01/05/2018

Eu e Meu Irmão Vimos Algo Assustador – Parte 3

Acordei com febre e dor de cabeça, meu suor molhando o cobertor que esconde o colchão. Tive dificuldades em levantar da cama, meu corpo parecia um carro sem combustível e todo acabado.

A luz atrapalhava os meus olhos, a dor de cabeça aumentando a cada segundo depois que pisco. Hoje era o dia exato em que minha tia Vivian iria nos visitar, fazia um bom tempo que ela não aparece aqui em casa. Eu gosto dela, ela brinca comigo e sempre conto as novidades. Sabemos dessa notícia hoje e a alegria me preencheu. Meus pais pediram para que eu ficasse deitada na cama. Trouxeram livros, um copo d'água e um ventilador.

"Se precisar de mais alguma coisa, não hesite em me chamar", disse meu pai me dando um beijo na testa e saindo do quarto. Matt apareceu e pelo visto está tenso. Perguntei o porquê ele tava tenso e disse que viu Tommy carregando um saco preto até a calçada.

"Será que ele matou alguém?"

"Já assistimos vários filmes de terror em que a pessoa coloca sua vítima em sacos pretos e colocam em algum lugar"

"Sabia que ele é um assassino! EU SABIA!", disse quase gritando, até eu me assustei com o seu gesto. Quando eu ia falar alguma coisa, alguém bateu e abriu a porta.

"Tia Vi!", pulamos de alegria quando a tia Vivian entrou com dois pacotes de presente nas mãos. Nós a chamávamos de "Vi", já ela nos apelidava de "Docinho" e "Coquinho".

"Olá meus pequenos docinhos", seu agradável sorriso era o mais radiante de todos, "Soube que você está doente, espero que melhore logo", fez uma cara triste mas depois recuperou a felicidade. Por um momento vi um vulto na janela, mas nem liguei pra isso. Mais tarde me esforçei para sentar na cama e assistir filmes no Youtube pelo tablet quando algo se chocou na janela. Foi um "back!" tão grande que quase quebrei o meu tablet e poderia com certeza deixar uma rachadura na janela. Fiquei alguns segundos parada em cima da minha cama, poderia ter sido umas crianças procurando confusão... mas eu estava completamente errada. No canto do outro lado da janela, vi um rosto mas dessa vez me deu mais medo do que antes. Seus olhos estavam arregalados e enormes de um jeito que nem uma pessoa aguentaria olhar e tinha um ponto branco entre os anéis pretos, sua boca estava cheia de dentes afiados e com o sorriso de orelha a orelha. Me encolhi entre as cobertas e provavelmente o "Tommy" foi se aproximando mais da janela. Parecia muito com o Tommy, mas desse jeito tá mais para um demônio em pessoa.

"Alice, você pod...", quando Matt abriu a porta e olhou a janela quase teve um chilique. Seu rosto ficou pálido como neve e o corpo como uma estátua.

O tal Tommy na janela abriu a boca monstruosa e saiu. Matt foi ver se ainda estava lá.

"E-Ele sumiu"

Depois desse ocorrido, contamos para os nossos pais e finalmente eles acreditaram. Nos deixaram dormir em seu quarto e interditaram o meu e do Matt, mas vou sentir falta por não dormir no meu quarto por uma semana. Amanhã minha mãe vai na casa de Tommy obter uma conversa, mas acho que algo nada bom estar por vim. Minha tia Vi foi embora, disse que recebeu uma ligação urgente de seu trabalho e que precisa dela para amanhã, ela se despediu de nós e foi embora com o seu carro vermelho. Eu garanto que amanhã será pior...

Autora: Ely Costa


4 comentários:

  1. Pera, o Tommy se "transformou" em um ser mais bizarro e assustador de uma hora pra outra? Essa me pegou de surpresa, não poderia deixar a história um pouco mais explicativa até o ponto de Tommy aparecer com outro "visual"? Não é uma crítica, só estou ajudando a deixar a creepy mais interessante e bem organizada, mas valeu a pena, gostei :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tava sem criatividade um pouco e ando ocupada (atividades, trabalhos, projeto) e tô meio sem tempo para isso...

      Excluir
  2. Nao é uma critica ok?! So um detalhe..o correto seria "Meu irmao e eu" e nao o contrario.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembre-se que o narrador da creepy é a criança.

      Excluir