01/08/2020

Papai sempre começa a rezar quando está irritado

" Está na hora de dormir, pois já faz muito tempo que eu não apareço, e você disse que se recebesse atenção dele, iria cochilar mais cedo." - a voz ficou acolhedora, tentando falar com Arthur enquanto ele brincava com o urso de pelúcia em suas mãos. O objeto caindo aos pedaços, apenas restos de panos e um botão de camisa substituindo a órbita ocular esquerda. Todavia, aquela figura infantil causava o conforto e o sentimento especial por ter sido presenteado pelo seu pai.

" Sabe, eu não consigo... Principalmente quando a mamãe fica gritando o dia todo. Eu já havia me acostumado com os barulhos da mulher estranha do outro lado da parede, mas, no outro mês, fiquei sabendo que ela é a minha verdadeira mãe e que é uma pessoa muito especial. Isso lembrou as poucas vezes que o papai deixou a televisão aqui, e eu vi alguém falando sobre pessoas especiais." - conseguiu ouvir uma respiração impaciente, que foi logo se acalmando novamente e aparecia, nos olhos de Arthur, a mesma coisa que o seu pai fazia quando ficava irritado com alguma coisa.

" Acho que nós já falamos sobre a sua mãe e sua situação atual.... Por que ele nunca tirou você de dentro desse quarto, não recorda, além da televisão, o Sol e as pessoas livres e alegres? A luz é a única coisa que você enxerga, é tudo aquilo que as lâmpadas iluminam. O seu pai não é uma boa pessoa, e sua mãe não quer ficar e nunca desejou, desde criança, permanecer trancafiada e vítima de abusos em seu quarto. Está na hora de dormir. Sei que gosta muito quando ele aparece, não apenas para lhe dar comida e desaparecer, mas ficar contigo. Mesmo muito irritado, você fica contente quando ele começa a rezar, certo?" - Arthur começou a abraçar o urso de pelúcia e as suas pernas estavam doendo, pois as cordas não foram tiradas delas.

- Não sei não... ele parece triste. Nas outras vezes que chegava aqui e durava mais tempo chorando na cadeira e pedindo desculpas, era apenas de angústia, agora é infelicidade, com rancor. Não entendo por que ele fica com raiva quando eu o chamo de "pai". Mais de uma vez, já falou que eu era o seu filho. Foi um erro a mamãe e tudo que fez nos últimos anos... Fico triste quando ele está com cheiro forte e falando de forma estranha, sempre repetindo as mesmas declarações, quando fica cambaleando e se senta na cadeira e diz: "Eu irei pagar no abismo por tudo que fiz". Eu gosto do papai. Só fico tristonho quando ele se aborrece na ocasião em que eu o chamo de "papai". Nós temos os mesmos cabelos vermelhos." - o garoto ficou pensativo, olhando para a parede limpa e lembrando-se de coisas do passado, tudo aquilo que se resume à sua vida preso em um local com quatro paredes e uma porta.

Arthur fez amizade de forma rápida com um homem que apareceu no seu quarto, este não era como as pessoas na televisão, muito menos como seu pai ou a sua mãe, a linda e bela mulher presa em correntes e que se comporta de maneiras esquisitas para sua própria realidade. O homem sempre tentou ser legal com o garoto, disse que veio depois de anos de sofrimento e que o papai precisava padecer, em vida, antes de ir para o "Inferno", segundo suas próprias palavras, pelo crime asqueroso que fez, contrariando os versos que gosta de ler em certas noites sobre ser uma boa pessoa, e se tornando um monstro.

"Eu estou ficando com sono. Você promete que vai fazer o papai ficar mais tempo aqui comigo, rezando e cuidando de mim, enquanto eu durmo? Fico triste quando ele queima o seu corpo com água quente, machuca os seus olhos com coisas estranhas e continua falando aquelas coisas, torturando você. No entanto, pelo menos papai vai ficar aqui cuidando de mim enquanto eu estou repousando." - o garoto começou a deitar a cabeça em uma almofada velha. O colchão estava tão duro, que o seu corpo atrofiado conseguia encontrar conforto depois de anos deitado no mesmo lugar, e o homem diferente ficou feliz, muito empolgado quando ele chegou no local.

Bastou apenas o garoto dormir para os tremores começarem. Todos os móveis do local estavam caindo e as luzes explodindo uma atrás da outra, a cama ficou se movimentando como se fosse um cavalo galopando. Os gritos desafiadores do homem, o estranho que agora estava presente, começaram a se espalhar por toda a residência, cada vez mais altos e distantes. Então, nessas circunstâncias, ele apareceu.... As hesitações, tão covardes quanto aquilo que segurava nas mãos, a sua longa roupa preta e os seus cabelos brancos se resumiam na experiência de desonra. Os seus olhos observando o corpo do garoto dormindo, representavam a perversidade do que fez com a outra criança, que agora é uma mulher e gerou fruto de atos doentios contra quem nunca quis ter desejos carnais, ainda mais com problemas cognitivos.

"Eu vim aqui para tirar você desse lugar e deixar a criança em paz, sua criatura maléfica. Irei lutar pelo nome de Deus, para que você nos deixe livres do seu tormento maligno!" - o homem apontou sua arma de prata, escolheu cada versículo de escritas rabiscadas, tentou segurar aquele líquido inflamável para o corpo do homem, que olhava com seus deboches desafiadores e cortando uma gargalhada na sua boca.

"Olá, Padre Gibson! Quando você tenta falar sobre "criaturas malignas", parece uma piada para o monstro que você é de verdade, se escondendo atrás de batinas. O que vai dizer? "Que eu sou contra Deus", "um pecador", "uma coisa asquerosa para as pregações do Salvador!?". Veja você mesmo.... e diga-me, como vai conseguir me arrebatar, se o senhor é tão repugnante quanto a minha figura é para tudo que é divino!?" - o homem levantou, tirando o conforto do corpo do garoto, que está dormindo e jogando o urso de pelúcia. E, no mesmo momento, o seu corpo, se contorcendo, quebrando todos os ossos e gargalhando ao pronunciar blasfêmias.

"O Espírito de Deus flutuava sobre as águas e soprou sobre a cabeça dos homens, seja Michael meu guia e, sob meu servo, na luz e pela luz." - as mãos trêmulas do padre tentavam abrir o potinho com água benta, e a cruz cada vez ficava mais pesada nos seus membros, o medo estava dançando em seu rosto em cada movimento dos músculos faciais. Nessa ocasião, ele clamou todo ódio para o demônio. Mas, a sensação era a mesma: sabia todo julgamento e o que ele iria passar, como se todo fogo e eternidade do pecado humano estivesse lhe aguardando no segundo passo que desce.

"Na Terra, é apenas o começo que você vai encontrar após a morte. É melhor se esforçar, bem mais do que isso, se possuir fé... pelo menos uma vez na vida, sem ser esse político imundo, que apenas tenta enganar os outros! O seu pecado está atrás das paredes desse lugar, e o fruto dele permanece inocentemente, dormindo aqui. Entre nós dois, eu sou mais digno de vencer essa batalha. Então, se esforce o máximo que puder, porque o que vai acontecer lá em baixo, será tão impiedoso, mas exatamente o que você merece, Padre Gibson!"

"Seja o verbo meu alento e comentarei a estes espíritos do ar a barrar as forças somente com a vontade do meu coração e os pensamentos de minha mente, portanto te conjuro, criatura do ar, pelo Pentagrammaton e em nome do tetragrammaton, nos quais está a vontade firme e a fé reta. Amém...". -ele continuava rezando e rasgando a Bíblia em cada palavra e as suas mãos pulavam para a segunda página

- Deboche em todo momento. "Gibson, é tudo isso que você faz? Apenas fala, profere e expressa. Você precisa acreditar!" - sacrilégio se espalhando por uma eternidade em um lugar, tão apodrecidas quanto o tempo.

A criança está tão feliz por conta do período que o seu pai está presente no buraco em que adormece, apenas ouvindo os seus julgamentos, mesmo que esteja irritado, mas, pelo menos, está rezando. A sua mãe batendo a cabeça na parede em todo momento e gritando, berrando e rugindo sem parar...

Autor: Sinistro

5 comentários:

  1. Não entendi muito mas achei doido

    ResponderExcluir
  2. Pelo que se entende o padre é o pai do menino, a mãe alguém com problemas mentais que foi abusada pelo padre e por e ter engravidado foi presa pelo padre junto com a criança. e o fato do padre ser um politico fez com que ele escondesse ainda mais a historia, mantendo a mãe e o filho em cativeiro durante anos, bebia para esquecer o que fazia e as vezes demonstrava culpa mas nunca pensou em liberta-los, o cara supostamente endemoniado provavelmente e alguém que descobriu toda a historia e tentou liberta-los mas foi capturado pelo padre politico, sendo torturado com sessões de exorcismo.
    O menino por nada entender se contenta ao ver as sessões por ser o único momento em que o pai fica por perto e lhe da atenção.

    ResponderExcluir
  3. Tá mais pra uma sadpasta = /
    Aêê, blog voltou! \o/

    ResponderExcluir
  4. Testemunho: por anos eu tenho procurado um templo real para fazer o templo porque eu tenho sido um monte de fraude na internet.Quando um dia conheci um amigo meu que me levou a um templo sério que o tinha contactado durante 10 anos que a sua vida tinha changé.Il põe-me em contacto com o templo. Numa semana a minha vida mudou. Tornei-me quem queria ser durante anos. Se eu der este testemunho é para pessoas como você que precisam de ajuda porque o mesmo templo pode fazê-lo devolver a sua ex-mulher ou o seu ex-homem desaparecido. O mesmo templo pode fazer você encontrar o sorriso que você queria graças aos 5 milhões de dólares que eles oferecem primeiro após o pacto para permitir que você desenvolva suas atividades e realizar seus sonhos. No momento em que falo com você, que era miserável, eu sou um milionário e faço doações para associações desde o advento da Covid 19.Aqui está o contato do templo que lhe permitirá encontrar o sorriso que você queria por anos : espiritualtemplo@gmail.com

    ResponderExcluir