05/01/2017

Caviar


Fui a diversos locais do mundo para encontrar as melhores comidas. Seis continentes, milhares de regiões, incontáveis pratos; tudo para encontrar a refeição perfeita. Por um tempo, achei que nunca conseguiria. Sempre havia algo meio estranho; o sal, o frescor, a temperatura - pequenos defeitos que, para qualquer outra pessoa, não significaria nada. Entretanto, para mim, havia uma diferença distinta entre perfeição e o comum. Minha missão continuava. 

Durante minhas viagens, eu descobri sobre um "clube de jantar underground" em Moscou, que se encontravam uma vez por ano. Enquanto "clube de jantar underground" parecia ser misterioso e ilícito, é apenas um lugar que funciona causalmente, ou seja: sem um alvará da vigilância sanitária. Chefes de cozinha por todo o mundo fazem isso sempre para seus amigos. Eu mesmo já fui em vários. 

Mas esse tinha o intuito de ser diferente. Eles tinham o melhor caviar. 

Caviar é um item de luxo, mas até na Rússia-obcecada-por-luxo, começou a ser bem menos usado por questões de sustentabilidade. Ainda está disponível abertamente, mas os que são realmente bons estão cada vez mais difícil de se encontrar. É muito complicado colocar as mãos na "coisa realmente boa". Está trancado pelos Oligarcas e chefes de estado; se você não é um deles ou não está em sua companhia, está sem sorte. Então quando ouvi que o clube de jantar estaria servindo o melhor do melhor, eu sabia que teria de ir até lá. 

Mas não foi fácil. 

Levou quatro anos para conseguir me engrenar com gourmets influentes de Moscou. Gastei milhares e mais milhares de dólares em seus restaurantes, construindo uma boa reputação, escrevendo em meus blogs sobre suas comidas e cultivando relacionamentos. Vasily Protchenko, um dono de restaurante e subcelebridade de Moscou, foi quem me notou. Depois de um certo tempo, nos tornamos amigos. Eu não sabia se ele era membro do clube de jantar, mas se realmente existia, ele tinha de ser. Mas não falei nada. Eu aguardei. 

Em uma tarde, Vasily e eu estávamos conversando sobre caviar, especialmente sobre as melhores fontes. Ele mencionou os mares do Japão, o que achei estranho, sendo que o desastre de Fukushima havia afastado as pessoas de comprar frutos do mar daquela área. Ele concordou que o que acontecera lá era moderadamente desconcertante, mas insistiu que o caviar daquelas águas era sublime. Foi aí que aconteceu. 

"Sabe," me falou, "tem um ainda melhor. Algo que quase ninguém sabe a respeito. Você consegue guardar um segredo?"

Eu dei o meu melhor para não parecer super animado. Tinha que ser o que eu estava aguardando todo esse tempo. 

"Claro," falei, e me inclinei em sua direção para ouvir melhor. 

Vasily me contou sobre o clube de jantar. Haviam 20 chefes e poucos dos seus melhores amigos de todo o mundo. Eles se encontravam em um restaurante no final da mesma rua do de Vasily, e se eu estivesse disposto a pagar a barganha de 5 mil dólares e manter minha boca calada, eu poderia ir junto. Uma hora e uma visita até o banco depois, eu tinha os 5 mil. Tudo que eu tinha que fazer era esperar. 

Na noite do jantar, eu me encontrei com Vasily em seu restaurante e tomamos uns drinks. Então andamos até o lugar do encontro, no qual havia uma placa dizendo que estaria fechado no final de semana. Demos a volta e entramos pela porta da cozinha. A cozinha estava cheia de chefes. Alguns eu reconheci de minhas viagens, alguns eram desconhecidos para mim. Todos estavam preparando pratos para a noite. 

Sentamos no salão principal e admirei a decoração. O quarto estava suavemente iluminado com velas e as janelas estavam tapadas com papéis pretos. Estava óbvio que aquele era um jantar particular e que olhos curiosos não eram bem-vindos.

"Como funciona aqui?" Perguntei a Vasily. 

"Eles só começam a trazer os pratos. São pequenos, obviamente, para você poder provar todos. O caviar fica para o final, acho. É o prato mais raro e mais especial de todos." 

Como ele havia dito, a comida começou a chegar. Fomos agraciados com pratos magnificamente preparados por chefes meticulosos e com as mentes mais geniais possíveis. Eu comi e bebi até minha mente girar. 

Vasily pediu licença e foi para a cozinha. Conversei com alguns dos outros convidados e descobri que vários eram como eu - gourmets ricos procurando por a melhor das experiências gastronômicas.

Depois de mais alguns pratos, alguém perto da cozinha bateu palmas para conseguir a atenção de todos. Para minha surpresa, era Vasily. 

"Quero agradecer por todos que vieram nesta noite," anunciou. "A noite, como sempre, foi de um incrível sucesso. Demos uma amostra da culinária dos melhores chefes do mundo, e como de costume, gostaríamos de terminar a noite com algo muito especial. Vocês todos sabem como sou apaixonado pelo meu caviar. Vocês já provaram os melhores de todos os lugares; Rússia, Japão, canada, etc, etc. Hoje à noite, tenho mais um presente. É algo extremamente raro e demora um tempo muito longo para ser produzido em quantidades que se encaixem em nosso consumo." 

Um desfile de garçons carregando travessas prateadas emergiu da cozinha. Se espalharam pelo salão, colocando um prato de comida na frente de cada um dos convidados. Vasily continuou. 

"Esse é o ponto culminante de anos de trabalho. Tive que mexer vários pauzinhos e puxar diversos sacos para conseguir trazer isso para vocês hoje a noite, mas pela primeira vez, eu gostaria de dividir com vocês este caviar. É sem dúvida nenhuma o mais raro do planeta, e acredito também ser o mais peculiar. Por favor, aproveitem." 

Todos aplaudiram e Vasily voltou a sentar do meu lado. 

"Eu não fazia ideia que era você que estava por trás do caviar!" Exclamei. 

Vasily sorriu. "Queria que você ficasse surpreso," admitiu. "Agora, por favor, coma. Quero saber o que você acha." 

Olhei para meu prato. Havia uma torrada, amorenada com perfeição, coberta com uma pasta marrom-avermelhada. Acima da pasta estava um bocado de crème fraîche salpicado com pequenos pedaços verdes de endro. Minha boca salivou. 

Levei até a boca e mordi. Minhas pálpebras se fecharam e mastiguei, saboreando o gosto. Era espesso e salgado, com notas ricas e distintas de fígado. Era totalmente diferente de qualquer caviar que eu experimentara no passado, mas sem dúvida alguma, era espetacular. Comi mais um pedaço. A complexidade do sabor era de tirar o folego. Sem perceber, eu estava sorrindo feito um idiota o tempo todo. 

"Então, o que achou?" Vasily perguntou. 

Engoli e disse, "É a coisa mais incrível que eu já provei. É tão suave e amanteigado; não tem nada do salgado habitual dos caviares normais e, inicialmente eu não percebi, mas então as notas fígado vieram e abraçaram minha língua. De onde é?"

"Coreia do Norte," me respondeu. 

"Meu Deus," respondi, "como você teve acesso aquelas águas sem ser baleado?"

"Bem," começou a falar, "eu conheço um cara. Ele é médico lá." 

Peguei o último pedaço e comi enquanto Vasily falava. 

"Eu sabia que nunca poderia pescar nas águas da Korea do Norte. Mas na primeira vez que eu e o médico conversamos, percebi que ele tinha acesso a esse caviar sem nem perceber. Durante diversos anos, eu paguei uma boa quantia de dinheiro para que ele o coletasse para mim."

Eu estava intrigado. 

"Então o médico te traz o peixe?" Perguntei. 

Vasily riu. "Não, não, não. O médico não é um pescador! Ele é um especialista - ele não tem tempo para pescar."

"Especialista em que?" Quis saber, totalmente confuso. 

"Ginecologia," disse. "Lá eles realizam muitas esterilizações forçadas. É péssimo para elas, mas ótimo para nós. Sem isso, não teríamos esse caviar!"

O salão pareceu escurecer e senti minha boca ficando muito úmida e muito seca ao mesmo tempo. Eu mal consegui formar a pergunta. 

"Vasily, que tipo de caviar é esse?"

O chefe sorriu. 

"Caviar humano!" 
-



19 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. First muito loko esse caviar aonde tem quero um pouco

    ResponderExcluir
  3. Arranja uma mulher disponível pra te vender os ovários pra você comer!
    😂😂😂😂

    Pessoal, que creepy louca!! Vocês sempre me surpreendem! Muito, muito top!

    ResponderExcluir
  4. First muito loko esse caviar aonde tem quero um pouco

    ResponderExcluir
  5. Foi previsivel, desde o primeiro parágrafo eu sabia que ia ter algum canibalismo. Mas tudo bem, estou acostumado com coisas previsíveis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também achei, desconfiei desde o começo desse caviar. Mas achei que era graças as minhas habilidades de detetive kkkkk. Ate porque sou policial, tenta a sorte, vai que você leva jeito pra coisa também.

      Excluir
  6. Creepy perfeita Divina! Obrigado pela postagem :)

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Foi previsível, mas ainda assim, muito boa. 10/10.

    ResponderExcluir
  9. Achei q teria canibalismo mas nao esse final, muitobom.

    ResponderExcluir
  10. N da pr entender, se os caras gostam de coisas refinadas, como comeram ovulos q foram guardados por anos? N deve ser tao fácil juntar muitos pq cada vez retiram só dois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não são ovários... Óvulos. Cada menstruação libera um, e mulheres nascem com todos os óvulos já, uh, prontos. Então não são tão poucos assim.

      Excluir
  11. Quando ele disse: "puxar varios sacos" ja sabia q era canibalismo, mas nao sabia q era esse nivel! Creepy foda

    ResponderExcluir
  12. serio mano nss no começo até eu fiquei com vontade de comer isso cara e ovário mano. obs: quero experimentar isso mano deve ser gostoso. olha a creepy bem feita meus parabéns pra vc em bem pensado vc tem imaginação fértil cara vamos fazer uma creepy juntos.ok

    facebook: João Kiedis
    wpp:(19)989731493
    chama la cara vamos bolar uma muito loka.kkk
    e nois flw ai

    ResponderExcluir
  13. Eu jurava que eram olhos, ai quando ele disse sobre o sabor de fígado achei era figado humano, mas nem pensei em óvulos

    ResponderExcluir