22/01/2017

O que está acontecendo?

Caro seja quem for que estiver lendo isso 
 Se encontrou esse diário, eu já devo estar morto 
Procurei por todos os lugares, mas não os encontro 
Decidi acabar com tudo hoje a noite 
Fale para a Jenny que a amo. 
- Michael 

20 de abril, 2012 
Acordei hoje e o meu colega de quarto, Kevin, não estava, pensei que ele tinha saído para comer fora, ou algo assim, não seria algo incomum. De qualquer forma, desci para preparar o cereal, e vi o carro do Kevin no estacionamento. Isso não era comum, ele tinha acabado de tirar habilitação e nunca largava o carro. Então decidi ligar para o celular dele. Caiu no correio de voz. Isso não era típico do Kevin. Mas varri isso da mente e voltei para o cereal. Estávamos sem torradas, e o Kevin surtaria se eu ousasse tocar nos petiscos dele. Então resolvi passar na mercearia. Mas, a caminho de lá, percebi algumas coisas estranhas. Primeiro, não havia tráfego, as ruas geralmente ficavam apinhadas a essa hora do dia. Então as coisas ficaram realmente estranhas; entrei na mercearia e ela estava vazia. O estacionamento também estava vazio. Andei pelo local procurando por algum funcionário. Ninguém. Foi quando percebi que estava sozinho. 

3 de maio, 2012 
Estive coletando suprimentos por todas as lojas próximas, com sorte ainda havia comida suficiente para minha sobrevivência. Eu costumava pensar que ser a única pessoa no mundo seria algo incrível. Nunca precisar escutar alguém, conseguir tudo que quisesse de graça, notebooks de graça, games de graça, cara, você até poderia assistir filmes de graça. Seria uma vida perfeita! Mas eu estava errado. Não é. É uma vida solitária. Acho que eu deveria ir mais longe para verificar se há mais alguém vivo. Por que diabos fui escolhido para ficar, enquanto poderia ter desaparecido como todos os outros que conheço e amo. 

14 de maio, 2012 
Estive nos maiores sites que pude pensar, postando perguntas, procurando por alguem que pudesse me responder. Nesse meio tempo, comecei a explorar lojas e outro lugares. Aprendi como usar uma caixa registradora e como destravar máquinas de lanches com um kit de arrombamento que encontrei em uma loja de penhores. Tenho que manter as esperanças que ainda exista alguem por aí. Por que me deixar vivo, por que me fazer sofrer assim, por que Deus não me matou como todos os outros. 

24 de maio, 2012 
Anexarei uma foto que tirei da estação de metrô, como evidência de que tudo realmente aconteceu caso algum sobrevivente encontre esse diário. 

2 de junho, 2012 
Acho que estou começando a enlouquecer, por todos os lugares que olho, vejo alguém, mas apenas por um breve segundo. Ouço pessoas. Vejo coisas. Ouço ele. Ele me fala sobre o que preciso fazer para sobreviver. 

4 de julho, 2012 
Antes, eu pensava que ele fosse mal, mas eu estava errado! Ele é incrível! Ele me ajuda. Me fala o que fazer. Me guia. 

13 de outubro, 2012 
Não gosto mais dele, ele quer que eu mate, mas não quero matar. Ele me trancou em casa. Vou tentar fugir. 

16 de outubro, 2012 
Recolhi suprimentos pela casa, e vou tentar fugir desse espaço confinado. Planejo mata-lo, preciso mata-lo, é a única maneira para que eu possa viver. 

3 de novembro, 2012 
Finalmente saí, e estou fugindo. Não posso deixa-lo me pegar. NÃO POSSO DEIXA-LO ME PEGAR. Se ele me encontrar, terei que mata-lo. Terei que mata-lo ou ele me matará. 

31 de dezembro, 2012 
Ele sabe onde estou, é apenas uma questão de tempo até ele me matar, se alguém encontrar isso, por favor, salve-se. Salve-se dele. 

1 de janeiro, 2013 
 Ele está aqui. Tenho que mata-lo. Tenho que mata-lo. Tenho que mata-lo. Tenho que mata-lo ou ele me matará. 

4 de janeiro, 2013  
Não pude mata-lo, mas não o deixarei me matar. Vou me matar, tenho que fazer isso ou ele me matará. Hoje, exatamente as 23:59, vou mastigar uma cápsula de cianeto. Escrevi uma nota e deixarei ao lado desse diário antes das 23:58, meus pensamentos reunidos, essas coisas. Ele não pode me parar. Não dessa vez.


23 comentários:

  1. Éééé mais ou menos, mais ou menos.

    ResponderExcluir
  2. Gostei da creepy, mas deixou algumas pontas soltas.

    ResponderExcluir
  3. "O que está acontecendo?" é um titulo perfeito, pq eu não entendi foi nada msm :u

    ResponderExcluir
  4. Não posso opinar muito, lorque nao sou fã de creepys tipo diario. Mais tá com cara de paranóia, e isso foi massa!!

    ResponderExcluir
  5. entendi foi nada, mas bacana a creepy

    ResponderExcluir
  6. entendi foi nada, mas bacana a creepy

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. "Ele não pode me parar. Não dessa vez."
    ELE QUEM

    ResponderExcluir
  9. Começou ótima... mas queria outro final...

    ResponderExcluir
  10. Pare de postar, essa creepy foi tão ruim que me deu câncer

    ResponderExcluir
  11. Pare de postar, essa creepy foi tão ruim que me deu câncer

    ResponderExcluir
  12. TO TAO FELIZ QUE O BLOG VOLTOU QUE EU TO NEM AI SE FOI FRACO POSTA MAIS

    ResponderExcluir
  13. Gostei muito da Creepy, só teve um problema: Não entendi nada

    ResponderExcluir
  14. "ele" é a outra personalidade do cara que ta só, a mente dele tava tao so que criou outra pessoa, tipo clube da luta, entendeu?

    ResponderExcluir
  15. "O que está acontecendo" título perfeito

    ResponderExcluir
  16. Creepy estilo paranóia, gostei, valeu pela tradução, mas faltou você colocar a foto do metrô junto 👍

    ResponderExcluir
  17. Pelo que eu entendi, e acho que este seria um dos poucos senão o único comentário construtivo nesta creepy...
    O cara que escreveu o diário tinha sérios problemas mentais, talvez devido á genética ou á algum trauma que viveu na infância provavelmente envolvendo a solidão e o abandono (o fato de que ele vive com outra pessoa sugere que ele se tornou independente cedo mas a baixa renda o faz com que divida o aluguel com outra pessoa, no caso o Kevin, ou que ele é um universitário, o que seria o mais improvável), os principais problemas que ele poderia ter seriam depressão, paranoia e ansiedade. No fim, ele poderia acabar sentindo-se sozinho, o que o fazia imaginar todo este mundo em que ele estava totalmente sozinho e sobrevivendo por conta própria, se agarrando á vida. Pode-se perceber que um pouco antes de que ele comece á escrever sobre "Ele", Michael começa á escrever como se "histericamente", suponho que tenha começado á escrever o diário em uma de suas crises de ansiedade/paranoia, mas que continuava á viver "normalmente", tudo que ele escreveu era o que se passava em seu interior e que ele aturava sozinho. No fim, pela tristeza de "sentir-se só", ele começa á pensar em suicídio, Kevin descobriria isto e tentaria impedi-lo, ou seja, Kevin seria "Ele", uma frase que "confirma" isto é: "Ele não pode me parar. Não desta vez." Esta frase supõe, junto com o "último dia do diário" que Kevin o confrontou sobre tudo isto (talvez ele estivesse pesquisando na internet não sobre este assunto, mas sobre suicídio, depressão e etc. ou viciado em antidepressivos, algo muito comum hoje em dia), o que resultou em uma briga na qual Kevin acabou desmaiado (por Michael lutar com ele com todas as forças até com intenção de matar), e Michael finalmente pôde suicidar-se sem que ele se metesse...
    Mindfuck mesmo, mas acho que foi uma boa teoria! :v

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Observação: A coisa do sobreviver seria, no caso, uma apologia ao que ele passava tendo de levantar todo dia, e fazer todas as coisas normais do dia-a-dia sendo que se sentia péssimo e desolado, eu mesma digo isto para mim as vezes: Eu não estou vivendo, estou sobrevivendo.
      Oh, e desculpe pelo FUCKING comentário longo, eu não sei resumir coisas em poucas palavras.

      Excluir
    2. Teu comentário ficou mais interessante que a Creepy...

      Excluir