Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

A minha primeira vez foi com um homem de cinquenta e oito anos

22 comentários
Os meus pais estavam orgulhosos de mim, pois, quando completasse os meus treze anos, seria a minha primeira vez. Eles escolheram um homem com cinquenta e oito anos para que eu pudesse finalmente saber como é fazer aquilo. E, finalmente, esse dia chegou. Eu teria que fazer no meu aniversário, segundo os meus progenitores.

Pararam o nosso carro em uma praça onde o homem costumava ficar, este que era um galanteador local, uma pessoa que gostava de se aproveitar de garotas inocentes e, naturalmente, gostará de mim. Papai olhou para mim com sorriso de orgulho, e a mamãe disse que tudo ficaria bem, dado que eu apenas precisava fazer aquilo uma vez para poder me acostumar e não parar mais.

Me apresentei para o homem com um "bom dia", e ele ficou surpreso com a minha presença, com a minha idade e além da minha beleza juvenil. O sujeito começou a dizer o quanto tinha dinheiro, mostrou o seu carro importado e os seus relógios de ouro na mão, que era ridiculamente bizarro uma pessoa com três relógios nos braços só para mostrar que eram de luxo.

Nos levou para um bar de confiança onde vários caras como ele frequentam e ninguém ousaria abrir a boca para as coisas que presenciavam ali. Algumas vezes, ele tentou encostar em mim, no entanto eu afastava-me tentando esperar ele terminar de beber algumas garrafas de cerveja, que um dos seus subordinados trouxe. Fiquei ao seu lado mais parecendo uma filha, ou algo do tipo, diante das pessoas para que ninguém desconfiasse do que eu pretendia fazer com aquele homem.

Fiquei por horas: escutando ele dizendo o quanto eu era bonita e com as investidas indelicadas que fazia todo momento enquanto colocava copos com cerveja em sua boca. Após um certo tempo, finalmente, se cansou e não aguentava mais beber. Então disse, agarrando o meu braço, que tinha algo para me mostrar em sua casa em frente à praia. Eu acompanhei até o seu carro e vi os meus pais de longe, observando como duas corujas indiscretas.

Antes de entrar no carro importado que ainda estava com aquele cheiro de objeto novo, observei quando discretamente a mamãe acenou com a mão e com aquele olhar de boba que não tirava do rosto.

Chegamos até à casa do homem, ele nos levou até o seu quarto e começou a tirar a camisa. Pedi para ele se sentar e fechar os olhos... Quando menos esperava, enfiei um objeto pontiagudo, que tinha no meu cabelo escondido, em seu olho direito. O cara gritou, e enfiei nas suas costas, e ele me arremessou contra uma cadeira para tentar buscar ajuda, mas nada adiantava. Não tem como fugir da situação bêbado a qual encontrava-se.

O meu pai disse que a morte duraria mais tempo, pois a minha arma era tão fina quanto um alfinete, e ele antes de morrer teria múltiplas hemorragias internas por conta dos furões em seus órgãos. Estava preparada suficiente para esse cara. Quem diria que a sua casa em frente à praia, bem afastada dos olhares públicos, seria o local ideal para que ninguém escutasse os seus gritos de horror.

Além dos golpes precisos nos locais certos para que não morresse rápido e sentisse muita dor, dei golpes de lutas marciais, tudo ensinado pelos meus pais. Após uma morte extremamente cruel, dolorosa e lenta, eu fiz a minha primeira vítima. Os meus pais disseram que eu seria tão boa quanto eles ao matar minhas vítimas e tenho razão porque foi muito prazeroso saber como é ceifar uma vida.

E como eu já disse no início, "a minha primeira vez foi com um homem de cinquenta e oito anos."

Autor: Sinistro

22 comentários :

  1. Meio previsível mas eu gostei...
    Obrigada Gabriel!

    ResponderExcluir
  2. Tenho a impressão de que está já foi postada antes. Pedófilo tem que se fuder mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Pedófilo tem que se fuder mesmo ahahahahahahah

    ResponderExcluir
  4. Essa parece aquela do garoto que comia biscoitos na livraria, algo assim.

    ResponderExcluir
  5. Muito previsível,desde o primeiro parágrafo já dava pra saber o final.

    ResponderExcluir
  6. Alguém avisa ele que tá uma bosta! Alguém avisa a os administradores que tem coisas muito melhores esperando aprovação para vir para a pagina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ñ precisa de tanto ódio, amiguinho. O seu texto vai ser aprovado em breve e deveria respeitar os outros, já que são fãs Creepypastas, compartilhando os mesmos gostos.

      Excluir
  7. Eu até gostei. Alguns dos comentários são em desfavor quando se trata de algo criado por nós, desse jeito não incentiva os criadores daqui, Apesar de que os textos, vindo de fora e traduzidos pelo site, são mais trabalhados e num certo ponto melhor, mas deveríamos ser mais abertos com algo dos próprios brasileiros.

    ResponderExcluir
  8. Galera falando que era previsível e eu esperava qualquer coisa menos isso kkkkk belezinha, gostei

    ResponderExcluir
  9. Batida mas legalzinha, curtinha e distrai bem. 7/10

    ResponderExcluir
  10. Ruim, mas é na tentativa e erro que se evolui. Tava MT previsível e sem surpresas, mas bem escrito

    ResponderExcluir