21/10/2017

INFESTATIO

PARTE - I
PARTE - II
PARTE - III
PARTE IV & V
PARTE - VI
PARTE - VII

FINAL - VOL.I




Sara juntamente com outros membros da Contritio traçaram duas diferentes estratégias de investida, a primeira envolvia um ataque a própria Infestatio, após estudarem as plantas da fábrica e como proceder uma vez que atingissem o perímetro, as rotas das quais utilizariam para chegar e sair. Esse era o trabalho do Time Alpha que contava com o Capitão Lahey(Carinhosamente chamado de Capitão Ressaca ),Chumbo, Frank, o piloto Cruz e Ramirez.

 Também analisaram o mapa detalhado dos esgotos, levantaram novamente a questão em relação a uma área específica que parecia ser uma câmara, ninho ou algo parecido, sentiam que aquilo seria parte essencial para derrubar a ascensão de Kaba. Trabalho dedicado ao Time Bravo liderado pela Capitã Marreta, Marta, Veronica, Cristie e Alan.

Antes de saírem, tomaram uma injeção da qual não souberam muitos detalhes, que causou efeito imediato, sentiram-se mais fortes e algo do qual haviam a muito esquecido a GULA.

Realizaram um banquete invejável, naquele dia comeram mais do que nas últimas três semanas, estavam revigorados, satisfeitos, cheios de energia e sentindo-se capazes de qualquer coisa.
O sol raiava impiedosamente, 37 graus centígrados com uma "agradável" sensação de 40, era um tremendo castigo para eles que faziam uso de trajes protetivos  e revestidos por mais e mais camadas.

Cruz estacionou o caminhão e aguardava pelos passageiros, usaram um caminhão "disfarçado" em ambas laterais contava com um gigantesco anúncio em roxo claro " AQUA CURE- FUJA RUMO AO ÊXTASE - JÁ NAS LOJAS" Não que fizesse alguma diferença, não haveria quem os fiscalizasse, não haveria nada... O transporte poderia ser transparente que nada mudaria.

Cruz dirigiu quase que até o limite de municípios para deixar os membros do time Bravo, utilizariam o trajeto menos elaborado e "esquecido" de toda a rede de esgotos, que desembocaria próximo do local do qual gostariam de atingir. Fora um local que não apresentou nenhum tipo de manutenção nos últimos 7 anos, julgaram que era provavelmente a melhor opção.

- Hey meninas, sei que é dispensável dizer porque vocês são fodonas, mas... Se cuidem! Fiquem bem, acredito em vocês.- Disse em tom de despedida.

- Você também Cruz, vocês todos! Esteja aqui para nos buscar mais tarde e poder cozinhar algo legal para comemorarmos. - Respondeu Veronica.

- O que vocês quiserem, da maneira que desejarem, é uma promessa. - Deixando o local vagarosamente.

Marta cochichou: - Mal posso esperar, já estou com fome outra vez, ele é um ótimo cozinheiro! Vou pensar em algo bem trabalhoso pra ele preparar hahaha.

Acenou para elas através do retrovisor, com um largo sorriso e nunca mais voltaram a se ver.

- Ok pessoal, mantenham sempre a formação, todos são indispensáveis e necessários para a missão, MANTENHAM a formação, ela é essencial para o nosso sucesso, organização e prontidão. - Disse Marreta em um tom firme e severo.

A pequena Cristie completou: - Um único momento de hesitação, uma titubeada, uma leve distração pode levar seu companheiro a morte, mantenham isso em mente.

Para dar uma aliviada nas palavras Alan também se pronunciou: - O que Cristie quis dizer é que nenhum de nós aqui é egoísta, já que estamos arriscando nossas vidas para o bem de todos, é claro que em nenhum de nós impera o individualismo, se aqui nos encontramos é porque nos importamos com toda a humanidade, não será difícil tomar as decisões necessárias em prol do grupo.

Em certo ponto as duas novatas se sentiram seguras e seguiram em fila indiana pelo grande túnel de entrada em direção ao subsolo da cidade.

O odor era forte como esperado, demorou um bom tempo para chegarem perto de um sinônimo para: "nos acostumamos com o cheiro de diarreia líquida brutal e mijo concentrado". Em relação a temperatura, impossível que se ambientassem, vertia suor em bicas de todos eles, o ar era quente e pesado, atrapalhava o raciocínio, locomoção e até mesmo a própria respiração que se tornou muito pesada.

O caminho era tranquilo, criando demasiadas suspeitas e expectativas no grupo.

Desceram por uma escada de ferro, eram simplesmente diversas vigas enferrujadas e tortas, fixadas no concreto poroso. Quando o caminho começou a ficar estreito se depararam com uma porta de ferro alaranjada que bloqueava o caminho. Marreta levantou o dedo indicador e o do meio unidos, sinalizando que era para pararem e ao mesmo tempo ficarem quietos.

Puderam ouvir um certo farfalhar atrás dela.

Marreta utilizou a mão que não segurava a Luger destravada para empurrar abaixo a maçaneta, rangendo de maneira estridente e insuportável a fresta da porta passou a se revelar, parou o movimento para se focar no som que cessara surpreendentemente. Virou o rosto com ar de dúvida para seus companheiros e antes de indicar que iria abrir de uma única vez fora puxada de maneira violenta para frente, escancarando a entrada e revelando o horror.

Com uma pata ainda na porta, a Aranha gigantesca arrastou a mulher bem debaixo dela, devia ter facilmente 1 metro e 40, 1 metro e 50. Seus oito olhos tinham o tamanho de uma bola de tênis cada um, suas quelíceras pareciam foices afiadas. Ela estava furiosa, as outras sete batiam no solo tentando perfurar o corpo da sua vítima. Baratas do tamanho de águias voavam em torno e estavam prestes a atacar.

A perplexidade quase tomou conta dos soldados, se não fosse por Veronica romper o inicio do iminente transe do qual se entregariam. Última do grupo, postada de joelhos e com o Rifle Enfield devidamente empunhado começou a abater os insetos gigantes que explodiam a cada tiro disparado, jorrando líquidos viscosos por todos os lados que exalavam cheiro nauseante. Marreta debaixo do pesadelo aracnídeo rolava de um lado para o outro fazendo acrobacias no chão sujo desviando dos ataques mortais da criatura, preocupava-se em se manter inteira, ignorando a Luger caída entre seus joelhos.

Alan berrou: - VERONICA, ACERTA A ARANHA, A ARANHA! - Sua .12, Pump Taurus focava então nas gigantescas baratas causando dando em uma área considerável, atirando no coração do enxame para diminuir sua força e abrangência.

Antes de recarregar Veronica acertou em cheio a cabeça da aranha duas vezes fazendo com que ela recuasse um pouco e rugisse assustadoramente. Cristie disparava a esmo sua HK G3, feriu a criatura maior e a si mesma no tornozelo esquerdo com um dos projéteis que ricocheteou no túnel cilíndrico.

Marreta teve tempo de reaver sua arma e disparar a queima roupa contra o abdômen do monstro, apertou o gatilho por volta de nove vezes antes de entender que já havia esvaziado o pente. Uma das inteligentes baratas conseguiu se esquivar das rajadas e investiu contra quem causava mais dano.

Ela "abraçou" Alan e arrancou grande parte do seu bíceps esquerdo tornando o braço musculoso do guerrilheiro em um volume inútil. Caiu no chão aos berros devido a dor excruciante, quanto mais se debatia, mais sentia os dentes afundarem em si,com a mão direita agarrou a pata dianteira da barata que devia pesar uns 19 kilos ao todo trazendo a cabeça dela mais perto de seu rosto.

 A fúria era incontrolável, não por si própria mas sim devido ao instinto de sobrevivência que havia se apoderado dele.

- POOOOORRA! AAAAH! Desferiu dentadas e mais dentadas na cabeça do predador sentindo uma pasta quente de gosto químico escorrer em sua boca, engolindo parte daquilo, ela conseguiu se soltar de seu agarre e chiou em direção ao teto. Aproveitou o momento em que foi obrigada a abaixar a guarda para quebrar e arrancar a pata afiada da criatura, com uma estocada atravessou seu crânio.

Cristie fora socorrer o colega ferido.

Marreta estava empurrando o corpo inerte que jazia em cima dela para sair debaixo da criatura quando sentiu o solo tremer... Algo vinha de longe.

Se pôs de pé e avisou, com fogo nos olhos : - ALGO ESTÁ VINDO AÍ, SE PREPAREM.

Marta colocou a mão em uma das paredes do túnel e sentiu a vibração ameaçadora e reforçou o aviso de sua Capitã - TODO MUNDO DE PÉ, VAI, VAI, VAI.

Segundo o mapa que possuíam, em trezentos, quatrocentos metros deveriam tomar o lado esquerdo de uma bifurcação, se tivessem tempo o suficiente, seja lá o que estivesse vindo de encontro a eles estaria bem atrás para persegui-los na tomada do caminho, isso se conseguissem chegar antes e não deparassem com o empecilho justamente na entrada.

Cristie mancava devido ao ferimento no tornozelo, Alan lutava para seguir consciente após perder uma quantidade considerável de sangue.

Corriam e corriam sem parar, sem se entregar. Marreta gritava para incentivar sua pequena tropa, de certa maneira surtia efeito, nenhum deles ali queria decepcionar uns aos outros.

Ofegante e sem diminuir o ritmo virou para amiga: - Desculpe Veronica, eu travei, não fiz absolutamente nada.- Pesarosamente lamentou Marta.

- Eu sei, mas entendo! Você vai compensar, precisamos de você, fique firme, estou feliz de que esteja bem.- Respondeu com um sorriso.

Enquanto avançavam pela tubulação escura, iluminada somente pelos neons que traziam junto ao corpo podiam sentir a estrutura que ocupavam balançar cada vez mais. Não tinham ideia do que iriam enfrentar, pareciam ter ultrapassado o que quer que seja, não estavam mais indo de encontro mas sim os tinham quase em seu encalço, talvez 1 minuto ou 2 a frente daquilo. Cristie achava que o túnel estava se enchendo de água e que morreriam afogados, mas não compartilhou o pensamento. 

Veronica achava que um enorme crocodilo surgiria a qualquer instante para os engolir vivos.

Quando Alan começou a ficar para trás, Marta juntou-se a ele ajudando nas passadas, não deixando que o companheiro desistisse, ele passou o braço bom em sua cintura e tentou acompanhar o ritmo. O tremor crescia, crescia e crescia, perderam campo e foram finalmente alcançados...

Marta olhou para trás e gritou: AÍ VEM!

Centenas de pontos vermelhos estavam aglomerados e pararam de repente, juntamente com o grupo de resistentes.

Ratos robustos e nervosos ocupavam todo o túnel, possuíam uma malícia que só podia ser encontrada nos seres humanos, apenas um estava mais a frente dos demais e os encarava com um ar sábio, todo cheio de si. O fim deles era eminente, poderiam ser devorados, pisoteados, esmagados, asfixiados... Havia inúmeras possibilidades de serem vencidos, mas nenhuma de vencer.

Ao perceber o movimento brusco, Caput avançou em direção a eles e desviou das balas provindas da Glock de Marta sumindo na escuridão, enquanto toda aquela massa se preparava para atacar.

De maneira firme e corajosa, Alan desfez a torniquete deixando o sangue fluir, molhou os dedos da mão direita até encharcá-los e como um maestro, regeu toda uma orquestra faminta espalhando seu sangue no ar.

SHHHHWEEEEE. Respondeu o grupo inquieto. Que só não havia avançado por falta de ordens do líder.

- Venham seus filhos de uma puta, venham me comer. Com o ombro do braço ruim empurrou Marta, mostrando a ela que possuía em sua outra mão uma granada sem o pino.

Ela não foi rápida o suficiente para perceber que fora surrupiada, mas fora rápida o bastante para saber que não havia como argumentar ou fazer com que o mesmo mudasse de ideia, sua expressão desesperada serviu de alerta para os demais que correram se afastando o máximo que podiam. O estrondo da explosão os ensurdeceu, juntamente com o barulho dos detritos que indicavam o desmoronamento de parte do túnel.

Um companheiro havia se sacrificado para que pudessem avançar, já que uma vez  com a saída obstruída não tinham a opção de voltar...







12 comentários:

  1. atacada
    Que foda cara💗
    PERFEITA como sempre, tô bem triste pela morte dele e pela história estar terminando tb
    No aguardo pelo próximo capítulo

    ResponderExcluir
  2. Espero que a segunda parte do final, não demore tanto quanto essa demorou. (A série tá muito boa, mas a demora desanima)

    ResponderExcluir
  3. Mano que coisa linda para os olhos cê é louco

    ResponderExcluir
  4. Mano que coisa linda para os olhos cê é louco

    ResponderExcluir
  5. Coisa linda de se ler cê é louco

    ResponderExcluir
  6. Coisa linda de se ler cê é louco

    ResponderExcluir
  7. Aaaaaaa mano, eu achava que essa série tinha acabado heuheueheueh

    ResponderExcluir
  8. Velho, na boa, não estou gostando dessa série, não :/
    Meio forçada, trocou primeira pela terceira pessoa do nada, tem um monte de personagens que a gente ignora quem é quem e na minha opinião o suspense não avançou muito bem.

    ResponderExcluir
  9. To me sentindo na merda.... QUE SERIE É ESSA MANOO❤

    ResponderExcluir
  10. Alguem sabe responder qual o fim da série Runners?

    ResponderExcluir