Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

*** ISSO NÃO É UM TESTE *** Registro 5



Parece que não tenho necessidade de me apresentar se você já está por aqui há tanto tempo. Antes de continuarmos esta história, eu quero iniciar um diálogo com você, meus leitores, que acompanham minha história. Você já se sentiu sozinho? Eu não quero dizer apenas sozinho, como ser a única pessoa em uma sala. Eu quero dizer estar verdadeiramente sozinho, sem ter ninguém para conversar ou ligar. Um sentimento que realmente estabelece o quão pequeno e insignificante você é comparado ao resto do mundo. Parece que não ouço outra voz há meses. O tempo passa tão devagar quando você tem pouco a fazer, e ninguém para fazer com você. Mas enfim, vamos começar.

A escotilha no porão. Isso foi um divisor de águas para mim. Nas últimas 10 semanas, eu estava tentando desesperadamente manter a cabeça firme e terminar isso, mas agora tudo mudou. Esta escotilha poderia ser minha saída, meu Deus Ex Machina. O fato é que tinha uma coisa entre mim e a escotilha, que seria um metro de água cinza no chão do meu porão. Pelo que sei, a água poderia ter fritado os circuitos, ou a escotilha poderia estar completamente submersa. Isso não é algo que eu possa fazer sem preparação ... Eu já aprendi essa lição com Peter e a Sra. Kittridge.

Fazia cerca de uma semana desde que eu descobri o cartão de acesso, e a mais recente leva de suprimentos acabara de chegar. Acordei naquela manhã ainda me sentindo doente, mais doente do que antes. Havia essa dor em todo o meu corpo, parecia que eu não tinha comido em dias, meu corpo estava fraco e minha cabeça estava leve. As instruções deixadas para esta semana eram simples, coisas que eu poderia ter imaginado que seriam listadas. Um: Limpe o porão. Dois: Assista à sessão 3 de Edward. Três: Tome as pílulas (elas ajudarão). As pilulas? Que pílulas? Não havia nenhuma pílula nos suprimentos... Poderia ter sido meu "amigo" do lado de fora? Era difícil dizer quem era quem. Eu ainda não sabia se podia confiar em meu "amigo", poderia ser uma manobra criada por Isaías para me manter na linha, mas, novamente, não sei dizer.

Decidi dispensar as pílulas, pois não consegui encontrá-las, e fui assistir a mais recente entrada de Isaías... o que eu tenho chamado de sua pequena série, "My Little Birkenau". Sua semelhança parecia ter mudado entre a sessão 2 e 3. Ele se tornou muito mais idiota em seu discurso. Falando sobre como eu não consegui satisfazer suas expectativas. Ele falou sobre quanto potencial ele via em mim, o que eu não entendia. Este é um experimento para ver como as pessoas são em cativeiro, que tipo de expectativas elas têm? Acabou depois de cerca de 30 minutos, foi uma avaliação bem rápida, se é que você poderia até chamar assim.

Em seguida na minha lista estava o porão, e eu só tinha uma ideia, descobrir como abrir a escotilha. Era a única maneira possível de tirar a água, mas assim que eu abrisse a escotilha, eles viriam atrás de mim, então eu tinha que ter certeza que poderia sobreviver onde quer que eu estivesse. Eu tive sorte o suficiente para ainda ter minha bolsa de trabalho quando eles me agarraram. Não é maior do que uma pequena mochila, então não podia segurar muito. Peguei algumas barras de granola, garrafas de água, o laptop, para que pudesse escrever isso para você, e embalei alguns pares de roupas íntimas. Foi quando eu estava no meu quarto que vi as pílulas, elas estavam na minha mesa de cabeceira, bem ao lado da cama. Quem largou os comprimidos abriu a porta do meu quarto, entrou enquanto eu dormia e os colocou ao meu lado. Eu mal posso esperar para sair deste lugar.

Embalei as pílulas, depois de tomar 2, que era a dose diária, e fui para o porão. Deixei a bolsa no topo da escada, certificando-me de que não molharia. Comecei a procurar por algum tipo de interruptor, ou terminal, apenas de alguma maneira para abri-lo, mas não havia. Depois de tirar todos os móveis do caminho, descobri que o chão e as paredes estavam vazios. Eu fiquei tão frustrado, eu estava em um beco sem saída. Não havia mais nada para eu pensar. Eu joguei o cartão na água, e foi quando aconteceu. A escotilha se abriu e toda a água começou a entrar. Acho que era algum tipo de chave de contato, como a porta da frente funcionava. Eu olhei para onde ela levava, mas estava escuro, muito escuro para fazer qualquer coisa. Parecia que era um túnel que levava apenas para baixo. Peguei minha bolsa e decidi descer. A primeira coisa que fiz foi deixar cair algo, claro, não vou morrer aqui.

Depois do meu primeiro teste com um dos braços de manequim, eu pulei. Assim que meus pés se equilibraram, o chão ficou branco, depois as paredes e depois o teto. O branco se estendia em um túnel que dava dois sentidos, para a esquerda ou para a direita. Segui meu instinto e fui para a esquerda. O túnel parecia se estender por quilômetros, me senti triste, sem qualquer esperança de chegar ao fim. Você conhece o ditado "A luz no fim de um túnel escuro", bem, eu estava esperando por um pedaço de escuridão no final de um túnel de luz. Onde estava indo? Eu tenho para onde ir? Havia tantas perguntas que eu tinha que fazer, mas nenhuma resposta foi encontrada. Tudo o que pude fazer neste momento foi caminhar, andar e andar. Eu era um explorador, sozinho, indo para o profundo desconhecido ... O Abismo.


ESTE É O FIM DO REGISTRO 5.



Esse conto foi traduzido exclusivamente para o site Creepypasta Brasil. Se você vê-lo em outro site do gênero e sem créditos ou fonte, nos avise! Obrigada! Se gostou, comente, só assim saberemos se você está gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião!