Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

Sequestrei uma criança e não me arrependo

18 comentários
Olá creepers amados do meu coração! Venho aqui avisar que recentemente eu não tenho tido muito tempo para traduzir em grandes quantidades por motivos pessoais, então não poderei mais trazer contos segundas e quartas, voltarei a postar só nas quartas. Estamos a procura de tradutores, se tiver interesse entrar para a equipe, manda uma mensagem lá no inbox da nossa página no facebook, que logo entraremos em contato para explicar como funciona. Obrigada pela compreensão.

***

"Olá."

Céu azul claro e limpo, uma brisa suave passando pelos subúrbios, o cheiro de grama recém cortada e uma menininha confusa me olhando, sentada no seu próprio canto, bem, mas bem longe das outras crianças. Pequeninha com cabelos loiros e longos em um rabo-de-cavalo, usando uma camiseta branca com algo escrito, saia rosa e uma calça azul clara por baixo. Ela parecia tão ansiosa quanto eu me sentia. 

"... Mãmãedizquenãopodefalarcomestranhos." 

"Como é?"

" Minha mamãe diz que não pode falar com estranhos." 

Me agachei e olhei-a nos olhos. Ela olhou para seus tênis. 

"Bem, meu nome é Christopher e sou amigo da sua mamãe, na verdade." 

Ela virou a cabeça para o lado. 

"... É mesmo?"

"Michelle Bain, alta, cabelo castanho bagunçado, nariz grande, olheiras?"

"... É."

"Então, qual seu nome?"

"E-emily."

"Emily Bain. Quer tomar um sorvete?" 

"... Mas, minha professora..."

"Ela está logo ali, e vamos voltar em cinco minutos." 

Segurei a mão dela e fomos para o shopping que era logo do lado da escola. O sorveteiro nos entregou duas casquinhas com granulados coloridos, o preferido dela. Ela murmurou um 'muito obrigada'. Ele riu e me elogiou por criar uma menina tão educadinha.

Terminamos de tomar o sorvete sentados na rua e até limpei o narizinho dela, todo branco e com granulados. Ela riu muito disso. Ao invés de voltar, levei-a para a loja de brinquedo, que ficava na frente da sorveteria. 

"Vamos lá, você pode escolher qualquer coisa."

"Hmmm, eu... ééé..." 

"Não se preocupe, tá bom?"

"T-tá bo-bom." 

Depois de olhar a loja toda umas três vezes, escolheu um ursinho daqueles do Freddy, sabe, aqueles robôs malignos do jogo Five Nights At Freddy? Poisé, nem eu entendi. 

Quando estávamos voltando para a escola pelo estacionamento, uma mulher nos viu ao longe e correu em nossa direção. Meia idade, cabelos pretos curtinhos, óculos, bem fofa. Já de longe eu podia ver que o circo ia pegar fogo. 

"Emily, onde você estava?! Estávamos te procurando!" 

"Desculpa," me intrometi. "Eu a levei para tomar sorvete." 

A mulher me olhou feio. "E você é..." 

"Christopher, um amigo da família." 

"Ah, sei... Bem, temos que ir agora. É uma emergência, então tchau." 

Enquanto a professora arrastava-a, Emily olhou para mim e acenou e eu acenei de volta. A pequenininha nem sequer desconfiava o que viria a seguir. 

É muito estranho, sério. Um incidente bizarro em nossa cidadezinha. Fiação defeituosa, grande incêndio, mãe solteira, morta. Nenhuma outro familiar. Que pena. Mas Emily me reconheceu quando fui visitá-la na delegacia e eu tinha uma cama sobrando e uma renda estável, então logo mais ela era só minha. 

Hoje é aniversário dela, na verdade. Só eu e alguns tios. Ela não gosta de multidões, sabe. Nós a mimamos, brincamos, comemos bolo e nos divertimos. 

Mas ainda assim, não consigo dormir. 

Entrei no quarto dela e me sentei ao seu lado. Dormindo profundamente. 

Levantei sua camiseta. As cicatrizes ainda estão lá, em suas costas. Mas logo vão ir sumindo.

Eu sequestrei uma criança, matei sua maldita mãe e não me arrependo. 



18 comentários :

  1. Noossa! Cara, genial!
    O cara "sequestrou" a menina pq a mãe dela batia nela, aaah!

    ResponderExcluir
  2. Divina, não tenho Facebook. Existe outra maneira de entrar em contato?

    ResponderExcluir
  3. Manda um e-mail para mim.
    divinalush@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enviei o e-mail. Avisando aqui no caso de cair em spam. Obrigado pela resposta! :)

      Excluir
  4. foi a creepypasta mais realista que li em meses

    ResponderExcluir
  5. Não seria melhor deixar só o primeiro parágrafo de cada história aparecendo?

    ResponderExcluir
  6. fui olhar o Facebook dessa divina e descobri q é mais uma "lacradora" de esquerda feminista KKK que decepção tomara que seja o perfil errado q eu vi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o que isso tem a ver com o blog, meu caro?

      Excluir
    2. Concordo com a Nayara, esse blog nao tem nada a ver com politica.. de modo que isso nao interfere em nada.
      E olha que nao tenho uma gota de sangue esquerdista... kkkkk mas o trabalho dela com as traducoes é muito bom ��

      Excluir
    3. Desde que isso não interfira no site, caguei baldes. O importante é ela ser uma ótima tradutora e nos trazer as melhores histórias. A vida pessoal de cada um, seja leitor, tradutor ou escritor fica a cargo da própria pessoa. Respeito é fundamental INDEPENDENTE da posição política, orientação sexual ou opção de vida de cada um :)

      Excluir
    4. "Hue Br Hue Games"

      kk dá até pena de responder

      Excluir
    5. Olha o nome e foto do animal, nem da pra levar a serio...

      Excluir
  7. Cara,essa ficou muito boa,parabéns.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir