Postagens Semanais

Segunda-Feira
Francis Divina

Terça-Feira
Gabriel Azevedo

Quarta-Feira
Francis Divina

Quinta-Feira
Gabriel Azevedo

Sexta-Feira
Talisson Bruce

Sábado
==========

Domingo
==========

Eu e Meu Irmão Vimos Algo Assustador – Parte 4

4 comentários
Como disse na parte anterior, minha mãe vai ao encontro de Tommy e ela não parecia estar com vontadem, mesmo sentido muito medo.

Eu não queria ir, ainda estou muito assustada desde ontem e Matt também.

Acompanhei a minha mãe até a porta e peguei em sua mão, está tremendo, suada e gélidas. Ela olhou para a casa de Tommy, fechou os olhos e respirou fundo, seus cabelos castanhos escuros e soltos balançavam entre o vento que percorria a vizinhança, as árvores dançando junto. Reuniu coragem, soltei a sua mão e foi. Fiquei observando-a ir até a casa de Tommy e bater na porta. A porta abriu, Tommy apareceu em sua frente.

Minha mãe fez gestos com as mãos e conversando, enquanto Tommy ouvia atentamente. Minha mãe desviou o olhar para mim e Tommy fez o mesmo, nesse momento Matt apareceu atrás de mim. Ficamos em silêncio quando Tommy convidou ela para entrar, falamos um "não" tão claro que eles podiam ouvir, mas ela aceitou.

Corremos para o meu quarto que dá acesso a janela da cozinha de Tommy e vimos eles dois. Minha mãe tava apreensiva e dando cada passo para trás, Tommy fazia o mesmo só que pra frente, a ponto de ficarem colados um com o outro. Nossos olhos estavam grudados na cena e nem sequer piscávamos chegando a arder. Quando minha mãe parou de falar, Tommy simplesmente a beijou sem qualquer esforço. Cerrei os olhos de ira e bati meu punho fechado com força no chão, Matt havia ficado com os olhos arregalados e a boca aberta, não posso acreditar que estou vendo isso.

Depois de um minuto vendo essa cena horrível, minha mãe o empurrou e saiu da casa furiosa e fomos correndo até a porta. Ela estava lá toda pálida, nos olhou com lágrimas nos olhos e foi ao banheiro.

"Acho que o papai não vai gostar nada disso", disse Matt.

"Nem me fala...", falo revirando os olhos.

***

Já havia passado quatro horas e nem percebi a hora do lanche. Fui a cozinha encontrar uma bandeja de sanduíche de peru, está chovendo lá fora e meus pais estão conversando no sofá da sala. Pude notar que minha mãe estava quase chorando e meu pai ouvindo suas palavras. Ele se levantou, andou três passos até a cozinha e se virou para a minha mãe e bateu o seu punho no sofá.

"Não acredito que ele fez isso! NÃO ACREDITO!", ele gritou furiosamente, seu comportamento me assustou e o choro de minha mãe piorou.

"ELE VAI PAGAR MUITO CARO POR ISSO! EU NÃO VOU DEIXAR ISSO ACONTECER!", cerrou os dentes de raiva. Nem reparei em Matt ao meu lado.

"Eu ouvi o grito de papai no meu quarto", disse.

Meus pais subiram a escada e continuei onde eu parei. Ainda sinto ódio pelo que Tommy fez, mas brigar com ele não seria legal, não sei o que Tommy é capaz de fazer.

Autora: Ely Costa

4 comentários :