Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

Tem uma garota morta no Snapchat: A Realização (Final?)

17 comentários
Nota do autor: Gente, obrigado por acompanharem minha história. Eu pretendo postar um ultimo update, a menos que algo terrível aconteça comigo.

A seguir, um compilado de atualizações online feitas por exwindchaser (autor da história) enquanto lidava com o espírito vingativo de sua amiga morta.

05/10/2018 - 15:45

Acabei de chegar em casa do trabalho. Tive que sair mais cedo depois do que aconteceu no escritório. Eu estava bem confuso. Era o Naveed esse tempo todo usando o telefone da Lydia? Isso explicaria bastante coisa, mas, ao mesmo tempo, não fazia sentido. Por que falar comigo, entre todo mundo? Eu não era próximo do Naveed na época. E como explicar os sonhos que eu andava tendo?

Não. Eu estava convencido que a Lydia estava, de algum jeito, me mostrando Naveed. Em um mundo onde uma mulher morta consegue se comunicar comigo através de sonhos e rede sociais, faz sentido que ela, de algum jeito, mostrasse o que o assassino dela estava fazendo.

Eu chamei a polícia no meu caminho para casa. Cara, aquela foi uma conversa divertida. Eu não sabia nem como começar a explicar as coisas que eu tinha visto, porque eu sabia que eles achariam que eu era maluco. Eu acabei deixando só uma denúncia anônima dizendo que um prisioneiro tinha escapado de uma das prisões e que, possivelmente, mataria de novo. Eu dei o nome dele e as acusações, mas eu desliguei antes que eles perguntassem como eu sabia daquelas coisas. Tomara que isso não me ferre mais pra frente.

Eu não sei o que vai acontecer daqui pra frente. Só sei que preciso tirar um cochilo.

06/10/2018 - 3:18

Lydia veio até mim de novo.

Claro que tira um cochilo à tarde me faria acordar de madrugada. E, claro, que a Lydia apareceria mais uma vez para uma de nossas pequenas conversas. Nós estávamos na loja de sorvete de novo.

O céu estava nublado. Eu não sabia se era porque era o tempo mesmo ou se estava refletindo o humor da Lydia.

Ela estava vestida toda de preto. Foi a primeira vez que eu reparei no que ela estava vestindo. Era um preto bem, bem escuro. A única área com alguma cor era um ponto carmesim onde seria o coração dela, mas, ainda assim, era tão escuro que praticamente se confundia com o preto da camisa dela.

"Mas que merda foi aquela?" eu perguntei, exasperado. Eu sabia que era um erro demonstrar tanta emoção, mas era um sonho e eu não tinha muita certeza como as coisas funcionavam por lá. Era eu mas, de algum jeito, eu conseguia ver tanto pelo meu ponto de vista quanto de cima, olhando nós dois sentados à mesa, com duas vasilhas de sorvete derretidos e dois cachorros amarrados nos nossos pulsos.

"Desculpa, mas isso é tão novo pra mim quanto é pra você." Ela disse, hesitante. "Eu não queria que você visse tudo aquilo, mas eu estava lá no seu escritório e, de repente, me lembrei onde ele estava na noite anterior. Do nada começou a aparecer no seu telefone."

"Isso é tão estranho..."

"Eu sei! Minha última memória é deu gritando para o Naveed sair do meu apartamento, ele tirando algo do seu bolso e um barulho alto..."

"Eu não sei se quero ouvir isso..." eu tremi com o vento frio que passou subitamente pelo meu corpo.

"... então eu comecei a tentar contatar as pessoas, tentando avisá-las que o Naveed estava vindo. Ninguém foi capaz de me responder. Só você. Eu não sei o porquê nem como, mas você parece ser a única pessoa que consegue fazer ele não matar de novo."

Eu segurei seus ombros, desprovidos de qualquer calor, e a sacudi gentilmente. "Onde ele está? Como eu vou conseguir pará-lo se você só me manda essas mensagens enigmáticas e esses sonhos esquisitos?"

Lydia cobriu seu rosto com as mãos e começou a chora alto. Nesse momento, começou a cair granizo do céu. "EU NÃO SEI!" Ela gritou, o mais alto que conseguiu. Eu soltei seus ombros e ela se virou para o céu, gritando essas três palavras mais alto que era humanamente possível. A tempestade piorava a cada vez que ela repetia a frase e eu me implorei para acordar. Eu estava ensopado e tremendo, me abraçando em uma tentativa desesperada de me esquentar enquanto ela declamava aos céus que ela não sabia onde o seu assassino estava e nem como pará-lo.

Nossos cachorros começaram a latir alto. Eu tinha esquecido que eles estavam ali, mas eles se fizeram notar com os latidos e com a minha cachorra puxando a coleira. Eu não conseguia tirar os olhos da Lydia enquanto ela continua gritando para os céus, mas nossos cachorros latiam furiosamente. O terror em seus latidos era evidente e eu desejei poder fazer alguma coisa para acalmá-los. Eu sabia que não podia fazer nada, então continuei olhando para a Lydia conforme o vento e a precipitação continuavam a nos castigar. Eu senti eu me levantando do banco. "Lydia! Pare!".

Ela finalmente parou, mas a tempestade não. Ela olhou para mim de um jeito frio. Uma frieza que eu não tinha visto em nenhuma outra de nossas conversas. Suas pupilas estavam brancas e sua pela cinza. Lentamente, a vida começou a sumir de seu rosto. Sua pele sedosa começou a se deteriorar em frente aos meus olhos.

"Você não vai me ver de novo," ela sussurrou "eu estraguei tudo mostrando tanta emoção. Me perdoa." Ela era, basicamente, um esqueleto nesse ponto. A chuva parou e, de algum jeito, eu estava seco, mas eu tremi, ainda assim. "Por favor, detenha-o".

Uma brisa leve soprou e ela desapareceu.

08/10/2018 - 12:17


Não aconteceu muita coisa depois que tive aquele sonho. Eu fui visitar meu irmão e a família dele. Eu não contei nada do que aconteceu, mas ele sabia que tinha alguma coisa errada e ficou me fazendo um monte de pergunta. Eu fiz o possível para desviar das perguntas e convencer ele que era apenas estresse do trabalho.

Mantendo sua palavra, a Lydia não apareceu mais nos meus sonhos e nem me mandou mais mensagem no Snapchat. Nós só conversamos por alguns dias, mas eu sentia falta dela. Toda vez que meu celular vibrava, eu olhava para ver se era ela. Sem sorte.

Eu falei com a polícia algumas vezes, mas não obtive nenhuma resposta sobre o paradeiro do Naveed ou se ele tinha matado de novo.

Jorge não me atendeu nem respondeu minhas mensagens. Isso é o que realmente me deixa assustado. Eu não tenho ideia se ele está bem. Eu consegui falar com algumas outras pessoas do grupo e tentei explicar a situação, mas eles ou achavam que eu estava maluco ou que eu estava sendo um sádico falando tais coisas. Nenhum deles soube do Jorge também.

11/10/2018 - 18:30

É meio esquisito pensar que isso tudo aconteceu somente há uma semana e meia. Os stories que eu compartilhei no Reddit se tornaram virais e todo mundo vive me pedindo por atualizações. Ainda não tive notícias do Jorge e não teve nada sobre a fuga do Naveed. Eu estou começando a achar que tudo não passou de um surto psicótico. 

23/10/2018 - 12h

Finalmente algo sobre o Naveed. Eu coloquei um alerta no Google no nome dele e recebi algo essa manhã. Não diz nada sobre sua fuga. Ele vai entrar em condicional em Fevereiro. Por que isso é notícia? Por que ninguém está falando sobre sua fuga?

Ugh.

Isso realmente aconteceu? Há 23 dias isso tudo pareceria loucura. Parece que é um pesadelo. Talvez eu esteja perdendo a cabeça.

Lydia, por favor, volte.

Me desculpa. Me desculpa por ter gritado com você. Eu queria poder ter feito mais. Eu só queria que você ficasse em paz. Eu vou ter que achá-lo sozinho, né?

Eu sinto sua falta, Lydia. De verdade. Eu era apaixonado por você. Não sei porque nunca disse nada. Não sei nem porque eu não conseguia admitir isso para mim mesmo. Você era tão linda. Seu sorriso, seu coração... Tudo em você era perfeito. Eu devia ter falado alguma coisa. Feito alguma coisa.

Talvez se eu tivesse te chamado para sair antes do Naveed, ele não teria se apaixonado por você daquele jeito. Talvez nada disso tivesse acontecido. Talvez, só talvez, ele não tivesse te matado.

Me desculpa, Lydia. Eu devia ter dito alguma coisa. Não se vá de vez, por favor. Eu sinto muito a sua falta. Eu estraguei tudo por não ter dito algo, mas eu vou consertar isso. Eu faço qualquer coisa para consertar isso. 

Eu sei o que eu tenho que fazer.

Tenho que parar o Naveed, eu mesmo.



Gente, é o seguinte, esse é a ultima postagem do autor no Reddit. Ele disse que poderia ter uma continuação, mas não teve. Eu coloquei o ponto de interrogação no título porque ainda está aberto para uma possível parte final mesmo. Eu entrei em contato com o autor, mas ele nunca me respondeu. Quando postei a primeira parte da creepy, ainda parecia que ia ter um final. Por outro lado, eu, pessoalmente, creio que essa é sim a ultima parte e que ela dá um final, se não satisfatório, mas um ponto final na história e faz sentido não ter outra atualização. Nos comentários, se alguém se interessar, eu respondo o que interpretei do final, mas acho que fica meio aberto a interpretações. Bom, é isso. Vou voltar com histórias em parte única e ano que vem começo outra série aqui. 

Esse conto foi traduzido exclusivamente para o site Creepypasta Brasil. Se você vê-lo em outro site do gênero e sem créditos ou fonte, nos avise! Obrigada! Se gostou, comente, só assim saberemos se vocês estão gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião!


17 comentários :

  1. Mano final surpreendente mas uma coisa as linhas brancas é o fim da história

    ResponderExcluir
  2. não tem continuação pois supostamente ele teria matado o naveed e sido preso ou morto pelo mesmo?

    ResponderExcluir
  3. ... Acho que foi a mais decepcionante ate hoje

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei que a mais decepcionante foi aquela da mulher segurando a laranja ..kkkk

      Excluir
    2. Tinha que lembrar dessa? Ridículo ter que comprar um livro para saber o final

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Não foi ruim(bem escrita,protagonista carismático,poucos clichês).O problema foi eu ter me animado e criado muitas expectativas para essa creepy.Foi até boa,mas o final anticlimatico,quase bobo,destoou demais das outras partes.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Qual foi a sua interpretação, João Pedro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Diandra.

      Então, pra mim, nada da história aconteceu. Ou melhor, nada da parte sobrenatural. Não apenas porque ele disse, várias vezes, que achava que estava perdendo a cabeça. Na primeira parte o vômito sumiu, na segunda o Jorge sumiu sem dizer, exatamente, o que viu no celular, na terceira só o escritório dele tava frio, etc. Pra mim, ele era tão apaixonado por ela quanto o Naveed e se culpava pela morte dela, por isso ela só conseguiu "falar" com ele. Mesmo dando alguns indícios que era real, eu só consigo ver como se fosse coisa da cabeça dele. Quanto ao final, eu acho que ele foi atrás do Naveed e "descobriu a verdade", por isso não tem mais postagem, mas, como eu disse, é interpretativo. Tudo pode ter acontecido e ele morrido mesmo. Honestamente, não sei qual final é mais decepcionante.

      Excluir
  8. Respostas
    1. Oi, Mariana.

      Então, pra mim, nada da história aconteceu. Ou melhor, nada da parte sobrenatural. Não apenas porque ele disse, várias vezes, que achava que estava perdendo a cabeça. Na primeira parte o vômito sumiu, na segunda o Jorge sumiu sem dizer, exatamente, o que viu no celular, na terceira só o escritório dele tava frio, etc. Pra mim, ele era tão apaixonado por ela quanto o Naveed e se culpava pela morte dela, por isso ela só conseguiu "falar" com ele. Mesmo dando alguns indícios que era real, eu só consigo ver como se fosse coisa da cabeça dele. Quanto ao final, eu acho que ele foi atrás do Naveed e "descobriu a verdade", por isso não tem mais postagem, mas, como eu disse, é interpretativo. Tudo pode ter acontecido e ele morrido mesmo. Honestamente, não sei qual final é mais decepcionante.

      Excluir
    2. Adorei a sua interpretação, João.

      Excluir