31/08/2012

A Beleza é Cega

Bravo! Bravissimo! Uma onda de aplausos tomou conta dos ouvidos de Justine, enquanto rosas choviam no palco.

“É impressionante como eles não me atingiram”, pensou amargamente. “Eu era o maior alvo por quilômetros de diferença”.

Depois das cortinas se abaixarem, ela se retirou para seu camarim, colocou seu capacete com chifres de Viking ao lado, e rebolou em frente ao espelho com um grande sorriso em seu rosto. Houve uma batida na porta, e Henry Whalin apareceu. Henry novamente.

"Você foi magnífica, Srta. Divangelo. Você viu? Os jornais estão a chamando de melhor atrix do século XIX!". Ele olhou para o chão e inclinou seus pés, de forma desconfortável. "Todos os homens da te amam".

"Estúpido Henry", gemeu Justine, enquanto examinava o corpo dela no espelho. "Nenhum homem poderia amar uma pentelha gorda como eu." Ela tentou ajustar seu diafragma. Nojento.

Ela esperou pelo seu suspiro, mas neste dia, a resposta de Henry fora diferente. Houve um ruído, um barulho metálico. "Boa noite para você, minha senhora", ele disse, enquanto deixava o camarim. Ela então ouviu o “clack” da porta.

Justine olhou melancolicamente para uma pequena fotografia da linda Bella Magro, a atriz cuja ela mais idolatrava em sua juventude.

“Qual será o segredo de Bella?”, ela pensou, enquanto pegava uma caixa de trufas em cima da mesa.

Poucos minutos depois, Justine estava inclinada sobre o cesto de lixo ao lado da porta, engasgando e vomitando. Eventualmente, ela desistiu e tirou o dedo de sua garganta.

Então, no fundo do cesto de lixo, ela viu as rosas e a carta, e lembrou-se do barulho da porta.

Ela abriu a carta e leu em voz alta: "Você ganhou meu coração, o que não é uma tarefa fácil".

"Não é tarefa fácil?!". Ela gritou de raiva. "Uma tarefa muito difícil, não é?!". Ela amassou a carta, jogou-a no chão, e pisou para descontar sua raiva.

E então, algo dentro dela havia se partido. A partir desse momento em diante, ela estava determinada a nunca mais cantar novamente. Sua voz poderia ir para o inferno; tudo que ela queria era ser bonita.
Ninguém sabe exatamente o que aconteceu com Justine depois disso.

Nem o empresário, que implorou para ela voltar. Nem os repórteres, que haviam lhe implorado para que ela comentasse sobre o caso.

Nem Henry, que havia tido o coração demasiado partido para encará-la novamente.

Quando o senhorio de Justine finalmente conseguiu entrar em seu camarim, ele ficou surpreso ao descobrir uma mulher magra e linda, sentada em uma grande poltrona vermelha. Ela estava nua, e sua garganta havia sido cortada; o sangue havia pintado um grande buquê de rosas que se encontrava em frente ao seu peito.

A mulher segurava suas próprias cordas vocais em suas mãos.


14 comentários:

  1. Pelo menos morreu bonita essa gata
    Agora vai ser linda no inferno

    ResponderExcluir
  2. cantora de opera,lembrei dum epsódio dos simpsons tinha aulas de opera e um cartaz ,não adimitimos magras

    ResponderExcluir
  3. Uma dieta resolvia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara essa história foi retirada do jogo Shadows of The Damned, é a história de um chefe do jogo que é contada em um livro, procurem pelo nome do jogo e verão que a história é igualzinha, que bosta...

      Excluir
    2. as vezes nem dieta,e as vezes a pressao psicologica é tanta q c so consegue se matar

      Excluir
  4. kkkkkkkkkkk eu lembrei de um episodio do devil may cry

    ResponderExcluir
  5. Pensei na Adele na hora kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bom q ela jamais faria isso.... pq ser magra nem é tao bonito assim

      Excluir