Desafio você

21 comentários
No início dos anos 2000, um jogo de tabuleiro começou a fazer sucesso na pequena cidade em que eu morava. Algo um pouco incomum, já que a maioria dos jovens preferiam passar o tempo em jogos eletrônicos ou então em casa, com a sua internet. Mas, talvez o fato de ser um lugar simples onde coisas modernas só chegavam bastante tempo depois tenha ajudado.

Era um jogo sem complicações, lembrando bastante Master, a diferença era que, no lugar de perguntas, eram desafios. Assim como o jogo da Grow, "E agora?" Não se jogava com dados, mas sim com fichas para os jogadores se movimentarem pelo tabuleiro e claro, só poderia se movimentar se cumprisse o desafio que estavam nas cartas do jogo. O jogador a sua esquerda deveria tirar uma carta e ler o desafio em voz alta, sempre quando terminasse de ler, ele deveria dizer ao jogador desafiado "E agora?", então, o desafiado deveria dizer se aceitava ou não o desafio.

A maioria dos desafios eram bem simples e bobos, coisas como "Desafio você a tocar a campainha do vizinho" ou então "Desafio você a falar um segredo para um dos jogadores". Mas tinha um desafio que sempre nos deixava confuso, e sempre que jogávamos, deixávamos essa estranha carta de lado, dizendo que não valia. O desafio da carta era simplesmente "Desafio você a ir até o final do Arco Iris". Na primeira vez, rimos bastante disso, pensamos que os donos fizeram isso apenas para trollar os jogadores e fazerem eles voltaram duas casas a força, sendo que caso não quisesse cumprir o desafio, teria que fazer isso. O estranho é que parecia que essas cartas sempre vinha em todos os jogos. Um amigo meu também tinha o jogo na época, disse que em uma de suas cartas, dizia "Desafio você a me achar no centro da cidade".

Com o passar do tempo, o jogo foi ficando esquecido, a tecnologia foi avançando e ninguém mais queria saber de um jogo bobo de tabuleiro. O fato é que, em um fórum na internet em 2010, o jogo foi novamente trazido há tona. Enquanto a maioria dos usuários lembravam dos momentos engraçados e desafios que o jogo proporcionava, o usuário HackJ333 dizia com a maior confiança que não cumprimos o melhor desafio do jogo, que seria o de ir até o final do bendito Arco íris. Claro, todo mundo riu dele, afinal de contas, deveria ser um desses malucos que criam teorias. Disse que o jogo foi criado por um proposito e que deveríamos descobrir e blá blá blá. Não acreditamos.

Um usuário trouxe de volta a questão das cartas estranhas, o que fez todos falarem as cartas que tinham vindo junto em seus jogos. Nada fazia sentindo, eram apenas desafios estranhos que não entendíamos. A coisa ficou interessante quando os desafios de dois usuários bateram. Enquanto um dizia "Desafio você a enxergar no escuro" o outro dizia "Desafio você a correr pela escuridão". Claro que Hackj333 veio correndo para dizer que estava certo o tempo todo. Mas, isso não queria dizer nada, pelo menos não ainda. Perguntamos ao Hackj333 se ele ainda tinha o jogo e se ele também tinha uma carta estranha, o que ele respondeu que sim, e disse também o que estava escrito.

"Desafio você a achar o caminho no escuro". Outra carta que batia com as outras duas. E afinal de contas, por que tanta obsessão com o escuro? Hackj333 afirmou que iria até o fundo disso e seria o primeiro a cumprir esse desafio. Todos do fórum falaram o que tinha em suas cartas, a pedido de Hackj333, que queria pistas e juntar todas as informações que podia. Eu também entrei no meio daquilo tudo, falando o que estava escrito não só na minha carta, como também na do meu amigo. Depois de tudo isso, Hackj333 prometeu trazer mais informações antes de sair do fórum.

Não o vimos online durante algum tempo, até que numa manhã, enquanto estava tomando café, a notícia de um monte de fitas VHS encontradas me chamou a atenção. Na reportagem, deixava claro que os conteúdo das fitas era extremamente perturbador e que as autoridades estavam a procura do autor daquilo tudo. Aquilo me assustou um pouco, por ser raro isso ocorrer nessa pequena cidade, que foi sempre um lugar bastante tranquilo. Porém, o que mais me assustou foi o que ocorreu durante a noite, quando entrei no fórum. Hackj333 estava online, e resolveu contar a todos ali tudo o que ocorreu nos dias em que passou fora.

O texto a seguir foi escrito pelo usuário Hackj333.

Hackj333: O fato é que eu sempre gostei bastante do "E agora?". Lembro-me de tê-lo jogado bastante com meus amigos nas manhãs de verão, quando estávamos de férias. Minha mãe não era muito fã do jogo, dizia que iriamos acabar se ferrando por causa daqueles desafios bobos, o que nunca ocorreu. A maioria dos desafios eram totalmente infantis e serviam apena para nos fazer rir. Talvez por isso que eu queria descobrir o que realmente tinha por trás daquelas cartas. Assim como a maioria de vocês, achei que era apenas uma brincadeira de seus criadores, até descobrir que outras desse tipo vinham em outros jogos.

Pensei que, talvez, se eu juntasse mais cartas dessas, poderia achar algo, poderia cumprir um desafio secreto que ninguém conseguiu e como eu gostava muito do jogo, resolvi tentar. Peguei os desafios das cartas estranhas que vocês disseram e tentei ver por onde eu começava. A maioria não tinha muito sentido, então resolvi começar pelo centro da cidade, seguindo o que estava na carta "Desafio você me encontrar no centro da cidade". Não demorou muito para chegar até lá. Fiquei rodando por horas por todos os cantos, estava começando a achar que aquilo tudo era uma perca de tempo e que deveria deixar toda essa merda de lado, porém, algo me chamou a atenção. Era um grafite, um grafite de um arco íris em um muro. E se fosse o arco íris citado na outra carta que um de vocês me falou? O único jeito de descobrir era seguir o arco íris que estava no muro até o fim.

Fui andando pela calçada enquanto olhava o muro, ansioso para ver aonde aquilo iria me levar. Acabei que chegando a um tipo de beco, fiquei com um pouco de medo de continuar, mas pensei que talvez eu poderia achar algo muito foda, vai saber? Tomei coragem e segui em frente. Andei naquele beco sujo pensando o quanto eu poderia estar perto de descobrir alguma coisa e por isso me bateu uma certa decepção quando vi que era um beco sem saída. Olhei ao redor e as únicas coisas que encontrei foram sacos e um Contêiner de lixo. Me senti frustrado mas não desisti, comecei a revirar as sacolas e mexer no Contêiner. Colocando a mão por baixo dele, achei algo que estava grudado nele com uma fita, era uma carta. Pela aparência, deveria estar ali há tempos, mas ainda era possível ler o endereço que estava na carta, junto com um desafio. "Desafio você a vir até aqui".

Juro que demorei um pouco para cair na real sobre tudo que estava acontecendo, eu finalmente iria desvendar o mistério por trás do jogo? Não perdi tempo em pegar o ônibus para ir até o local da carta, estava tão animado que esqueci que já eram 5 da tarde e que não demoraria muito para escurecer. Quem quer que fosse que estivesse por trás disso, queria mesmo que passássemos por uma aventura. Eu não reclamava, até gostava dessa sensação toda, me sentindo um detetive. Então, enquanto estava perdido em meus pensamentos, o ônibus parou. Desci correndo, bastante eufórico. Era ali, ali eu iria descobrir tudo, quem sabe até ficar famoso por descobrir algo que nenhum desses patetas que jogaram o jogo em uma boa parte da infância perceberam? Quem era o maluco das teorias agora? Eu ria sozinho enquanto pensava nisso.

Infelizmente, meu sorriso se desfez um pouco quando me deparei com uma casa. Ela tinha o mesmo número que estava no endereço. Era uma casa totalmente acabada, parecia ter sido abandonada por anos. Falo isso também pelo gramado enorme que precisava ser aparado. Bem, era um desafio e em todos os anos que joguei esse jogo, eu nunca recusei um desafio sequer, até mesmo tomei um ovo cru, um dos desafios que todo mundo recusava na época. Eu só tinha que entrar naquela casa e pegar o meu prêmio, certo? Tomei coragem após respirar fundo e pulei a cerca do lugar. A cada passo, meu estômago embrulhava, o fato é que eu estava me borrando de medo, não só por estar se aproximando daquela casa ferrada como também daquele matagal, só faltava uma cobra aparecer do nada e atacar meu pé.

Quando finalmente cheguei até a porta, pensei na ideia de bater, até perceber que ela estava entreaberta. Senti um aperto na garganta ao mesmo tempo que meu estômago começava a doer, algo me dizia para voltar e eu deveria ter ouvido, infelizmente, minha teimosia e curiosidade falaram mais alto. Entrei na casa, estava extremamente escuro, eu não conseguia enxergar porcaria nenhuma. Tentei procurar por um interruptor tocando nas paredes da casa, até cheguei a encontrar um, só que não funcionava. No final, meus olhos começaram a se acostumar com a escuridão e consegui enxergar duas coisas que não tinha notado. Primeiro foi uma escada que estava a minha direita, e outra foi uma porta logo a frente. Bem, não tive coragem de subir as escadas, não vou mentir. Resolvi seguir o caminho da porta a minha frente. Assim como a da entrada, essa porta também estava entreaberta.

Agora eu me encontrava em uma pequena sala, o interruptor também não funcionava, pra variar. Resolvi dar uma volta pelo cômodo até tropeçar em alguma coisa. Era uma sacola, tinha alguma coisa dentro. Com um pouco de receio, fui colocando a mão dentro até tocar em algo. Sim, agora estava com algo nas mãos e pelo formato, eu tinha certeza, não restava duvidas que aquilo era uma fita de VHS, e não era apenas aquela, tinha mais algumas na sacola. Pensei que deveria ser aquilo que o criador do jogo queria que eu encontrasse até meus pensamentos serem interrompidos por um barulho que vinha do cômodo de cima. Tinha alguém na casa. Merda, eu tinha que sair dali! Guardei a fita na sacola e corri, passando pela primeira porta até acontecer a pior coisa que poderia ocorrer naquele momento...

Eu caí. A saída estava bem na minha frente, eu ouvi passos na escada, estava chegando perto. Eu não tive coragem de olhar para trás para ver quem diabos era, apenas juntei minha forças e me levantei desesperado, ainda com a sacola na mão. Eu nunca tinha corrido tanto assim na vida, agora passando pela aquela grama alta, pensando se aquilo poderia está logo atrás de mim. Assim que cheguei na cerca, joguei a sacola por cima dela e em seguida pulei. Podem me chamar de maluco, mas eu queria mesmo saber o que tinha naquelas fitas. Depois do que pareceu ser uma eternidade, eu cheguei ao ponto de ônibus onde finalmente pude pegar o ônibus de volta para casa. A primeira coisa que fiz quando cheguei em casa foi pegar o meu velho videocassete e pegar uma das fitas para assistir. Fiquei surpreso quando em uma das fitas tinha uma carta dizendo "Parabéns! Você cumpriu o maior desafio do E agora? Agora, desafio você a contar sua experiência para outras pessoas". Vocês não sabem o quanto aquilo me fez dar um sorriso de orelha a orelha, um sorriso que durou até eu colocar o VHS no Videocassete.

O fato é que eu não consigo dizer a vocês o que tinha ali, pensar nisso nesse momento está acabando comigo. Apenas saibam que nunca irei esquecer essa merda, nem mesmo se eu batesse a cabeça e perdesse uma parte da minha memória. Ainda consegui reunir forças para chamar a policia e falar o endereço da casa. Não tinha mais ninguém lá quando a policia chegou. Eu não estou bem. Maldito jogo, maldita curiosidade. Eu espero que todos vocês peguem esses malditos jogos que vocês tem em casa e coloquem fogo, foi o que eu fiz com o meu. Apenas sigam meu conselho. Não quero mais nada que tenha ligação com isso em minha vida.

O texto de Hackj333 terminou assim. Ele não postou mais nada depois disso. Passei a noite toda discutindo com os outros usuários sobre a história que ele tinha contado. Alguns acreditavam, outros não. Mas não podíamos negar que fitas foram encontradas, estavam sempre falando disso na TV. Dias se passaram e tivemos noticia de que a policia começou a passar em todas as lojas atrás do jogo, mas nenhuma loja da cidade o vendia mais, e ela não poderia achar todas as pessoas que comparam o jogo de tabuleiro. Até hoje, eu não sei o que tinha nas fitas e ainda não encontraram o autor e criador do jogo. Também não tivemos mais noticias do Hackj333. Algumas noites, quando chego do trabalho, me pergunto o que realmente aconteceu naqueles dias.

Autor: Tai

21 comentários :

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fikei morrendo de medo de abirir ams depois eu ri

      Excluir
  2. Falou que era algo terrível mais não disse o que. Lembrei disso
    https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcT-MceaB5JBCcJWcx3F6W9BCBOiv7eai3GIu2GS515FGDP7p7qW

    ResponderExcluir
  3. Você já ouviu falar de um grande homem chamado Dr. Ajayi, ele é um lançador de feitiços, o problema que eu estava tendo no meu casamento me levou a ele. Tenho 51 anos, meu casamento já esteve em um estado desordenado, porque eu era um casamento por 15 anos sem poder conceber para meu marido; então, uma noite, ele me disse que queria o divórcio, e até saiu de casa naquela noite depois escolhendo algumas de suas coisas, implorei com ele, mas todos os meus pedidos caíram em um ouvido surdo e isso partiu meu coração porque procurei ajuda de diferentes fontes, mas nada estava funcionando para mim. Eu estava passando por uma página no Facebook quando vi uma mulher testemunhar como um lançador de feitiços chamado Dr. Ajayi a ajudava a recuperar seu homem após 5 anos de separação, seus contatos foram retirados pela senhora, eu os levei e entrei em contato com o lançador de feitiços , ele não respondeu imediatamente, mas quando finalmente me expliquei a ele e ele também me fez algumas perguntas às quais dei respostas depois da seção, ele me disse o que precisava ser feito e prometeu que meu marido voltaria para casa dentro de 72 horas, uma vez que as coisas necessárias são feitas, eu cumpri tudo o que me disseram, acredite em mim, fiquei surpresa quando meu marido voltou para casa depois de meses de separação e tampou tudo Dr. Ajayi me fez um remédio herbal, eu dei à luz meninos gêmeos, isso realmente cimenta eu e meu marido e todos os agradecimentos ao Dr. Ajayi por seus grandes poderes de feitiço, e também descobri que ele ajudou muitas outras pessoas, por isso, se você está passando por algum tipo de dificuldade no seu relacionamento e quer uma vida duradoura contato da solução Dr Ajay i o grande lançador de feitiços via WhatsApp: +2347084887094 ou e-mail: drajayi1990@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂 RIDÍCULO.

      Excluir
  4. Sensacional! Me senti lendo uma daquelas creepys gringas do Reddit, você tem potencial.

    Uma segunda parte (ou ao menos uma palinha sobre o conteúdo das fitas) seria maravilhoso ;u;

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Meu, nota dez. Um autor de verdade. Uau! Digno de publicação. Não possui mera vontade de assustar, tem aquela pegada de lenda urbana. Isso é creepy!

    ResponderExcluir
  7. Meu, nota dez. Um autor de verdade. Uau! Digno de publicação. Não possui mera vontade de assustar, tem aquela pegada de lenda urbana. Isso é creepy!

    ResponderExcluir
  8. Que demais! Nota dez, me fez lembrar muito daquelas creepys mais antigas, me deixou tensa e também muito curiosa com o conteúdo das fitas! E o autor do jogo? Ai mds e agora? Será que pegaram, não pegaram?

    Parabéns ao autor da creepy!

    ResponderExcluir
  9. Creeppy excelente. Parabéns ao autor.

    ResponderExcluir
  10. Bem detalhada. Nos faz sentir mesmo dentro do clima do conto. Só a parte do conteúdo da fita deixa um pouco desapontado .

    ResponderExcluir
  11. Me fez lembrar uma creepy acredito que o nome era mini lua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma creepy antiga mas se não me falha a memória seu nome era lua pálida

      Excluir
  12. Incrível e bem escrita, mas acho bem decepcionante quando a creepy deixa as coisas para a nossa imaginação

    ResponderExcluir
  13. pessoal, à um bom tempo atrás eu li uma creepy, e agora eu mal me lembro dela, mas gostaria de ler ela novamente. Vê se vcs conseguem descobrir qual é.

    É assim:
    Um grupo de jovens amigos combinam de irem jogar algum jogo (nao me lembro qual) e parece que era um jogo e interpretação. Bom, todos concordaram em se encontrar no local onde ocorreria o jogo durante a a noite, que é um lugar abandonado. Nesse jogo, todos eles tem que se fantasiar e usar máscaras. Ninguem sabe quem é quem. Ai, o personagem pprincipal chega no local e aparentemente ninguem havia chegado, porem ele começa a ser perseguido por pessoas com fantasias bizarras, e a perseguição começa a ficar assustadora e realista demais, com os fantasiaos tentando realmente matar o personagem principal. Ai, com dificuldade ele consegue fugir do local e chegando em casa, ele decide ligar para os amigos pra saber que merda eles estavam pensando já que aparentemente eles tentaram matar ele. Bom, ai qndo ele consegue falar com eles, ele descobre que nenhum dos amigos foi ao local do jogo, que ele acabou indo sozinho.
    Sei que parece meio confuso gente, mas se conseguirem achar o nome da creepy, eu ficaria agradecido

    ResponderExcluir
  14. parabéns, você tem potencial, tenta abrir vaga para novos tradutores :D ia te ajudar bastante

    ResponderExcluir
  15. Creepy massa, faz lembrar Lua Pálida, mas com uma pegada diferente; fiquei esperando por um final, mas tomara que tenha continuação

    ResponderExcluir
  16. Simplesmente amei! Apesar de também ficar curioso pra saber o que tinha nas fitas, acho que ficou ótimo assim, senão poderia cair no velho clichê do "crianças mortas com órgãos expostos" e blá blá blá, deixar um clima de mistério também é legal, porque nós leva a acreditar que tinha algo realmente muito bizarro nessas fitas XD

    ResponderExcluir