Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

Estou sendo forçado a jogar um jogo de 24 horas (10:00 - 11:00)

6 comentários
“Ele tinha que ganhar desta vez. É por isso que me juntei... para ter certeza de que poderia ajudá-lo. Mas o jogo... O jogo sabia o que estávamos tramando. Não sei como, mas sabia!"

Essa foi a última coisa que Melissa me disse antes de voltarmos a nos mexer. Heather e Celeste estavam certas de que não era mais seguro ficar perto do bosque onde encontramos os três homens.

Posso dizer que Melissa mal tinha forças para andar, quanto mais responder ao resto das perguntas que eu tinha.

Mas eu sabia que algumas dessas respostas deviam que estar no pen drive que acabáramos de extrair do estômago de seu pai morto.

Expressei essas preocupações em voz alta e murmurei: "O que você acha que tem no pen drive?"

"Não sei", Celeste respondeu, olhando para Melissa por uma resposta.

"É quase 10h30. Precisamos tirar um minuto para descansar antes de começarmos nosso próximo desafio", Heather disse quando paramos perto de um riacho murmurante.

Nenhum de nós se opôs e fiquei de joelhos, pegando a água limpa e fresca com as mãos enquanto lavava o sangue dos meus braços e depois bebia.

O celular que tínhamos pego do piloto do helicóptero tocou enquanto eu continuava me lavando.

"O que tá dizendo?" Wayne perguntou.

"Merda." Heather respondeu, e isso me preocupou imediatamente.


Levantei e verifiquei a mensagem por mim mesmo. 

XI. CORRA.

"Não quero nem saber o que isso significa", murmurei.

Nós cinco olhamos novamente ao redor da floresta silenciosa, tentando antecipar algum tipo de perigo.

"Para onde temos que ir?" Perguntou Wayne.

Eu estava prestes a fazer uma sugestão quando ouvi um barulho vindo do leste, de onde tínhamos originalmente vindo. Soava como um ronronar suave, e então vi fumaça subindo lentamente sobre o topo das árvores. Haviam helicópteros se distanciando à distância.

"É um incêndio!" Celeste entendeu.

Heather pegou a mochila enquanto Wayne e eu pegamos a caixa de suprimentos.

Melissa apenas ficou lá parada, ainda entorpecida pela perda repentina de seu pai.

Larguei a caixa quando ouvi o rugido das chamas se aproximando e segurei o braço dela.

"Temos que ir."

"Por quê? Do que vale?" Disse com raiva.

"Não faça isso de novo, não agora!" Eu insisti com ela.

O fogo se aproximava rapidamente de nós.

"Eu não tenho nenhum motivo para continuar. A mesma coisa que antes, na verdade. É irônico... Esperei seis meses para trazer meu pai de volta... e só o vi por alguns minutos até vê-lo morrer", Melissa riu.


"Deixe ela aí", Wayne resmungou.

Balancei a cabeça e olhei para Heather, que já estava distante.

"Seu pai não iria querer que você morresse aqui neste lugar. Ele iria querer que continuasse. Lutar contra isso o máximo que pudesse!" Eu disse a ela.

Ela estava olhando para o inferno furioso de fogo como se estivesse seduzida pela morte que lhe oferecia. Mas assim que uma árvore caiu perto de seu rosto, ela saiu de seu devaneio e agarrou meu braço.

Nós tínhamos perdido bastante tempo, e as chamas estavam nos cercando quando eu peguei o engradado de suprimentos ao lado de Wayne. Nós avançamos para o norte, meus olhos procurando na floresta por Celeste e sua parceira.


O fogaréu ficou mais forte, nos empurrando em direção ao exterior da nossa trilha. Em algum lugar acima, ouvi o barulho de motores. Mais helicópteros? Talvez parte da equipe que o jovem soldado participava? Eram eles que jogavam as bombas de fogo em cima de nós e à medida que nosso pequeno grupo ia em direção de uma nova cordilheira, me perguntei quantas pessoas haviam sido manipuladas para começar a jogar esse jogo.

"Nós vamos ter que escalar", Heather notificou o grupo quando enfiou a mochila em seu braço bom e lentamente foi subindo pela encosta rochosa.

Celeste estava bem ao lado dela, fazendo o melhor que podia para ajudar sua parceira a cada passo precário que davam, enquanto o inferno nos rodeava pelo chão.

"Não vamos conseguir levar esse caixote lá para cima", percebi e comecei a vasculhar os suprimentos para ver o que restava e o que conseguiríamos levar por conta própria.

Peguei uma corda e outra faca e, em seguida, fiz sinal para Melissa subir ao meu lado. Então eu passei a corda para Wayne, pois ele parecia o mais ágil para chegar ao topo primeiro.

Eu podia sentir o fogo chamuscando minha pele enquanto subíamos. Ouvi Heather gritar quando ela quase perdeu o equilíbrio. Então Wayne chegou ao topo e jogou a corda para o resto de nós.

Celeste se certificou de que sua parceira fosse a primeiro. Então eu ergui Melissa acima de mim enquanto o inferno furioso chamuscava minhas costas.

Fechei meus olhos, flashes de Marcy e Michael cruzando minha mente enquanto pensava que este era o meu fim. Foi a pura força de vontade que me fez continuar. Subi por causa deles. Suas vidas dependiam do meu sucesso.

Tropecei na borda quando cheguei à superfície plana da face da rocha e Heather me ajudou o resto do caminho, nós dois desmoronando quando recuperamos o fôlego.


Ninguém disse uma palavra por um longo momento enquanto nos recuperávamos e observamos a loucura lá debaixo. 

Então o telefone apitou novamente.

Outra missão impossível.

"Porra. Não podemos nunca ter uma folga?" Perguntei quando me virei para os outros me perguntando o que seria agora.

Mas nenhum deles parecia disposto a nem sequer dar um pio.

"Bem? O que é desta vez? Por favor, alguém fale!" Gritei.

"Passo 12. Parabéns por chegar na metade do dia. Agora é hora de levar as coisas para o próximo nível. Elimine alguém da competição," Celeste disse lendo a mensagem em voz alta.


Fiquei ali, olhando para eles, e soube imediatamente o que a mensagem significava. Um de nós não sairia com vida daquele cume.



PRÓXIMA PARTE: 03/04/19

Esse conto foi traduzido exclusivamente para o site Creepypasta Brasil. Se você vê-lo em outro site do gênero e sem créditos ou fonte, nos avise! Obrigado! Se gostou, comente, só assim saberemos se você está gostando dos contos e/ou séries que estamos postando. A qualidade do nosso blog depende muito da sua opinião!

6 comentários :

  1. essa série tá quase no nível da esquerda e direita, muito boa apesar de fugir do contesto de assustadora de sempre.

    ResponderExcluir
  2. puta que pariu alguem mata a Melissa por favor, eu nunca pedi nada pra ninguém

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PRGDL02022

      Tá com jeito que essa menina vai dar muita canseira ainda pro pessoal...

      Série top!

      Excluir
  3. Muito boa .
    Queria saber se posso encontrar a continuação da cidade de Corona

    ResponderExcluir
  4. Ai meu coração, essa história tá cada vez mais emocionante,mal posso esperar pelo próximo capítulo!!!!

    ResponderExcluir