30/04/16

Creepypasta dos Fãs: Glutoneria

Carne enlatada, vegetais, ração, plantas; inclusive sobras das minhas refeições. Eu tentei de tudo e ainda não sabia como alimentá-la. Ela rejeitava tudo que eu oferecia, chutava o prato para longe e às vezes até cuspia na comida. A cada dia que passava, ela ficava mais magra e desnutrida, contribuindo para que eu ficasse louco de preocupação.

Eu estava desnorteado, até certo dia descer ao porão e flagrá-la alimentando-se de um gato. O desafortunado felino deve ter entrado no recinto empoeirado por alguma das pequenas janelas e encontrou um destino trágico nas mandíbulas dela. Então eu finalmente compreendi o que realmente agradava seu paladar.

Desde aquele dia, habituei-me a trazer para ela alguns gatos que eu capturava pela vizinhança, mas de início, ela não gostou muito. O fato é que ela preferia devorar filhotes, ainda vivos. Conforme ela comia os pequenos animais, ficava menos anêmica e desnutrida. Só depois de uma semana que ela começou a nutrir um gosto por gatos já adultos.

Fiquei muito aborrecido da vez em que fui levar para ela um siamês adulto com as patas amarradas. Quando cheguei ao porão e liguei a lâmpada, vi que ela já estava devorando um rato cinzento e velho.

Eu gritei com ela, tentando fazê-la entender como era difícil capturar os gatos da vizinhança sem ser visto, mas eu só recebia grunhidos como resposta. Mesmo ela não tendo demonstrado qualquer sinal de compreensão, eu lhe entreguei a refeição e posteriormente não desci ao porão por dois dias inteiros.

Admito que fiquei bastante preocupado durante as noites em que não a visitei, mas ela teria de aprender a ter empatia e consideração pela mão que a alimentava, fosse pelo amor ou pela dor.

Repentinamente, ouvi sons de engasgamento e asfixia na terceira noite e corri para o porão para ver o que se passava naquele mausoléu empoeirado. Ela parecia estar quase regurgitando algo e golpeava fortemente a coleira pela qual estava presa. Agachei-me ao seu lado e retirei a coleira pesada de seu pescoço. Naquele momento, estava presa apenas às correntes amarradas aos seus pés.

Ela pôs a mão sobre o abdômen e finalmente regurgitou. Seu vômito trazia consigo secreções asquerosas, sangue e os restos do que antes eram gatos e ratos vivos.

Tive a oportunidade de observá-la melhor quando retirei os tecidos sujos que cobriam seu corpo imundo e ferido. Incrivelmente, eu notei que em nenhum momento ela havia defecado. Depois de terminar de vomitar, ela me encarou com olhos tristes e carentes enquanto murmurava sons animalescos e sem sentido.

Naquele momento, uma tristeza pesada assolou meu coração, pois senti pena dela, sozinha e aprisionada em um lugar miserável. Ela merecia compaixão e até muito mais do que isso. Eventualmente, para satisfazê-la, nos beijamos e transamos como animais selvagens durante toda a madrugada. Em seu mais intenso orgasmo, seu corpo regozijou tremulamente em um êxtase sobrenatural e seus gemidos roucos e animalescos pareciam ser uma obra-prima da natureza oculta sobre sua pele lodosa e repleta de fungos e feridas, fazendo até balançar as teias de aranha sobre nossos corpos nus.

Para minha infelicidade, nosso sexo foi interrompido quando, em um surto de excitação, ela cravou os dentes podres e afiados em meu ombro. Com o susto, eu recuei e retornei a prendê-la à coleira. Abandonei o porão com o ombro esquerdo sangrando e ardendo excruciantemente.

Passei o resto da noite sem conseguir dormir e lembrando o sorriso malicioso que marcou o rosto dela quando percorreu seus lábios ensanguentados com a língua. Ainda tenso e aborrecido, saí para fumar e sentei-me na calçada de casa, às 05h. Posteriormente, capturei um cachorro meio doente que descansava debaixo de uma árvore no final da rua.

Ela adorou a surpresa. Devorou o animal como se fosse um banquete soberbo. Ao término da refeição, gemeu como se tivesse tido um orgasmo e vomitou os restos do cão.

Depois daquele banquete, ela passou a rejeitar gatos. Seu paladar estava se tornando mais refinado e exigente. Eu soube que estaria encrencado, pois satisfazer sua gula seria muito mais difícil, uma vez que cada vez mais ela exigiria algo maior.

E do mesmo jeito, ela continuava a vomitar por todas as noites. Não conseguia digerir por completo suas refeições e regurgitava de volta tudo que empurrava garganta abaixo. Eu estava ficando um pouco irritado com o fato de que ela devorava e expelia de si os animais por pura diversão. O que despertou minha curiosidade foi como ela estava ficando cada vez mais forte e corpulenta.

Mas o que me incentivou a tomar nota destes acontecimentos foi a noite em que eu lhe trouxera um filhote de porco ainda vivo, pois esta era a única condição que a fazia aceitar os banquetes.

Eu empurrei o animal na direção dela enquanto o suíno emitia um guincho de pavor e resistia com todas as suas forças. Ela agarrou o animal com uma voracidade tão grande que acabou devorando a metade meu dedo anelar no processo.

Meu grito ecoou por todo aquele recinto bolorento. Eu a amaldiçoei enquanto ela apenas se preocupava em saborear a refeição para posteriormente vomitá-la. Subi diretamente para o banheiro e tratei do meu dedo mutilado.

Passei dias sem visita-la desde então. Retornei ao porão apenas quando achei necessário e tive uma surpresa que me gelou a alma.

Ela não estava mais lá. A coleira e as correntes que antes prendiam suas pernas haviam sido arrancadas da parede de concreto, e no chão, jazia o porco mutilado e regurgitado. Entre os restos mortais do suíno brutalmente moído, estava a outra metade do meu dedo anelar, um pouco mastigado.

Eu segui uma trilha do que parecia ser vômito até que a mesma terminasse no meu quarto, especificamente debaixo da cama. Agachei-me e me deparei com a visão dela deitada sob o móvel como um cão.

E debaixo da cama, ela gargalhava como uma hiena rouca, mas não me ofereceu perigo. Prometi mantê-la lá mesmo, aonde provavelmente ela sentia-se mais confortável e segura sem aquelas correntes. Nas noites seguintes, continuei a lhe trazer cães, mas ela os rejeitava, além de rejeitar tudo mais que eu lhe oferecia.

Em certa noite, acordei por causa de uma dor ardente na mesma mão que havia sido mutilada pelos dentes animalescos dela. Quando liguei a luz do abajur e verifiquei, um calafrio percorreu todo meu corpo.

Meu dedo médio e indicador haviam sido completamente arrancados da minha mão. Em uma sincronia horrenda, ela vomitou os dois dedos para fora da parte de baixo da cama no mesmo momento em que eu gritei de dor e espanto. Foi naquela noite que percebi que, mesmo sem a intenção de fazê-lo, eu havia criado um monstro e possivelmente, um perigo para a vizinhança.

Por fim, é por estes acontecimentos que eu tenho escrito estas notas. Por não saber quanto tempo de vida ainda tenho e por não conseguir imaginar o que ela faria se eu a abandonasse. Espero que, se algo de ruim me acontecer, alguém encontre estas anotações que deixarei sobre a cama e alerte a vizinhança o mais rápido possível.

Vou me trancar no banheiro e tentar dormir lá mesmo, caso eu não esteja vivo pela manhã, provavelmente encontrarão o que sobrou de mim em algum lugar da casa, mas o que realmente importa agora é que conheçam o real perigo que habita debaixo da minha cama e o sentimento de culpa que tenho por ter deixado esta coisa crescer, por eu não ter tido coragem de meter uma bala de espingarda em sua cabeça.

Espero que saibam da existência desta coisa que dá risadas indescritíveis todas as noites e devora outras coisas vivas e as vomita por puro prazer. Ela já se alimentou de pequenos ratos, cães, porcos e gatos. O que mais me preocupa agora e o que mais me faz temer pela minha vida e a dos outros, é que ela está começando a gostar de pessoas.

Autor: Jean Marcus
Revisão: Gabriela Prado


47 comentários:

  1. O fato de nunca ser mencionado o que ela é me incomoda. Só não sei se de uma maneira boa ou ruim...

    Enfim, amei a creepy <3

    ResponderExcluir
  2. Socorro que Creepy foda, mas oq era o Treco doido q vomitava?? Era filha dele ? Qqq

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se for a filha dele rolou um incesto

      Excluir
  3. Caaara, ameeeei, creepys dos fãs voltando pra mitar...

    ResponderExcluir
  4. Cacete, que imersão na história!

    "Ela pôs a mão sobre o abdômen e finalmente regurgitou. Seu vômito trazia consigo secreções asquerosas, sangue e os restos do que antes eram gatos e ratos vivos"

    Que nojo cara! Essa cena rolou na minha mente enquanto lia.

    Puta que pariu, que criatividade insana pro texto! Deus, não sei o que é pior, a garota monstro ou o doido que transa com a garota monstro toda podrona.

    Urgh quase vomitei.

    Ótima creepy, muito bem escrita!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é um pouco sensível demais, não?

      Excluir
    2. não sei oque é pior, sua puxação de saco fora do comum, ou sua sensibilidade de uma criança de 3 anos.

      Excluir
    3. Não sei o que é pior. Sua aceitação por um comentário qualquer ou sua ignorância a ponto de não aceitar a opinião vizinha.

      Sou escritor também, um texto dessa qualidade não é fácil de ser elaborado. Quando você aprender a escrever algo, uma história qualquer que seja, volte a falar comigo.

      E mais. Se você lê um texto só por ler, significa que você é estupido e não tira das palavras o que elas querem passar, o que o autor quis passar.

      Sentimentos, sejam eles quais forem e emoções são passados no texto, esse é o objetivo de quem escreveu. A creepypasta quer causar repugna. Não percebeu?

      Então vá aprender a ler, porque me parece que você é um pouco...

      Deixa pra lá...

      Excluir
    4. Deixa essas crianças pra lá, Alan Douglas. Não vale a pena discutir e gastar dedo com esse tipo que só sabe criticar mas não consegue formular uma única frase sem um erro de português/semântica.
      Isso também me indigna, críticas nada construtivas vindo de quem não tem capacidade de fazer melhor ou pelo menos tentar... Mas o lance é saber lidar msm.
      Você é leitor, sabe como é difícil escrever adequadamente e sabe que não merecemos ler um escárnio desses vindo de um indivíduo que se esconde em anônimo.
      Abraço e paz, obg pelo elogio!

      Excluir
    5. a bicha louca do jean chegou pra defender a leitora sensivel? bem que o jean tem cara de traveco mesmo, pra estreiar um pornô gay aqui no site com o alan

      Excluir
    6. Jean, peço desculpas. Nem todos os leitores do cpbr são iguais a esse moleque do comentário acima.

      Excluir
    7. Jean, Alan, levem sempre um ensinamento em mente: quem vive tentando desmoralizar as pessoas, não tem uma boa vida sexual. E quem vive insinuando que as outras pessoas são homossexuais como se fosse ofensa, é porque está sendo pressionado a não assumir a própria sexualidade.

      Excluir
    8. Eu fiz uma cara feia do cacete quando li essa parte também rsrs.
      Que malucão esse cara da creepy,Fetiche nível hard!(Gostava de satisfazer ELA de todas as formas)
      Mais repulsivo que a descrição dos detalhes da creepy é o "Anônimo" comentando babaquice!

      Excluir
    9. Eu fiz uma cara feia do cacete quando li essa parte também rsrs.
      Que malucão esse cara da creepy,Fetiche nível hard!(Gostava de satisfazer ELA de todas as formas)
      Mais repulsivo que a descrição dos detalhes da creepy é o "Anônimo" comentando babaquice!

      Excluir
  5. Adorei a creepy, me prendeu do início ao fim, embora eu já soubesse o final (achei previsível).
    Não entendo como o cara teve coragem de transar com um trem desses, tem que ser muito solitário, só pode.

    ResponderExcluir
  6. Carai vey shdbsjd quase gorfei ahdhjsdhjs

    ResponderExcluir
  7. O fato de ter que ler tudo achando que no final teria uma explicação do que ela era, e chegar lá e não haver uma me deixou um pouco nervosa, mas acho que esse foi o "clima" da história. Adorei <3

    ResponderExcluir
  8. Esperando a parte 2 desde ano passado!! http://creepypastabrazil.blogspot.in/2015/08/o-outro-lado-parte-1.html?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também espero a parte 2 :'v

      Excluir
  9. Primeira creepy de fã que amei kkkkkk
    Bom pessoal, hoje aprendemos que se você pega um humano meio bicho pra criar like a bichinho de estimação, não dê seu dedo pra ele comer -q (agora to pensando aqui o que ela vai querer comer assim que enjoar de pessoas) e.e

    ResponderExcluir
  10. Foda muito foda queria postar uma minha 😍😍😍😍

    ResponderExcluir
  11. Ouvir um loop de Yummy yummy do Ohio Express enquanto se lê isso é uma experiência fantástica.

    ResponderExcluir
  12. Eu jurava que ele ia falar que ela estava embaixo da minha cama.

    ResponderExcluir
  13. Uma creepy muito bem inscrita. O autor me fez imaginar perfeitamente as cenas, sua escrita é excelente.
    Só uma coisa me incomodou, o fato da "criatura risonha", elas estão em todas as creepys e já está chato há muito tempo.
    Adoro as creepys dos fãs, poderiam postar mais :)

    ResponderExcluir
  14. Oloko q creepy foda. Isso q é saber escrever. Parabéns ao autor e q mande mais pfvr heueheu

    ResponderExcluir
  15. Que creepy foda, adorei HSHSUSYSHASUASH

    ResponderExcluir
  16. Bem clichê né não? Se alimenta de animais até que certo ponto quer pessoas, bem original.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hj em dia n existe mt coisa original, os artistas e autores devem usar o cliche sempre, basta apresenta ele de forma diferente

      Excluir
    2. Pegar um tema clichê e tornar a escrita agradável ao leitor não é algo fácil.

      Excluir
    3. Quanta controvérsia no mesmo comentário.

      Excluir
  17. Uau! Nunca imaginei que minha obra seria tão bem aclamada! Minha gratidão à equipe CPBR e a todos que amaram e elogiaram a creepy :)
    Caso tenham realmente curtido, tenho uma surpresa pra vocês...
    VAI TER MAIS CREEPYS MINHAS SIM! Pelo menos uma por mês eu estarei postando por aqui.
    Muito obrigado e grande abraço :D

    ResponderExcluir
  18. Essa creepy me lembrou muito o filme The Woman. Mas lembrou MUITO mesmo.

    ResponderExcluir
  19. Nossa, que escrita excelente! Isso compromete muito pra uma boa leitura, dá prazer de ler! Parabéns! se a gente for reclamar de clichê tá mei ruim até porque meio que faz parte. Espero ver outras creepys suas aqui *-*

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. A creepy é muito boa em termos de escolha de palavras,e a história é boa. Mas deixou a desejar por dar aquele sentimento de "você pode ser a próxima vitima muahaha" no fim, pelo fato do personagem dizer que vai se trancar e deixar "ppr conta". Outro fato, para aqueles que prestaram atenção, é que esse final o faz se passar por burro pois mesmo tendo medo de abandonar ela, ele poderia tentar fugir para algum lugar muito longe que poderia ser fora do estado/pais já que a besta relatada não parece muito inteligente. Aí ele se tranca no banheiro? (sabendo que ela arrancou correntes da parede e estouraria a porta em minutos). O que é previsível e deixa sem graça os finais. Fora isso, para quem curte creepys de criaturas é uma creepy bem interessante.

    ResponderExcluir
  22. Parabéns ao autor, escrita impecável!

    ResponderExcluir
  23. Depois de estar em relação com o meu amante por cinco anos, ele terminou comigo, e eu fiz todo o possível para trazê-lo de volta, mas tudo foi em vão, eu o queria de volta tanto por causa do amor que tenho por ele, eu implorei a ele com tudo, fiz promessas, mas ele recusou. mas um dia eu expliquei o meu problema com alguém on-line e ela sugeriu que eu deveria antes entrar em contato com um lançador de magias que poderia me ajudar a lançar um feitiço para trazê-lo de volta, mas eu sou o tipo que nunca acreditou no amor feitiço, eu não tinha escolha a não ser experimentá-lo, eu enviei o lançador de magias, e ele me disse que não havia problema que tudo ficará bem antes de três dias, que o meu ex vai voltar para mim antes de três dias, ele me disse tudo que eu preciso para fornecer para lançar o feitiço, e surpreendentemente, no segundo dia, foi cerca de 4h. Meu ex me chamou, eu estava tão surpreso, eu respondeu à chamada e tudo que ele disse foi que ele estava tão triste por tudo o que aconteceu, que ele queria que eu voltasse para ele, que ele me ama tanto. Eu estava tão feliz e foi até ele, foi assim que começaram a viver juntos e felizes novamente. Desde então, fiz promessa de que qualquer um que eu sei que tem um problema de relacionamento, gostaria de ser de ajuda para tal pessoa, referindo-se a ele ou ela para o único lançador de magias real e poderoso que me ajudou com o meu próprio problema e que é diferente do todos os falsos lá fora. Qualquer um poderia precisar da ajuda do lançador de magias, seu e-mail: dregbosolutioncenter@gmail.com você pode enviar-lhe se você precisa de sua ajuda em seu relacionamento ou qualquer coisa.

    ResponderExcluir
  24. Creepy, obviamente, baseada no filme The Woman! Até a parte do dedo decepado! HAHA De qualquer maneira, muito bem escrita. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juro que o filme não foi minha inspiração! (nem passou pela minha cabeça)
      Eu o vi há tempos e nem lembro do dedo decepado ;) kkk
      Entretanto, foi uma boa associação.

      Excluir
  25. Esse cara é louco! Bem feito pra ele!

    ResponderExcluir
  26. Sempre odiei creepys de fãs, mas essa... Sem comentários. Perfeita!

    ResponderExcluir
  27. Creepy muito foda.. Me deu agonia quando ele transo com a coisa.. Nível de carência hard

    ResponderExcluir