Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

Eu me segui no Instagram (Parte 1)

Foi bizarro. Pisquei desacreditado quando a notificação surgiu no meu celular. Aparecia que tinha um novo seguidor, mas isso não estava certo... Porque o novo seguidor era eu. Meu nome de usuário seguido de “começou a seguir você!”. Desbloqueei meu celular e abri o perfil do novo seguidor: com certeza era idêntico ao meu. As mesmas fotos, exceto pela ausência de likes e comentários. A única diferença é que ele tinha zero seguidores e seguia apenas uma conta. A minha.

Percebi que isso deveria ser um bug e o aplicativo errou ao carregar uma versão fodida do meu perfil. Ri de nervoso e pensei em me seguir de volta. Assim o fiz, então copiei o link para o perfil e mandei num grupo de amigos. Depois disso, coloquei o celular no bolso.

Alguns momentos depois ele vibrou e era a resposta de meu amigo Brandon.

“Não sei o que vc quer mostrar? O link ta quebrado”

Confuso, cliquei no link e ele funcionou perfeitamente. Falei que não era nada importante quando chegaram mais algumas mensagens dizendo o mesmo que Brandon. Mandei o link de uma foto engraçada que vi outro dia e eles acreditaram que era aquilo mesmo. Não entendi porquê o link não funcionou para eles.

Me distraí disso e continuei meu dia normalmente.

Era cerca de 19:00hrs quando recebi outra notificação.

Eu estava assistindo TV e comendo salgadinho quando meu celular soltou um “trim”. Olhei a tela pra encontrar o logo do Instagram. Me inclinando, abri o app e a notificação mostrou que meu doppleganger havia postado uma foto. Tenho uma certeza fodida de que não ativei as notificações mas o que é mais estranho é que todas as fotos do perfil era exatamente iguais as minhas, e eu não postara nada no dia. Intrigado, cliquei para abrir a página e quando vi a nova foto, arrepiei imediatamente.

A foto foi tirada em um cemitério cercado por um bosque. Focava em uma lápide com um rosto familiar em frente à ela.

Meu rosto, pra ser exato.

Eu estava parado próximo à lápide com um sorriso forçado e um braço por cima dela. Minha outra mão acenava para a câmera. Com um sentimento de sufoco, li o nome da minha esposa na lápide.

“Mas que porra...” foi tudo que sussurrei. Eu nunca tinha tirado essa foto. A pessoa na foto não poderia ser eu... e ainda assim era. Estava até usando a mesma roupa que eu usara mais cedo. Não tinha nada da descrição, apenas a foto sozinha.

Nesse momento, o trinco da porta começou a girar. Olhei assustado aquilo e me encolhi no sofá. Ela abriu lentamente e ninguém apareceu por alguns segundos, até que...

Minha esposa entrou carregando algumas sacolas do mercado. Ela as colocou no chão e olhou pra mim, fechando a porta.

“John, você tá bem? Parece que você viu um fantasma”.

Me sentei normalmente e só contei a ela que estava lendo uma história de terror. Ela riu de mim e a ajudei com as sacolas.

Faz dois dias que a foto foi postada e ainda não mostrei a ela. Não sei como abordar isso. O perfil não postou nenhuma outra foto mas sinto que irá. Continuo voltando lá para checar e quanto mais eu olho, mais irreal parece... Mas é real. Realmente sou eu na foto com um sorriso e um braço por cima da lápide da minha esposa.

Não faço ideia do que fazer e se alguém já passou por isso, gostaria de ajuda. Vou mantê-los informados caso algo aconteça.

FONTE

Esse conto foi traduzido exclusivamente para o site Creepypasta Brasil. Se você vê-lo em outro site do gênero e sem créditos ou fonte, nos avise! Obrigada! Se gostou, comente, só assim saberemos se vocês estão gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião!