04/10/2017

Bem-vindo ao Inferno! Por favor, pegue uma senha (PARTE 4)

GULA


Enquanto Satã e eu nos aproximávamos do Largo da Gula, notei que era bem menor do que os outros. Eu nunca havia estado nesse parque antes, e me perguntei que tipo de horrores me esperavam lá dentro.

Apesar de tudo que já havia visto nos outros largos, não pude evitar fazer um som de surpresa quando os pesados portões de ferro se escancararam. Lá dentro haviam diversas mesas longas recheadas de um banquete requintado. Enormes pratos de cordeiro assado, montanhas de purê de batata e até sorvete resistia ao calor infernal que pairava por lá.

"Aqui é a... Gula?" Perguntei. "Não entendo, onde está o castigo?"

"Eles estão sempre com fome, Glen!" Satã falou em tom de excitação.

"E cada vez que dão mais uma mordida, com mais fome ficam!"

"Ah, tá bom. Entendi."

"Mas as vezes deixo-os comer comida de verdade."

"Uau, isso é bem legal da sua parte."

"É, assim que seus parentes morrem, damos os cadáveres de comida!"

"Ah, eu, hm... tá bom. Mas, por que a Gula é um pecado? Nunca entendi isso."

Satã riu alto e me guiou até um homem baixinho, gordo e asiático que usava óculos de graus quadrados e grandes, que enfiava purê de batata na boca com as mãos.

"O nome desse aqui é Kim Jong-II." O homem deu um gritinho quando Satã bateu com a mão no ombro dele e apertou suas garras. "Ele deixou milhares de pessoas morrerem de fome enquanto fazia banquetes em seu palácio cercado de guardas. Até quando outros países tentaram mandar comida para os famintos de seu país, ele ficou com tudo para continuar no poder. Como está o rango agora, Kim?"

As garras de Satã se enfiaram mais ainda e o homem gritou mais alto.

Fiquei observando o homenzinho gordo e triste e balancei minha cabeça.

"Você acha que ele gosta de cheesecake?" Perguntei.

Satã sorriu.

Enquanto saímos da Gula, Satã me alcançou um lenço de bolso para eu limpar os pedaços do Sr. II da minha camisa.

"Sabe, Satã, estou começando achar que você não é um cara tão ruim assim."

Ele concordou com a cabeça, como se soubesse disso.

"Você está com Síndrome de Estocolmo, Glen. Só não se apaixone por mim. Eu já tenho dezessete esposas, e não estou a procura de um marido."

"Hm... tá bom. Para onde agora?"

"Onde mais?" ele falou.

PREGUIÇA


O Largo preguiça era um dos parques onde eu nunca havia estado antes, então não sabia o que esperar quando chegamos lá. Os portões geralmente são bem lentos, mas esse demorou uns cinco minutos para se abrir totalmente.

Ouvi um barulho de aspiração e olhei para Satã cheirando uma linha de pó branco que estava equilibrada na ponta de sua cauda.

"Satã... você está... você está... cheirando cocaína?"

"Cocaína? COCAÍNA?!"

Satã riu loucamente.

"Não seja ridículo, Peter. Isso são ossos do inferno moído! Cocaína é como café descafeinado comparado com isso."

Ele me deu uns dez tapinhas nas costas e depois posicionou sua cauda perto do meu rosto.

"Vai, Peter, dê um tiro aí! Você irá precisar aqui!"

"Eu acho que não-"

Satã atolou sua cauda no meu nariz e me deixou tossindo em uma nuvem de pó branco. Meus pulmões pareciam estar pegando fogo enquanto eu respirava o pó, e quando eu tinha certeza que estava prestes a morrer, meu corpo inteiro ficou dormente.

Olhei para Satã que me admirava com o maior sorriso que eu já vira, parecia do tamanho de uma lancha.

"Está sentindo, Peter?"

O mundo estava girando e se contorcendo em minha volta e o ar parecia ser feito de gelatina. Tudo pareceu desacelerar, como se todos os átomos do meu corpo vibrasse com um prazer intenso.

Definitivamente eu estava sentindo.

Quando atravessei o portão, senti de imediato um peso puxar meu corpo para baixo.

"A gravidade aqui é vinte vezes mais forte, Peter!" Satã gritou. "Faz com que os residentes fiquem bem lentos! Legal, né?"

Olhei para as pessoas no parque e percebi que de fato estavam se movendo no ritmo de lesmas, muitos deles com um pé parado no ar, como se tivessem parado no tempo.

"Porém, ultimamente estamos com um glitch muito estranho. Ei, Kyrzstnyx! Mostre para Peter o glitch!"

Olhei para onde Satã estava gritando e vi um demônio tão grande que parecia uma montanha, com chifres retorcidos como de carneiro e pelo negro por todo o corpo. Ele grunhiu em resposta e puxou uma alavanca enorme que estava ao seu lado, e o portão começou a se fechar.

SPLAT!

O som foi ensurdecedor quando todos os residentes caíram no chão como prédios implodidos, respingando sangue e vísceras para todos os lados.

"Viu? Quando o portão se fecha a gravidade muda drasticamente e temos que tirar e colocar da tomada de novo para reiniciar. Muito irritante! Não estamos usando os portões da frente faz semanas! Me ajuda aí, Peter!"

"Eu...hm... vou ver o que posso fazer."

Tirei do meu rosto o pedaço do cérebro de alguém e comecei a trabalhar, espalhando minhas runas no chão, e fiquei grato que todo aquele pó de ossos fez com que eu não fosse esmagado como todos os outros.

Olhei em direção de Kyrzstnyx quando terminei.

"Tá bom, pode tentar de novo." Falei.

Kyrzstnyx puxou a alavanca para cima e os portões lentamente se abriram.

"Pera aí, Peter! Precisamos de um ratinho de laboratório!"

Satã correu para fora e agarrou um demônio que estava de passagem, arrastando-o para dentro do Largo enquanto o mesmo protestava fracamente.

"Satã, eu realmente preciso entregar esses relatórios, o prazo é-"

"Esqueça o prazo! Você fará parte de algo muito maior que você mesmo! Um experimento! Isso é ciência!"

"Mas eu..."

"Agora Kyrzstnyx!"

O demônio gigante empurrou a alavanca e os portões se fecharam e... nada.

O rosto do demônio relaxou e deixou escapar um suspiro de alívio.

"Então, Satã, eu-"

SPLAT!

Sua frase foi cortada na metade quando Satã bateu em sua cabeça com uma pedra.

"UHUL! Dez pontos!" Satã gritou.

"Desculpa por isso, Steve. Fiquei meio desapontado que não ouve uma onde de splat."

Fiquei olhando-o em descrença.

"Ei, ei, Steve!" Ele começou a me dar cotoveladas nas costelas e rir baixinho. "Steve, parece que ele encontrou o seu PRAZO FINAL, né? Entendeu?!"

Satã começou a rir histericamente.

"Ah, sim, haha." Fingi rir. "Ei, Satã, posso te perguntar uma coisa?"

"Claro, Jason."

"Por que você nunca consegue lembrar meu nome de verdade?"

"Essa é uma ótima pergunta, Barry. Ótima. Faz um tempo que quero conversar com você sobre isso. Veja bem, sou um ser eterno, Barry. Sabe o que isso significa?"

"Hm, na verdade, não."

"Obviamente, isso significa que deixo as mulheres maluquinhas. Mas também significa que eu existo em cinco dimensões, Jackie. Cinco! São quase todas as dimensões"

"Espera, quantas dimensões existem?"

"Não faça perguntas idiotas, Gerald, estou tentando te explicar uma coisa. Entenda, você existe em três dimensões, e a quarta é o tempo. Mas eu existo em cinco, o que significa que posso viajar no tempo como se eu passasse por um corredor. Tá entendendo, Gerald?"

"Você está dizendo... que é um viajador do tempo?"

"Não seja estúpido, Eric. Viagem no tempo é impossível."

"Mas você acabou de dizer..."

"Eu sei o que eu disse. Ouça bem, você sabe o que acontece quando se tenta viajar no tempo, Billy?"

"Uh..."

"Sua mente é partida em trilhões de pequenos pedaços, Andy! Tão pequenos que você nunca mais consegue concertá-la."

"Então... foi isso que aconteceu com você?"

"Foi isso que aconteceu com você, Jeff! Vou te ensinar! Vamos partir sua mente em muitos e muitos pedacinhos! Vai ser maravilhoso, Jacob! Maravilhoso!"

"Por que eu ia querer-"

"Só não faz sentido se você pensar muito sobre, Alan. Não corte o clima, tá bom?"

"Então, você quer dizer que todos esses nomes das pessoas que vou possuir?"

"Isso mesmo, David. Você é essas pessoas. Agora mesmo. De qualquer forma, chega desse assunto. Você gosta de vinho branco, Brent?"

"Na verdade, prefiro-"

"Ótimo! Venha jantar na minha casa. Tenho grandes planos para você, Richard. Grandes!"

EM BREVE: "Bem-vindo ao Inferno! Por favor, pegue uma senha (FINAL)"


Esse conto foi traduzido exclusivamente para o site Creepypasta Brasil. Se você vê-lo em outro site do gênero e sem créditos ou fonte, nos avise! Obrigada! Se gostou, comente, só assim saberemos se você está gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião! 


20 comentários:

  1. Satã nem é tão ruim, ele só faz o trabalho sujo que deus não quer

    ResponderExcluir
  2. Cara, esse capeta é muito foda xDDDDDDDDDD

    ResponderExcluir
  3. Parece um segmento da teoria do ovo...

    ResponderExcluir
  4. DIVINA FRANCIS, VOCÊ NÃO PODE TERMINAR ESSA SÉRIE, EU TE PROÍBO!
    Eu te amo divina. hasushusa
    sério, melhor serie! (Depois de Tommy Taffy, por que né?)
    Eu nunca que quero cair no inferno desses, mas essa satã aí rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente a próxima já é a parte final, Antonio. Mas já tem vários outros contos maravilhosos traduzidos pra depois que acabar a série! Obrigada pelo carinho <3

      Excluir
  5. Melhor Satã hahahaha essa série é muito boa. Podia ter mais contos com esse mesmo "universo"

    ResponderExcluir
  6. HAUDHAUDHAUEHU eu n paro de rir do sata mudando de nome direto

    ResponderExcluir
  7. Esse capeta aí é uma figura! Hauahuahauah

    ResponderExcluir
  8. essa série n me dá medo nenhum, só risos. adorooo

    ResponderExcluir
  9. Vou moer uns ossos aqui e ver se da essa brisa toda

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Satã e o carinha dos vários nomes viraram umas merdas heuheuehejeheue

    ResponderExcluir
  12. Satã conseguiu usar uns 10 nomes diferentes hehuehueheu

    ResponderExcluir