Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

Nunca compre uma passagem de avião que custe 999 reais (Parte 2)

11 comentários
Estou bem contente que a primeira parte da minha história tenha alcançado tantas pessoas nesse fórum. Agora vou contar para vocês a segunda parte dela. Um último update virá logo.

Depois de me servirem pão fedorento e carne crua com tufos de cabelo no café, eu estava farta daquele país e queria muito ir embora, mas não tínhamos dinheiro ou crédito no cartão para comprarmos passagens de última hora para o Brasil. Eu poderia pedir para aumentar meu limite de crédito, era uma operação simples pelo aplicativo, mas requereria conexão com a internet, coisa que aparentemente não tinha em lugar algum em Lisboa.

Eu tinha 99% de certeza que eu não estava em Lisboa, mas não fazia ideia de onde estava. Eu até tentei perguntar para as pessoas que lugar era aquele, mas a maioria zombava de mim, permanecia em silêncio ou fugia. 

Felizmente, lembrei de Mariana. Nós éramos melhores amigas no ensino médio e mantivemos contato frequente nos últimos 12 anos. Adultas, não éramos tão próximas como já fomos, mas continuávamos boas amigas.

Ela estava visitando seu namorado na Espanha. Se eu conseguisse entrar em contato com ela, poderia sair desse lugar horrível. Era impossível fazer uma ligação e ela provavelmente não teria serviço no telefone dela também. Me sentia desolada, sem esperanças, mas decidi mandar uma mensagem no Whatsapp de qualquer jeito. Qual a pior coisa que poderia acontecer, certo?

Para minha surpresa, ela me respondeu quase instantaneamente. Nada mais funcionava. Eu não conseguia abrir sites ou usar qualquer outro aplicativo que requeresse internet, mas as mensagens estavam funcionando, de algum jeito. 

Contei para ela que estávamos em Lisboa, que algumas coisas bem esquisitas tinham acontecido e que só queríamos sair de lá, mas não tínhamos condição de voltar para o Brasil, naquele momento. Eu só queria passar a noite em algum lugar, aumentar o limite do meu cartão de crédito e ir embora.

Ela foi um anjo comigo e me respondeu "não se preocupe. Fique com a gente por alguns dias." Aparentemente, Mariana e o namorado dela nunca tiveram tanto tempo juntos sozinhos e estavam bastante entediados. Eles estavam em uma cidadezinha perto de Madrid e, se eu conseguisse pegar um trem ou avião, ela me buscaria. 

Apreciei o convite dela mais do que qualquer outra coisa na minha vida. Talvez ainda poderíamos fazer dessa uma boa viagem, pensei comigo mesma. Talvez nem tudo precise ser assustador, prédios feios e comidas podres. Entretanto, em poucos minutos tudo passou de ruim para pior.

Contei para Miguel sobre meu plano. Pegaríamos nossas coisas no hotel bem rápido, iríamos para Madrid no primeiro trem que conseguíssemos pegar, passar a noite na casa da minha amiga, então decidiríamos o que fazer. Honestamente, achei que ele recusaria e tentaria ser todo positivo e tirar o melhor do inferno que nos encontrávamos, mas ele concordou imediatamente.

Voltando para o hotel, nos perdemos um pouco. Estava escurecendo e tudo parecia igual. Todas as ruas eram feias, escuras e cheias de pessoas se comportando como monstros estúpidos. Eu honestamente esperava ser atacada e acabar sendo servida como charcuterie para os turistas no outro dia.

Entretanto, acabamos chegando na estação de trem. Era bem iluminada e parecia quase normal, assim como o hotel. Miguel decidiu que devíamos aproveitar a oportunidade e comprar logo as passagens para Madri e depois passar no hotel.

Eu não fazia ideia da distância entre as duas cidades. Sempre soube que a Espanha era do lado de Portugal, mas, para ser completamente honesta, sou péssima em geografia. Andamos pela estação, seguindo as placas. Além do hotel, era o único prédio bonito pelo qual passamos. A arquitetura era clássica e majestosa, mas mal cuidada. Estava meio que caindo aos pedaços, tanto por fora quanto por dentro.

Antes de alcançar a bilheteria no terceiro andar, ouvimos um barulho de explosão longe dali.

Era nosso hotel. Já que era um prédio alto, a gente conseguia ver o fogo estalando, consumindo todo o interior.

.

Eu fiquei parada lá, pensando no quanto eu queria estar em casa. Passei horas em um avião horrível, não tinha comido nada há um dia, aterrizei em uma cidade assustadora e horrível, e agora perdi todos meus pertences. Eu estava catatônica, cansada e chorando um pouco.

Miguel provavelmente estava do mesmo jeito, já que ele estava extremamente quieto. O coitado estava tão desorientado que não conseguia nem pedir desculpas por ter nos colocado nessa situação. Ele só estava melhor que eu porque ele tinha comido duas refeições no avião.

Não sei quanto tempo passei sem reagir. Sem pensar. Quase sem existir. Eu só queria ter alguns dias agradáveis com meu noivo. Trabalhei tanto o ano todo para conseguir pagar uma vida confortável, uma boa viagem. Nós dois trabalhamos.

Foi a vibração do meu celular que me tirou do transe. As mensagens de Mariana chegavam em cascata, uma atrás da outra.

QUEM É VOCÊ, SUA MANÍACA?

É ALGUM TIPO DE PIADA DOENTIA?

COMO VOCÊ CONSEGUIU O TELEFONE DELA?

COMO VOCÊ SE PASSA PELA MINHA AMIGA QUANDO ELA FOI ENCONTRADA NO BRASIL ASSIM

Ela enviou a foto e demorou um tempo para carregar. Quando finalmente carregou, eu não conseguia acreditar no que meus olhos viam. Era eu. Eu estava em uma ambulância, segurando uma mão que parecia ser da minha mãe. A foto estava um pouco borrada. Provavelmente tirada por ela. 

Eu estava coberta de sangue. Era uma cena grotesca. Minhas roupas foram arrancadas, meu rosto estava inchado e alguns tufos de cabelo pareciam ter sido arrancados de minha cabeça. Eu estava, provavelmente, inconsciente, mas claramente eu tinha chorado bastante. Minhas feições demonstravam uma dor indescritível. Minha boca estava um pouco aberta, eternamente gritando, sem nunca ser ouvida. 

Eu analisei a foto e reparei tudo isso em menos de meio segundo. Então, desmaiei. 


Esse conto foi traduzido exclusivamente para o site Creepypasta Brasil. Se você vê-lo em outro site do gênero e sem créditos ou fonte, nos avise! Obrigada! Se gostou, comente, só assim saberemos se vocês estão gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião!


11 comentários :

  1. Então tudo isso foi uma história do subconsciente dela para esquecer a tragédia, ou é uma impostora no lugar dela, e a original foi "sequestrada" nesse avião, ou ela está em um universo paralelo, são muitas teorias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E também, os tufos de cabelo lá da carne, poderia ser "dela" mesma?

      Excluir
    2. Eu acho que ela deve estar no limbo ou algo assim

      Excluir
  2. essa história ta tomando um rumo diferente do que eu esperava, parabéns essa história não é nada clichê e faz tenpo que não leio nada assim, espero pela 3 parte logo.

    ResponderExcluir
  3. ue, disse que não tinha internet mas enviou mensagem no WhatsApp

    ResponderExcluir