Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

Encontrei um fórum para pessoas mortas

8 comentários
Essa é uma história tão velha quanto a internet em si. Você está lá no seu quarto, tentando espantar o tédio navegando na internet, passando por diversos fóruns e vendo várias imagens de maneira automática, sem prestar muita atenção. Um clique o leva a outro e antes que você repare, você está nos confins da internet, vendo as coisas mais esquisitas que ela pode proporcionar. 

Eu não sou um sabe tudo sobre tecnologia e o mundo virtual, mas creio que sou inteligente o suficiente para saber o conceito de sites não listados. Coisas que tu não consegue encontrar nas pesquisas do Google, mas existem e você consegue entrar se tiver o link. Acho que essa é a essência de Deep Web, não?

Eu costumo navegar no modo anônimo. Não vou entrar em detalhes, mas todos sabemos o motivo. 

Noite passada, ou essa manhã, dependendo de como você classifica o horário de 3 horas da manhã, eu estava lendo um fórum sobre as experiências mais estranhas das pessoas na internet. Eu sou um cara bem cético, então quando algum comentário mais completo possui um link, eu clico logo para atestar a veracidade da história.

Em determinado momento, me deparei com um site que não passava de uma série de números aleatórios que terminava em ".org", e que me levava para um fórum de aparência limpa.

"Como foi seu dia?" era o título do fórum. 

Era uma mudança bem vinda das histórias horríveis e deprimentes que eu tinha lido naquela noite até então, então decidi dar uma olhada e ver como as pessoas estavam ao redor do mundo. Talvez me focando na vida de outras pessoas eu conseguiria ignorar um pouco da minha própria existência deprimente.

Cliquei no primeiro link listado.

Quando me aposentei eu fiquei estupefato com a quantidade de tempo que eu teria que passar até morrer

Hoje, talvez tenha sido a primeira vez em 10 anos que eu apreciei uma manhã calma. Minha esposa fez para mim meu café da manhã favorito e até fiquei contente por ter tirado uma soneca no meio do dia.

Acho que meu corpo estava simplesmente cansado demais, porque eu nunca mais acordei daquela soneca. Como eu conseguiria avisar pra minha mulher que eu não morri sofrendo e que eu a amo muito?

Meio confuso sobre a última frase, dei uma olhada nos comentários:

Todos morremos um dia, bem vindo!

E outro dizia:

Se você tratou ela bem, ela já sabe que você a ama.

"Algum tipo de interpretação de papéis?" foi a primeira coisa que conseguir pensar. Os comentários eram uma coleção de boas vindas e comentários maldosos e rancorosos. Cliquei o próximo post.

Honestamente, eu sempre esperei mais da minha vida. Meu pai era uma pessoa horrível, pra começo de conversa. Discutir com adolescentes é um esforço inútil que me faz ansiar por um tempo que eles ficavam contentes apenas por ter panquecas de café da manhã.

Raiva é tão inútil quanto, como descobri já no final da minha vida. A distração foi a única coisa necessária para me fazer perder o sinal vermelho e... bem, não tenho muita certeza do que aconteceu depois, mas aqui estou eu, no meu último dia nesse planeta de merda.

Ele assinou a postagem, aparentemente, com seu nome e data de aniversário verdadeiros. Era um nome bem incomum, para falar a verdade. Abri outra aba no navegador para checar seu nome e relaciona-lo com informações sobre acidentes de carro. Tudo que encontrei foram algumas notícias de 2004, mas que coincidiam perfeitamente com a história do post.

Que tipo de doente usa a identidade de alguém que teve uma morte tão trágica? Irritado, mas intrigado, continuei a leitura. Posso culpar apenas minha curiosidade mórbida.

Não sei quanto tempo, exatamente, passei lendo inúmeros posts sobre pessoas que fingiam ter morrido de várias formas diferentes, em diferentes períodos da história. Todo mundo assinou as postagens com seus nomes reais e ninguém chamou atenção para os delírios.

O que me tirou do automático foi quando vi um post com um nome familiar. Minha própria mãe, que já estava morta já há mais de dez anos. Tive então certeza que alguém estava pregando uma peça doente ou uma interpretação de papel bizarra. Talvez eles estivessem olhando obituários e usando a identidade dos mortos por puro prazer. Eu fiquei ainda mais perturbado quando eles descreveram perfeitamente detalhes sobre a morte dela que ninguém nunca ficou sabendo.

Eu me sentia cansada como se fosse sempre tarde da noite. Não foi uma surpresa quando acordei essa manhã e senti como se não dormisse há dias. Eu só queria ficar o dia todo na cama, mas precisava realizar minhas funções com a minha família. Meu marido já tinha saído para o trabalho e eu tinha tirado a semana de folga para me recuperar, mas alguém precisava alimentar as crianças.

Ocorreu tudo bem no café da manhã. Dei para eles o café favorito deles: panquecas. Fácil de preparar e eu não tinha nada de melhor pra fazer.

Lembro de ir para o chuveiro, mas estava ficando muito difícil de respirar, e o vapor da água quente estava deixando tudo pior. Até que desmaiei. Eu realmente não sei o que aconteceu depois disso.

Oh, Deus, espero que meus filhos não me vejam caída nua no chão do banheiro.

Ali eu decidi que eu seria aquele que faria eles pararem de roubar a identidade dos outros. Pelo menos use um nome falso, caso isso não seja nada além de uma brincadeira patética. Procurei pela página um lugar para eu me registrar, até que descobri que eu já estava logado; com meu nome real, para falar a verdade.

Com certo medo, cliquei para expandir o meu perfil. Nele, alguém tinha escrito meu nome, endereço de email, data de nascimento e... data da morte: hoje.

Mais uma vez, meus olhos voltaram para o título do fórum:

"Como foi seu dia?"

Me reclinei na cadeira e refleti sobre o que tinha acabado de acontecer. Minha vida não era a mais interessante do mundo e eu nunca tinha parado direito pra pensar como meu dia tinha sido.

Não havia acontecido nada de extraordinário no meu dia. As provas de fim de período estavam chegando, então eu estava acordando mais cedo do que eu estava acostumado.

Eu bebi café, fiquei na internet ao invés de estudar, procrastinando mais do que gostaria de admitir, mesmo que tenha chegado um momento que me senti culpado, peguei um livro e estudei a tarde toda.

Uma leve dor de cabeça me atingiu, ainda que forte o suficiente para me fazer parar de estudar e fazer algo mais relaxante.

Na verdade, talvez tenha sido mais do que leve. Foi mais como uma dor penetrante que aumentou rapidamente a intensidade. Levantei da cadeira e caí no chão. Isso era tudo que eu me lembrava antes de apagar.

É um sentimento peculiar quando seu coração para de bater, mas, aparentemente, é o que é necessário para se conseguir acesso ao fórum de pessoas mortas.

Eles me trouxeram de volta. Eu tenho uma vaga memória dos paramédicos me levando para o hospital, agulhas sendo injetadas em minhas veias. Acho que meu pai subiu para o quarto para me ver. Sorte minha.

Para falar a verdade, me peguei agora navegando por esse fórum, sem saber bem como cheguei aqui.

Como foi seu dia?

Fonte

Esse conto foi traduzido exclusivamente para o site Creepypasta Brasil. Se você vê-lo em outro site do gênero e sem créditos ou fonte, nos avise! Obrigada! Se gostou, comente, só assim saberemos se vocês estão gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião!


8 comentários :

  1. Respostas
    1. Não, ele apenas morreu e descobriu o fórum, então fez uma publicação.

      Excluir
  2. eu morri dormindo, foi uma morte calma e como não tinha amigos nem familha ninguém teve qui sofrer por min meu corpo foi encontrado 5 dias depois em estado de putrefação.

    ResponderExcluir
  3. Gostei da creep, eu me divirto com essas histórias, apesar de todo meu ceticismo eu acho interessante essas coisas,pois expoe nossa capacidade criativa

    ResponderExcluir