28/11/2017

A parte da Deep Web que não deveríamos ver - Parte 4 - Revelações

Estou de volta. Estes são os eventos que me levaram até este ponto:


PARTE 1

PARTE 2

PARTE 3

Não tenho mais certeza do que pensar.

Quero dizer, não é como se tudo fosse claro antes, mas... o mundo continua a ter cada vez menos sentido. Abri o arquivo de contingência. Eis o que continha:

À PROVA DE FALHAS —— AGENTE INCAPACITADO. NOME DE GUERRA: 'JACK RUST'. IDENTIDADE: [EDITADO]. MENSAGEM PERSONALIZADA:

Olá. Se você está lendo isto, eu suponho que estou fora de serviço. Vergonha, acho. Vou presumir que nós chegamos pelo menos ao terminal. Eis o que você deve fazer:

Suba no trem. Faça isso assim que ele chegar. Há apenas uma janela que abrirá para qualquer um por exatos dez segundos. Agora, será na quinta - conte-as, na quinta parada, você precisará sair. Não haverá nenhum anúncio. Nenhuma indicação. Nada. Não pegue no sono, apenas preste atenção. Estre trem anda rápido, mas ainda vai demorar um pouco. Seja paciente.


Enquanto você está lá, não olhe pelas janelas. Não há nada para olhar, de qualquer forma, você estará em um túnel. No entanto... é melhor que você evite fazer isso. Bem, estamos tendo problemas recentemente. Algumas vezes, algo olha para você. E você não consegue desviar o olhar.

Agora o que vou mencionar a seguir é improvável. Eu diria que é uma chance de 1 em 1000. Mas você não tem os meios para lidar com isso, então você precisará de um aviso. Se em qualquer uma das paradas, você ver ou ouvir uma porta abrindo, se esconda  debaixo dos bancos. Apenas feche os olhos e espere saírem. Agora, se eles ainda estiverem lá após a quarta parada... sinto muito.


Uma vez que você tenha chegado na quinta, saia. Será outro terminal. Um bem pequeno. Deve haver uma escadaria comum à direita e uma escada de mão à esquerda. Nem sequer pense em descer a escadaria. À medida que você subir pela escada de mão, deve começar ficar mais escuro. Não se preocupe, é isso que deveria acontecer. Continue subindo. Em certo momento, você tocará em algo sólido. É uma rocha falsa. Empurre-a e suba. Coloque de volta quando terminar.

Agora você deve estar em um campo de trigo morto. Este é o Texas. Entre Crocket e Sutton Country, para ser específico. Comece olhando em volta. Deve haver uma fazendo pequena e abandonada visível a poucos quilômetros de distância. Vá em direção a ela.

Quando estiver lá dentro, procure um porão. O lugar não é grande, você deve achá-lo facilmente. Quando encontrar, desça até ele. Agora, as luzes não funcionam então será escuro. Aumente o brilho do celular, se precisar. Você deve procurar por uma grande porta vermelha. Há apenas uma, então se você pensar que encontrou, é porque encontrou. Haverá um conjunto numérico de botões próximo a maçaneta. A senha é 5-3-2-5-6-7-8.

Agora, a próxima parte é um pouco bizarra. Não que você tenha que fazer algo louco... é exatamente o que estou prestes a te contar.

Veja bem, a razão pela qual essas pessoas sabiam onde te encontrar é porque eles passaram por nós primeiro. Nós tínhamos começado a te monitorar desde que você começou a chegar perto de encontrar esta página. Eu não te contei porque... bem, por que contaria?

Aparentemente, havia um traidor em nosso meio. Acreditamos que ele era membro de um culto que nós pensávamos que tinha deixado de existir há muito tempo. "A facção dos deuses perdidos." É assim que eles se autodenominam. Não vou entrar em detalhes aqui. Tudo o que vou te dizer é que eles iriam até o os confins da terra para encontrar o que você viu aquele dia. Esse é seu primeiro e único objetivo. Eles não são o único grupo procurando por isso. Entretanto... eles são os únicos que nos preocupam.


Eu acho que quando começaram a ouvir sobre esses enigmas, eles pensaram que essa coisa estava tentando se comunicar com alguém. Com eles. Tentando liderá-los.

Mas esta é a parte que não fazia nenhum sentido. O que nos ferrou. Você jamais deveria ter visto o que viu. Isso nem deveria estar lá. Não temos nenhuma pista do porquê estava. Uma das coisas mais estranhas é que ninguém tinha criado a página. Nós não sabemos como você encontrou. Você foi a primeira pessoa que viu desde que o tiramos do site.

Foi aí que as coisas ficaram realmente estranhas para nós. Assim que o informante notou isto, ele convocou um ataque aos nossos QG's do Texas. É para onde você está indo. Foi um massacre. Eles roubaram nosso equipamento e começaram a rastrear você por conta própria. Pra minha sorte, eu não estava lá. Eu já estava a caminho de te encontrar.

Agora, nós não trabalhamos para o governo. Apenas trabalhamos com eles. Mas esses políticos... eles têm um código de ética antiquado. Uma verdadeira ideia antiquada de como consertar as coisas. Sabe, estes membros de culto não tão fáceis de encontrar. Se fossem, teriam sido neutralizados há muito tempo. Por causa disso, existe um protocolo de contingência para este propósito em específico. "Blackout" é como eles chamam. Se eles descobrissem que este grupo teve qualquer chance de encontrar o que quer que você tenha visto, eles colocariam em ação. Acredite em mim, isso não vai ser divertido para ninguém. Eles não estão dispostos a correr mais nenhum risco.

É por isso que não contamos a eles... é por isso que não contamos para a maioria de nossa própria organização. Eles poderiam dar com a língua nos dentes.

No entando, se você ainda está lendo isso... significa que medidas desesperadas podem esperar.

Uma vez que você tenha entrado, vá diretamente em linha reta até que tenha chegado com algo parecido como uma sala de controle. No canto extremo direito, deve haver um computador montado na parede. Por sorte, essa é uma das poucas coisas que eles não levaram.

Ligue-o. Ele irá lhe pedir uma senha. Digite "Primordial". Um alçapão deve se abrir no meio da sala. Desça e você deve se encontrar vendo milhares de armários contendo arquivos. Comece a examiná-los. Você está procurando por uma pasta com o nome "Caine Hunter". Ele é... um velho amigo. Está ordenado em ordem alfabética então não será tão complicado.


Esta pasta deve conter seu endereço. Eu entendo que isto é muito trabalho para apenas um pouco de informação. Contudo, esse cara se muda frequentemente, eu não me preocupei em acompanhá-lo. Você precisa ir e encontrá-lo. Ele terá as respostas que eu não tenho. Neste ponto, ele é a nossa melhor jogada. Diga a ele que Ben o enviou.

Vou deixá-lo com esta mensagem:

A humanidade não deve voltar a se esconder no medo. Ninguém mais nos protegerá, devemos nos defender sozinhos.


Este protocolo do governo não é a forma que iremos conseguir. Boa sorte.

Este era o fim da mensagem. Isso foi... muito para processar, pra dizer o mínimo. Mas parecia que eu tinha um trabalho a fazer. Por sorte, ninguém mais entrou no trem comigo.

Demorou um tempo, mas finalmente cheguei à porta do porão na fazenda. Assim que entrei, um fedor infernal me atingiu. Quase vomitei. Um massacre. Essas palavras se repetiam na minha cabeça.

Encontrei um interruptor na parede e apertei. Á medida que a luz incandescente iluminava o lugar, eu entendi o que ele quis dizer. Foi realmente um massacre. E ninguém estava lá para limpar. Segurando a respiração, andei por cima dos cadáveres em decomposição. Por mais que eu tentasse evitar olhar para eles, não podia parar de dar rápidas olhadas de vez em quando.


Estava prestes a desmaiar quando cheguei à sala de controle. Segui as instruções e encontrei a pasta. Assim que terminei, saí daquele inferno. Quando cheguei do lado de fora, comecei a ler o arquivo. Caine Hunter tinha 45 anos. E morava em Hong Kong.

Merda, pensei. Estava começando a odiar viagens.

Demorou um tempo para que eu encontrasse uma estrada. Consegui uma carona para a cidade. De lá, peguei outra carona para Dallas FOrt Worth. É aqui onde estou agora. Estou terrivelmente cansado, e minha nuca estar coçando pra caralho não ajuda em nada.

O vôo foi longo, então eu contemplei a última semana. Ainda haviam muitas perguntas sem respostas, e eu realmente não sabia o que esperar de Caine Hunter. Me lembrei do terminal. O cartão que eu encontrei no banheiro. "FDDP". Facção Dos Deuses Perdidos. Merda.

Finalmente cheguei e peguei um táxi para o endereço deste cara. Estava com poucos recursos neste momento. Durante a viagem, observei as luzes cintilantes da cidade passando sobre mim. Na superfície o mundo parecia tão simples. Mas acaba se complicando conforme você olha mais a fundo.

Saí do táxi em um complexo de apartamentos. Era modesto. Acho que você poderia dizer que era de classe média. Apertei o número de seu quarto. Demorou um tempo mas alguém finalmente respondeu:

"Quem é?"

Ele parecia surpreso. Como se não estivesse acostumado com visitantes. Levei um segundo para pensar sobre o que eu diria.

"Ben me enviou. Eu preciso de ajuda." Foi minha melhor resposta.

Quase instantaneamente, ouvi o portão ser destrancado. Bem, aqui vamos nós, pensei. Segui para o sétimo andar.

Quandoe eu estava prestes a bater em sua porta, ele a abriu. Um homem de meia-idade bastante despenteado me puxou para seu quarto.

Parecendo extremamente ansioso, ele caminhava de um lado para o outro enquanto eu me sentava. Então parou, virando em minha direção:

"Como assim você precisa de ajuda?" Sua voz, de alguma forma, ficou muito rouca quando ele disse aquilo. Eu sabia que estava prestes a lhe dizer algo que ele não queria ouvir.

"Eu vi... aquela coisa. E agora há pessoas atrás de mim."

Sua expressão se contorceu ao ouvir aquilo.

"Quem está atrás de você? Você sabe?" Sua fala era rápida e desconfortável.

"A facção dos deuses perdidos, é como eu acho que eles são chamados." Foi minha resposta.

Agora seu rosto ficou completamente pálido.

"Eles voltaram?" Me encolhi enquanto ele gritou logo depois.

Ele se sentou, enterrando o rosto em suas mãos. Então olhou de volta para mim:

"O que aconteceu com Ben?"

Meu silêncio foi o suficiente. Ele apenas assentiu.

"Ele era... um bom homem." Apenas assenti em resposta. O ouvi murmurar algo em voz baixa, mas não consegui entender.

Agora era a hora de eu fazer a grande pergunta. A pergunta que ninguém parecia ter a resposta.

"O que era aquilo que eu vi?" Ele apenas me encarou por alguns segundos. Então finalmente falou:

"Eu costumava trabalhar em uma estação espacial chamada Chronos-1. Já ouviu falar?"

Nunca tinha ouvido falar daquilo, e foi o que eu lhe disse.

"Bem, é porque você não deveria saber."

Agora, eu realmente não tinha ideia para onde isso estava indo.

Ele continuou a me dizer como Chronos-1 costumava orbitar no espaço a 1500km da ISS.

"Foi feito para ser usado para navegação e comunicação." Ele afirmou. "Isso é o que nos disseram, de qualquer maneira. Eles estavam fazendo outras coisas, com certeza. Por que mais eles não diriam ao público sobre a existência disso? De qualquer forma, não durou muito."

"Um dia, nós recebemos uma mensagem da NASA. Havia um tipo de sinal, vindo de algum lugar no fundo do espaço. Bem, mais como um tipo de anomalia. Algo que não fazia sentido.  Eles não elaboraram o que isso deveria significar. Acabaram estimando que veio além do Cinturão de Kuiper. Tudo isso era estranho, claro. Eles decidiram verificar."

Ele fez uma pausa, soltando um rápido suspiro.

"Eles enviaram uma sonda interestelar para este sinal. Estimava-se chegar lá em cerca de nove anos. E aconteceu que cerca de nove anos depois, voltei ao espaço depois de fazer um hiato na Terra. Enquanto estava lá, recebemos uma outra mensagem. A sonda havia chegado onde o sinal estava aproximadamente sendo enviado. Eles iriam fazer uma transmissão para assistirmos."

Arqueei a sobrancelha. Ele riu da minha confusão.

"Sim... nós chegamos muito mais longe em termos de tecnologia espacial do que o público é levado a acreditar. Neste ponto, não acho que você devesse estar surpreso. De qualquer forma, todos estavam em torno dos monitores, esperando para ver o que diabos a sonda havia captado. Tenha em mente que havia apenas 10 pessoas na sala na época. Era muito apertado para caber mais, então nós seríamos os primeiros a bordo que veriam aquilo. A transmissão eventualmente piscou na tela."

Ele parou, esfregando as têmporas. Quase parecia que o machucava pensar naquilo.

"Tudo aconteceu bem rápido. Só demorou alguns segundos para que os gritos começassem. As pessoas estavam batendo suas cabeças no chão e nas paredes. Foi um caos. Todos enlouqueceram após ver o que estava naquele monitor. A única razão de eu ter sobrevivido era porque eu na verdade não consegui ver. Ainda estava no banheiro quando a transmissão começou. Saí assim que ouvi a comoção. Aliás eu até desmaiei. Acho que não sou muito bom com sangue. Tudo o que me lembro antes de atingir o chão foi ver uma pessoa solitária ainda grudada na tela. Ele era o único assistindo neste momento. Quando acordei, eles começaram a me fazer perguntas, mas eu não tinha respostas para eles. Eu não havia visto."

"Espera, então qual foi a causa da morte para eles?" Perguntei.

"Suicídip. Na maior parte, força contundente." Ele respondeu. "Todos naquela sala encontraram uma maneira de se matar."

Que porra é essa?Pensei. Será que foi isso mesmo que eu também havia visto?

"E o que aconteceu com o outro cara? O cara que você disse que ainda estava assistindo?"

"Ele também desmaiou. Mas só por um minuto. Além disso, ele disse que estava bem. Nunca nem mesmo tocou no assunto. Quando eles perguntavam o que ele havia visto, ele apenas encolhia os ombros e dizia que não sabia do que estavam falando. Eu conheci ele, na verdade. O nome dele era Blake. Ele sempre foi um cara estranho."

Houve outra pausa. Continuava tentando entender isso na minha cabeça. Caine continuou:

"Mas esse não foi o fim de sua história."

Eu me animei.

"Ele foi demitido pouco depois. Parecia apenas ter parado de se importar com tudo que acontecia ao seu redor. Ele tinha essas... explosões estranhas e sombrias de vez em quando, e isso deixava todos que trabalhavam com ele assustados. Ele estava ficando louco."

"Depois do último dia, ele sumiu do mapa. Sua família, os poucos amigos que ele tinha, nenhum deles sabia pra onde ele foi ou pra onde ele iria. Não havia vestígios dele em nenhum lugar. Mas sem o conhecimento de todos, ele estava viajando pelo país, recrutando pessoas para um culto que ele criara. Você deve imaginar como era chamado."

Não demorou muito para que eu juntasse os fatos.

"A facção dos deuses perdidos."

"Correto." Ele continuou. "Ele até mesmo escreveu e lançou um manifesto explicando por que isso era necessário. Ele continuava dizendo sobre como havia algo inerentemente errado com o funcionamento do nosso mundo externo, e que nós nem deveríamos existir. Aparentemente nosso sistema estava 'corrompido', o que quer que aquilo devesse significar. Ele era desequilibrado. Ou... talvez foi o que ele viu que fez ele se ficar assim."

Ele continuou a explicar como Blake procurava por algo o tempo todo em que estava recrutando membros. Ele estava procurando pela gravação da sonda.

"Sabe, a sonda ainda está lá, transmitindo o que quer que aquilo seja para uma tela que apenas o governo tem acesso. Vou presumir que você viu o site para onde todo o 'conhecimento sensível' vai."

Assenti. Do contrário não estaria aqui.

"De acordo com eles, alguns hackers batendo a cabeça nos teclados de vez em quando não era um grande problema. Mas depois do que tinha acontecido em Chronos, quase ninguém ousou olhar. Os poucos que tentaram... bem, você sabe a história. Mas é aqui onde as coisas ficam incompreensivelmente bizarras. O que estou prestes a lhe dizer... quase ninguém sabe a respeito. E isso inclui 99% dos agentes do governo.

Ele pegou um maço de cigarro e acendeu um. Deu uma longa tragada antes de continuar:

"Após cerca de seis meses, eu voltei para o Chronos. Eles me ofereceram um pacote de indenização só para eu me aposentar e ficar de boca fechada, mas eu decidi ir contra aquilo. Eu era muito arrogante. Tentei fingir que o que vi não me afetou. Aquilo foi um erro."

Ele jogou fora o cigarro e acendeu outro.

"Era uma jornada de trabalho rotineira. Estávamos terminando algumas tarefas de manutenção quando ouvimos um som de zumbido vindo de algum lugar fora da estação. Não era parecido com nada que já tivéssemos ouvido antes. Mesmo agora, eu não consigo imitar o que ouvi, era tão... estranho. Várias pessoas começaram a olhar por suas janelas apenas para ver o que estava acontecendo. No entando, o que aconteceu em seguida me fez questionar em que tipo de universo nós realmente vivemos."

"Eu estava almoçando no meio da bagunça no salão quando ouvi a agitação vindo dos corredores. Eu teria ido verificar, mas foi quando os gritos começaram. Não era normal. Honestamente, não soava nada parecido com que um ser humano fosse capaz de produzir. Lembro-me de olhar para todos na sala. Eles não estavam se movendo. Estávamos todos na mesma situação. Alguns homens criaram uma espécie de barricada com cadeiras na entrada. Entretanto... nós não conseguimos desviar o olhar daquilo. Havia algum tipo de luz saindo das aberturas de baixo e de cima da porta. Mas algo estava errado. A luz não era de nenhuma cor que já tivéssemos visto antes."

A familiaridades dessas descrições fez minha mente girar. Foi aquilo, não foi? Foi o que eu havia visto. Ele continuou:

"Me lembro de ter ficado desorientado apenas por olhar por alguns segundos. As próximas horas foram excruciantes. Os gritos não pararam. Nossa sanidade estava se esgotando. Todos nos sentamos, dedos nos ouvidos e os olhos fechados, esperando pelo fim daquela merda. Eventualmente, a porta se abriu e fomos escoltados. Me lembro de olhar em volta e ver as paredes anteriormente brancas da estação, agora manchadas de vermelho. 90% da equipe morreu naquele dia. Tínhamos perguntas, é claro. Sobre o que aconteceu. Entretanto, todos que poderiam saber agora estavam mortos."

Ele se recostou na cadeira. Tirou outro cigarro do maço. Desta vez, acompanhado por um gole de uísque. Continuou:

"Voltei para a Terra logo depois. Desta vez eles não me ofereceram meu emprego de volta. Apenas um cheque de indenização e um contrato de confidencialidade. Porém, não é como se eu me importasse naquele ponto. Eu teria me demitido de qualquer maneira. Agora, aqui está a conexão com o que você viu."

"Naquele dia, eu estava em minha casa, pensando em minha vida. Então ouvi uma batida na porta. Era Ben. Ele me perguntou o que diabos havia acontecido em Chronos. Eu contei a ele. Mas o que eu não entendia era como ele sabia que algo tinha acontecido. Ele nunca nem trabalhou com a NASA. Então eu o questionei sobre isso."

"Ele disse que uma onda de chamadas de emergência da estação vieram todas de uma vez. Eles descreveram exatamente o que eu havia passado. O problema era que, eles não tinham meios de lidar com isso. Teria levado muito tempo para organizar uma missão de resgate. Todo mundo estava perdido sobre o que fazer. Foi quando o alto-escalão vieram com algo imediatamente. Eles tinham um palpite. Na verdade foi mais um experimento. Verificaram o site. Com certeza, foi invadido mais uma vez. Alguém estava vendo a gravação da sonda.

"Eles o seguiram até um armazém abandonado em Santo Antonio, que era onde Ben estava na época. Naquele ponto, ele era apenas um agente de campo, então eles o contataram o mandaram verificar isto. Ele dirigiu junto com uma equipe da SWAT. Quando chegaram, era um banho de sangue. Eles começaram a ser atingidos no momento em que entraram. Quem quer que estava fazendo isso... estava tentando proteger algo. Metade do time foi morto antes de conseguir assegurar o lugar. Eles detiveram os atiradores e começaram a varrer o resto do edifício. Não havia nada nos andares superiores. Mas então eles chegaram ao porão."

"Havia apenas uma pessoa lá embaixo, sentada na frente de um monitor. Eles se aproximaram dele lentamente, ordenando que levantasse as mãos. Ele ignorou. Um membro da SWAT eventualmente se aproximou dele. Foi quando ele começou a gritar do nada e atirou na própria cabeça. Não há dúvida de que ele tenha oilhado a tela. Ninguém se aproximou depois disso. Todos apenas mantiveram apontando suas armas para e dizendo-lhe para se virar. O cara acabou cedendo. Ele disse que era Blake. Ben o reconheceu, porque ele se tornara infame pelos círculos do governo. Diss que havia sangue saindo de seus olhos e nariz. Pele branca como a lua. Apenas disse uma coisa."

Caine parou e suspirou. Bebeu todo o uísque em seu copo e então olhou para mim.

"Você não pode detê-lo. Se isso não acontecer hoje, acontecerá eventualmente. Nosso julgamento ainda está por vir."

"Ben disse que isso o arrepiou até os ossos. Disse que Blake havia dito isso com um tom e uma convicção que apenas o fez sentir desespero e vazio por dentro. Ben atirou nele logo depois disso. No monitor também."

"Eles reuniram o restante dos membros do culto para interrogatório. Eles não iriam cooperar, obviamente. Todos apenas repetiam as mesmas palavras. Algum tipo de lema ou algo assim. De qualquer forma, o alto-escalão chegou em algumas horas. Eles parabenizaram Ben e o disseram para ir pra casa. Os relatórios desesperadores finalmente tinham parado de ser enviados de Chronos."

"Espera." Interrompi. "Os relatórios... eles pararam assim que Blake foi baleado?"

Caine riu, Foi um riso seco. Não havia humor.

"Sim". Continuou. "Você está descobrindo, não é? Eis a conclusão que eles chegaram: o que quer que a sonda estivesse gravando;;; o que quer que Blake estava assistindo... estava o observando de volta. De alguma forma, eles estavam se comunicando um com o outro."

Isso foi uma coisa horrível de se pensar. Caine continuou:

"Eles estava enviando algo para a Terra. Algo além de nossa compreensão que nós nunca poderíamos entender. Ninguém sabe o que isso quer de nós. Provavelmente nada de bom. De qualquer mandeira... eles decidiram garantir que ninguém visse aquilo novamente. Eles desconectaram a sonda. Pararam completamente a transmissão. Tenho certeza de que a linha de raciocínio foi que, se não o procurarmos, então ele não nos notaria."

"Espera, o que?" Quase gritei. "Então como diabos eu o vi?"

"Era o que eu estava pensando." Ele disse. "Você recebeu alguma resposta?"

Tentei contar a ele sobre a IA, mas as palavras saíram da minha boca embaralhadas de forma incoerente. Ele apenas olhou para mim, confuso.

"Uma IA? Do que diabos você está falando?" Perguntou.

"Naquele site... houve outro prompt. Isso me trouxe aqui, foi como eu encontrei."

"Prompts? Do que você está falando?"

Que se dane, pensei. Ele claramente não sabia sobre aquilo. Ainda havia muitas perguntas na minha cabeça, então não me demorei nisso.

"Quantas pessoas você conhece que viram isso?" Perguntei.

Ele soltou uma risada rápida. "Dos que estão vivos? Você."

Aquilo me deu um calafrio na espinha. Ele continuou:

"O que se deve uma pergunta, é: por quanto tempo você olhou? Apenas uns dois segundos, certo?"

"Não." Respondi. "Quase meio minuto."

Depois que eu disse aquilo, seu rosto empalideceu.

Eu simplesmente encolhi os ombros. "Olha, eu não... eu não sei o que fazer com isso." Foi tudo que eu conseguir gaguejar.

Com uma expressão de choque, Caine apenas olhou para o teto. Quando ele fez aquilo, as palavras da mensagem de contingência passaram pela minha mente. Você foi o primeiro que viu isto desde que o derrubamos. Mas por que eu? Por que eu era tão especial? Por que eu tive que ver?

Caine começou a falar novamente:

"Os computadores podem saber mais sobre a humanidade do que jamais seremos capazes."

Apenas olhei para ele, confuso. Que afirmação estranha a se fazer. Ele continuou:

"Se realmente há uma IA que te levou para aquela página... talvez isso signifique algo."

"Signifique algo? Tipo o que?" Respondi.

"Ninguém mais parece ser capaz de lidar com isso. Mas, como Blake, você parece ser uma exceção."

Eu realmente pensei sobre isso. Ele estava certo, não estava? O que quer que esta coisa seja... pareceu levar as pessoas à beira da loucura após alguns segundos de exposição. Quero dizer, eu com certeza não tinha ideia do que havia visto. E certamente não gostei de ver... mas eu estava em um estado mental normal.

No entanto, havia mais uma pergunta que eu não podia ignorar.

"Estes membor do culto que foram detidos... eles não eram os únicos, eram? Haviam outros membros."

Caine assentiu. "Eles tentaram dizer a si mesmos que eram os únicos. Que isso estava feito. Isso é o que todos queriam acreditar. Subestimar a influência de Blake foi um dos maiores erros que eles poderiam ter cometido."

Neste ponto, eu não queria mais pensar nisso. Precisava de uma pausa desta discussão. Perguntei a ele se havia algum lugar que eu pudesse descansar. Ele me disse que havia um colchão sobrando no armário.

Eu preciso dormir. Mas não antes de entender isto. Milhões de pensamentos ainda estão pessando pela minha cabeça enquanto escrevo isto. Bem disse que aquele cara era nossa melhor jogada, mas nada pareceu ter sido resolvido. Droga, o que ele deveria fazer? Talvez essa contingência "Blackout" fosse necessária. Se tudo o que ouvi for verdade... pode ser a única opção.

Deus, essa coceira na minha nuca está me matando. De qualquer forma, parece que terei que tomar uma decisão em breve.



EDIT: Caine e eu acabamos de ouvir alguém tentando abrir a porta. Ele deu uma olhada através do olho mágico e me disse que havia pessoas com máscaras estranhas em pé lá fora. Isto não é bom.











Esse conto foi traduzido exclusivamente para o site Creepypasta Brasil. Se você vê-lo em outro site do gênero e sem créditos ou fonte, nos avise! Obrigado! Se gostou, comente, só assim saberemos se você está gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião!


15 comentários:

  1. Respostas
    1. Essa parte eu entendi, mas o resto eu n entendi absolutamente nada

      Excluir
    2. Se é sobre o conteúdo do vídeo eu também não entendi nada, a descrição é muito rasa.

      Excluir
  2. Só eu que fiquei curioso pra assistir o tal vídeo? Tem que ser algo muito fudido pra fazer quem assiste cometer suicídio. E pela descrição não dá pra entender nada do que se passa, só movimentos que estão além das leis da física e cores desconhecidas.

    ResponderExcluir
  3. Quando o carinha pesquisou Aquilo que me procura, ele deixou bem claro que o ser alienígena além da nossa compreensão procurar a humanidade desde que o tal Blake o viu pela primeira vez

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, acho que o alien tá procurando alguém como o Blake, que possa ver ele sem enlouquecer.O cara perguntou aquele que me procura e a IA direcionou ele no caminho da seita.

      Excluir
  4. Muito boa, mds estou curioso pra ver esse vídeo agora ♥

    ResponderExcluir
  5. Essa sim é uma creepy foda do caralho!!!

    ResponderExcluir
  6. Foda demais essa série. Não tem como ler e não pensar imediatamente em H.P. Lovecraft, as várias referências e inspiração são bem claras. Muito massa a forma como juntaram as criaturas dos contos com a tecnologia dos dias de hoje. Que venha Cthulhu!

    ResponderExcluir