22/06/2011

A Carona

Uma vez, em uma certa estrada muito perigosa e em uma noite muito chuvosa, um caminhoneiro já perto do seu destino vê uma mulher com uma capa de chuva amarela pedindo carona. Sensibilizado com o sofrimento da mulher, resolve ajuda-la:

- Para onde a senhora esta indo?
- Minha casa fica na beira da estrada a uns 3 quilômetros daqui... Vim até a casa de uns amigos, e preciso voltar para casa, pois minha mãe deve estar muito preocupada. Pode me dar uma carona?
- Claro, pode subir.

Era uma moça muito bonita e simpática. Ela tirou a capa de chuva e começou a conversar com o motorista animadamente, e ele sentiu até um carinho por ela, pois ela era muito espontânea e de bem com a vida.

Chegando ao local indicado pela moça, ela agradeceu o motorista , deu-lhe um beijo no rosto e despediu-se. Logo ao sair, o motorista reparou que ela havia esquecido a capa de chuva no caminhão. Como ainda estava perto, resolveu voltar para devolvê-la a moça.

Bateu à porta da casa e viu sair uma senhora de mais ou menos uns 60 anos.

- Boa noite minha senhora. Eu dei uma carona para a Ana, e ela acabou esquecendo essa capa no meu caminhão. Poderia entregar à ela por gentileza?

Com lágrimas nos olhos, a senhora responde:

- Por favor meu senhor, não brinque com essas coisas... A minha filha Ana morreu atropelada há 5 anos atrás quando tentava voltar para casa, numa noite muito chuvosa igual a essa . Não brinque moço... Não brinque!

4 comentários:

  1. Ana: EU PODIA TA ROBANDO, MATANDO QUEM ME PEDISSE CARONA MAS NÃO, SÔ UMA MORTA GENTE BOA! QUER OQ?

    u_u'

    ResponderExcluir
  2. É idêntica a história da moça do táxi, de belém

    ResponderExcluir