19/12/2017

*** ALERTA DE EMERGÊNCIA *** (ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO)



Gente, essa aqui é minha última postagem. Para alguns de vocês, isso é boas notícias, para mim também. Muito aconteceu desde a última atualização, a qual eu admito ter acabado muito abruptamente. Pare ficar mais fácil, vou continuar de onde parei.

O walkie-talkie continuou a dar barulho de chiado depois que ela caiu no chão, mas não ouvi mais nenhuma palavra. Peguei meu celular e liguei para Jim.

"Sean! Ei, o que aconteceu?"

"Eu matei dois deles, cara, e tem outra inconsciente," falei tremendo.

"Puta merda, pra que você fez isso?"

"Eu não tinha escolha! Eles pularam pra cima de mim, cara - mas não foi por isso que liguei. Fale para Liz que Whitfield está a caminho."

"Que?"

"Só fala pra ela! Como Kowalski está?"

"Tá bem, considerando que tá amarrado."

"Bom," falei. "Continue firme. Vou tentar encontrar McClellan."

Desliguei o telefone e coloquei no bolso, olhando em volta vigorosamente, procurando qualquer sinal de McClellan.

"Sloan?!" Alguém gritou de algum lugar na minha esquerda. Devia ser ele.

Continuei em silêncio e olhe em volta novamente pela fonte da voz.

"Estimo que estaremos aí em quinze minutos," Whitfield disse pelo rádio de Sloan. "Câmbio."

"Merda," murmurei.

"Sloan!" McClellan repetiu. "Você está bem?"

Corri até o quintal de uma casa e me escondi atrás de uma fonte de pássaros.

"Sloan? Olá?"

Podia ouvir sua voz cada vez mais próxima. Finalmente, pude vê-lo chegando cada vez mais perto de mim. Me levantei, e seus olhos grudaram no meu. Ele apontou a pistola e atirou.

A bala zuniu perto de meu ombro e eu corri, armando a espingarda e atirando na direção dele. Errei, e ele começou a correr atrás de mim. Armei novamente minha arma e atirei, mas só pegou de raspão em seu braço esquerdo.

"Porra!" gritou, agarrando o braço. "Pare de correr, seu merda!"

"Sai daqui!" Falei. "Eu sei o que está tentando fazer!"

"Ah, é?! E o que você vai fazer a respeito? Me matar? Matar a porra do Whitfield? Boa sorte com isso, companheiro! O que você fez com Sloan?!"

"Ela está desmaiada," falei. "mas viva, pelo menos até você abaixar a porra da arma!"

"Você! Abaixe a arma!" Falou.

Abaixei a minha, ele abaixou a dele. "Você está andando na corda bamba, idiota," falou.  "Se você não parar, vai ter que encarar Whitfield cara a cara. E vai descobrir que ele não é tão compreensível quanto eu. Onde estão Maloney e Schmidt? Kowalski?"

"Os grandões?" Perguntei. "Mortos. Kowalski também. Desculpa, mas eles me atacaram."

"Merda," McClellan falou, apontando a arma novamente. "Como sei que você está falando a verdade?"

"Eu sei onde 013 está... mas não vou te falar, porque sei o que está acontecendo naquele lugar. Eu li as transcrições do que aconteceu nos primeiros dias de 013 lá."

"Como diabos você teve acesso a isso?"

"Foi colocado naquela merda de alerta de emergência. Se fosse pra adivinhar, eu diria que ela colocou lá para expor vocês todos."

"Seja lá o que você leu, você tem que acreditar em mim - 013 é perigosa, tá bem?"

"Bem, não é como se você também não fosse."

"Olha, menino, abaixe sua arma. Não vou te machucar, mas você tem que me dizer onde está 013."

"Não vou abaixar minha arma," Falei. "Mas ela está lá." Apontei para a casa do meu vizinho morto.

"De verdade?" Ele perguntou. "Não está me zoando?"

"Não," falei. "Estou sendo honesto."

"Tá bom." Ele se virou para entrar na casa. "Estou confiando em você, cara."

Assenti com a cabeça. "Tenha cuidado, cara."

"Eu sei o que estou fazendo."

Quando se virou, comecei a me afastar lentamente de costas.

"Sabe de uma coisa?" McClellan falou. "Não vou dar as costas para um cara com uma arma na mão, então porque você não abaixa essa merda, hein?"

"Tá bom, tá bom," falei abaixando a espingarda.

"Obrigado," McClellan falou irritadiço, se virando enquanto eu recuava lentamente. "Agora você fica aí quietinho para que eu não tenha que tomar medidas drásticas."

"Ahan," falei, enquanto ainda ia dando ré.

"Ouviu isso?" Perguntou, se virando.

"Hm?"

"Um carro," ele falou.

Ouvi o barulho em questão, e realmente - pneus sobre cascalhos.

Me virei e vi um carro estacionando em uma garagem três casas depois da minha.

"Provavelmente é Whitfield," McClellan falou. "Recomendo que se comporte muito bem, menino, ou você vai se ferrar."

"McClellan!" um homem gritou do banco do passageiro enquanto abria a porta. "Quem é esse garoto?"

"Civil," McClellan falou. "Matou os outros, menos Sloan."

"Puta merda, Jesus Cristo, McClellan, você não vai algemá-lo?"

"O que está acontecendo aqui?" Whitfield perguntou, saindo do veículo. Estudei Jones e Whitfield. Whitfield era um homem alto de cabelos longos grisalhos e uma cara meio enrugada. Jones também era alto, mas com o cabelo curto e um maxilar potente.

"Ele está falando que esse garoto matou os outros, chefe!"

"Ouçam," McClellan falou, "Ele falou que 013 está se escondendo aqui." Apontou para a casa do vizinho.

Whitfield fechou os olhos, focando-se, parecia, em algo. "Não," falou.

"Que?" Jones exclamou.

"Você está mentindo?" McClellan perguntou para mim.

"Não, eu juro." Falei.

"Sim, você está mentindo," Whitfield disse com seus olhos fixos na minha casa. "Eu consigo senti-la daqui, e ela está lá."

"Bem," falei, "Achei que ela estava na outra."

"McClellan!" Uma voz veio de longe. "Jones! Whitfield!"

A porra da Sloan, merda, pensei.


Jones correu em direção dos gritos de Sloan, e Whitfield e McClellan se viraram em minha direção.

"Então,"  McClellan continuou, "esse garoto disse que sabe sobre a MEW."

"Ele sabe?" Whitfield perguntou. "Bem, algo terá de ser feito, não é mesmo? Me dê essa arma."

"Hm... senhor? Tem certeza?" McClellan perguntou.

"Sim, McClellan, agora me dê essa arma. ão temos o dia todo. Os varredores estarão aqui em breve para limpar a cidade. As cópias serão colocadas logo depois. Agora me dê essa arma."

"Senhor, ele pode ser útil. Você sabe, com as clonagens."

"Ele sabe demais para ficar vivo," Whitfield disse enquanto meu coração batia aceleradamente em meu peito. "Pegue essa arma e me dê."

McClellan engoliu a seco e se abaixou para pegar a arma. Agarrou-a e se levantou reto. "Tá bom, então."

Com um 'CRASH' o vidro da minha janela explodiu do outro lado da rua, partindo-se em milhões de pequenos fragmentos, pedaços de vidro voando pelo ar.

Um dos cacos dilacerou o pescoço de McClellan, fazendo-o cair de joelhos e depois de frente no chão enquanto uma poça de sangue se formava. Outro cravou-se firmemente nas costas de Whitfield.

"Bem," Whitfield falou enquanto McClellan se retorcia no chão. "Isso é um infortúnio." Me abaixei, peguei minha arma das mãos de McClellan, tentando ignorá-lo enquanto se afogava em seu próprio sangue, e mirei em Whitfield. Apertei o gatilho. E um tiro de escopeta atingiu seu corpo.

"Sua criança desgraçada!" Gritou, virando-se em direção da minha casa enquanto arrancava o vidro de suas costas. "Fugir do laboratório será a última coisa que terá feito em vida. E você..." se virou par amim. "Por que você não me dá essa arma?"


Os tiros de bala em seu corpo começavam a se cobrir. Atirei novamente, e desta vez seu rosto se encontrou com chumbo. A pele desaparecera, dando lugar ao osso e aos músculos. "Me dê essa arma, seu merda!" Com um movimento de seu pulso, arrancou a arma de mim. "Agora, menino, você encontrará seu criador literal". Ele engatilhou a arma e se preparou para disparar.

013 correu pela minha porta e antes da porta bater contra a parede, a mesma saiu voando em direção de Whitfield. Bateu em seu crânio e caiu em dois pedaços no chão. Ele moveu a arma de mim e atirou em 013.

Liz caiu no chão.


"Merda!" Gritei. "Seu merda!"


"Que?" ele perguntou. " Você realmente achou que iriam ganhar? Você com... deixe-me adivinhar... seu irmão e uma louca em fuga? Por favor. Temos mais força do que você sequer poderia sonhar, e tudo que você tem você deve, ironicamente, a nós. Somos responsáveis pela sua criação. Todos vocês. Todos usando a mesma entidade como base. Até eu devo tudo ao imensurável 000."

Coloquei a mão no meu bolso e encontrei a minha faca de cozinha. Agarrei-a e corri para frente cegamente.

"Você não entende?" me perguntou, me jogando no chão com sua mente. "Essa história não tem final feliz."  Pegou minha faca e jogou por cima de seu ombro, sangue ainda escorrendo dos furos de sua cabeça. "Eu poderia te matar, sabe... mas quero que você veja o que estou dizendo. Você verá os varredores chegando. Verá como eles apagarão essa cidade completamente. Será como se nunca tivesse existido. Então, daqui uma semana ou mais, os clones tomarão conta, e ninguém notará a diferença." 

Tentei me sentar, mas ele me chutou no peito e me fez deitar de novo. "Tchau, Sean [retido]. Você não fará falta para ninguém. Jones! Pegue Sloan, e vamos sair daqui! O dever está feito."

Me levantei quando o carro deles estava virando a esquina da quadra. Manquei até minha casa, passando por cima do corpo sem vida de Liz e batendo na porta do porão. "Jim! Pegue os cachorros. Temos que ir embora." 

Pessoas estavam começando a sair de suas casas quando saímos. Conseguimos ir para o estado mais próximo, no máximo. Pegamos os cachorros e alguns itens básicos para nossa sobrevivência, assim como alguns pequenos itens por puro luxo. Nós dois estávamos fodidos da cabeça pelo o que acontecera, e não tínhamos mencionado Liz desde que fomos embora. Não terão mais atualizações depois dessa. 

Esse é o último. 

Obrigado por todos que me acompanharam até o final. Eu sei que tudo desmoronou no fim, mas é o que é. 

Não sei o que acontecerá no futuro, mas não será fácil. 

Os alertas finalmente sumiram de nossos celulares. Por enquanto, é isso. 

Enquanto sentado em um estacionamento de uma lancheria qualquer de beira de estradas, esperando Jim voltar, recebi outro alerta. Esse era um tanto diferente, para se dizer. 

ALERTA DE EMERGÊNCIA  Estou informalmente emitindo um alerta de emergência para os seguintes municípios: [retido]. Os cidadãos devem ter cuidado com todos os "funcionários do governo". A cidade será "varrida" em busca de sobreviventes com memórias claras de eventos recentes. Ninguém está seguro aqui. Aconselho a todas que fujam o mais rápido possível. Não fale com nenhum policial se seus uniformes estiverem marcados como "MEW". Eles não são policiais! Efetivo indefinidamente. Não vá para o [retido]. Lá não é seguro.

Desejo a todos uma boa vida, e dou aqui o meu adeus. Por enquanto que lembrar de mim, assuma que estou vivo.

ATUALIZAÇÃO: Acabei de sair do banheiro. Quando voltei para o carro, havia uma caixa cheia de cookies de menta no banco de trás. 

FIM


6 comentários: