30/12/15

Finalmente Acordado - Final

Parte 1 - Parte 2

Ele viu, ao lado do pé da cama do hospital, uma grande porta de madeira abrindo rapidamente, fazendo um barulho muito alto. Viu apenas uma luz, logo acima de sua cabeça, tão forte que o fez fechar seu olho restante a fim de evitar que este ficasse ruim também. O doutor dizia o nome de alguns instrumentos. Ele tentou acompanhar o que diziam, mas parecia que falavam outra língua. Ele sentiu como se fosse desmaiar. Sua fraqueza aumentava muito e seu corpo pesava, e ele sabia que estaria inconsciente em pouco tempo. No entanto, se sentiu bem com isso. Pelo menos, se dormisse, não sentiria a imensa dor que o atormentava. Abriu lentamente seu olho esquerdo. Dessa vez, pelo menos, não foi tão difícil.

Ele começou a ouvir alguns bipes frequentes, já que estava ligado a um monitor cardíaco. Ele não via a máquina, pois estava em algum lugar ao seu lado, mas conseguia imaginar o gráfico que suas batidas cardíacas faziam. Sentiu um tubo sendo enfiado em sua garganta. Aquilo arranhava, era desconfortável. Contudo, a dor que sentia em todo o resto de seu corpo ia muito além daquilo. Sentiu uma leve ânsia de vômito. O tubo já estava dentro dele antes que percebesse. O homem de óculos escuros se movia rapidamente, suas luvas de látex cheias de sangue. A enfermeira perdera sua expressão assustada, trocara por uma de determinação. Esta seguia ordens em certa velocidade logo que lhe eram dadas, assim como as outras três pessoas que haviam se juntado a eles para ajudar.

O monitor cardíaco começou a desacelerar. Suas pálpebras começaram a ficar pesadas. Ele ouviu o homem de óculos escuros:

-Me dê o desfibrilador, ele está morrendo! - gritou a um dos assistentes

Ele começou a pensar consigo mesmo. "Não! Não posso avisar minha família sobre a figura que vi enquanto ia pra casa. O que ela fez comigo? O que ela faria com ELES?"

Ele ouviu o bipe se transformar num som contínuo. Viu um rosto cruel, frio e sombrio com olhos pretos grandes e profundas rugas verticais que mais pareciam fendas. Não havia boca alguma. Ele se lembrara do rosto daquilo que o deixou do jeito que estava. 

Ele fechou o olho.



6 comentários:

  1. Wow, muito bom, parabéns pela tradução!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Final legal.Mas juro que não lembro dessa creepy ai

    ResponderExcluir
  4. Final legal.Mas juro que não lembro dessa creepy ai

    ResponderExcluir
  5. Eu nao intendendo muito oq é uma creepy, mas os finais da maioria é tao sem sentido, vc começa a ler empolgada, mas o final nao acontece nada e vc ainda fica ña duvida se é isdo mesmoo, affs

    ResponderExcluir