Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

Lucy, The Spooky

6 comentários
Os ponteiros do velho relógio no centro da sala marcavam meia noite. A hora correta para o que esperava realizar. 
 
Thomas estava nervoso e roía as unhas. Estava ansioso pelo tão esperado encontro. Esperou, esperou e esperou. Nada de criaturas, vultos, sons, luzes cegantes ou harpias angelicais. Nada. 

Estava desapontado. Seguira cada passo que aquele site dissera para invocar um anjo e nada acontecera. Apertou o pingente de cruz dourada que se apoiava em seu peito. Estava frio como gelo.
Suspirando e com os olhos marejados, o jovem coroinha levantou da poltrona vermelho vinho e foi dormir. Seu coração estava em frangalhos. Mergulhou em um sono sem sonhos. 

Após algum tempo, ouviu-se um barulho na casa. A janela estava aberta e batia por conta do ar frio e gelado da noite. Thomas despertou lentamente. Olhou ao redor do quarto. Não havia nada. Devia ter sido apenas imaginação. Fechou os olhos e se acomodou novamente até sentir algo àspero em seus pés. Se levantou, assustado. O ponteiro marcava três horas da manhã. O horário demoníaco. 

Tremendo, levantou da cama dossel e se ajoelhou no chão de mármore. Pôs-se a chorar e rezar. Pobre homem. Suas palavras não iriam salvá-lo de um destino inevitável. Balançava de um lado para o outro. Sentiu algo o envolvendo lentamente. Estava apavorado. Queria fugir, gritar, tentar se defender, mas tudo era em vão. Abriu os olhos. Nunca pensou em coisa mais horripilante do que aquela. Uma menina o olhava. Mas não era comum. Possuía cabelos negros e lisos, pele pálida e olhos negros cheios de tormento. O tormento de milhares de pessoas. Uma prisão de almas. 

Thomas jurou ver ela abrir um sorriso sádico, inesquecível e dizer "Sinto muito", mas ele sabia que ela não sentia. Agarrou-o pelos braços e enfiou suas garras nas entranhas do homem. O cristão soltou um berro enquanto via suas tripas saírem e sentir sua alma sendo sugada pelo próprio satanás, diria. Tudo ficou negro e silencioso novamente. Uma estátua de santa observava a cena com seu sorriso de cerâmica enquanto Thomas se tornava uma vítima de sua fé. Um eterno prisioneiro dos olhos sombrios da famosa lenda de Lucy, The Spooky.

Autor: Kamiki-San

6 comentários :