22/10/2017

Ballet (Part. 1)

Todos observavam à linda Molly Smith dançar em cima do palco do maior teatro da cidade; com seus passos perfeitos e cuidadosamente dados ela dava o seu show para uma plateia encantada. Um único holofote era ligado e não precisava mais do que isso para que parecesse um anjo, seu rosto não expressava nenhuma dor, suas sapatilhas brancas pareciam nem tocar no chão. 

Sua mãe Denise era a empresaria de Molly e quase toda semana tinham shows pela cidade, algumas vezes convites para se apresentar fora da cidade, mas por alguma razão evitava esses convites. 

‘’Sua filha é tão graciosa, parece uma boneca!.’’ – Disse a senhora que havia acabado de assistir a apresentação. Denise sorriu e agradeceu a gentil senhora pelo elogio e se dirigiu até o camarim.

Molly estava parada olhando fixamente para o espelho onde parecia procurar a si mesma, seu pensamento logo foi interrompido com o girar da maçaneta. Ela sabia que era sua mãe e que já era a hora de voltar para casa. Durante o caminho uma leve chuva começou a cair, as gotas escorriam pelo vidro enquanto as luzes da cidade pareciam se misturar com elas. A sensação de relaxamento tomava conta de seu corpo já extremamente cansado e seus pés dormentes. 

Cerca de uma hora depois  chegaram em casa; Denise sempre a carregava no colo ao sair do carro. ‘’Esse é o preço da dança filha, e você é uma grande estrela. ’’ – Falou orgulhosa enquanto Molly expressava cansaço nos olhos. Era notável o seu esgotamento físico e mental. 

Denise a colocou na poltrona e ligou a TV, esse era o programa favorito de Molly; ‘’Memorias da Dança’’.  Enquanto assistia, sua mãe fazia o dever de casa e cuidadosamente imitava a letra da filha. Era tão boa nisso que poderia ser uma golpista profissional se quisesse. 

As horas foram passando até que as duas pegassem no sono, a noite estava calma e a chuva ainda bem fraca, tudo perfeito  para uma boa noite de sono. As 23:00 o celular toca, o despertador avisa que está na hora dos cremes especiais de Molly que aliviam a dor. 

Então a parte mais difícil começa. ( Continua..) 

Autor: Andrey D. Menezes. 

(Olá! Estou sumido eu sei, mas sempre volto :) (Espero que gostem dessa creepy, está só começando.) 
(Logo mais novidades que eu quero compartilhar com vocês.) (Ps: Estou fazendo uma creepy com bastante cuidado, já tenho 7 paginas haha.) 


29 comentários:

  1. Senti um medo de algo acontecer em cada frase que foi escrita

    ResponderExcluir
  2. Andrey, no último trecho tem dois erros, a palavra "nosso", que creio ser "sono", e "prefeito" que deveria ser perfeito, talvez. Achei o desenrolar da creepy bem estilo filme antigo, lenta e calma. Apesar de já ter em mente o que vai acontecer, aguardo a continuação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa muito obrigado pela observação e pelo elogio. Eu vou corrigir sim ♡

      Excluir
  3. Meu Deus, Andrey! Eu amo bailarinas, essa coisa de classe e perfeição fazem com que sejam um ótimo material pra terror (na minha opinião)!
    O desenrolar ta meio lento, como naqueles filmes que contam bastante a história e devo dizer que isso só me deixa mais ansiosa!

    ResponderExcluir
  4. é um pouco óbvio que a filha dela é uma boneca ou não é humana, mas parece ser legal

    ResponderExcluir
  5. Fiquei muito curioso! Ela e uma especie de boneca humana? Sla minhas teorias sao doidas

    ResponderExcluir
  6. aí garoto! Estavas sumido. Que bom que voltou. E o melhor, em grande estilo! Amei a creppy.

    ResponderExcluir
  7. Provavelmente a menina tem alguma doença que causa dor, ou é fragilizada. Gostei, se não postar a parte II logo, não se surpreenda se você estiver meio tonto quando tomar seu café, hahahahahahhaha, xD.

    ResponderExcluir
  8. Moly ou Molly? Eis a questão.
    Corrija, por favor!

    Gostei da ideia, mas já deveria ter soltado alguma informação que no espantasse... Estou ansiosa pela segunda parte!

    ResponderExcluir
  9. Como é uma creepy longa e não um conto, seria mais coerente descrever um pouco mais as situações, pois romances não se desenrolam de forma tão simples quanto os contos. Assim, o leitor ficará bem mais preso, pois a própria estória em si já levantou muito a nossa curiosidade. Estou gostando, você está progredindo muito!

    ResponderExcluir
  10. Muito simples... Senti faltar algo a mais pois não foi um começo muito chamativo. Mas está ótima

    ResponderExcluir
  11. ai caraio, andrey, preciso saber o que acontece a seguir aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  12. Q maldade ter q dormir sem saber oq acontece em seguida. 🤦🏽‍♀️💔

    ResponderExcluir
  13. Oi.... alguém poderia ser meu informante quando creepys novas aparecerem aqui no site? Eu fico meio decepcionada quando entro pq não tenho oq fazer é não tem novidades..... preciso parar de criar expectativas.... meu nome é Luana meu whats é (51)98011-1343

    ResponderExcluir
  14. Quando vejo uma creepy bem escrita assim já sei que foi o Andrey ❤️

    ResponderExcluir