27/03/2018

Carta de uma garota que a viu crescer

Oi,

Na primeira vez em que te vi, fiquei surpresa por te ver. Você tinha uma pequena tartaruga em suas mãos. O chamava de Michaelangelo, que eu presumi ser inspirado nas Tartarugas Ninjas. Você jogou seu longo cabelo castanho para trás e ajoelhou para colocar a tartaruga no chão. Você estava animada para vê-lo andar na grama. Isso me lembrou do meu gato e como eu costumava brincar com ele quando eu tinha a sua idade.

Eu testemunhei toda a sua infância pela minha pequena janela. Seu primeiro passeio de bicicleta. Seu primeiro dia na escola. Sua primeira amiga de verdade, Brenda. Seu primeiro dia no ensino médio e o uniforme lindo que você usou. A vez em que você ganhou a feira de ciências e trouxe para casa um troféu em forma celular. Você era uma garota tão feliz.

Eu a vi envelhecer. Seu corpo mudar. Você ficou mais alta, seu corpo mais magro, seu rosto tão bonito como sempre. Eu testemunhei quando os outros começaram a notar você de uma maneira diferente. Os olhares das garotas invejosas. Os olhos esbugalhados dos garotos. Como tudo isso aconteceu diante dos meus olhos, percebi que eu estava mudando também. Envelheci. Fiquei mais fraca. Fiquei desiludida. Machucada. Perdi minha vontade de escapar da minha dolorosa vida. Tudo o que eu tinha era essa janela para sua vida que me mantinha firme. Você jamais saberia as formas diferentes que já me salvou de pensamentos ruins, dias ruins e toda a dor que eu já sofri.

Eu vi o dia em que o jovem bonito veio te buscar em um conversível vermelho. Sua mãe não estava feliz com isso, mas ela sabia que não tinha escolha. Você tinha que abrir as asas em algum momento. Você saiu com um lindo vestido floral que combinava com as flores do verão. Você voltou tarde naquela noite. Segurava um urso de pelúcia e alguns restos de algodão doce. Imaginei que você tinha ido para o parque. Imaginei todos os passeios que você deve ter feito. Toda a diversão que teve. Eu estava tão feliz que você tinha gostado do seu primeiro encontro. E então veio o beijo mágico. Ele se aproximou, corando, e te beijou. Suas bochechas estavam tão vermelhas que instantaneamente eu soube que presenciava seu primeiro beijo. Fechei meus olhos, imaginando como deveria ter sido. Por um segundo, imaginei que fosse eu usando aquele vestido, sorrindo, com borboletas no estômago e um beijo em meus lábios. Mas eu estava feliz por você.

Eu queria te agradecer por me permitir viver de novo. Por me permitir sonhar de novo. Eu queria te agradecer, mas simplesmente não conseguia chegar até você. Não conseguia falar com você. Eu não sabia como. Se você ao menos soubesse da minha janela...

Mas então, um dia, eu o ouvi falar sobre você. O homem com quem eu moro. Ele a notou. Eu o ouvi reclamando sobre como garotas bonitas como você não deveriam exibir suas pernas daquele jeito. O momento em que ele mencionou suas pernas, eu sabia que era o fim. Eu sabia que você se tornaria seu próximo troféu. Eu tinha que mantê-la longe dele. Essa era a minha chance de te agradecer. Eu não podia deixar você se transformar em mim.

Eu tive sorte. Eu não sei porque ele gostava tanto de mim. A maioria das garotas vinham e iam embora, e nunca voltavam. Mas em todos esses anos, ele sempre me manteve aqui. Acho que é porque ele viu que eu ainda tinha uma luz em mim. Porque eu tinha você. Todas as outras garotas morreram muito antes de ele as matar. Eu podia dizer que elas já estavam mortas em seus olhos muito antes dele cruelmente assassiná-las na minha frente, se exibindo.

Mas eu não. Você me manteve firme. Eu tinha minha pequena janela. Uma pequena rachadura no alto da parede deste porão que eu chamo de lar. Ele não gostava do fato de não poder me destruir. Ele não sabia da pequena rachadura. Então ele me mantinha viva para ver quanto tempo eu podia ficar assim. Era um jogo doentio. Mas estou ganhando graças a você.

Mas então ele a notou. E eu sabia, eu sabia que destino a esperava se ele colocasse suas mãos malignas em você. Toda a força que eu já deixei, juntei e me preparei para finalmente fazer algo a respeito.

Eu quero te agradecer. Porque se você está lendo esta carta, significa que eu consegui. Reuni minha coragem, coloquei tudo em ação e segui meu plano de escapar de uma vez por todas. Eu vou fazê-lo acreditar que morri. Não sei se vai funcionar. Mas se funcionar, ele virá para me pegar. Eu vou imediatamente chutá-lo o mais forte que puder, onde vai doer mais. O mais forte que puder. E então irei roubar suas chaves e correr o mais rápido que conseguir e deixar esta carta dentro da sua caixa de correio. Eu tenho a sensação de que ele vai me perseguir e me pegar uma hora porque estou fraca... Estou muito fraca. Maltratada. Sinto minha vida por um fio. Mas se esse for o caso, estou preparada para deixar este mundo por um longo tempo. Eu duvido que alguém me escute ou me veja. Esta rua é tão vazia. Às vezes parece que você é a única vida aqui. Mas contanto que você receba esta carta, eu sei que fiz minha parte e que você estará segura.

Monstros são reais. Este se chama Ryan Morehouse. Ele é o seu vizinho que mora em frente. Eu estive mantida em cativeiro em seu porão por muito tempo. Perdi a noção dos anos, mas acredito que devo estar com vinte e tantos anos agora. Eu tinha quinze quando ele me trouxe aqui. Meus pais devem ter me procurado. Por favor não conte a eles sobre mim. Eu não quero que eles saibam sobre as torturas que ele me fez passar. Eu não quero que eles me vejam destruída desse jeito. Eu só quero que você o denuncie para a polícia. Sua natureza maligna e mente depravada só podem ser paradas se ele for pego e colocado atrás das grades.

Eles vão encontrar corpos pendurados nas paredes do porão. Eu aprendi a viver com o cheiro mas eles perceberão no segundo em que descerem aqui. Há muitas garotas jovens nas paredes do meu quarto aqui embaixo. Diga a eles para tratá-las delicadamente. Elas eram boas garotas. Foram minhas companheiras. Minhas amigas.

Acima de tudo, eu quero te agradecer. Você é a única coisa que me manteve viva. Você era minha luz. E agora, eu estou escapando graças a você. Escapando deste quarto horrível. Escapando desta vida horrível. Mesmo que isso signifique que finalmente morrerei.

Com amor,

A garota que a viu crescer.


_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _


Nós encontramos esta carta em nossa caixa de correio. Após contatá-los, a polícia entrou na casa do nosso vizinho. Durante um período de cinco dias, eles encontraram um total de quinze corpos escondidos em diferentes partes de sua casa. Ele planejava sequestrar nossa filha, mas graças a esta misteriosa desconhecida, seu plano foi interceptado. Nós ainda não encontramos a garota que escreveu isso. Nós gostamos de pensar que ela escapou com vida, mas, infelizmente, isso é improvável, já que Ryan Morehouse também está desaparecido. Nós nem sabemos o nome dela. Mas nós encontramos a rachadura na parede, onde ela via minha filha crescer.




Esse conto foi traduzido exclusivamente para o site Creepypasta Brasil. Se você vê-lo em outro site do gênero e sem créditos ou fonte, nos avise! Obrigada! Se gostou, comente, só assim saberemos se você está gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião!


21 comentários:

  1. Noss cara, q coisa triste. Me fez lembrar daquele filme 3096 dias

    ResponderExcluir
  2. Tão triste e tão real
    Creepy sensacional

    ResponderExcluir
  3. Essa creepy devia ter aquele alerta que vocês colocam em vermelho :c suei pelos olhos aqui imaginando a situação da moça... pqp pedófilo é a coisa mais escrota do mundo, k7 me bate uma revolta tão grande... não gosto muito de ler coisas desse tipo, mas a creepy em si é muito boa 💜

    ResponderExcluir
  4. Excelente creppy, pude praticamente visualizar toda a história. Senti toda a tristeza, angústia e aflição da personagem principal, bem como a incredulidade e também gratidão dos pais da jovem observada, junto a um sentimento de esperança pelo bem estar da salvadora da mesma. Ótimo trabalho.

    ResponderExcluir
  5. Lindo gesto da menina.. muito triste, o pior monstro é o ser humano. 10/10

    ResponderExcluir
  6. Caralho mano, essa história me deixou muito triste :/

    ResponderExcluir
  7. minha primeira amiga da escola tb se chamava Brenda

    ResponderExcluir
  8. Nossa, muito boa! Achei genial 11/10

    ResponderExcluir
  9. Lembrou um pouco O Quarto de Jack.

    ResponderExcluir
  10. Lembrou um pouco O Quarto de Jack.

    ResponderExcluir