03/08/15

Pessoas

Você deita na cama, sua janela está aberta e um vento delicado entra no seu quarto. Você encara o teto, esperando o tempo passar. Desde quando dormir é tão difícil? Você se pergunta silenciosamente, balançando os pés de forma frenética, esperando que o sono apenas te leve. Você não dorme há muito tempo, e já tem quase três dias que você tirou um cochilo.

Deitado ali, seus sentidos parecem mais aguçados. O assovio quase silencioso começa a lembrar uma coruja; seus olhos se ajustaram a falta de luz, permitindo que você enxergue cada detalhe ao seu redor.

De repente, você ouve um rangido. Depois de um tempo, você tenta se convencer que é apenas algum galho lá fora ou cachorros na rua, afundando a cabeça mais ainda no travesseiro.

Outro rangido, e em seguida uma colisão. Você praticamente pula, agarrando a arma que descansava embaixo do criado-mudo. “Quem diabos está aí?” Você grita, apontando o objeto para todos os cantos do quarto.

Tem alguma coisa na sua janela, e começa a rastejar lentamente pela abertura. Seu rosto é branco e ele tem alguns riscos negros na bochecha, lembrando arranhões. O sorriso estava estampado em seu rosto, o cabelo médio e negro quase se arrastava no chão; ele – ou ela – usava algo que lembrava um vestido branco, sujo com alguma substância escura que lembrava sangue.

A coisa se aproxima de você rapidamente, te empurrando e forçando você a se enfiar mais na cama, e então, sussurra três palavras em um de seus ouvidos.

“Apenas... Vá... Dormir...”

Você olha para os olhos da coisa e se levanta, encarando-o friamente. “E quem diabos você pensa que é? Entrando no meu quarto desse jeito!”

A coisa te encara de volta. “Espera... O que?”

Você suspira raivosamente. “E por que você me mandou dormir?! Quer dizer, eu poderia muito bem estar QUASE pegando no sono, né? Mas nãooo, você tinha que entrar aqui!”

A coisa começa a se mover até a janela. “Eu–eu vou apenas... Vou embora.” E sai calmamente, logo depois pulando e sumindo na noite.


Você coloca a arma onde ela estava e deita na cama novamente, suspirando e falando em voz alta. “Meu Deus... O que tem de errado com as pessoas ultimamente?”


22 comentários:

  1. O último parágrafo do conto podia ser:

    "No dia seguinte, você instalou grades de ferro na janela do seu quarto."

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Quem tem insonia entende essa raiva :/

    ResponderExcluir
  3. E é assim que se livra de Jeff the killer, agora só falta o The rake e poderei viver em paz :V

    ResponderExcluir
  4. ASUYDFASOIDFOASFDASUDADIGASIPDFAS QUE PORRA FOI ESSA QUE EU ACABEI DE LER

    ResponderExcluir
  5. Parece que o jogo virou, não é mesmo? :º

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Jeffrey the killer se cagou quando viu o revólver do carinha uhuddggffghh kkkk.

    ResponderExcluir
  8. Aeeeae jeff finalmente parou com a vida de serial killer morre uma lenda kkkk

    ResponderExcluir
  9. Ahauahhahauauah Jeff ficou todo sem jeito.

    ResponderExcluir
  10. Acho q Jeff não deve ser mto bom em retrucar, e por isso optou por uma retirada estratégica.

    ResponderExcluir
  11. Caralho kkkkk Masoq ?????
    HuehuehueHuehuehueHuehuehue

    ResponderExcluir
  12. AMJSJWBSNAJZNSJDNSJNSJS acabou p vc Jeff rarararar

    ResponderExcluir
  13. dps dessa eu consigo dormir a noite HAUSHAUSHASUAHSAWDH

    ResponderExcluir
  14. Pqp,haushuashuasuashahushuahs

    ResponderExcluir