22/01/16

Efeito Gündschau

Quando Hitler invadiu a Polônia em 1939, o Terceiro Reich não tinha começado ainda explorações científicas. Isso mudou com a captura de uma pequena aldeia polonesa.

Em 1940, houve um experimento com cinco dias de duração, conhecido como "Efeito Gündschau."
O experimento testava o impulso humano sobre a gula com várias iguarias. O cientista, respectivamente chamado, foi morto por um colega logo após o experimento, mas o motivo não foi esclarecido nos registros de áudio. Abaixo estão as fitas gravadas, traduzidas pelos Aliados como provas para os Julgamentos de Nuremberg.

-DIA 1
Quem fala é o Doutor Klaus Gündschau. Eu estou acompanhando meus colegas, Médicos Vïktor Übelgrentz e Josef Wehrmein. Hoje será o início de um experimento com cinco dias de duração para ver se a gula irá presidir a auto-dignidade. Quatro cobaias foram escolhidos para o experimento: Dois homens poloneses fortes e altos, uma mulher grávida que dará a luz em três dias, e uma filha de um dos homens com quatro anos. Eles foram alimentados com um javali assado, e os homens ganharam o melhor vinho da Alemanha. Os cobaias reagiram como previsto; muito felizes e surpresos. Pouco sabem estes humanos - que irão se confrontar com pesadelos nunca vistos antes.

-DIA 2
Todos os quatro cobaias estavam de pé nesta manhã. Eles foram servidos nesta manhã com waffles, acompanhando suco e leite. Bacon, ovos e salsichas foram servidos também. Era 13:00, quando foi dado a primeira tarefa para os homens: cada um armado com facas, eles deveriam lutar até a morte. Se eles recusassem, eles iriam ser mortos com tiros.Se eles matassem os outros cobaias, eles seriam torturados e então executados.Como esperado, eles cooperaram. o pai da garota perdeu. A mulher e a garota estavam chorando por causa do conflito, e então os cientistas desativaram o microfone. Dois guardas arrastaram o corpo do homem morto. Os três restantes comeram um guisado assado para o jantar; Além disso, houve um... *pausa* ingrediente extra no jantar deles. *risos*

-DIA 3
Os cobaias acordaram cedo esta manhã. Cada um deles ganhou um croissaint de queijo com um molho à base de manteiga de alho. Nenhuma droga foi injetada no homem durante a noite; isso é um experimento mental, sem variáveis permitidos.O teste do homem foi realizado durante à 13:45. Um doutor entrou na sala para ajudar a mulher que estava dando à luz. O homem, acreditando que a sua bolsa estourou, obedeceu. Um saco foi deixado na mesa imediatamente após o parto.Ele foi instruído privadamente para extrair o coração do bebê e consumi-lo. Considerando a alternativa, ele concordou por nossa persuasão um pouco forte. Entrando na sala, ele abriu a sacola e, sem revelar o conteúdo para a mãe, achou várias ferramentas cirúrgicas dentro. Depois do que parecia ser uma oração, ele pegou o menino e atingiu-o no peito; naturalmente, ele morreu na hora.Cortando o seu peito, o homem arrancou o coração que ainda batia do bebê. Então ele colocou o coração inteiro na boca, mastigando e chorando vendo o bebê ainda espirrando sangue materno. Os guardas removiam a carcaça do bebê enquanto o homem explicava chorando para a mulher aflita o que aconteceu.De um ponto de vista pessoal, eu não entendo o porque dos murmúrios; isso tinha que acontecer com aquele pequeno porco.

-DIA 4

Três cobaias estavam ainda vivos nesta manhã, com a mãe tendo sobrevivido graças a uma operação de emergência após o que o homem fez. Embora fisicamente intacta, ela estava mentalmente deformada; e não mostrava mais emoção, ela começou a murmurar para si mesma. Terapia de eletrochoque foi considerado, mas desnecessária.Salaminhos foram escolhidos para os cobaias; neste ponto, a cozinha era a única coisa que estava fazendo eles prosseguirem. Foram dadas as primeiras e últimas tarefas para a mulher. Ela concordou sem recusar, o que foi muito estranho. Primeiro, ela tatuou cortando os seus seios a palavra vadia. Então, providenciando ferramentas adequadas, pediram para ela cortar suas próprias fezes e ingeri-las.Vou admitir, nós nos divertimos com o que ela fez hoje. É notável que ela fez tudo isso sem sentir dor ou nojo... muito intrigante. Então chegou a vez do homem fazer a sua tarefa do dia: ele deveria bater com o cadáver do bebê congelado na mulher até a morte. Tristemente, ele concordou.
A mulher representava não sentir dor como o parto.
A menina, como previsto, estava fora de si. Algo inesperado aconteceu após o teste, embora; o homem tentou confortar a garota, explicando da melhor forma possível para a garota as causas. Tal será a ironia do teste de amanhã. Dois cobaias sobrando.

-Anotação: Durante o experimento, este homem não sofreu alterações mentais, ainda assim não afetado. Talvez ele se emocionou tanto com o primeiro teste que ele se acostumou a lidar com isso. Hmm.
-Anotação pessoal: Doutor Übelgrentz tentou assassinar um guarda hoje, então, de acordo com o protocolo, Eu atirei nele. Doutor Wehrmein permanece firmemente comprometido com o projeto.

-DIA 5

Nenhum dos cobaias dormiu. Atormentados com os testes de ontem, eles se abraçaram para ter a vida de volta. Para a sua refeição final, os dois comeram os melhores crépes da França. Depois do almoço, foi dada a última tarefa para o homem em troca de uma libertação falsamente prometida; este foi o único jeito que achamos de forçar ele a fazer a tarefa. Ele tinha que fazer sexo com a garota em todos os orifícios.
Concordando sem emoção, ele foi e fez sexo com a garota, deixando ela quase morta. Fornecendo-lhe um serrote, ele foi ordenado a cerrar a garota ao meio, começando com as pernas. Ele fez isso, aparentemente sem reagir aos gritos da garota.Foi então que ele ficou finalmente louco.Pegando o serrote, ele cortou a sua cabeça ao meio; isso é medicamente impossível de se cometer, concluindo que o seu cérebro não funcionaria mais.


-Declaração Final
Parece que, como resultado de promessas quebradas, o que faz estes animais continuarem o caminho para a sobrevivência é o suprimento de comida e luxo infinito. Isso confirma o meu pensamento e do Hitler: Em circunstâncias controladas, o homem irá devorar a sua própria espécie.


26 comentários:

  1. Isso não fez muito sentido. Os caras não continuaram pela comida... continuaram porque não tinham muita escolha, né.

    ResponderExcluir
  2. concordo! entendi a proposta da história, mas eles continuaram porque não tinham escolha, e não pela comida.. nada vê.

    ResponderExcluir
  3. Já perceberam como tem um vilanizacao quase que monopolica sobre o nazismo, nâo querendo defender e tal mais o japâo e a italia e os outros paises não tinhao cientistas filhadaputamente loucos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Favor colocar mentalmente o ponto de interrogacao no final do comentario

      Excluir
  4. Esse site nos últimos tempos tá bombando.

    ResponderExcluir
  5. Eu queria muito ter participado porque eu mataria qualquer homem,comeria o coração de qualquer bebe, matara uma mãe com o cadáver do próprio bebe PARA PODER FAZER SEXO COM UMA GAROTINHA DE 4 ANOS EM TODOS SEUS ORIFÍCIOS!!! #TôComInveja #VoltaNazismo #GündschauParaPresidente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mano, você é um adolescente idiota que acha que é um pedofilo mas com certeza nem pensa nos seus atos, vc precisa de seu toddynho e hora certa pra dormir, bjs

      Excluir
    2. #MaisShotacon #FujoshisDominarãoOMundo

      Excluir
    3. Fujoshits retardados, idiotas. Não merecem nem estar vivos

      Excluir
    4. vocês sabem oque significa ironia? esse comentário foi em comparação com os idiotas que pedem a volta da ditadura militar.

      Excluir
    5. #VOLTANAZISMOCARAIO quero fude o cu de uma garotinha tbm fze ela quase morrer serrar as pernas dela e enfia nos orificios dela amputada(so zoeira ta, n sou demente aushaush)

      Excluir
  6. Já conheço essa creepy há uns anos... É interessante porque pode até ser real, mas só mostra como os nazistas (não todos) só queriam enxergar o lado deles e ZzZzz.. Chatinho ;-;

    ResponderExcluir
  7. Como todo mundo disse, essa creepy n prova nada, pq eles n tinham escolha e nao obedecer era 100% de certeza de morte e obedecer era pelo menos 99%, ou seja, não era pela comida tanto que nem eram dadas todas as refeições do dia.

    ResponderExcluir
  8. Wowwww, muito noa essa creepy, parabéns por traduzir!!!

    ResponderExcluir
  9. A galera tá dizendo que a comida não tem nada a ver. Mas eu observo por outro lado. Eles teriam tanto medo de morrer a ponto de fazer esses atos desumanos e conviver com isso pelo resto da vida? Além de alguns deles terem sido provavelmente drogados, creio que o fato de terem o luxo ajudou na influência. Claro que minha suposição pode estar errada, mas foi minha forma de encaixar isso na história. ^^

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Eles foram coagidos, não o fizeram pela comida, a comida foi pretexto pros pesquisadores fazerem as atrocidades que quizessem. Esse teste nem faz sentido haha pra mim eles obtiveram o resultado que eles queriam, e manipularam tudo ao seu favor pra isso.

    ResponderExcluir
  12. Na real mostra que normalmente o ser humano aguenta ao maximo porque tem esperança de sair com vida... vai até contra os principios pela sobrevivência. Se não fosse assim ninguém fazia as atrocidades e se deixava ser morto.

    ResponderExcluir
  13. O rapaz cometeu essas atrocidades pela Liberdade. a Comida foi apenas um pretexto, assim como o Preso que está prestes a ser executado.

    ResponderExcluir
  14. Achei meio falso isso, pois judeus não comem carne de porco e logo no primeiro dia o banquete foi de javali.
    Depois ainda deram salaminho, tem alguns furos e se parece muito com a história do experimento da privação de sono.
    Mas anyway né. ...

    ResponderExcluir