30/08/14

Creepypasta dos Fãs: Adam Rodrigues, 07/10/2034


Adam Rodrigues 
07/10/2034 


Isso aconteceu tem alguns dias, ainda estou tentando entender os fatos.

Eu estava em casa com uma amiga, nós estávamos jogando WOW como sempre, quando eu saí para pegar mais refrigerante. Não aconteceu nada de estranho enquanto eu descia até a cozinha, nenhum barulho, clarão, vulto, nem nada do que costuma acontecer em histórias de terror ou suspense.

Quando eu voltei ela continuava na mesma posição, de costas para porta, mas o jogo estava estranho, os jogadores mal se mexiam e parecia estar acontecendo algum tipo de bugg que repetia os movimentos.

Fiquei meio chateado porque levamos semanas para chegar àquele level. Deixei os copos na mesinha e me sentei na cama ao lado dela para ver o que estava acontecendo.

Quando ela se virou eu vi que não era mais minha amiga quem estava lá. Essa pessoa ainda parecia a minha amiga, mas eu sabia que não era ela do mesmo jeito que você saberia dizer que um estranho não é o seu pai, mesmo se ele usasse as mesmas roupas e penteado que seu pai usa todos os dias.

Eu fiquei olhando enquanto essa pessoa falava como se fosse a minha amiga, mas usando uma voz monocórdica esquisita, que nem parecia humana, perguntando algo sobre os refrigerantes.

Eu pergunte quem era ela e o que tinha feito com a minha amiga. Ela me olhou de forma estranha, como se eu que estivesse fora de lugar.

Eu dei alguns passos cambaleantes para trás enquanto ela me perguntava o que estava acontecendo. Eu não tinha o que responder simplesmente saí do quarto esperando que as coisas voltassem à alguma forma de normalidade quando eu voltasse.

Me enganei muito.

Quando me virei meus pais estavam no corredor, bem atrás de mim. E, se o rosto monótono que devia ser da minha amiga estava perturbador, o deles era bem pior.

Havia algo decididamente não humano naquilo. O rosto estava enrijecido e sulcado, com a pele craquelando ao redor da boca e das narinas, a mandíbula parecia solta. Mas os olhos eram o pior, as pupilas tinham se contraído de tal modo que não eram mais visíveis, e eles arregalavam as pálpebras para mim, como numa expressão de surpresa.

Perdi completamente o controle e fugi para fora de casa. Nenhum dos rostos que encontre na rua me trouxe algum alívio. Todos apresentavam algum grau de deturpação. Desde o carteiro passando de bicicleta ao vizinho, duas portas adiante, lavando a calçada. Nenhum deles, apesar disso, me fez mal. Se quer prestaram atenção em mim.

Aquelas coisas que se passavam por meus pais vieram atrás de mim, me perguntando alguma coisa que eu não conseguia entender. A última coisa que vi foi o corpo de minha amiga espreitando pela janela, então tudo ficou escuro.

Quando acordei, em minha cama, já estava anoitecendo. Achei que tudo tinha sido apenas um pesadelo, só podia ter sido. Exceto pelos copos de refrigerante que continuavam na cabeceira, intocados.

Logo que saí do quarto percebi que a casa estava vazia.

Precisava ter certeza do que era ou não um sonho. Fui até a casa à direita da minha, dos Pereira, um casal de velhinhos que nunca saia de casa. Era a escolha óbvia, mas nesse dia eles também não estavam. A casa estava toda apaga... Na verdade, toda a iluminação da rua vinha dos postes de luz.

Voltei para casa e tentei ligar para vários lugares. Comecei com os celulares dos pais, tentei a casa dos meus amigos, dos meus avós, e farmácia 24 horas que ficava no fim da rua. Nenhum número estava recebendo chamada.

Tentei o Skype e o Facebook, mas não tinha ninguém online. Todas as atualizações eram de pelo menos 6 horas atrás.

No fim acabei entrado no WOW procurando algum dos meus amigos. Travado.

Tentei manter a calma e tive sucesso por 3 segundos.

A TV! Claro!

Quando eu à liguei, a minha estava sintonizada na CNN e passava as mesmas matérias da semana passada. Olhei a programação, era a mesma coisa, amanhã e depois. Quebrei toda a tela de 42 polegadas com os chutes que dei.

No fim o medo e a angustia se transformaram em exaustão, e adormeci ali mesmo no sofá da sala.

Desde então as coisas não se modificaram. As ruas continuam vazias, os telefones mudos, a Tv e a internet estagnadas, mas eu ainda consigo acessar minhas contas normalmente.

Estou postando este texto em todos os lugares possíveis, na esperança de que mais alguém ainda possa lê-lo. Tenho medo de sair nas ruas à procura de alguém pois não sei o que posso encontrar.

Por favor, responda se estiver ai. Se tiver alguma notícia do que acontece, se puder explicar alguma coisa.

Vou enlouquecer se continuar sozinho.



Autor: Luisa Freire e Marina Ferreira

10 comentários:

  1. Mas por que tudo isso aconteceu? Devia explicar.

    ResponderExcluir
  2. OCE viajou o tempo sua tv era sua unica esperança era so tirar o plugin se eu estiver certo
    todo mundo morreu e oce não então os ETES podem se disfarçar tome cuidado

    ResponderExcluir
  3. So eu que pensei que ia ser uma trollpasta????

    ResponderExcluir
  4. Bom legal mas eu não entendi como isso aconteceu?

    ResponderExcluir
  5. Eu imaginei que o cara podia ter se drogado e ido para o mundo sem noção da overdose.
    ~desculpem, muito Pink Floyd~

    ResponderExcluir
  6. Nos estamos em uma nave quando cê foi busca o refri os alien apareceu e te deixaram sozinho e o pior eles levaram a Internet junto

    ResponderExcluir