03/08/2020

Faz 5 horas que estou assistindo meu irmãozinho na TV

Eu sempre dividi um quarto com meu irmão mais novo. Mas desde que minha vó morreu há duas semanas atrás, o antigo quarto dela passou a ser meu. E depois de muito tempo, pude ter um pouco de privacidade. É realmente muito chato ter que dividir o quarto com alguém. Não me entenda mal, eu amava minha vó e fiquei muito triste com a sua morte, mas estava feliz por agora ter um quarto só para mim.

Todos os pertences que eram da vovó, retirei do cômodo e guardei tudo no porão, exceto uma antiga televisão. Eu não queria que nenhum pertence da vovó ficasse no meu novo quarto, isso me faria ter recordações dela e eu iria acabar ficando triste novamente. Questões à parte, acabei decidindo ficar com a tv, embora seja uma eletrônico antigo, sem muitos aparatos tecnológicos, seria legal poder assistir um pouco de tv no meu próprio quarto.

Faz dois dias desde que comecei a arrumar tudo no que agora seria minha fortaleza. Pintei as paredes, montei minha cama, meu guarda-roupa e deixe tudo do jeito que eu queria. Depois de um longo dia de empenho e trabalho duro, estava exausto. Fui jantar, tomei um banho e logo depois cai na cama. Alguns minutos se passaram eu não consegui dormir, logo fiquei entediado. E como não havia nada para se fazer aquela noite, resolvi assistir um pouco.

A velha televisão não possuía controle remoto, então eu teria que levantar e fazer tudo manualmente. Passei alguns minutos procurando algum canal sintonizado, mas tudo o que consegui encontrar foi estática. Era estranho, a vovó passava a maior parte do dia vendo novelas, documentários de animais e programas de culinária, mas agora nem esses canais estavam funcionando. Então, Desliguei a tv e voltei para a cama, e enquanto olhava para o teto esperando o sono chegar, eu senti a estranha sensação de está sendo observado por alguém ou alguma coisa de dentro da tv, mas não me importei, achei que era apenas coisa da minha cabeça. Mas alguns minutos se passaram e eu logo adormeci.

No dia seguinte, resolvi verificar o aparelho, tudo parecia em ordem; a antena, os cabos, nada parecia fora de lugar. Liguei a tv para fazer alguns testes, procurei por canais novamente, mas não obtive nenhum resultado. Então, desliguei a televisão e fui cuidar do meu irmãozinho. Hoje mais cedo nossos pais saíram em viagem para tentar esquecer um pouco a morte da vovó, e desde então, sou o responsável por ele. A perda de um famíliar é sempre muito difícil, e a mamãe foi a mais que ficou abalada com o acontecimento, já que a vovó era a mãe dela.

O dia se passou lentamente como de costume. Hoje eu estava indo pra cama um pouco mais tarde por causa das tarefas domésticas que agora eu tinha que fazer. Tomei um bom banho, jantei, coloquei meu irmãzinho para dormir e logo após fui para o meu quarto e desabei na cama. Deitado, encarei a tv por alguns segundos. Não pensei em me levantar para liga-lá, era provável que ela não funcionasse de novo. Ao invés disso, gastei o tempo olhando algumas mensagens no meu celular e logo depois adormeci.

Em algum momento da noite a tv se ligou sozinha, em seu volume máximo. Era primeira vez que isso teria acontecido. Acordei assustado e atordoado, sem saber o que estava acontecendo. Peguei meu celular para ver às horas e vi que eram 3:33 da manhã. Olhei para televisão e a tela estava totalmente escura, me levantei e cheguei mais perto, pude ver que o canal sintonizado era o 666. não sou do tipo de pessoa superticiosa, apenas pensei que fosse algum tipo defeito, já que o aparelho era antigo e velho. Pressionei o botão Power-Off e a televisão desligou. Então, voltei para a cama e como estava com muito sono, retornei a dormi rapidamente. O dia amanheceu e eu não sabia se o que aconteceu durante a madrugada foi real ou apenas um sonho. Não pensei muito no assunto, já que agora tenho muita coisa para resolver e não poderia perder tempo.

Parece ser um comportamento padrão dos irmãos mais novos gostar de bisbilhotar as coisas dos irmãos mais velhos. E por causa disso, sempre que eu saía do meu quarto, trancava a porta. Pode parecer exagero, mas pra mim meu quarto era como um troféu e eu gostava de tudo bem arrumado.

Mais um dia se passou e a noite chegou, e com tantos deveres domésticos que eu havia feito, estava exausto. Fui colocar meu irmão para dormi em sua cama. Hoje mais cedo na hora do jantar ele me perguntou sobre a vovó, respondi que ela estava em um lugar melhor, e que ela não poderia mais ficar com a gente. A vovó e o Júnior eram bastante próximos e eu sabia que uma hora ou outra ele iria fazer esse tipo de pergunta. Esperei algum tempo até o Júnior dormir e logo em seguida desci as escadas em direção ao meu quarto. Tudo o que eu queria era dormir um pouco, e logo que coloquei minha cabeça sobre o travesseiro dormi incrívelmente rápido.

Mais uma vez na madrugada a tv havia se ligado sozinha, e dessa vez confesso que senti um pouco de medo. O canal sintonizado ainda era o 666 e a tela era a mesma escura de antes, só que dessa vez foi diferente, ao invés de barulhos de estática, eu ouvi sussurros e gritos, como se muitas pessoas estivessem sofrendo juntas. Eu me laventei e embora estivesse tremendo em medo, tentei me acalmar dizendo a mim mesmo que isso só era algum tipo de filme que estava sendo transmitido naquele momento, mas como a tv estava com defeito, não consegueria ver as imagens, apenas ouvir o som. Rapidamente puxei o fio da tomada e a televisão se apagou.

Ainda trêmulo, voltei para minha cama e sentei-me na beirada. Foi quando a tv mesmo estando fora da tomada se ligou novamente... e eu juro que vi uma mão com grandes garras negras sair da tela como se fosse algum tipo de efeito 3D. A mão em questão parecia gesticular em minha direção, realizando um gesto que me chamava. Coloquei meu cobertor sobre a minha cabeça e fechei meus olhos com muita força, esperando acordar de um pesadelo. Passaram-se alguns segundos e o barulho dos sussurros e gritos pareciam ter sido cessados. Então, tirei o cobertor da minha cabeça e vi que a tv estava desligada. fui até o guarda-roupa para pegar um velho lençou de cama desgastado por traças, joguei o lençou sobre o velho televisor e voltei para minha cama em pânico, não consegui dormir o resto da noite.

No dia seguinte eu havia decidido que iria me me livra da velha televisão. Mas nem tudo sai como planejado. Tentei levantar, puxar e empurrar, por mais que eu tentasse a tv não se movia nem por um centímetro, era como se estivesse colada no chão ou pesasse uma tonelada. Depois de muitas tentativas a única coisa que eu poderia fazer era deixá-la no lugar de sempre e joguei o velho lençou por cima novamente. Pensei que talvez pelo fato do aparelho ser antigo, aquele poderia ser o peso normal. Mas não sei, talvez meu cérebro só estivesse tentando criar algo para acreditar. Mesmo assim sai do meu quarto aquele momento intrigado.

Fui cuidar do Júnior como já era de costume. Hoje ele acabou sofrendo um acidente. Por um descuido ele tropeçou e rolou escada abaixo. Ele chorou bastante e ficou com vários ematomas por todo o corpo. Então, tive que dar maior atenção para ele. O dia escureceu e Júnior ainda estava com cara de choro perguntando por nossos pais, que foram viajar e sobre a vovó que havia falecido. Fiquei com tamanha dó de seu estado. Então, antes que fôssemos nos preparar para dormir, resolvi mostrar ao Júnior como havia ficado meu novo quarto e também permiti que ele visse alguns dos meus quadrinhos de super-heróis.

Deixei ele sobre a minha cama, ele esfoliava às revistas em quadrinhos freneticamente. Ele estava se divertindo tanto que pareceu ter esquecido a dor e os machucados. Sai do quarto e fui para cozinha para preparar um grande prato de panquecas para o jantar, meu irmão e eu adorávamos.

Enquanto eu cozinhava, Júnior parecia estar empolgando-se bastante com os quadrinhos. Ele gritava para mim na cozinha coisas como:

“Nossa, o capitão América é incrível!”

Ele estava realmente se divertindo e logo fiquei feliz por ele. Toda criança passa por uma fase de descobertas, e parece ficar curiosa com qualquer coisa.

Tudo estava indo bem aquela noite. Eu estava quase terminando de preparar as panquecas e logo chamaria o Júnior para o jantar. Até que um momento ele gritou algo que não tinha nenhuma ligação com as revistas em quadrinhos, algo sinistro que soou como:

“Eu consigo ouvir a vovó na televisão!”

Rapidamente eu lembrei do que eu havia passado durante a madrugada. Larguei tudo o que estava fazendo na cozinha e corri em direção ao meu quarto onde eu havia o deixado. E quando estava na metade do caminho ouvi um grito do meu irmãozinho.

“AAAAA——”

O seu grito havia sido cortado no meio por alguma razão.

Cheguei no quarto ofegante, e o Júnior parecia não estava lá, notei o lençou que cobria a tv jogado pelo chão, junto com uma das minhas revistas em quadrinhos. Olhei debaixo da cama e dentro do guarda-roupa esperando encontrá-lo, mas não obtive nenhum resultado. Então eu falei:

“Pode aparecer Júnior, você ganhou!”

Nessa hora a televisão se ligou sozinha novamente e eu não acreditei no que estava vendo. Enfreguei meus olhos acreditando que aquilo não era real. Me aproximei e tive a certeza... Era ele, meu irmãozinho Júnior de alguma forma estava dentro da televisão, preso como um pequeno hamster em uma gaiola.

Já se passaram cinco horas desde que o encontrei dessa forma. Ele não para de chorar e falar que alguém o puxou para dentro da televisão. Não sei o que faço para retirá-lo de lá.

A única coisa que fiz nas últimas horas, foi assistir o meu irmãozinho preso na tv.

Autor: Vhulto

3 comentários:

  1. quebra a tv para ele sair denovo ue

    ResponderExcluir
  2. Poxa. A Creepy tinha muito potencial.
    Mas algumas informações são jogadas do nada como se tivessem sido esquecidas de serem ditas no começo, há alguns erros de escrita que nos tiram um pouco da imersão e no fim acabou caindo no clichê do monstro preto de garras grandes. :(
    Mas se o autor reescrever dando uma revisada acho que pode ficar muito boa.
    Abraço.

    ResponderExcluir