque e começou a ver demônios e ficou louco, agora ele fez isso com o amigo dele que pode ficar na mesma situação

      Excluir
    2. Na verdade não,pois o"x" tinha visto esse demonio apos a morte dos pais

      Excluir
  3. Aaaaaa eu li isso no nosleep!! Muito bom!!!

    ResponderExcluir
  4. Muitooo bom
    Tem q postar mais creepys, minha vida tá um tédio com poucas kkkk

    ResponderExcluir
  5. Ótima creepypasta! Só devem ficar mais atentos quanto aos erros de digitação.

    Espero ter ajudado :)

    ResponderExcluir
  6. Achei previsível, mas acho que já tô conhecendo demais as creepypastas kk
    Vocês voltaram a postar todo dia? (Por favor diz que sim)

    ResponderExcluir
  7. 8 mil metros quadrados ? Isso é impossivel para um apartamento. No inicio o tanque era anti-som e ele conseguia dialogar com o cara mesmo fora ? Ideia legal da creepy, mas bem previsivel e fraquinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensei a mesma coisa, nem sabia que esse tipo de maquina existia... acho que pelo design daria para as pessoas de fora escutarem ele, mas nao faz sentido ele ouvir o X de dentro do tanque

      Excluir
    2. Em q arte ala de eram 8 mil metros quadrados?

      Excluir
  8. Foi ate que legal, quando vi o titulo eu me lembrei daquela creepy na qual um idoso aceita fazer uns experimentos com cientistas critaos onde lhe e cortado cirurgicamente todos os seus 5 sentidos para ver se ele consegue ver Deus... mas lendo a creepy eu vi que ela e boazinha somente... um 7/10 pra ser bonzim rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PS:Quando voces vao lancar o ep 6 de "Monstro em meus Ombros"?

      Excluir
    2. O Portão da Mente, Experiência dos Sentidos, Portal de Entrada da Mente,Caminhos da mente...
      Tantos títulos genéricos pra uma creepy que por fim afirma:
      I have spoken whit God and he has abandoned us.

      Excluir
    3. É
      "Nenhum paraíso, nenhum perdão."

      Excluir
  9. moscas volantes.... carai eu tenho isso e incomoda um pouco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKK Creepypastabrasil me ajudando mais que meus pais, que disseram que era sujeira isso que eu via. Valeeeu Creepy, nunca que eu ia saber o nome dessa porra. Agora já posso ir no oftalmologista e falar "tenho moscas volantes" kkkkkkkkkk

      Excluir
  10. Poxa, gente. Só porque eu perguntei se estavam postando todo dia de novo fiquei 4 dias sem creepy?

    ResponderExcluir
  11. Meio meh. Não chega a ter alguma coisa assustadora, o "demônio" deve ser uma tangerina mutante e a morte do professor "X"avier não foi muito criativa, me lembrou aquele mano de Another.

    ResponderExcluir
  12. Ótima crrepy mas deveriam se atentar mais às revisões. Mtus erros de digitação

    ResponderExcluir
  13. Sei lá, me remeteu à Stranger Things. haha

    ResponderExcluir
  14. NEMO!! RECEM CHEGADO BRANCO E LARANJA!!!

    ResponderExcluir
  15. A creepy foi meio fraquinha mas um pouco pertubadora
    gente fãs de creepypastas eu criei um grupo so pra quem e fã de creepypastas Acesse este link para entrar no meu grupo do WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/5959eunB54v3MLc6xh0zZa caso nao consiga entrar pelo link me mande msg no watss e eu te add 092993582040
    Keep creepy

    ResponderExcluir