Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

Tem um homem no quarto do nenê.

15 comentários
É bizarro que eu estava sonhando com minha filha momentos antes de abrir meus olhos e vê-la me observado ao lado da minha cama. Na escuridão total do meu quarto, eu conseguia distinguir seu contorno pequeno de seis anos de idade: suas mãos entrelaçadas na cintura, cumprindo a aparência duvidosa de ousar perturbar alguém de autoridade, as bochechas gordinhas que sempre puxavam seus lábios em um sorriso, aquela loira encaracolada cabeleira que ela puxou da mãe que roncava delicadamente ao meu lado. Eu estava sonolento e a luz do sol ainda não havia passado pelas janelas, então eu sabia que era de madrugada.

"Lucy?"

"Papai, tem um homem no quarto do nenê."

Palavras tão sinistras em uma voz tão doce.

Em segundos, arranquei as cobertas de cima de mim, acordando minha esposa no processo, depois corri pelo corredor, passando pelas fotos penduradas na parede e entrei no quarto no final do corredor. Com um simples girar de maçaneta, entrei no quarto do meu filho de dois meses: as paredes cor de menta, as caixas de fraldas que ganhamos no do chá de bebê, uma cesta cheia de pelúcias, chupetas e lenços umedecidos. Mas atrás do berço, onde meu filho Noah estava dormindo, havia algo de apavorante.

Um intruso entrando pela janela.

O intruso esticou o pescoço quando a luz acendida o alertou da minha presença. Foi então que notei a faca. O homem era grande, com cabelos compridos e oleosos e barba despenteada. Ele cheirava a suor e aquele cheiro azedo e podre de drogas vaporizadas. Eu entrei em ação antes que ele pudesse alcançar uma posição firme ou puxar a faca a seu favor. Contornei o berço onde meu filho ainda dormia e retirei um pesado suporte de livros da estante; depois, quando os livros de bebê caíram da prateleira, investi contra o os braços dele enquanto se agitava e batia no peitoril da janela. Depois que o intruso tentou me dar vários golpes com a faca ao léu, foquei em sua cabeça. Depois que minha arma entrou em contato com seu crânio algumas vezes, ele se retirou para o quintal, andando desajeitadamente em torno do nosso canteiro de flores antes de mancar por cima da cerca e desaparecer na rua escura.

Peguei Noah, que felizmente ainda estava dormindo totalmente alheio ao acontecido, e o segurei firmemente contra o meu peito.

"O que está acontecendo? Por que a janela está aberta?" Ouvi minha esposa perguntar atrás de mim quando entrou no quarto de Noah.

"Ligue para a polícia. Agora. Tinha um invasor aqui."

"O quê?" Ela riu.

"Agora", exigi, alto o suficiente para projetar vocalmente meu medo, mas involuntariamente acordei Noah.

Ela telefonou para a polícia enquanto eu acendia todos os interruptores da casa, principalmente os externos, e passeava pelos quartos com Noah no meu colo, fazendo o possível para acalmá-lo. Demorou duas voltas pela sala de estar, mas eventualmente ele estava calmo o suficiente para eu e minha esposa conversarmos depois do telefonema dela.

"Você vai me dizer o que aconteceu?" Ela perguntou.

"Sim. Desculpa ter gritado. Eu fiquei nervoso."

"Está bem. O que aconteceu?"

“Alguém estava tentando entrar na casa pelo quarto de Noah. Esqueci de trancar a janela depois que pintamos o quarto dele. Lembra que abrimos para ventilar? Sinto muito querida. Algo poderia ..."

"Pare com isso", minha esposa exigiu. "Noah está bem. Você está bem. Estou bem. Todo mundo está bem."

"Você está certa."

“A polícia está a caminho. Eles vão encontrar o cara. "

"Não vai ser difícil. Era um ladrãozinho viciado procurando algo para vender."

“O que fez você acordar? Noah estava chorando?"

Parei por um momento para considerar uma resposta e depois olhei para meu filho de olhos curiosos. "Sim, o choro de Noah me acordou."

"Me sinto péssima por não ter acordado."

"Não se preocupe, o importante é que estamos todos bem. Quer um café, querida?"

Ela foi para a cozinha e ouvi a cafeteira sendo ligada. Levei Noah para o corredor e apoiei seu corpo contra o meu, para que ele estivesse ao nível dos olhos com as fotografias que estavam penduradas na parede do corredor. Mostrei ao meu filho uma foto de uma menina de seis anos com cachos loiros que flanqueava um sorriso entre as bochechas gordinhas.

"Essa é Lucy, Noah. Ela é sua irmã mais velha. "

Noah, com dedos minúsculos e atarracados, estendeu a mão e plantou a palma da mão na moldura.

“Eu sempre soube que ela seria uma ótima irmã. Ela morreu antes de você nascer, Noah, e sua mãe e eu sentimos saudades todos os dias. Mas é bom saber que ela ainda está cuidando do irmãozinho dela."



15 comentários :

  1. Nada mais aterrorizante do que o próprio ser humano!
    Muito boa. 9/10

    ResponderExcluir
  2. Que triste 😞 final um pouquinho batido.. mas gostei 8/10 😘

    ResponderExcluir
  3. Comecei a ler as creppy recentemente, estou adorando todas ^^

    ResponderExcluir
  4. goste, mas esperava que alguém morre-se no final.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vai toma no teu cu.
      olha a vibe dessa creepy e tu me vem com esses comentário bosta

      Excluir
  5. Essa é das boas, porém previsível 9/10

    ResponderExcluir
  6. Achei uma creepy amorzinha que dá um quentinho no coração, uma esperança de que os mortos ainda existem de alguma forma no mundo físico e ficam perto de quem eles amam. Sim eh de certa forma previsível mas gostei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mortos não devem existir nesse plano. Se estão aqui, pode ter certeza que é algum espirito preso a algumas, logo, um espirito atormentado, infeliz.... Alguns fazem coisas boas, mas nao deixam de ser infelizes. Eles vêem como seus entes (que realmente pertencem à esse plano) seguindo suas vidas e, embora tente fazer o bem, sabem que não serão mais necessários...

      Excluir
  7. PRGDL02022

    Sensacional! Até chorei aqui, muito emocionante.

    ResponderExcluir
  8. Olá Que trabalho milagroso de grande Amiso, eu sou Jose Nuno, minha esposa me deixou porque tenho câncer no corpo, então enviei um email para o Dr.Amiso e explico tudo para ele, ele cura a doença e devolve minha esposa de volta para mim , eu também disse ao meu amigo Ferrao, que sua esposa está se divorciando em três dias, ele também entrou em contato com o Dr.Amiso, espera e vê sua esposa ligar para o advogado 2 dias antes do terceiro dia de assinar o documento de divórcio e disse que ela é Para não se divorciar do marido novamente, ele deve parar e pesquisar todos os documentos sobre a questão do divórcio, acredite: agora eles estão vivendo felizes como nunca antes. caso você esteja passando por um problema conjugal, entre em contato com Dr.Amiso pelo herbalisthome01@gmail.com

    ResponderExcluir