Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

O que mais tem para nós?

4 comentários
Eu estava deitado no chão, e conseguia ver o céu. Percebi que o frio estava de congelar os ossos. A próxima coisa que me veio, foi o cheiro. O cheiro era de decadência, mas ao mesmo tempo era muito indistinto, como se o frio extremo estivesse-o mascarando de alguma forma. Tentando descobrir do que era o cheiro que eu sentia, me levantei.

Olhei em volta e percebi que eu estava em um tipo de pátio, com muros altos por toda sua volta. Não havia nenhum jeito de sair que eu pudesse enxergar, e os muros deviam ter mais de 20 metros de altura. Ainda um pouco desorientado, eu percebi então como o chão abaixo de meus pés era irregular, e olhei pela primeira vez ao redor de mim sem ser olhando pra cima.

Corpos. Corpos em vários estados de decomposição, praticamente cobrindo todo o chão. Pilhas e montanhas deles. E alguns deles não estavam mortos.

Alguns gemiam, e tentavam em vão mover os braços. Outros rastejavam, e outros estavam inclinados sobre os muros. Os mais fortes mancavam pela área, sem ter nenhum lugar de verdade para ir. Todos eram magros demais, mas eu só podia dizer isso pelos seus rostos sujos e com barba por fazer, já que a maioria usava casacos esfarrapados e grossos.

Eu notei que um deles estava de joelhos perto de mim, e eu observei ele pegar um maxilar sem rosto do chão, com suas gengivas brancas e dentes pretos apodrecidos. Ele olhou apreensivo por alguns segundos, mas começou a morder e raspar com os dentes, comendo qualquer coisa que podia dali. Depois que o osso estava praticamente limpo, ele desmaiou.

Do outro lado do pátio, um homem estava balbuciando consigo mesmo, deitado em um canto, em posição fetal. Outro estava raivosamente comendo o próprio braço esquerdo. Vários andaram em minha direção ameaçadoramente, e depois se agacharam junto com o que tinha comido o maxilar, devorando-o.

O esqueleto de um homem,perto de uma parede, que eu presumi obviamente estar morto, vagarosamente estendeu a cabeça de osso e sussurrou, com a voz grosseira e crua "O que mais tem para nós?".

4 comentários :

  1. meio q eram zumbis e ele era o unico inteiro meio q the walking dead

    ResponderExcluir
  2. A pergunta que ele fez."O que mais tem para nós?" tem um significado simples.Os corpos apodrecidos são seus pecados e os que restavam que éram basicamente canibais eram como se fosse seu demonio interior que se alimenta de seus pecados e fracassos.

    ResponderExcluir
  3. Pensei qe o cara fosse o diabo e aquelas pessoas (ou zumbis sei la) estavam pedindo mais comida a ele

    ResponderExcluir