Aquele que mora no escuro

23 comentários
Michael Travis, de 12 anos, acordou as 3hs da Madrugada, com a luz do luar batendo em sua janela. Estava tendo vários pesadelos assustadores, quase reais, que ele nunca imaginaria que teria. Seu pensamento era chamar a sua irmã mais velha, Sally, mas ele acreditava que aquele que mora no escuro levaria Michael porque ele foi um garoto malcriado com a família recentemente e que ele poderia saber que Michael tem medo do escuro. Os valentões do seu colégio inventaram essa historia para Michael, para poder assustar ele, uma forma pratica e divertida de brincar com o psicológico de uma criança que gaguejava.

"Não olhe para ele, senão ele te levará para a escuridão e arrancara sua língua para que você não grite no escuro. Mas, você não se importaria né ? pelo menos, se ele arrancasse sua língua seu merda, você gaguejaria menos ! "

Michael sabia que não devia dar ouvidos a eles, mas por um instante, acreditou que se houvesse algo que te arrastasse para uma escuridão silenciosa e gelada, que fosse aqueles valentões os infelizes que seriam levados. So de pensar na ideia de algo assim pudesse existir, já o apavorava, e muito. A casa estava escura, uma escuridão negra e arrepiante, que fazia o corpo de Michael ficar gelado, as folhas e os galhos das arvores batiam em sua janela, e ele não conseguia ver nenhuma luz vinda de nenhum poste das ruas. Era uma escuridão sem estrelas.

Ele retirou o cobertor de suas pernas, se levantou da cama e foi em direção a porta do seu quarto, que dava acesso a seu corredor. Abriu lentamente a porta do quarto, a mesma fez um som rangedor desagradável. O corredor estava completamente imersivo na escuridão daquela noite, como se não existisse luz á muito tempo lá. Michael sentia um medo que ele nunca sentiu antes, puro terror apenas por estar na escuridão.

--Sssally, você esta ai ?-- disse Michael
Tentou abrir a porta do quarto de Sally, mas estava trancada. Então decidiu seguir o corredor escuro ate o quarto de seus pais, ate que se deparou com a porta do quarto deles, entreaberta, seguido de sons de algo quebrando e rasgando.. algo que provavelmente não deveria fazer isso. O que ele viu quando abriu a porta do quarto, fez uma onda de desespero e medo extremo tomar conta do garoto.

Seu pai estava sem a cabeça, com a coluna exposta, com o corpo debaixo de uma sombra de forma monstruosa e inexplicável , enquanto a coisa segurava a boca de sua mãe e arrancava a língua dela para fora do maxilar deslocado dela. Um som de rasgo estrudante rugia por todo o quarto, sangue fluía do Maxilar quebrado, principalmente na região aonde estava um buraco enorme aonde a língua ficava. Michael, diante da carnificina da sua frente, se paralisou de pavor, um medo gelado e sombrio percorreu a sua espinha, pensando que isso iria acontecer com ele também. Os quadros do quarto estavam embaçados, no lugar dos rostos da família, a apenas rostos distorcidos que riam diante da macabra cena. De seus rostos não saiam risadas, mas gritos de terror que pareciam risadas alegres e contentes.

Mmmamãe..... Papppai...

A criatura parou de se mexer em cima dos cadáveres mortos dos pais de Michael. Ele pegou a cabeça decepada do seu pai com as suas enormes garras em formatos de anzóis e cravou elas na testa do membro desmembrado. Cada vez que via aquilo mais o psicológico de Michael era destruído, e ele não acreditava que algo assim estava acontecendo
( Ele existe, ele existe... )

Como se estivesse imitando um ventríloquo, a criatura usou a cabeça do pai de Michael para falar com a voz dele, distorcida, mas era a voz dele;

-- Quer se juntar a nós Michael ? Vamos nos divertir muito no escuro, só dê a sua linguá jovem em troca e poderemos ficar juntos como uma família;

A criatura começou a se rastejar lentamente para perto de Michael, ainda com as garras cravadas na cabeça do seu pai. Michael sentiu seu coração apertar conforme a criatura de aparência indescritível se rastejava para perto dele. Michael decidiu fechar os olhos e correr para longe daquele quarto,em direção ao seu proprio. Ele corria pelo corredor de olhos fechados enuanto atras dele ovia algo subir e correr pelas paredes, apara alcançar ele de uma forma mais rapida. Chegando ao quarto, trancou a porta e sentiu um empurro forte nela, como se quissesse arrombar a porta.

Pela janela, Michael viu varias pessoas sem as línguas, olhando para ele com os olhos prateados, sem vida, gritando e sorrindo, felizes.. a porta continuava a ser empurrada e Michael decidiu se cobrir seu corpo com o cobertor ate que ouviu a porta de seu quarto ser jogada contra a parede, seguindo de logas risadas distorcidas que vinham do lado de fora da casa e da sua frente.

Michael decidiu retirar o cobertor ate a altura dos olhos para ver o que estava acontecendo. A criatura já estava em cima da mesma cama que ele, rosnando com seus dentes horrivelmente amarelos, com cheiro de carne podre e seus olhos prateados sem vida que brilhavam no escuro. Michael fechou seus olhos, e tentou cantarolar alguma canção de ninar na sua mente, rezando para que fosse um simples pesadelo, mas não conseguia.

A criatura com suas longas garras, arranca um pedaço da Traqueia de Michael. Sangue Fluía por onde havia um buraco feito a garras e com o osso exposto. O ser, conhecido como aquilo que mora no escuro pegou o pé de Michael, enquanto desaparecia as sombras no chão, levando o corpo do garoto para dentro do escuro.

Michael acorda, apavorado, sem entender, o que tinha acontecido, estava suando de desespero e horror, mas também com uma sensação tranquila no peito, pois era tudo um sonh...

O relógio bate, 3hs da Madrugada, com a luz do luar batendo na janela.

Autor: João Silva

23 comentários :

Postar um comentário