Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

Negação

Eu acenava adeus aos meus amigos enquanto pisava fora do ônibus e ia para minha casa. Estava super animado para chegar em casa e ver meus pais. Eles não haviam falado muita coisa ontem. Pra falar a verdade, eles apenas ficaram em seus quartos o dia todo. Não estavam se sentindo bem. Subi as escadas da varanda e abri a porta da frente com um grande sorriso bobo em meu rosto; Porém, quando abri a porta, não havia ninguém na sala. A televisão estava desligada e a casa parecia anormalmente silenciosa. Eu dei alguns passos e comecei a chama-los.

"Mãe? Pai?", gritei. Eu sabia que eles deveriam estar por aqui. Papai tirou o dia de folga e mamãe não tinha planos com sua amiga até a próxima semana, certo? Coloquei minha mochila no chão ao lado do sofá e caminhei até a cozinha para verificar o calendário. 5 de Outubro. Eu estava certo. Meu pai tirou este dia de folga para que ele e mamãe pudessem assistir a um filme juntos. "Eles têm que estar aqui em algum lugar", pensei. E então a ficha caiu. A escola nos liberou mais cedo hoje decido a falta de água. Olhei para o relógio no meu pulso. "Ainda é 12:00. Eles devem estar dormindo." Voltei pelo corredor e lentamente abri a porta do quarto. Para minha certeza, lá estavam eles, deitados. Um suspiro de alívio escapou da minha boca e meu sorriso voltou. Andei na ponta dos pés até chegar ao lado da minha mãe, e então, puxei as cobertas.

Fui recebido com a mesma visão do dia anterior. Ela estava ali, imóvel, com os olhos vidrados e a boca aberta. Sua pele estava muito mais pálida do que o normal e seu cabelo estava começando a ressecar. A sopa que eu dei pra ela ontem a noite ainda permanecia na mesa de cabeceira. Já estava estragada e não havia sequer sido tocada. Comecei a pensar que talvez eles não quisessem melhorar. Então coloquei a coberta de volta sobre sua cabeça, peguei a sopa e sai do quarto, lentamente fechando a porta atrás de mim. Eu decidi não acorda-los, pensando que eles talvez precisassem descansar. Tenho certeza que amanhã será diferente. Até lá, tenho uma tonelada de lição de casa de Psicologia para fazer. Estamos fazendo este trabalho sobre as pessoas que possuem algum tipo de transtorno levando-os a viver em negação, mesmo sobre as coisas mais óbvias. Eu não consigo imaginar como alguém possa viver assim.

Créditos: Dusty Davis