08/09/2017

Não estou sozinha

Oi, pessoal! Aqui é a Sarah, estou postando hoje para cobrir o Thiago, mas irei postar a série normalmente no sábado. Traduzi essa creepy na velocidade da luz, só para não deixar vocês sem nenhuma! Espero que gostem!


Esta noite estou cuidando dos gêmeos de novo, nada fora do normal, apenas uma típica noite cuidando de crianças de dois anos. Eles estão dormindo e estou navegando na internet. A casa em que estou é muito aberta, com enormes janelas que dão para o quintal da frente. Ela não possuí cortinas, o que eu sempre achei estranho. Ouvi um barulho na babá eletrônica e fui checar as crianças. Ambos estão profundamente adormecidos, então volto para sentar no sofá e novamente ouço algo, mas desta vez é um pouco mais alto e se parece com sussurros. Giro o monitor e começo a ouvir atentamente. 


"Pode vê-la?" Ouço uma das vozes dizer. A outra pessoa responde "Sim, ela está no sofá". Neste ponto, eu me pergunto se eu estou pegando o sinal de outra babá eletrônica. Acho que os vizinhos da casa de trás tem filhos. Decido ir até a cozinha porque não me sinto confortável em estar de frente para as janelas. Ouço alguns pequenos ruídos vindos do monitor, mas nada mais depois disso. Uma hora se passou e me sinto realmente desconfortável; ouço um dos bebês chorando. Tirei-a do berço e ela começou a dizer "janela, janela! Olhos. Eu vejo olhos!" Eu digo a ela que não há nada para se preocupar, que foi apenas um sonho. Já se passou 20 minutos, mas consegui acalmá-la e fazê-la dormir. Ando de volta para a sala de estar e paraliso. A porta traseira escancarada. 


Procuro por toda a casa e não vejo ninguém. Procuro lá fora e volto para o meu laptop. Procuro meu telefone e não consigo encontrá-lo em lugar algum. Percebo que há algo errado. Eu sei que coloquei meu celular ao lado do laptop, então alguém deve estar na casa. Olho em volta e vejo a silhueta de um homem, e assim que olho para trás, ele desaparece. Vou até o quarto das crianças imediatamente e mando um amigo no Facebook ligar para a polícia pois meu telefone desapareceu. Ele diz que vai fazer isso. A polícia vai chegar em 10 minutos. Eu não posso esperar tanto tempo, pego as crianças e decido ir até a casa dos vizinhos atrás de nós, pois assim não ficaremos sozinhos. Eles são um jovem casal e eu já os conheço, parecem ser legais. Bato na porta e pergunto se podemos ficar lá até a polícia chegar porque alguém invadiu a casa. Eles nos deixam entrar e nos oferecem o jantar, ainda estou abalada e me sinto muito desconfortável, então eu recuso e coloco os gêmeos no sofá para que eles possam dormir. Estou curiosa para saber se eles tem uma babá eletrônica, então eu pergunto. "Sim, temos uma, pegamos o sinal da babá eletrônica dos gêmeos as vezes", eles me contam. Então eles perguntam se eu preciso usar seu telefone para ligar para minha mãe, já que eu perdi o meu. Eu digo "Sim, muito obrigado!" Nós esperamos a polícia chegar por cerca de vinte minutos, e comecei a me perguntar onde eles estavam. Vou até a sala de estar e não consigo encontrar os gêmeos... Espere, eu nunca disse a eles que perdi meu telefone...

FONTE


8 comentários:

  1. Quando a pessoa é desnorteada das idéia 🤦🏽‍♀️

    ResponderExcluir
  2. Bem fraquinha, o plot Twist foi bem previsível. 4/10.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Traduzi essa creepy rapidinho, em 30 minutos só para não deixar vocês sem, uma pena não conseguir te agradar :(

      Excluir
    2. Serviu de leitura ❤️

      Excluir
  3. Achei bem ruinzinha essa creepy, junto com um final bem clichê, mas Sarah a culpa não é sua. Essa creepypasta era melhor do que nada, além disso você fez o que pôde com Pouco tempo.

    ResponderExcluir
  4. 8/10
    Essa seria a nota se a creepy não estivesse corrida desse jeito, obrigado pela leitura!

    ResponderExcluir