Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

O Corpo no Saco

17 comentários

Resultado de imagem para body in a bag


O Halloween deste ano foi memorável. Irei contar o porquê: fiz alguns amigos. Não sou o tipo de pessoa que faz amigos facilmente, na verdade sou meio solitário. Nunca estive muito com pessoas da minha idade. Fui educado em casa pela minha tia até os 16 anos. Ela morreu cerca de 2 anos atrás. Isso foi bem intenso pra mim.

Agora estou indo para a faculdade. É uma faculdade bem ruim, a única em que pude entrar. Estou feliz por pelo menos poder ir. É uma experiência emocionante, só estava triste que minha tia não estava lá para ver. Ela é quem queria que eu fosse e economizou seu próprio dinheiro para que eu conseguisse entrar. Eu tive que implorar pro meu tio me deixar ir. Ele queria usar o dinheiro para alguns equipamentos novos. Queria que eu ficasse ajudando na fazenda. Em que século estamos? Sério.

Enfim, este Halloween foi o meu primeiro fora de casa. Eu me vesti como um cara com duas cabeças, e se posso dizer, estava bem realista. Mas eu não tinha nenhum amigo para sair, então eu praticamente vaguei pelo campus até ouvir música e vi um dormitório com muitas pessoas lá dentro. Reunindo minha coragem, entrei e fiz o meu melhor para me misturar. Foi muito divertido, minha fantasia recebeu muita atenção e percebi o que perdi durante todos esses anos.

Esses dois outros caras gostaram de mim e me deram algumas bebidas, e logo eu estava me divertindo muito com eles. Seus nomes eram Joe e Pete, e ambos se vestiam como vampiros.

Cerca de uma hora depois da festa, esse outro cara apareceu, e é aí que a história realmente começa. Ele tinha um corpo, embrulhado em plástico, não dava pra ver que era um corpo, mas dava pra presumir, e ele estava vestindo um terno. Joe e Pete ficaram realmente interessados ​​nele. Eles ficaram impressionados com sua criatividade, eu acho, ele disse que estava fazendo um tipo de "American Psycho". Eu não sabia o que isso significava, meu tio nunca me deixou assistir filmes ou coisas em casa.

De qualquer forma, ele se tornou parte do nosso grupo e saímos para outras festas. O sujeito carregava o corpo em um pequeno carrinho vermelho para crianças pequenas o que deixava aquilo mais sinistro. Ele na verdade era bem engraçado, mas tinha esses olhos que meio que entravam em você e um comportamento realmente assustador em geral. Eu meio que fiquei longe dele o máximo que pude.

Nós fomos assim para mais algumas festas naquela noite. Eu nunca bebi antes, mas meu tio não estava lá para me impedir. Foi bom fazer o que eu queria pela primeira vez. Ele bebia o suficiente em casa para nós dois.

Na terceira festa, Joe e Peter começaram a suspeitar. De acordo com eles, o cara com o corpo estava agindo estranho. Ele não deixava o corpo, mesmo pra ir no banheiro, e ele estava estranhamente defensivo sobre isso. Foi quando eles começaram a conversar um com o outro se aquilo era na verdade um corpo real. Aaah!

"Faria sentido, certo?" Joe perguntou. "Quero dizer, é o disfarce perfeito." "Então por que ele viria a essas festas com a gente?" Pete respondeu. Joe deu de ombros, "talvez isso o excite." Pete riu e balançou a cabeça. "Sério, e se eu estiver certo? Pense nisso." "Eu acho que só estamos bêbados." "Não, cara. Estou pensando muito claramente!"

A conversa morreu quando o cara veio até nós. Tiramos mais algumas fotos e dançamos como idiotas. havia muitas garotas bonitas lá. Não estou acostumado com garotas bonitas. Meu tio sempre me batia na cabeça se eu sequer olhasse para uma garota no mercado e me dizia que eu era um pervertido e iria para o inferno.

Então o carrinho do cara quebrou, e o corpo estava pesado demais para carregar sozinho. Joe e Pete se entreolharam desconfiados, e eu sabia o por quê. Por que eu deliberadamente o faria pesado se fosse falso? O que realmente havia lá?

Então quando Pete se ofereceu para ajudá-lo ele ficou bravo e tentou proteger o corpo, o que o fez ainda mais suspeito. Ele se desculpou, e perguntou se poderia pegar uma carona para sua casa pois não podia carregar o corpo por todo o caminho até lá. Eles sugeriram que ele apenas deixasse lá e pegasse de manhã, afinal quem pegaria aquilo? Então ele ficou bravo novamente. Neste ponto, Joe e Pete e até mesmo eu estávamos quase certos de que algo estranho estava acontecendo.

Eles estavam receosos em lhe dar uma carona, mas ele esteve no carro conosco a noite toda e nada aconteceu, então conversamos juntos. (Dissemos à ele que estávamos tentando achar as chaves ou algo assim, e então nos juntamos.)

"E se ele nos matar? Isso tá parecendo um filme de terror."
"Sim, mas e se ele tiver outras vítimas na casa dele? E se nós formos os únicos que podem salvá-los?"
"E se ele nos matar se recusarmos? Aqui e agora." Interrompi. Eles olharam pra mim e eu encolhi os ombros. Estava escurro e nós estávamos bem longe da comoção. Sombras nos rodeavam. Ele poderia fugir facilmente. "Ele tem razão." Disse Joe. "Tudo bem." Concordou Pete.

Então estava resolvido. Nós o observamos colcoar o corpo na parte de trás do carro, recusando completamente qualquer ajuda, então nós entramos e ele nos deu a direção para sua casa. Todo mundo estava em silêncio enquanto ele dava as instruções, foi intenso.

"Certo, chegamos. Obrigado, rapazes." Disse ele enquanto saía do carro. Então ele se virou, "Ah, espere, eu tenho algo para dar a vocês! Espere aí, já volto." Então ele correu e desapareceu dentro de casa.

Nós ficamos olhando, compleatemente sem saber o que fazer. "O que ele vai nos dar? Ah merda ele vai voltar com uma motosserra. Porra, porra. Dirige! Dirige!"
"Nós ainda estamos com o corpo! Eu não quero aquilo no meu porta-malas!"
"Vale a sua vida?!" Joe quase chorou.
"Por que não verificamos se é realmente um corpo ou não?" Perguntei. Eles me olharam por um segundo e assentiram.
"Sim, temos que ver o que é. Mas não eu, não vou lá de jeito nenhum."
"Nem eu."

Entãom eu saí, fui até o porta-malas, abri e coloquei minhas mãos no corpo. Estava quente, embora pudesse ser apenas por estar abafado pelo transporte.

Eles estavam olhando para mim da frente dizendo-me para me apressar, então eu peguei o plástico e comecei a rasgar. Cheguei ao centro e tirei a última camada para revelar um manequim. Um manequim de plástico. Era realmente apenas um manequim. "É falso." Eu disse. "O que? Sério?” 
“Ei, o que está acontecendo aí?" O cara tinha voltado. Eu fiquei lá, os restos de plástico em minhas mãos. Joe e Pete começaram a se explicar, mas de repente o cara apenas riu.

“Oh meu Deus, vocês realmente acharam que eu tinha um corpo real? Bro, é um manequim. Eu estava tentando ter cuidado com ele porque não é meu, é da minha irmã. Ela está estudando para ser médica, então é muito realista e pesado.”

Houve um "Aaahh" coletivo de Pete e Joe, que imediatamente se sentiram estúpidos e gritaram com ele por não ter contado antes. Ele nos deu cupons de desconto para uma loja onde ele trabalhava, dizendo que queria se livrar deles e que foi pra isso que ele entrou. Ele levou o manequim para casa. O agradecemos, nos despedimos e saímos. Definitivamente conversamos no caminho para os dormitórios. Nos sentíamos estúpidos.

Eu os pedi para que me deixassem na beira do campus, dizendo que era onde ficava meu dormitório e agradeci pela noite.

Mas meu dormitório ficava a quase um quilômetro dali. Depois que eles partiram, comecei a caminhar pela floresta ao redor do campus. Andei por cerca de 5 minutos até chegar a um riacho. A luz da lua iluminava o suficiente para eu ver.

Então suspirei, puxei a cabeça do meu ombro e joguei na água corrente, onde eu havia me livrado do corpo naquela manhã. "Tchau, tio." Então me virei e marchei de volta para casa.

Admito, fiquei um pouco desapontado por eles não terem suspeitado. Aquilo era emocionante, saber que a cabeça de uma pessoa morta estava no meu ombro enquanto eles olhavam diretamente para ela. Estava lá o tempo todo! Ha! E tudo que importava era aquele corpo falso idiota.

Balancei a cabeça. As pessoas são tão idiotas.





Esse conto foi traduzido exclusivamente para o site Creepypasta Brasil. Se você vê-lo em outro site do gênero e sem créditos ou fonte, nos avise! Obrigado! Se gostou, comente, só assim saberemos se você está gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião!

17 comentários :

  1. CARAAAI Porcesse final eu não esperava

    ResponderExcluir
  2. Definitivamente não esperava por esse final!!! WOW

    ResponderExcluir
  3. mEU DEUSSSSS
    q creepy magnífica
    quebrou todas as minhas expectativas

    ResponderExcluir
  4. Já suspeitava do desfecho, mas ainda assim me prendeu. Gostei bastsnte :)

    ResponderExcluir
  5. Me prendeu, admito. Mas ainda assim achei meio pombo, esperava algo mais impactante.

    ResponderExcluir
  6. gostei muito,mas tirem esse aviso que foi traduzida para o site, pq li essa creepy no reddit bem antes de ser postada aqui, então qualquer site pode botar essa mesma creepy e isso nao significa que está copiando esse site maravilhoso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada Creepy é traduzida palavra por palavra pela gente, mudamos coisas conforme nossa experiência de leitura e essa é a nossa marca, você não veria a mesma Creepy escrita desta forma em outro site, por exemplo.

      Excluir
    2. ok, entendi, é pq as vezes eu sou uma metralhadora de merda mesmo, me desculpe pelo incomodo

      Excluir
  7. Caramba, isso foi inesperado ! Que creepy boa hein

    ResponderExcluir
  8. Amei �� bem adolescente com a festinha.. e curti o final tb �� 10/10

    ResponderExcluir
  9. Wow, realmente não esperava esse final.
    Muito show, parabéns pela tradução!

    ResponderExcluir
  10. caralho, no começo eu já imaginei que teria algo sobre essa cabeça, mas a história me fez esquecer dela e tomei um susto com o final

    ResponderExcluir