Creepypastas dos Fãs - Contato misterioso

26 comentários

Não lembro exatamente o dia. Só sei que foi em janeiro. Eram 3:00 da manhã ou talvez um pouco mais. Estava no meu computador tranquilo vendo alguns sites, conectado no Skype e no MSN. Me lembro que estava online num site lendo sobre algumas lendas, e lembro especificamente que tinha uma loira envolvida em uma das histórias. Algo como três garotos que começaram a conversar com uma mulher loira em algum bate-papo. Dois desses garotos saíram do local, e o que ficou foi assassinado no mesmo dia...
De repente, um contato desconhecido entra no meu Messenger. Se chamava “Fabiane”, me recordo exatamente do seu nome. E da conversa que tivemos depois. Ela queria saber quem eu era, no entanto me perguntei a mesma coisa.

Afinal, não me lembro de ter a adicionado.

Acabamos por conversar um pouco. Falamos sobre séries, música, animes. Incrivelmente, ela gostava das mesmas coisas que eu. Tinha os mesmos interesses que eu. Era como minha versão feminina. Tinha um ano a mais que eu, bela e loira. Lembro muito bem que comentou que morava sozinha e que tinha um emprego, que fazia todos os dias.
Foi então que comecei a ficar curioso. Perguntei a ela qual era esse trabalho que fazia com tanto gosto. Foi aí que ela misteriosamente ficou off-line.

Nunca mais falei com ela.
Na realidade, nunca mais a vi na lista de contatos.

Enviado/Escrito por: Edward Katsuya

26 comentários :

Postar um comentário

Creepypastas dos Fãs - Hora de Dormir

34 comentários

Não sei bem se isso é uma CreepyPasta, porque é um relato real. Por mais difícil que seja de acreditar, tudo o que contarei aconteceu de verdade. Eu moro com minha mãe e meu padrasto. Quando meu padrasto tira folga no fim de semana, eles costumam viajar pra casa da irmã dele e passam 2 ou 3 dias por lá. Não me dou muito bem com a família do meu padrasto, então não vou com eles. E assim foi semana passada. Ultimamente tenho baixados jogos antigos para jogar no meu ex-aposentado Playstation 2. O jogo que estou jogando agora é Bully, um jogo que foi proibido em alguns países, mas isso não importa.

Sempre que começo a jogar, eu perco a noção de tempo. Quando olhei no meu celular já eram 04h15min da manhã. Então ouvi a porta do quarto da minha mãe se abrir. Pensei: "Minha mãe chegou, e se ela me vir jogando vídeo game a essa hora vai me encher o saco me chamando de irresponsável", então larguei o controle no chão, desliguei a TV e corri pra debaixo do cobertor. Ouvi-a caminhar até meu quarto, abrir a porta e permanecer por alguns segundos. Ouvi-a abrindo as portas do guarda roupa e em seguida parar bem em cima de mim. Eu estranhei por que geralmente ela só checa se estou dormindo e volta para seu quarto. Mas ela ficou quase cinco minutos me olhando. Depois abriu a janela, estava ventando muito. Mais uns 10 minutos se passaram e eu não ouvi minha mãe abrir a porta pra sair. Então eu abri os olhos e me levantei e vi que ela já tinha ido embora não sei como. Esqueci o vídeo game ligado e fui dormir dali mesmo. No dia seguinte minha mãe me acordou:

- Vem filho, já fiz seu café.
Eu fui até a sala, a mesa com café pronta. Eu perguntei:
- Você vai trabalhar hoje mãe?
- Tá louco? Claro que não. Vou tomar café e ir dormir, estou morta de sono. Cheguei agora.
- Chegou agora?
- É, cheguei tem uns 20 minutos.

Nunca saberei o que foi aquilo que entrou no meu quarto.

Enviado/Escrito por: Felipe Alves da Silva

34 comentários :

Postar um comentário

O Jogo de Cartas Illuminati

57 comentários

Para começar, eu gostaria de dizer que este jogo de cartas realmente existe, e ele pode ser encontrado facilmente. Eu não inventei essas coisas; esta postagem é baseada em fatos. Você pode decidir se quer acreditar que é uma teoria e que todos nós vamos morrer, mas você não pode negar que esse jogo de cartas não é mera coincidência.

Antes de contar toda a história, você precisa saber o que são os Illuminati. Se você já sabe, pode pular este parágrafo. Se você não sabe, é essencial  ler isto. Uma breve explicação dos Illuminati (também conhecido como a Nova Ordem Mundial), é que é uma teoria da conspiração. Tudo começa com os Maias. Você provavelmente já sabe sobre sua previsão de que o mundo vai acabar em 2012. No entanto, o mundo não vai acabar em 2012, mas o quinto maior ciclo vai acabar em 2012. E isso significa uma grande mudança. Crentes da teoria da conspiração dizem que os Illuminati vão começar a reconstruir o mundo a partir de 2013. Seu principal objetivo é reduzir a população mundial e criar um mundo melhor fazendo isso.

Agora que você sabe quem são os Illuminati, vou dizer outra coincidência (minha outra história era sobre os Illuminati e o aeroporto de Denver).

Tudo começou em 1995. Steven Jackson decidiu criar um novo jogo de cartas, chamada Illuminati. Quando o jogo terminou de ser criado, algo estranho aconteceu; o governo americano tentou fazer com que o jogo parasse de ser comercializado. A razão nunca foi revelada. Bem, alguns anos mais tarde, as coisas ficaram mais claras.

Exatamente seis anos após o lançamento do jogo de cartas, algo terrível aconteceu... Aviões colidiram com o World Trade Center, como resultado de um ataque terrorista. Muitas pessoas morreram. O jogo de cartas previu exatamente isso. Dê uma olhada nessa primeira carta. Até mesmo as posições dos prédios e explosões estão corretas. Outro ataque terrorista que todo mundo se lembra é o desastre no Pentágono. O jogo de cartas previu isso também.

E você se lembra do vazamento de petróleo da BP, nos Golfo do México? Sim, o jogo sabia que isso iria acontecer. Dê uma olhada na carta intitulada "Oil Spill (Vazamento de Óleo)". Você pode ver a água contaminada, um navio afundando e um pássaro morrendo graças ao petróleo. Bem como as cartas que eu mencionei antes, estas coisas aconteceram para reduzir a população mundial, e supostamente os Illuminati teriam feito isso.

Poderiam ser essas as razões pela qual o governo tentar proibir o jogo de ser publicado? O que o jogo prevê que acontecerá no futuro? Ele prevê o fim do mundo? O jogo definitivamente levanta questões. E isso é muito bom para as vendas. Mas como alguém poderia saber sobre estes desastres que ainda estavam para acontecer?

Você pode se perguntar o que o jogo Illuminati nos aguarda para um futuro próximo. Eu só vou te falar sobre as cartas mais destacáveis​​, porque há muitas com o que falar.

Há uma carta intitulada "Terceira Guerra Mundial". Ela diz que haverá outra guerra mundial, mas que nesta, armas nucleares serão usadas. Parece lógico que, se houvesse outra guerra mundial, essas armas seriam usadas, porque já teve uma ameaça de guerra nuclear entre a Rússia/Pacto de Varsóvia e os EUA/OTAN anteriormente. E hoje em dia, com certeza existem mais armas nucleares do que no passado, e é claro que elas têm sido superdesenvolvidas.

Você também pode encontrar uma carta que diz que seu objetivo é a redução da população mundial. E isso, claro, é o objetivo principal dos Illuminati. Abaixo da imagem da carta, na descrição, ele diz que "Muitas pessoas criam problemas demais, e não amor o suficiente”, e os Illuminati veem a redução como a solução para esses problemas.

E há também a carta para Reescrever a História, a Carta Universitária dos Illuminati, a Carta do Fim do Mundo, e muitas, muitas cartas mais notáveis.

[Agradecimento ao Alexsandro Gonçalves e ao Kevin Camargo, por encontrarem esta Creepypasta, e a série de DVD's "Prepare-Se", que explica muito mais afundo esta suposta teoria de conspiração].

57 comentários :

Postar um comentário

A Estrada Sem Fim

14 comentários

Em Corona, Califórnia, havia uma estrada conhecida pela maioria dos moradores como a “Estrada Sem Fim”. Especificamente, o nome verdadeiro da estrada era Lester Road. Agora, mais de vinte anos depois, a paisagem de Corona mudou, e a Estrada Sem Fim não existe mais. No entanto, anos atrás, Lester Road era uma estrada sem iluminação que as pessoas afirmavam que se tornava uma estrada sem destino, à noite. As pessoas que passavam por lá neste horário, nunca mais foram vistas ou encontradas de novo.

A lenda se tornou tão bem conhecido que as pessoas se recusavam a dirigir naquela estrada até mesmo durante o dia. Uma noite, junto com muitos adolescentes da minha idade, eu dirigi até Lester Road, mas até uma curta distância, e que de acordo com as luzes de meus faróis, parecia que se estendia para sempre. Assustado, rapidamente dei meia volta, porque temi que se eu continuasse naquela estrada, poderia nunca mais voltar.

Os diversos relatos da lenda convenceram a polícia local a irem investigar. Lester Road fazia uma curva perigosa para esquerda no seu final, e não havia grades de proteção na estrada. Além da curva, estava um abismo, e do outro lado do abismo, se encontrava o resto da estrada, alinhada perfeitamente com Lester Road quando visto do ângulo correto, especialmente à noite, onde o abismo desaparecia de vista, e a estrada parecia continuar sobre o morro do outro lado. Após investigação do abismo, dezenas de carros foram encontrados, caídos e destroçados, com os corpos das vitimas em decomposição ainda presos a seus assentos.

14 comentários :

Postar um comentário

Pichações

22 comentários

Eu não vivi na parte mais amigável do Reino Unido. Aquela cidade continha um dos maiores índices de crimes no país; não só crimes pequenos, como também assassinatos e assaltos. Nenhuma lugar era realmente seguro, e eu odiava viver lá. Mas eu aceitei porque era um bom garoto, realmente.

Com as gangues do crime, vem as pichações, pulverizadas e manchadas em todas as paredes de determinadas áreas - um dos quais é o meu parque local.

Decidi ir para lá, ontem, sozinho, conversando com alguns amigos por mensagens de texto e fazendo coisas de costume, como ficar sentado nas estruturas das escadas e escorregadores. Debaixo de uma estrutura de escada, porém, notei algumas pichações estranhas que eram fora do comum. As pichações mais comuns eram de assinaturas de pessoas, às vezes até mesmo um insulto à outra, mas essa era diferente.

Era uma pichação contendo varias linhas, como se fosse uma simples contagem, escritas em Tippex - uma espécie de branquinho, ferramenta muito comum e barata para vândalos. Eu contei todos as linhas, uma por uma, e a ultima chegava ao 49º. Passei meu dedo sobre a última contagem - que ainda estava molhada, o que era estranho, já que eu estava por lá por cerca de meia hora,  e não havia visto ninguém ao redor. Tendo visto o suficiente daquele parque, me virei para ir para casa, mas eu não conseguia me mover.

Alguém estava parado atrás de mim, respirando em  meu pescoço. Sua respiração era quente e cheirava a álcool. Virei-me, suando de medo, e me deparei com um homem de capuz cinza; ele era alto e muito musculoso, mas quando olhei um pouco mais pra baixo, percebi que ele colocara uma faca ao lado de meu pescoço. Tentei abrir a boca para falar - ou gritar - mas tudo que saiu foi um gemido patético.

"Parece que temos mais um. Isso faz com que você seja o 50º", ele sussurrou em meu ouvido, empurrando a borda serrilhada da faca lentamente em meu pescoço, me cortando.

Ele me obrigou a se virar de cara para ele, e então, ele levantou a faca e mergulhou-a em meu peito. Olhando para o buraco em meu corpo, o sangue fluindo escorrendo para fora e derramando no chão, eu imediatamente caí, e com meu ultimo suspiro, vi meu assassino desparafusar uma garrafa de Tippex e desenhar uma nova linha na pichação de contagem.

22 comentários :

Postar um comentário

A Dívida do Slender Man

29 comentários

A velha casa ficava perto da beira da Floresta de Glenwood. Era velha, decrépita, caindo aos pedaços dos alicerces às rachaduras do telhado. No entanto, ainda estava de pé, desafiando a floresta para fazer seu pior; liberar a escuridão desconhecida que se encontrava lá dentro.

Um tentáculo nojento emergiu das profundezas do bosque, procurando avidamente por qualquer fonte de vida fora de lá. Não encontrando nada, o membro rapidamente recuou de volta para a massa de sombras que abrigavam-no, e então, uma figura alta e esquelética apareceu em seu lugar.

A figura parecia masculina na aparência, e usava um terno comum preto. No entanto, suas proporções estavam... “erradas”; ele era muito alto, muito imóvel, rígido demais para ser real. Ele virou a cabeça, olhando para as testemunhas. Seu rosto - ou sua falta de um – ficou aparente. Sem olhos, sem nariz, sem alma, nada. Ele só possuía uma característica facial: uma terrível boca sorridente com dentes afiados.

Ele virou seu rosto horrível em direção a casa, e mostrou suas lâminas orais. Lentamente abrindo a porta, o homem se arrastou para dentro. Gritos ecoavam por toda a floresta, mas nenhuma alma sequer ouviu os sons brutais. Pois quando o Slender Man busca por uma dívida não paga, ele leva a vitima em carne e osso, as vezes não deixando nenhum rastro após sua caça.


29 comentários :

Postar um comentário

O Livro Especial

18 comentários

Olá. Sou um jovem adolescente que teve uma experiência muito estranha quando criança. Sim, isso faz parte da minha memória, e não algo que eu inventei, mas eu não sei se era real ou somente um sonho. Ok, isso aconteceu quando eu estava na segunda série, e era um verdadeiro rato de biblioteca. Eu lia livros o tempo todo, então quando vi uma história sobre uma jovem e uma árvore, decidi lê-lo também. Não me lembro do título, então vamos chamá-lo de “A árvore”. Quando abri o livro, vi uma imagem de uma pequena garota, sentada numa arvore e escrevendo em um livro. A legenda dizia que ela estava escrevendo sobre o quanto ela amava “a árvore”. Ela disse que a amava como um local muito agradável para se ficar. Era um livro bem curto, e eu não me lembro de muita coisa, mas lembro que duas ou mais páginas mostravam ela ainda escrevendo seu livro sobre essa árvore. Parece estúpido agora, mas eu não me importava naquela época.

Então, as coisas começaram a tomar um rumo para o pior. A página seguinte mostrava-a em seu quarto, se preparando para ir ao seu local favorito, a árvore, mais uma vez. No entanto, também mostra sua mãe gritando para ela, reclamando que ela saia frequentemente de casa. Depois disso, ela estava arrumando suas coisas, até que sua mãe veio ao quarto e avisou que ela só poderia levar as coisas necessárias. A imagem seguinte mostrava a garota olhando para fora de sua janela, e o céu tinha uma cor vermelha sangue. Em seguida, mostrava-a escrevendo em seu livro, sentada na árvore uma ultima vez, chorando, dizendo que vai perder a árvore em breve, assim como sua casa e seus pertences.

Em seguida, ela estava dentro de um ônibus. Neste ponto, o motivo dela estar deixando sua casa ainda não é explicado. A página final mostrava ela olhando para a parte de trás do ônibus, e, na distância, havia um meteoro caindo em sua casa! Ele era tão grande quanto a casa, e até hoje, ainda me pergunto como ela sobreviveu. Bem, já faz cinco anos, e eu não encontrei qualquer evidência do livro. Se eu fosse mais velho, definitivamente teria mostrado para alguém, mas eu tinha sete anos na época e não sabia de nada, não sabia o que era anormal. Talvez fosse apenas um sonho, mas quem sabe. Talvez fosse real, mas até então, vou passar minha vida inteira tentando encontrar evidências. Vou voltar para a sala de aula, procurar no eBay, de qualquer maneira, eu preciso encontrar provas para a existência dele. Se você encontrar alguma coisa, por favor, mande uma mensagem para mim; preciso de provas sólidas. Eu preciso disso. Por favor, me ajude.

18 comentários :

Postar um comentário

Relatório do Ataque às Florestas de Steinmen

28 comentários

Ambas as vitimas foram caçar na floresta de Steinmen, aproximadamente quatro horas antes do anoitecer.

O único sobrevivente afirma que, enquanto caçavam, começaram a ficar perturbados com o aumento súbito do nevoeiro. Um murmúrio constante acompanhado por um zumbido baixo, eventualmente, tornaram-se claros para os dois homens, depois de uma hora do aumento do nevoeiro. Um objeto caiu de uma árvore e se prendeu em um dos homens, fazendo com que ele largasse sua arma.
O dito objeto era na verdade, o cadáver de um homem de idade desconhecida. Estava completamente dissecado, com os principais órgãos internos ainda contidos na caixa torácica, no que pareciam ser sacos transparentes. O homem sobrevivente colocou um dos sacos dentro de sua mochila. Alguns minutos mais tarde, os ataques começaram, depois de eles terem ouvido uma "risada de crianças". O sobrevivente, felizmente, conseguiu correr até seu veículo, e então, dirigiu-se para um local seguro.

A mochila fora destroçada. O sobrevivente fora classificado como uma testemunha B7, cujos arquivos serão anexados na pasta “quarentena”, até a resolução.

2007: A Equipe de Investigação foi despachada; eles descobriram 22 cadáveres de ambos os sexos e várias idades empalados em galhos de árvores quebrados, em um padrão circular, com seus peitos mutilados, e a equipe afirma ter visto um homem no meio da floresta, cujas características se encaixam da do “Homem Esguio”. Após a confirmação, o investigador ********* foi chamado para uma evacuação imediata da equipa de investigação, exatamente as 17:00. Os corpos foram descobertos às 11:00. A equipe afirmou ter tido uma evidencia física do “Homem Esguio” aproximadamente as 17:25. Perdemos o contato com a equipe às 17:30. Procedimentos de segurança caíram bem dentro de protocolos estabelecidos. O motivo da anormalidade é desconhecido.

28 comentários :

Postar um comentário

A Caça

25 comentários

Alguma vez você já estava subindo um lance de escadas tranquilamente, e de repente, teve a necessidade de subir até o topo o mais rápido possível? Ou dirigindo pela estrada tarde da noite, até que de repente vem a vontade de dirigir o mais rápido possível?

Não se preocupe; isso ocorre somente porque eles querem que você saiba a perseguição começou. Tenha certeza de brincar com eles, porque não há nada que eles odeiam mais do que “pegar” aquilo que eles estão perseguindo. Eles nunca sabem o que fazer com seus corpos.

Bem, na verdade, existe sim algo que eles odeiam mais... Eles odeiam quando você olha para trás por cima de seu ombro.



25 comentários :

Postar um comentário

Através da Fronteira

26 comentários

Há alguns meses atrás, havia um casal do Texas que estava planejando uma viagem de final de semana através da fronteira mexicana, para uma rodada de compras pelo país. No entanto, logo antes de sairem, a babá cancelou precisou tirar uma licença por razões de gravidez, então eles tiveram que levar seu filho de dois anos junto com eles. Eles haviam andado pela fronteira por cerca de uma hora, quando o bebê se soltou e saiu correndo pra dentro de uma esquina. A mãe tentou encontrá-lo, mas ele havia desaparecido. Desesperada, ela encontrou um policial que lhe disse para ir esperar em frente ao portão. Sem entender as instruções, mas ansiosa para encontrar o filho, ela fez exatamente o que foi dito.

Cerca de 45 minutos depois, um homem se aproximou da fronteira, levando o menino em seus braços. A mãe correu para ele, agradecendo ao homem por ter encontrado seu filho. Porem, quando o homem percebeu que aquela era a mãe do menino, ele o jogou no chão e saiu correndo, no entanto, a polícia já estava esperando por ele, e então ele fora capturado.

O garoto estava morto, e naqueles 45 minutos que ele havia sumido, ele fora aberto, todos os seus órgãos haviam sido removidos, e seu estomago fora recheado de cocaína e pedras. O homem estava indo leva-lo para o outro lado da fronteira, fingindo que ele estava dormindo em seus braços.

26 comentários :

Postar um comentário

Pesadelos

27 comentários

Um estudo recente do Instituto Nacional de Psiquiatria, em Boston, MA, concluiu que nenhuma atividade pode explicar o fenômeno conhecido como “pesadelos”. Considerando que muitos dos sonhos vêm diretamente de desejos inconscientes, a maioria dos pesadelos parece vir de uma fonte externa independente do indivíduo. Na verdade, quando os indivíduos são pedidos para lembrarem-se dos pesadelos, eles conseguem se lembrar quase que vividamente, ao contrario dos sonhos. Isto é porque os pesadelos são armazenadas na mesma seção do cérebro de memória de acontecimentos reais, e não na seção onde os sonhos normais são reproduzidos. Em outras palavras, sabe aqueles monstros e criaturas que você vê à noite em seus "sonhos?"

Eles são reais.

27 comentários :

Postar um comentário

Marcas de Nascença

55 comentários
Sabe aquelas pessoas que nascem com marcas de nascença (pintas, manchas, etc)?

Bem, normalmente essas marcas são feitas quando "eles" tentam captura-lo de sua mãe, e troca-lo por uma das replicas deles.

Se você tem alguma dessas marcas, significa que eles falharam.

Se você conhecer alguma pessoa que não tenha... Bem, eu não confiaria nela se fosse você.


55 comentários :

Postar um comentário

Reflexão

42 comentários
Eu sou a reflexão de Thomas.

Todas as manhãs, ele se levanta da cama e entra no banheiro.

E faz caretas.

Estou tão cansado dessas caretas... Ele fica fazendo-as durante pelo menos meia hora. Expressões zombeteiras e ridículas. Eu não tenho escolha, senão imitar suas ações, pois esta é minha obrigação, mesmo fervendo de raiva.

Ele faz isso todos os dias... Ou melhor, "costumava" fazer.

Certa manhã, ele acordou, como de costume, e entrou no banheiro.

Nesta manhã em particular, contra a sua vontade, ele pegou um par de tesouras.

Nesta manhã em particular, contra a sua vontade, ele agarrou a tesoura firmemente em seu punho.

Nesta manhã em particular, contra sua vontade, ele enfiou a tesoura diretamente em seu olho direito.

Thomas gritou e gritou. Eu também gritava muito - com uma pequena diferença.

Não posso imitar a sua dor.

Somente.

Suas.

Expressões.

42 comentários :

Postar um comentário

[Strongstar Productions] Mais algumas atualizações sobre os videos!

19 comentários





Então galera, estou de volta, desta vez com duas pequenas atualizações pra vocês (juro que desta vez serão pequenas mesmo rsrs')!

Primeiramente, estou fazendo um novo Let's Play no Canal, desta vez do novo game "The Amazing Spider-Man (Xbox 360)". No momento, estarei trabalhando neste LP, e no LP do game "The Legend of Spyro: A New Beginning (PS2)", e os vídeos serão postados a cada dois dias (ou diariamente, dependendo do fluxo de crescimento do Canal).

Bem, agora vamos a próxima e ultima atualização: Depois de uma conversa entre todos os colaboradores dessa bagaça, decidimos fazer o seguinte: Compartilhar aqui no blog, a partir de agora, somente videos relacionados a assuntos e jogos de terror, ao invés dos videos e novidades em geral.

Recebemos um feedback bastante positivo nos videos, tanto pelas mensagens e comentários, quanto pelo grande aumento de inscritos e etc, por isso também queremos saber a opinião de vocês: Acham que devemos continuar a fazer postagens em diferentes finais de semana, compartilhando alguns videos e novidades do Canal em geral, ou devemos somente compartilhar os videos relacionados a assuntos e jogos de terror (Especificamente, somente os "Creepy Videos")? Deixem suas opiniões!


Ah, só mais uma coisinha: Nosso vídeo do Slender provavelmente já estará no Canal no final de semana que vem, e obviamente, compartilharemos o vídeo aqui no blog, então aguardem :)

Abração a todos, e bons pesadelos \o/
\\Gabriel Azevedo dos Santos//

19 comentários :

Postar um comentário

Creepypasta dos Fãs: Orpec

25 comentários

Após uma noite de sonhos perturbadores e incessantes, Samuel Orpec acorda sentido-se estranho, parecia sentir-se mais aliviado após alguns sonhos terríveis terem acabo, mas sentia algo estranho em si mesmo. Fitou-se no espelho, tocou seu rosto, quando então, ouviu o primeiro sussurro de seu próprio fim. Era apenas um resmungo ininteligível, mas podia se sentir a dor nele. Não sabia de onde vinha, mas parecia que vinha da parte de trás da sua própria cabeça. Passou a mão sob sua nuca, e foi subindo em direção ao cocuruto, quando fora interrompido por uma mordida em sua mão. Congelou, o pânico que isto lhe trouxera era imensurável até então, respirou fundo e saiu em busca de algum outro espelho, parou em frente ao espelho em seu vestíbulo e posicionou um pequeno espelho de mão atrás de sua cabeça, de tal modo que pudesse vê-la. O terror voltara a tomar sua mente. Percebera que havia outra face em seu crânio. Não uma face comum, mas uma face disforme, demoníaca, onde a maldade era visível, e ela ria. Percebeu que a face tinha consciência própria, percebeu que a face era má, percebeu que naquele dia sua agonia iria ruir sua sanidade. O sadismo da face o fez, nos primeiros instantes, pensar em suicídio, ideia essa que fora abandona após alguns minutos, quando Orpec percebera que isso só traria mais prazer à face,e ele não pretendia se render a ela tão facilmente. Sentou-se em sua cama, e bateu com a parte de trás de sua cabeça na parede, somente para causar dor à face. Cometera um terrível engano, a dor que sentira fora imensa, e só aumentou o prazer da face, que agora gargalhava ante a dor de Orpec. Tomado por uma fúria intensa, Orpec busca seu canivete no bolso de seu paletó e cega um dos olhos da face. Cai no chão, sentindo talvez a maior dor que humano algum possa ter sentido um dia, desmaia.   

Já era noite quando Orpec acordou, via seu quarto de modo disforme. Já não tinha mais noção de quem era, a face às vezes tomava poder de seu corpo, e fazia com que Orpec se feri-se só para ter algum prazer. Quando tinha controle sobre seu corpo, Orpec tentava esquecer que a face lá existia, mesmo que ela o impedisse de sair de seu apartamento. Fazia três dias que ela aparecera e Orpec ainda não havia aberto cortina alguma de seu apartamento. Rumou à cozinha e serviu-se com uma aguardente que guardava, tomou um trago e abriu a cortina. Então percebeu que a face detestava a luz, a escuridão a deixava mais forte. Virou-se de costas à janela, e deixou que a luz cega-se, outra vez, a face. A cicatriz no olho esquerdo da face começa a sangrar, e ela, pela primeira vez sente dor. Um urro desumano é ouvido. Orpec ri. Então, também pela primeira vez, a face fala:

- Ah, então tu ris de minha desgraça, tu assumes ser tão mal quanto eu, pobre humano, assumes que não sabes lidar com minha presença, fraqueja ante ela, tem em teus sonhos, os mesmos sonhos que eu. - Orpec manda que a face se cale, e ela então outra vez gargalha, e parece dormir. Orpec senta em uma cadeira contra a janela, e encara o sol, e então descobre que já não é capaz de ver a luz, sem que a face o permita. Já não é capaz de sentir o prazer, a dor, já não é capaz de sentir, sem que a face também sinta, já não é capaz de viver, sem que a face também viva. E sente, pela terceira vez, todo o horror que ela lhe traz. É tomado por um vazio intenso, que parece ruir sua espinha, parece lhe dissolver a mente, e sabia que sua'lma já havia fugido de seu corpo. 

Passam mais quatro dias, e então a face acorda outra vez, dessa vez ela já acorda sorrindo, e sussurra para Orpec:

- Bom dia, espero que consigas continuar... - E é interrompida sendo golpeada contra a parede outra vez, e outra vez gargalha ao sentir a dor de Orpec. E ele então cai sob o chão, de joelhos, e urra, urra injurias tão nefastas que humano algum um dia dissera, amaldiçoa a face que o amaldiçoava, e então busca a garrafa de aguardente, ainda sobre a mesa, e inebria-se ante a loucura que a face o trazia, mas parecia que quanto mais ele bebia, mais lúcido ficava, e mais a face o destruía. Buscou o espelho de mão, fitou-se outra vez, e encarou a face, que de antes desumana, agora era quase idêntica a face de Orpec, que ficava cada vez mais disforme. Ela ria, e ria cada vez mais alto, Orpec tampava seus ouvidos, caia ao chão, e ela cada vez mais contente parecia ficar, então ela para, e sussurra outra vez:

- Temes que eu nunca pare de rir, mas sabes que no fundo, o prazer que eu sinto é o mesmo que tu sentes, tu és eu, eu sou tu, somos a mesma pessoa, a mesma aberração, o mesmo câncer da raça humana, somos nada além de um moribundo sem esperança, um indigente cavando sua própria cova, tu já te embalsas mesmo antes de morrer.

- Cala-te demônio, tu és minha assombração, e se tiver eu que viver com tua presença, prefiro que me mates.

A face ri outra vez, e outra vez ela dorme.

Meses se passam, e a face cada dia mais se torna humana, e Orpec cada vez mais se deforma. Não sabe mais quem é quem, já não consegue dissociar-se da face, já não sabe mais quem é, e ainda não sabe de onde a face veio, mas sabe que o mal que ela carrega é desumano. Ainda mais que as noites, a face exalava um forte cheiro de enxofre, e sussurrava injurias para Orpec, só para atormentar seu sono. Quanto mais Orpec definhava, mais a face parecia ficar mais forte, parecia que ela já estava criando braços nas costas de Orpec, parecia que ela qualquer dia sairia dele e o deixaria em seu quarto, deixaria apenas uma massa disforme em qual o transformaria, e sairia livre pelo mundo espalhando maldades. O tempo acabou atenuando o efeito das injurias sobre Orpec, e no fundo, a face acabou por corrompe-lo, era já tão mal quão ela, já não era mais puro, já não sabia se ainda era vivo sem ela, já não sabia se afinal, ele não era ela.

Em uma noite de inverno, Orpec então resolve sair, ignorando todo e qualquer incomodo que a face poderia lhe causar, vestiu um casaco, ergueu o colarinho, tentou plasticamente tampar a face com um cachecol, vestiu um chapéu, e saiu. Caminhou sem ruma por quase duas horas, e entrou em uma igreja na praça central da cidade, ao dar os primeiros passos na igreja a face começou a blasfemar, e o sacerdote encarou austeramente Orpec. Porém, o sacerdote então percebeu a natureza da situação, e fez um sinal para que Orpec o seguisse. Entraram em uma pequena porta a esquerda da sacristia, onde havia uma escada circular para baixo, e parecia que era tão funda que chegaria ao centro da terra. Após chegar a base da escada, Orpec presenciou um corredor com sete portas, três à direita, três à esquerda, e uma pequena porta de ferro no final do corredor. Seguiram reto até tal porta, e o sacerdote buscou em sua batina um molho de chaves, e entre elas buscou uma chave que aparentava ser feita de ouro, e com esta chave então, abriu a porta, e Orpec se deparou com, talvez, a única coisa que naquele momento poderia o surpreender. Orpec encarou a si mesmo, sentado em uma cadeira no meio de um quarto vazio. Ainda era o mesmo de sempre, ainda sem a face, ainda humano. Estava acorrentado, e havia uma poça de sangue embaixo da cadeira, já um pouco seca. Conseguia ver as chagas em seu corpo, mas não via mais seu corpo de onde estava. Percebeu ser uma consciência sem corpo, percebeu então não ser mais quem era. Já não sabia mais se era só, ou se a face era parte de si mesmo. Seguiu até seu corpo, o rodeou, e percebeu uma enorme cicatriz em suas costas. Percebeu que havia sido liberto da face, percebeu que era apenas um só outra vez. Percebeu também, que estava lá sentado, consciente, e que não estava dentro de si, percebeu que havia sido expulso de seu corpo, e que a face havia tomado posse dele. Em um impulso, tocou a cicatriz e se associou ao corpo outra vez, em certo estado de transe, quebrou as correntes e levantou-se. Rumou em direção a porta e ajoelhou-se sob ela, sentiu a dor mais forte que já sentira um dia, e caiu deitado no chão, inconsciente.

Acordou em seu quarto, ainda com a face, mas sentia-se vazio, sem a maldade da face, aliás sentia que a face era pura, inocente. Tão inocente que lhe enojava, como uma aberração tão cruel agora podia se tornar tão pura, tentou soca-la de raiva, mas não controlava seus braços, tento levantar-se, mas não tinha mais controle de seu corpo. Começou então a tentar ofende-la, mas nada saia de sua boca, além de resmungos ininteligíveis, não sentia nada além de ódio pela maldita face que surgira, a maldita face que havia o condenado a viver sem controle de si mesmo, sua sanidade havia desaparecido, já não sabia quem era, até que sentiu uma mão passando sobre seu rosto, tomado pela raiva, mordeu-a com toda a força. Sentira então a maior dor que um dia sentira, e já sem sanidade alguma, começou a rir dela, e quanto mais se contorcia de dor no chão, mais prazer sentia.

Escrita/Enviada por: Julio Donato

25 comentários :

Postar um comentário

E Se...

21 comentários

Muitas histórias de fantasmas normalmente têm fáceis explicações, devido aos profundos medos psicológicos enraizados em nossos instintos básicos. Queremos proteger nossos filhos, e temos medo do que pode acontecer com eles no momento em que estão fora de nossas vistas. Temos medo de cadáveres, pois eles indicam nossa própria mortalidade, e nos faz imaginar que talvez, a causa da morte do cadáver poderia nos matar também. Temos medo da escuridão, porque cega nossos sentidos.

Por que, então, algumas imagens continuam a aparecer diversas vezes para nós? Uma imagem, uma descrição que muitos tentam visualizar, ao tentar descrever uma entidade terrível, que não tem nenhuma semelhança com nenhum dos predadores já conhecidos. Um ser humano, careca, com olhos negros, uma figura alongada, alta, dedos longos e pele pálida; uma descrição que já foi usada no passado para descrever certos vampiros de idade, e agora, uma imagem atribuída a outras entidades, como Slenderman, ou monstros de histórias de fantasmas. O que poderia ter acontecido para que esta imagem ficasse gravada tão profundamente em nosso subconsciente?

Será que a tal criatura descrita existe mesmo? Aquele, cujo comportamento é tão aterrorizante que supera outros medos mais comuns? Eu até duvidaria disso, mas considerando certas circunstâncias, não consigo parar de pensar que isso pode ser verdade. Acredito que devem existir criaturas que se encaixam nessa descrição... Criaturas como esta que está te observando através de sua janela neste momento.

21 comentários :

Postar um comentário