02/08/2017

Creche

Recentemente coloquei minha filha em uma creche. Eu não queria, mas sendo mãe solteira, não tinha muita opção. 
Depois de pesquisar um pouco, encontrei uma creche que parecia corresponder com o que eu procurava. Era administrada por uma garota chamada Wendy e aparentemente era bastante popular no bairro, pois havia bastante crianças quando fui investigar. Uma das coisas que mais gostei lá era que tinham câmeras de segurança espalhadas por todo o local, assim os pais podiam sempre estar de olho em seus filhos mesmo de longe.
Logo virou um tipo de obsessão minha. Todas as crianças usavam uma jaqueta igual, que era fornecida pela creche, porque o sistema de aquecimento estava estragado e era inverno, mas era fácil diferenciar minha filha das outras crianças. Eu amava poder ficar olhando meu bebê brincando com outros pequenos, me deixava segura de saber que tudo estava bem.
Eu não podia ficar com meus olhos grudados na tela o dia todo, mas checando de vez em quando, pude ver que tinha feito uma amiguinha com quem brincava quase todos os dias e até tinha um brinquedo favorito. Era uma bola que as duas ficavam jogando uma para a outra. Brincavam com aquilo todos os dias.
Passado uma semana, as coisas pareciam estar indo muito bem. Finalmente estava conseguindo tirar as fraldas da minha pequena e ela estava mais comportada do que nunca. Não preciso nem dizer como estava impressionada com a creche. 
Foi aí que ela começou a cantar a canção.
Primeiro ela só cantarolava, e quando perguntei o que era, disse que ela uma musiquinha que tinham ensinado na creche. Logo mais ela aprendeu toda a letra e começou a cantar. 
"Nós comemos seus dentes
Nós comemos seus ossos
E rasgamos suas gargantas sem esforços
Nós cantamos essa canção
E quando terminar
Vamos para o inferno para brincar"
Ela cantava o tempo todo, não importava quantas vezes pedia para parar. Me dava arrepios. Por que ensinariam uma coisa daquelas para crianças?
No dia seguinte, com a música ainda grudada na mente, resolvi ligar para Wendy. Queria falar que não aprovava aquela música e não queria que mais nada parecido com aquilo fosse ensinado para minha filha. Se aquilo continuasse, seria obrigada a procurar outra creche.
Enquanto olhava minha filha brincando, como sempre, com a bola e com sua amiguinha, peguei o telefone e liguei para a creche. 
Quando Wendy atendeu, comuniquei-a sobre o que me preocupava. Ela foi muito educada e comentou como uma das outras crianças estava cantando aquilo por lá - falou que achava ser de um filme ou algo do tipo - mas estava se esforçando para que todos parassem de cantá-la porque obviamente não era apropriado para crianças. Comentou também que a deixava tão perturbada quando a mim.
Eu estava andando para lá e para cá pelo escritório, e enquanto nos despedíamos, eu olhei para a tela do computador e percebi algo em particular. 
A Wendy na tela não estava falando no telefone, e sim ajudando uma das crianças com uma caixinha de suco. 
Ela me deu tchau e desligou, e eu fiquei olhando as cameras, nem se quer respondi seu adeus, só fiquei fixando meus olhos na tela. Olhei minha filha e sua amiga brincando e tentei me lembrar quantas vezes já tinha a assistido jogando aquela bola daquela forma.
E o menino no canto da sala sempre estava no mesmo canto, brincando com o mesmo quebra-cabeça. A quantos dias ele estava tentando resolver aquele jogo? 
Foi aí que percebi que eu não estava assistindo uma transmissão ao vivo, e sim gravações.
Esse conto foi traduzido exclusivamente para o site Creepypasta Brasil. Se você vê-lo em outro site do gênero e sem créditos ou fonte, nos avise! Obrigada! Se gostou, comente, só assim saberemos se você está gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião! 


23 comentários:

  1. Respostas
    1. Não eram câmeras que filmavam os moleques. era um DVD do barney rodando em loop as gravações

      Excluir
  2. Era um centro de satanismo para crianças disfarçado de creche. :v

    ResponderExcluir
  3. Morta que a mae so foi perceber isso dias depois HAHAHAHSHS

    ResponderExcluir
  4. achei que seria mais uma daquelas histórias em que a menininha amiga da filha dela era um fantasma e bla bla bla mas fui surpreendida, mt boa

    ResponderExcluir
  5. Muito boa, mas poderia ser maior contando o que aconteceu depois da mãe desligar e ir apavorada chegando na creche e as crianças cultuando satan ou a mãe colocando uma camera na mochila da menina pra gravar o que acontecia por la kk, mesmo assim me surpreendeu, pensando duas vezes aqui se deixo meu filho na creche ano que vem ou não 😥 9/10

    ResponderExcluir
  6. Final super previsivel
    9/10
    Queria saber o que faziam lá dentro, a creepy acabou muito cedo :/

    ResponderExcluir
  7. Final surpreendente e inesperado, parabéns pela tradução. 10/10!

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Deve haver uma Xuxa nesse mundo onde nessa creche ensinam as crianças a cantarem as músicas com o disco ao contrário. Então nesse mundo o pacto foi real hahahah

    ResponderExcluir
  10. creepy 9/10,vcs tiraram as musiquinhas que ficavam de fundo? eu gostava ;-;

    ResponderExcluir