Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

Creepypasta dos Fãs: Ménage à trois


Um pequeno recadinho antees da Creepy. Eu sei que eu devia ter postado ontem, mas o problema é que passei das uma da tarde até onze e meia da noite viajando, e no período da manhã não tive tempo de selecionar a CP dos Fãs, e a noite estava cansada demais :P Bom, no final das contas está aí, e esperam que gostem.
Keep Creeping!

___


Caio era um cara viciante e viciado, do tipo que curtia a liberdade, apaixonante! Eu, eu era só uma garota que não sabia o que fazer da vida e o seguia por onde quer que ele fosse. Ele era meu porto seguro, eu estava totalmente dependente dele, ele era minha cocaína, mas isso não era recíproco... Caio ficava comigo no máximo porque eu era “gostozinha” e porque eu sempre o apoiava quando ele precisasse, ele nunca foi fiel a mim e eu sabia disso, mas eu não ligava, só queria ficar com ele e sentir um pouco dessa liberdade que ele exalava. O Caio era um louco, inovador, sempre gostou de coisas novas. Viciado em Sex Shop e testava com frequência alguma posição do Kama Sutra, ele me pegou uma garotinha virgem e me transformou em uma pervertida viciada! Nós sempre combinávamos para fazer algo novo nas sextas feiras, nessa semana iríamos fazer um ménage à trois com algum desconhecido, ele sempre tinha umas ideias malucas, mas eu topei. Infelizmente não foi possível.

Quando ele morreu de overdose meu mundo desabou, eu fiquei totalmente perdida, angustiada, sentia uma tristeza grande o suficiente para inundar o universo. Eu não sabia mais viver sem ele, mas eu era muito covarde pra tirar a minha vida e me livrar de tudo isso. O que me restava era passar os dias chapada; eu acordava bêbada e drogada e da mesma forma ia dormir, não tinha mais razão para ficar sóbria. Depois de algumas semanas quanto mais chapada eu ficava, mais eu tinha a impressão de me aproximar do Caio, eu conseguia senti-lo, vê-lo, mas sempre antes de poder tocá-lo eu desmaiava e acordava com um buraco negro no peito e com uma vontade enorme de sentir o Caio de novo
.
Ontem ele apareceu no meu apartamento e dessa vez eu pude ouvi-lo e tocá-lo, ele me disse que estava com muitas saudades e que não podia ficar muito tempo, que nós precisávamos aproveitar o tempo que tínhamos. Como estava chapada, pensei ser só mais uma ilusão, uma brincadeira idiota do meu cérebro, mas não liguei e não pensei duas vezes eu o agarrei e nos beijamos. Ele estava insaciável, um pouco mais violento do que o normal, mas eu não me importei nem um pouco. Eu, enfim, estava matando a saudade do meu Caio e não sabia se o faria outra vez, por isso deixei me levar... ele sempre foi um ótimo instrutor e quando me dei por mim estávamos na cozinha, ele guiava minhas mãos, ele sempre soube o que fazer por mim. Eu o sentia quente se esvaindo sobre mim e ele continuava a guiar minhas mãos, eu estava ofegante, excitada, exausta... foi lindo!
Agora há muitas pessoas aqui em casa e estou me sentindo muito melhor, ainda estou na mesa da cozinha, estou um pouco pálida por causa da noite de ontem, meu corpo está nu e retaliado, mas com um belo sorriso aberto em meu rosto. O Caio me contou o que teve que fazer por mim, que eu não o faria sozinha e que agora podemos fazer o que tínhamos marcado. E aí, tem alguém aí afim de fazer um Ménage à trois?


Escrito/Enviado por: Debora Martins