Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

A Cura Para Infelicidade

11 comentários
Ele me acordou dizendo que hoje é um dia especial, trouxe consigo alguns pães, com um pouco de café em nossa cama. Para ser mais romântico, ainda falou que não precisava levantar que iria deixar a casa pronta, uma vez que é o aniversário do nosso casamento.

Estávamos na cozinha. Todos os móveis são brancos, pois é a minha cor predileta, mesmo que isso incomode ele, este faz de tudo para me deixar contente.

Meu marido Gabriel está lendo os jornais enquanto eu o observo mexendo os seus lábios, e comecei a pensar... o quanto a minha vida é perfeita. Tenho o melhor marido do mundo, é aquele tipo de cara que em todo bairro é o mais bonito, e todas as mulheres ficam no pé, e ele está comigo casado e feliz.

Nós não tínhamos filhos, por mais que seja o sonho de Gabriel ter um garoto para ensinar a jogar bola, eu disse que não queria cortes no meu corpo, uma vez que a minha mãe ainda tem a cicatriz do parto do quarto filho, que é a minha irmã mais velha, e eu não suportaria a dor de um parto natural. Ele concordou com paciência para que eu pense bem, ou poderíamos adotar uma criança. Apesar da minha maneira de ser e das minhas ideias chatas, meu marido sempre está sorrindo para mim, como se eu fosse perfeita aos seus olhos.

Certa noite, acordei dizendo que estava ouvindo barulhos estranhos dentro de casa, encostei em seu corpo para que acordasse, pois é o homem da casa, este continuou roncando como uma pedra. Levantei e caminhei com os pés descalços. O som é uma coisa constante como algum tipo de gaita e parecia que era acompanhado de vozes. Fiquei confusa, não sou o tipo de mulher que tem medo de fantasmas e não gritaria igual uma garota indefesa caso algum tarado invada a nossa casa. Procurei por todo lugar e não vi nada. Quando estava voltando para o quarto, luzes saíram do lado de fora ofuscando a minha visão, e eu gritei pelo meu marido que apareceu rápido. Estava assustada, Gabriel perguntou o que aconteceu, e eu disse. Olhou pela janela e falou que não tinha nada, argumentou que poderia ser brincadeira de algumas crianças locais e me levou para a cama novamente.

Cada vez mais ele parecia tentar deixar a nossa vida perfeita, como ela já estava sendo. Comecei a reclamar dos alimentos, dizendo que estavam com um gosto estranho, o meu marido apenas respondeu que irá trocar os alimentos e começar uma nova dieta, mesmo que não adiantasse.

Não parava de imaginar como foi que nós nos conhecemos, dado que sou aquele tipo de garota mal-ajambrada, não cuidava do corpo e, muitas vezes, enjoada com quase tudo que o meu esposo fazia por nós.


Quando imagino muito sobre o nosso passado, a minha cabeça não para de latejar, e quando peço muito detalhes, Gabriel parece ficar um pouco aborrecido comigo, mesmo que respondesse educadamente.

Nós quase sempre estamos em casa, dentro e trancados. Às vezes, saímos para o jardim, onde ele faz churrasco e convidava aqueles vizinhos típicos, aquela família perfeita que sempre entrega bolo e dá "bom dia" quando você coloca apenas um dedo fora da porta.

Apesar dos anos de casados, só agora fiquei incomodada com tudo isso, com a falta de fotos do nosso passado em nossa casa, com o sorriso que ele está sempre carregando no rosto, e as várias desculpas que diz quando eu pergunto sobre o nosso passado, a minha cabeça não para de latejar. Nenhum remédio não faz efeito algum. E ao médico da família é perda de tempo, já que sempre argumenta que poderia ser por conta do meu início de miopia.

Fiz um teste ao começar a passar dos limites de esposa, parando de cozinhar, dormindo no sofá sem agradar ele e sendo grossa. Isso tudo é ignorado pelo seu sorriso e a sua forma de tentar fazer com que tudo fique perfeito novamente.

Com certeza, não estou em coma em um hospital vivendo um sonho, se não, o meu corpo não doeria e não sangraria com pequenos cortes fiz em meu corpo para ter certeza que não estou dormindo. O mais bizarro de tudo, é que tudo que eu preciso está dentro de casa, e o meu marido com seu trabalho de meio expediente, consegue sustentar a nossa casa em um bairro de classe média.

Minha ansiedade estava voltando com a depressão que tive em quase minha vida toda, não estou suportando mais guardar isso tudo. Pedi para que ele sentasse no sofá para que nós começássemos a conversar, mesmo inventando desculpas, eu disse que era sério, e nós começamos. Fiz várias perguntas, que ele dava respostas como fez sem detalhes, e foi aí que as coisas ficaram estranhas.

Perguntei se ele tinha me sequestrado, e por algum motivo, estava mantendo essa vida perfeita. Sua expressão mudou, espantando aquele sorriso alegre e a sua voz também se alterou. A minha cabeça não parou de latejar. Logo, uma coisa mais surreal começou a acontecer, quando os móveis e a aparência do meu marido começou a derreter rapidamente. Espasmos musculares, flashes de luzes em meus olhos fizeram com que eu despertasse deitada em uma maca.

Minhas pernas e braços estão presos, tubos enfiados em todo canto do meu corpo. Em todos os lugares, nisso que parece ser um quarto bastante escuro, há várias coisas anotadas em uma língua que não conheço. Gritei, e alguém entrou pela porta. Na verdade, havia mais de uma pessoa. Aos poucos, fui adaptando os meus olhos com aquilo que estava diante de mim... não pode ser! O que está havendo aqui?! São monstros com os olhos grandes, cabeças desproporcionais ao corpo, a pele acinzentada, sem roupas e segurando algo que parece ser um bloco de notas. Apesar dessas coisas não serem humanos, entendo o que eles falam.

Um dos monstros, colocou uma espécie de luz amarela nos meus olhos e ficou examinando aqueles tubos que estão entrando em meu corpo. Um deles, que parecia ser o mais importante, disse:

-Teste falho, erro na cobaia número 5638. Iremos iniciar mais uma vez, com a nova... dosagem - ele disse... enquanto coloca mais um tipo de soro, com a tonalidade azul no meu corpo. Fui ficando com muito sono e observando aquelas figuras olhando para mim, enquanto cada vez mais entrego-me ao efeito daquele soro...

Sinto uma pancada no meu estômago e acordo assustado, com uma criança olhando para mim, meu filho, falando que hoje é o aniversário dele. Uma mulher, ruiva, com a pele branca, carrega um sorriso no rosto e diz que me ama, fala que essa manhã será tão especial como as outras. Acho que eu sou o homem mais feliz do mundo....

Autor: Sinistro

11 comentários :

  1. Boa, não esperava os monstros, no máximo um hospital com médicos dizendo que ela acordou do acidente ou coisa do tipo.

    ResponderExcluir
  2. Então isso era um teste para um tratamento para a depressão que ela vivia?

    ResponderExcluir
  3. Um dos invasores da area 51 que foi feito prisioneiro?

    ResponderExcluir
  4. Acredito que a pessoa está sendo vítima de experimentos de extraterrestres, e eles estão usando as cobaias humanas como se fossem animais, já que, na atualidade, o terror é o psicológico, e a depressão faz parte dele.

    ResponderExcluir
  5. interessante, eu realmente não esperava por essa reviravolta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pau no teu cu. tomou um esporro da divina e agora tá todo pianinho. vsf

      Excluir
  6. PRGDL02022

    Sensacional Gabriel, gostei. Matrix??

    ResponderExcluir